Arquivo de Notícias 2013

Switching It Up: Estratégia da Cisco para o Data Center Vira-se para as Aplicações

Cisco desvenda Insieme e a sua visão para as infraestruturas centradas em aplicações; Cisco anuncia ainda Dynamic Fabric Automation para facilitar a gestão do data center e o aprovisionamento, bem como novos switches Nexus 7700


A Cisco apresentou hoje no Cisco Live, a decorrer em Orlando (Estados Unidos), uma arquitectura de rede revolucionária para data centers. Concebida para dominar na era Application-Centric Infrastructure, a arquitectura da Cisco pretende transformar os data centers de modo a que estes consigam lidar com as exigências das aplicações acuais e futuras na era Cloud.

A chegada ao mercado da nova solução foi acelerada pelo investimento da Cisco na Insieme Networks. A transição para uma infra-estrutura centrada em aplicações vai dar aos departamentos de TI a possibilidade de implementar rapidamente aplicações de negócio para os utilizadores finais, com um modelo operacional mais simples, infra-estrutura segura escalável e custos optimizados. Isto exige uma infra-estrutura aberta, programável e automatizada, pronta para enfrentar os desafios do desenvolvimento de modelos para a cloud e das aplicações Big Data.

A Cisco anunciou também duas adições inovadoras ao portfólio Unified Fabric. Em primeiro lugar, o Dynamic Fabric Automation (DFA), que automatiza o aprovisionamento de rede e simplifica a gestão de sistemas fabric para maior eficiência e escala. Em segundo, extensões para o Nexus 7000 com novos switches Nexus 7700 Series e novos módulos F3 Series I/O que garantem escalabilidade 40G/100G, com o conjunto mais completo de funcionalidades de switching no data denter.

DESTAQUES DAS NOVIDADES CISCO

Infra-estrutura Application-Centric
Os principais atributos da nova arquitectura são:

  • Velocidade das aplicações (qualquer carga de trabalho, em qualquer lugar): O tempo de disponibilização de aplicações será menor por se tratar de uma infra-estrutura de rede totalmente automatizada e programável.
  • Uma plataforma aberta comum para a infra-estrutura física, virtual e de cloud: A arquitectura vai permitir a completa integração de aplicações físicas e virtuais, uniformizando o acesso no endpoint, ao mesmo tempo que garante flexibilidade do software e desempenho, escalabilidade e visibilidade do hardware em aplicações cloud, distribuídas, nativas (bare-metal), virtualizadas e de múltiplos fornecedores.
  • Arquitectura de sistemas: Uma abordagem holística simplificada com a integração de infra-estrutura, serviços e segurança, a par de telemetria em tempo real e expansibilidade para serviços futuros.
  • Política comum de gestão e operações: Uma política comum de gestão e um modelo operacional potenciam a automação de toda a rede, da segurança e das equipas de aplicações, o que, no futuro, será extensível ao armazenamento e à computação.
  • APIs abertas, open-source e múltiplos fornecedores: Suporte para um vasto ecossistema de parceiros, equipados com um amplo conjunto de APIs abertas.
  • O melhor dos dois mundos – cliente e fornecedor: Uma abordagem equilibrada permite um ritmo mais rápido na inovação e na adopção por parte do cliente, garantindo em simultâneo a migração para uma infra-estrutura centrada em aplicações (Application Centric Infrastructure) plenamente preparada para o futuro. Esta abordagem resulta em optimizações de preço, desempenho, densidade, segurança e potência, ao mesmo tempo que assegura a protecção do investimento já efectuado em infra-estruturas cabladas através da inovação na área dos ópticos. À medida que os clientes migram para 40G hoje e 100G no futuro, esta abordagem permite-lhes optimizar os seus gastos financeiros e operacionais.

Unified Fabric

A Cisco está a introduzir melhorias no seu actual portfólio Nexus, fazendo evoluir o Unified Fabric no sentido de oferecer maior escalabilidade, agilidade e facilidade de gestão da rede. Estas melhorias incluem aprovisionamento simplificado, melhorias na gestão e novos switches.

As inovações Cisco ao nível da Dynamic Fabric Automation (DFA) incluem:

  • Infra-estrutura de fabric optimizada para melhor eficiência e escala: Topologias spine-leaf optimizadas com forwarding melhorado, control plane distribuído e integração física e virtual tornam possível a mobilidade contínua entre máquinas virtuais e máquinas físicas, em qualquer rede, em qualquer lugar, bem como a extensão da rede. Assegura também maior resiliência, com menos falhas ao nível dos domínios, e estruturas multi-tenant com mais de 10 000 clientes/rede.
  • Gestão simplificada de sistemas fabric com APIs abertas para maior simplicidade operacional: O Cisco Prime DCNM 7.0 permite a gestão centralizada de sistemas fabric, incluindo aprovisionamento automatizado da rede, um ponto de acesso ao fabric comum e visibilidade de hosts, tenants e rede. As APIs abertas permitem uma melhor integração com ferramentas de automação e orquestração, em adição às plataformas cloud.
    • Cisco Prime Data Center Network Manager (DCNM) 7.0: Um só ponto de gestão automatiza e simplifica a implementação de infra-estruturas, permite o aprovisionamento dinâmico de infra-estrutura para instalação de máquinas virtuais (VM) e fornece ferramentas de identificação e resolução de problemas.
    • Cisco Prime Network Services Controller 3.6: Cria serviços de rede de forma dinâmica, comunica com o VMware e o Cisco Nexus 1000V e transmite informação importante ao DCNM.
  • Aprovisionamento automatizado para maior agilidade: Permite o aprovisionamento e automatização da rede com o objectivo de simplificar a implementação e movimentação de tanto servidores físicos como de máquinas virtuais. Partindo de templates de perfis de rede, são automaticamente criados exemplos de Políticas de Rede, que depois se aplicam à rede quando a administração de sistemas define o aprovisionamento de recursos para as MV e MF (máquinas virtuais e máquinas físicas). À medida que as MVs se deslocam no fabric, a Política de Rede é aplicada automaticamente ao switch leaf.

Em conjunto, estas novidades oferecem vantagens significativas por comparação com melhorias apenas no software ou nas redes físicas de forma isolada.

Novos switches e módulos Nexus 7700

A Cisco alargou o portfólio Nexus 7000 com o novo switch Nexus da série 7700 e os novos módulos de I/O da série F3, incluindo:

  • A nova família de switches Nexus 7700 inclui o ecologicamente eficiente Nexus 7710 (10 slots) e o chassis Nexus 7718 (18 slots).
  • Os novos módulos F3 Series I/O, que são suportados nos switches 7000 e 7700, oferecem densidade de 40G/100G, uma melhoria energética na ordem dos 60% e suportam um amplo conjunto de funcionalidades de switching específicas para Data Centers.
  • Com estas inovações, o Nexus 7718 põe à disposição do mercado um switch com a mais elevada capacidade: 40G e 100G com um máximo de 384 portas de 40-Gbps e 192 portas de 100-Gbps. O Nexus 7718 foi concebido para uma capacidade total de switching de 83Tbps.

Os novos Nexus 7700 Series deverão estar disponíveis em Julho de 2013. Os novos módulos F3 Series I/O são esperados na segunda metade de 2013.

MAIS INFORMAÇÃO

Conte connosco

  • Ligue grátis 800 880 456
  • Dias úteis, 9h-13h e 14h-18h
Partilhar