Guest

Cisco UCS B-Series

Cisco UCS B-Series #4

17 de Fevereiro de 2013


Introdução

Esta é a 4ª edição da newsletter sobre Cisco UCS, em português, para clientes de UCS. Foram mais de dois meses a acumular novidades e desenvolvimentos, que hoje vos deixamos aqui. Sem dúvida que a maior novidade é a aquisição por parte da Cisco da empresa Cloupia - mais detalhes abaixo.
Como sempre, agradecemos comentários ou sugestões.


Fontes de Informação

 


Software UCS

A última edição da newsletter foi praticamente dedicada à explicação das novas funcionalidades da versão 2.1 do UCS. Dentro da versão 2.1 não há novas imagens, pelo que a última é a 2.1(1a).
Dentro da versão 2.0, foram lançadas as “maintenance release” 2.0(4d) e mais tarde a 2.0(5a).
As versões – 2.1(1a) e 2.0(5a) são as recomendadas à data desta newsletter.

 


Novidades

Cloupia

A Cisco comprou a empresa Cloupia (press release), líder em gestão de infraestruturas convergentes. Veja nesta newsletter a descrição do CUIC (Cloupia Unified Infrastructure Controller.

Cisco/Fusion-IO adapter

Está já disponível para as blades B22 M3 e B200 M3 (B420 M3 em breve) os drives Cisco UCS 785GB MLC Fusion-io ioDrive2.
Este drive, com a capacidade para 785GB, está particularmente indicado para aplicações em que a latência e a quantidade de IOPS (I/O’s por segundo) é de elevada importância. Aplicações típicas são bases de dados e ambientes de Virtual Desktop, onde a experiência do utilizador final é substancialmente melhorada e o custo por desktop é reduzido.

Características técnicas dos drives:

Medida Capacidade
Read Bandwidth (blocos 1MB) 1.5GB/s
Write Bandwidth (blocos 1MB) 1.1GB/s
Random Read IOPS (512B) 270.000
Random Write IOPS (512B) 800.000
Random Read IOPS (4K) 215.000
Random Write IOPS (4K) 230.000
Read Access Latency 68us
Write Access Latency 15us
Bus Interface PCI-Express 2.0 x4
Garantia 5 anos

Storage Networking (testes de desempenho)

A Cisco efectuou testes de desempenho em tráfego de storage (Fibre Channel) em blades UCS B200 com os interfaces de rede “Cisco UCS 1240 & 1280 Virtual Interface Card (VIC)”. Os resultados, que podem ser consultados no relatório completo, podem ser tão espetaculares como 5.85 GBytes/s de leitura e 5.5 GBytes/s de escrita!!!

Oracle VM 3.1.1 e Oracle Linux certificados em UCS

A Cisco completou os testes de certificação de Oracle VM 3.1.1 (Hypervisor da Oracle) e Oracle Linux em servidores UCS B-Series (blades) e C-Series (rack-mount). Todos os detalhes na "matriz de compatibilidade.

O Oracle VM oferece uma capacidade única designada “Sub-capacity pricing”, que permite ao cliente criar uma “hard partition” para uma Base de Dados Oracle, e só licenciar os processadores dessa “hard partition” em vez de licenciar os processadores de todo o servidor. Desta forma, os clientes reduzem os custos de licenciamento com Oracle e respectivos custos de manutenção.

O Oracle Linux pode ter dois kernel. Um é baseado no Red Hat Enterprise Linux (RHEL) e outro é o Unbreakable Enterprise Kernel (UEK) – desenvolvido pela Oracle. Ambos estão certificados para Cisco UCS.

Bastidores Cisco (racks)

Já disponível em Portugal a oferta de bastidores Cisco: “Cisco R Series Racks”, certificados para Cisco UCS.

