Guest
casoriocase-1600x200

Cisco e Prefeitura do Rio firmam parceria para ampliar atuação do Centro de Operações Rio

11 de abril de 2016 (Crédito: Rio 2016 / Paulo Múmia)

Solução tecnológica faz parte do legado da Cisco para a cidade e facilitará a atuação do Centro de Operações Rio durante emergências e grandes eventos, como os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.

Uma base remota e com alta tecnologia embarcada é o mais novo recurso do Centro de Operações Rio (COR) para atuar em situações de crise/emergência e em grandes eventos. Por meio da tecnologia Instant Connect da Cisco, a Unidade Móvel COR (UM-COR) poderá se conectar de qualquer ponto da cidade com os operadores na sede do COR, na Cidade Nova, de forma instantânea, confiável e segura. O equipamento possibilita comunicação de voz, dados e vídeo de altíssima qualidade, além de disponibilizar access points Wi-Fi para os usuários que estiverem no local onde ele for instalado. A base móvel, com um conjunto de soluções inovadoras jamais implementadas no Brasil, é resultado de uma parceria com a Cisco e dá continuidade ao compromisso da empresa de construir um legado duradouro para o Rio de Janeiro após os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.

“É a primeira vez que uma cidade brasileira contará com uma solução integrada com essas características para operações remotas, mesmo em locais que estejam com comunicação restrita por algum motivo”, afirma Nina Lualdi, diretora sênior de Inovação da Cisco na América Latina. “Esse equipamento fornecerá infraestrutura de rede, câmeras de monitoramento e serviço de voz que permitirão a comunicação entre os agentes de forma instantânea, segura e simples por meio de rádios, telefones celulares ou fixos. O formato compacto do equipamento permite que ele seja transportado rapidamente para o local do evento. Estamos compartilhando nossa expertise com a Prefeitura do Rio de Janeiro para que a solução atinja todo o seu potencial”.

O lançamento da UM-COR aconteceu durante o evento-teste da maratona, no dia 10 de abril. Foram necessárias grandes interdições viárias nunca realizadas pelos órgãos de trânsito. Durante os 42 km da prova, os atletas percorrerem as ruas do centro da cidade, passando ainda pelo Aterro do Flamengo, pela Glória e pela Praça Mauá, na região portuária. A solução já foi testada com sucesso durante a Copa Brasil de Marcha Atlética, no dia 28 de fevereiro, na Praia do Pontal, um dos eventos-teste de preparação para os Jogos Rio 2016. Para essa competição, que contou com a participação de 30 atletas de 10 países, foi preciso realizar o bloqueio de parte da Avenida Lucio Costa, no Recreio dos Bandeirantes.

O COR é referência na integração entre agentes públicos/privados e tecnologia em prol da gestão da cidade. A adoção dessa tecnologia permitirá que os operadores envolvidos em incidentes e ocorrências transmitam informações e se comuniquem com mais rapidez e precisão para melhorar a tomada de decisões.

“Os usuários da UM-COR poderão acessar a Internet, realizar teleconferências e fazer ligações por meio de telefones IP simultaneamente, integrando também rádios e telefones celulares. A câmera integrada captura e envia imagens em tempo real para o COR. Isso permite uma avaliação mais precisa da situação no local”, explica Pedro Junqueira, Chefe Executivo do COR.

“Além dos Jogos Rio 2016, a tecnologia também vai ajudar na operação de outros grandes eventos no Rio de Janeiro e em situações de emergência.”

O COR já conta com tecnologia da Cisco desde sua fundação, em dezembro de 2010. A empresa foi responsável pela instalação do sistema de telefonia e do sistema de telepresença, que conecta a Sala de Crise à sede da Defesa Civil Municipal e à residência do prefeito.

Inovação social e urbana

As tecnologias da Cisco também estão presentes em outros projetos da Prefeitura do Rio de Janeiro, como as Naves do Conhecimento, que contam com soluções de conectividade e colaboração. Essa iniciativa está oferecendo a jovens de baixa renda a oportunidade de desenvolver habilidades na área de tecnologia e se capacitar para trabalhar como técnicos de rede durante os Jogos e em outras oportunidades de trabalho no mercado de TI.

Além disso, a Cisco está trabalhando para promover a inovação social e urbana da região do Porto Maravilha. A visão da Cisco, alinhada com a da Prefeitura do Rio de Janeiro, é tornar a área do Porto Maravilha um exemplo de bairro mais inteligente e humano por intermédio de uma plataforma conectada e de serviços inteligentes, permitindo que cidadãos e visitantes se conectem entre si, com a cidade e com o governo.

Como parte dessa iniciativa, a Cisco também está promovendo um Programa de Aceleração de cinco startups vencedoras do Desafio Cisco de Inovação Urbana Porto Maravilha. As startups contam com a assessoria técnica do Centro de Inovação e estão trabalhando para desenvolver formas diferentes, criativas e inovadoras de resolver problemas do cotidiano de grandes cidades, como a mobilidade, a gestão de serviços públicos e a melhoria dos transportes públicos e das telecomunicações. O objetivo é implementar as soluções como projetospiloto no Porto Maravilha antes dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.

Sobre a Cisco

A Cisco (NASDAQ: CSCO) é líder mundial em TI e ajuda empresas a aproveitar oportunidades, demonstrando que coisas surpreendentes acontecem quando se conecta o que antes estava desconectado.Para informações sobre a Cisco,acesse Para notícias sobre o Brasil, acesse.

Sobre o COR

O COR é uma espécie de quartelgeneral da prefeitura que integra cerca de 30 órgãos (secretarias municipais, estaduais e concessionárias de serviços públicos) com o objetivo de monitorar e otimizar o funcionamento da cidade, principalmente durante grandes eventos. Além de acompanhar de perto a rotina do município 24 horas por dia, 7 dias por semana, o COR busca antecipar soluções e minimizar o impacto de ocorrências, alertando os setores responsáveis sobre os riscos e as medidas urgentes que devem ser tomadas em caso de emergências, como chuvas fortes, deslizamentos e acidentes de trânsito.

O COR usa alta tecnologia para o gerenciamento de informações e imagens de cerca de 650 câmeras próprias, além de outras 400 de concessionárias de serviços públicos e da Secretaria Estadual de Segurança Pública. Os dados de vários sistemas do município são interconectados para visualização, monitoramento e análise em um telão de 65 metros quadrados com 104 monitores de LED de alta definição.