Já tem uma conta?

  •   Conteúdo personalizado
  •   Produtos e suporte

Ainda não tem uma conta?

Criar conta

Fim do cabeamento no Banco Inter

Para dar maior flexibilidade aos colaboradores, a instituição criou um escritório 100% Wi-Fi

Tecnológico não apenas no aplicativo, mas também internamente, o Banco Inter é uma das principais instituições digitais do País, com mais de 2,5 milhões de clientes. Como não poderia deixar de ser, toda a sua operação está entregue à tecnologia, o que tem lhe permitido usufruir da agilidade de uma fintech no lançamento de novos produtos e serviços e também lhe confere alta competitividade para conviver em um ambiente em que a lealdade do consumidor é de 30,7%, segundo pesquisa da Cantarino Brasileiro.

O modelo inovador lhe coloca à frente das instituições tradicionais. Em 2016, quando a  maioria dos bancos ainda desconfiava da segurança oferecida pela computação em nuvem, o Banco Inter abriu mão de seus dois data centers e partiu para uma operação totalmente baseada em cloud. Dois anos depois, em uma reformulação do sistema operacional utilizado pelos colaboradores, os PCs foram trocados por Macs, da Apple, e a rede cabeada foi substituída por uma infraestrutura 100% Wi-Fi em toda a sede, localizada em Belo Horizonte (MG).

Esta última iniciativa, que contou com a parceira da integradora Any Consulting e da Cisco, foi o passo principal para que a corporação pudesse extrair todos os benefícios da adoção do Mac. “A própria Apple nos indicou a Cisco”, comenta Wagner Lopes Fontes, gerente de TI Corporativa do Banco Inter. Antes, porém, a instituição financeira fez pesquisas de Mercado para escolher a tecnologia definitiva, levando em conta a parceria que já tinha com a Any Consulting.

Mas não apenas isso. Era preciso garantir  total segurança tanto na migração para um ambiente 100% wireless quanto na operação  da infraestrutura. A solução que conquistou a confiança de Fontes para colocar toda a instituição em uma rede wireless foi o Cisco Identity Services Engine (ISE), ferramenta que monitora e controla o acesso dos usuários. A partir dela, o Banco Inter tem o registro de quantos colaboradores estão conectados, qual equipamento utilizado, onde estão e por quanto tempo usaram a rede. Os dados são importantes para cumprir regulamentos de segurança e outras políticas de mercado, segundo o gerente de TI.

Este alto nível de visibilidade e de segurança foi o principal ponto da definição do projeto, lembra Saulo Costa, CEO da Any Consulting. Após discutir o papel que o ISE teria na segurança do ambiente, o executivo explica que a integradora montou o projeto ciente de que a rede sem fio atenderia a todas as instalações do Inter.

Colaboradores conectados

E não era algo simples. A sede do banco é composta por cinco casas, literalmente, pelas quais os colaboradores se deslocam frequentemente. O desafio era garantir que a transição não afetasse a rotina dos usuários.

A escolha de antenas potentes foi a solução encontrada para evitar interferência e ampliar o sinal. Mesmo com pé direito (altura entre o piso e o teto) diferentes entre imóveis, a Any Consulting trabalhou para que a rede atendesse a todas as unidades, vencendo as interferências de ar condicionado e portas de vidro.

Superado o desafio, a solução também conseguiu garantir que o colaborador que saísse do prédio A  se conectasse automaticamente ao Wi-Fi no prédio B sem a necessidade de uma nova validação da identidade do usuário. O mesmo vale para quem utiliza a rede no escritório do Banco Inter em São Paulo (SP).

“Não tivemos qualquer problema com as antenas. Elas apresentam alta capacidade e grande densidade. Temos access points (AP) com até 300 pessoas conectadas e sem perda de desempenho”, afirma Fontes, do Banco Inter.

Resultados

Além de garantir uma infraestrutura de qualidade para suportar os equipamentos Mac, a rede Wi-Fi gerou outros dois benefícios ao Banco: a redução de cabos expostos; e a otimização do espaço ocupado. Fontes conta que os funcionários passaram a utilizar Macs e equipamentos similares.

Sem a necessidade de cabeamento, a mudança de layout de escritório e até as reuniões se tornaram mais fáceis. Se antes a sala precisava de um switch, um ponto de rede e outro de energia, agora os colaboradores só precisam levar o Mac.

Outro ponto positivo da nova infraestrutura foi o fim dos chamados ao serviço de help desk por conta de falhas na rede, o que espelha o bom desempenho da solução. Junto a isso, a rede passou de 2,4 GHz para 5 GHz, um ganho para os 1,3 mil usuários de Mac, que passaram a dar retornos positivos em relação ao sistema.

O investimento na renovação do parque de hardware, a transferência dos sistemas de data center para a nuvem e a instalação de rede sem fio levaram o Banco Inter ao propósito de manter os colaboradores 100% conectados e, obviamente, sem sofrer com falhas no ambiente de TI. Assim, diz Fontes, todos os esforços da equipe de tecnologia podem se voltar ao desenvolvimento de novos serviços e produtos, e melhoraram o aplicativo utilizado pelos clientes da instituição.

Rede mais robusta e infraestrutura tecnológica sem falhas permitem canalizar os esforços da equipe de TI para o desenvolvimento de novos serviços e produtos e melhoraram o aplicativo utilizado pelos clientes

Wagner Lopes Fontes, gerente de TI Corporativa do Banco Inter