UCS Plug-in para VMWare vCenter

O “Cisco UCS Plug-in for VMWare vCenter” é uma extensão para o vSphere Web Client 5.1 ou superior. Permite aos administradores do ambiente virtualizado gerir e monitorizar vários aspectos da infraestrutura física - Cisco UCS. O resultado é um painel único (“single pane of glass”) para obter informação sobre infraestrutura física e virtual para um determinado hypervidor.
O plug-in está disponível na Cisco Developer Network (CDN) em http://developer.cisco.com/web/unifiedcomputing/vmware

Novos Design Guides

A Cisco disponibiliza no seu site uma secção designada “Design Zone” onde são disponibilizados documentos que caracterizam do ponto de vista técnico uma determinada solução, que tipicamente pode envolver componentes de vários fabricantes. A ideia subjacente aos “Design Guides” é disponibilizar soluções pré-testadas e validadas pela Cisco, que podem ser reutilizadas pelos nossos clientes. Existe uma “Design Zone” especificamente para Data Center e Virtualização, onde pode encontrar guias de implementação de soluções baseadas em Cisco UCS.

Algumas novidades:

  1. Citrix CloudPlatform Version 3.0.4 on the Cisco UCS B200 M3 Blade Server: whitepaper;
  2. Microsoft SQL Server 2012 Failover Cluster on Bare-Metal Microsoft Windows 2008 with Cisco UCS iSCSI-Based Storage Access: Deployment Guide;
  3. Microsoft SharePoint 2010 with Microsoft Hyper-V on Cisco UCS Rack-Mount Servers: documento;
  4. Cisco Desktop Virtualization Solution with Nimble Storage Reference Architecture;
  5. VMware vSphere 5.0 Built on FlexPod: Validated Design

Cloupia

A Cisco comprou a empresa Cloupia (press release), líder na gestão de infraestruturas convergentes.
Como é conhecido, a Cisco fez uma grande aposta em infraestruturas convergentes como Vblock, FlexPod, ExpressPod, e VSPEX.
As infraestruturas convergentes resultam da agregação de componentes de vários fabricantes (networking LAN e SAN, computação, storage, hypervisor, Software de Gestão Unificada), sendo testadas, optimizadas, e devidamente documentadas. Funcionam portanto como infraestruturas de computação completas para sustentar determinados workloads, quer sejam aplicações discretas quer sejam ambientes mais complexos e menos determinísticos como Clouds Privadas.
Em todos os tipos de infraestruturas convergentes é necessária uma forte componente de gestão que permita unificar num único domínio de gestão os vários componentes dos vários fabricantes que as constituem. O Cloupia CUIC (Cloupia Unified Infrastructure Controller) afirmou-se como a plataforma de eleição para as infraestruturas convergentes referidas acima, disponibilizando um conjunto de funcionalidades que permite aos clientes a criação de uma Private Cloud com um catálogo de serviços, portal para self-service, etc.

De forma resumida, o CUIC pode ser caracterizado da seguinte forma:

  • Simplicidade: Plataforma de gestão unificada que é disponibilizada como uma máquina virtual (OVF), e cuja instalação e entrada em produção se processa em minutos;
  • Unified Manager: cada produto de uma infraestrutura unificada tem o respectivo “Element Manager” que permite configurar na íntegra o respectivo produto: e.g. UCS Manager; VMWare vCenter; NetApp OnCommand; EMC Unisphere; Cisco Nexus command line ou DCNM (Data Center Network Manager); etc. O CUIC sobrepõe-se a estes “Element Managers” e permite efetuar a descoberta, inventariação, monitorização e gestão das plataformas unificadas com um único interface (“single pane of glass”). Não se substitui às plataformas nativas, porque não cobre 100% das funcionalidades das mesmas, mas é suficientemente poderoso para as tarefas diárias de monitorização e gestão do ciclo de vida da infraestrutura convergente.
  • Orquestração: Uma vez que reconhece e faz o interface com os vários componentes do sistema (UCS, Nexus, hypervisor, storage), disponibiliza uma vasta biblioteca de tarefas (orchestration task library) que permite ao administrador criar workflows para automatizar tarefas, desde a mais simples como criar uma VM a partir de um template, às mais complexas como aprovisionar um novo servidor com hypervisor, storage, conectividade LAN e SAN, zoning na SAN, etc.
  • Self-Service Portal: O CUIC permite a criação de um catálogo de serviços que é disponibilizado num portal self-service para os utilizadores finais. Os serviços que se disponibilizam no catálogo podem ir da simples criação de Máquinas Virtuais (VM’s), à criação de infraestruturas complexas (várias VM’s em diferentes redes, protegidas por firewalls) ou mesmo a workflows mais ou menos elaborados criados com base na “orchestration task library”.
    A criação de recursos a partir do portal pode estar sujeita a um workflow de aprovação.
  • Chargeback: no interface gráfico do CUIC é possível definir várias políticas de custo associadas aos recursos de computação. Com base na utilização dos mesmos, é possível imputar custos a grupos de utilizadores ou organizações;
  • Reporting: o CUIC dá a possibilidade de visualizar relatórios em tempo real sobre a utilização dos recursos, ou gerar relatórios com base em templates pré-definidos.
  • CloudGenie: o CloudGenie é uma aplicação que está disponível para dispositivos móveis (androide e Apple iPhone e iPad) que permite acede ao CUIC para efetuar uma série de operações sobre a infraestrutura convergente. Veja um vídeo com demonstração.

Nota: Neste momento já estamos em condições para efetuar demonstrações dos produtos da Cloupia, uma vez que já se encontram instalados no laboratório da Cisco Portugal. Se está interessado não hesite em contactar-nos.


UCS Central

O Cisco UCS Manager é o sistema de gestão unificado para um único domínio UCS, que pode atingir os 20 chassis e 160 blades. O Cisco UCS Central é uma nova plataforma de gestão que estende a gestão para vários domínios UCS. Clientes que tenham vários sistemas UCS, quer sejam locais quer estejam geograficamente dispersos, podem utilizar o UCS Central para assegurar políticas comuns aos vários domínios UCS. É possível definir se as pools e policies são definidas centralmente (pelo UCS Central) ou localmente pelos UCS Manager. Com uma operação “drag-and-drop” é possível arrastar um Service Profile entre sistemas UCS geograficamente dispersos para permitir um rápido aprovisionamento de novos serviços.

Resumo das principais funcionalidades:

Funcionalidade Benefício
Inventário Centralizado O UCS Central agrega o inventário de vários sistemas UCS, organizados por domínio. Torna-se ainda mais fácil a integração com processos ITIL com acesso ao inventário através de interface XML.
Lista Centralizada de falhas Permite monitorizar facilmente o estado de todos os sistemas UCS
Upgrades de Firmware
baseados em políticas
Permite efetuar o download de imagens de firmware e guardar num repositório do UCS Central. O upgrade de firmware pode ser feito a sistemas UCS individuais ou globalmente, de forma manual ou escalonando para determinado horário.
A gestão central de firmware permite mais facilmente assegurar compliance com políticas do IT.
Identificadores Globais Em cada sistema UCS podem ser definidos uma série de pools de identificadores (UUID, WWNN, WWPN, MAC, etc.). A gestão global permite não só evitar conflitos entre domínios, como ter uma visão global dos identificadores utilizados e que estão atribuídos.
Agrupar domínios e sub-domínios Simplifica a gestão com base em políticas mediante a utilização de grupos de domínios e subgrupos.
Políticas de administração globais Ajuda a assegurar compliance. As políticas são definidas ao nível dos grupos de domínios e podem gerir tudo na infraestrutura, desde data/hora e autenticação de utilizadores até políticas de power e políticas de System Event Log.
Service Profile Template Globais e Service Profile Globais Permite centralizar a criação de Service Profile Templates e Service Profiles, o que ajuda a manter a coerência entre os vários domínios de UCS.
Agregação de Estatísticas Permite ter uma melhor percepção do funcionamento dos vários domínios de UCS.
API XML Tal como o UCS Manager, o UCS Central disponibiliza um interface XML para interface com frameworks de gestão e de orquestração.
UCS Manager Backups Permite efetuar o backup das configurações de todos os domínios UCS