Arquivo de Notícias 2013

Pasta de Dentes, Papel Higiénico e Mensagens de Texto - Diga Olá à Geração Y

O estudo da Cisco sobre os hábitos de Internet da Geração Y mostra como a necessidade de estar sempre ligado condiciona cada aspecto do quotidiano: do trabalho às compras, das amizades à vivência em família

São 6 da manhã. O alarme toca ruidosamente. Senta-se na cama ainda atordoado, estica os braços e murmura qualquer coisa imperceptível. Está na hora de começar a arranjar-se para a escola ou para o trabalho – o que faz a seguir? Veste-se? Toma um duche? Escova os dentes?

Noventa porcento das pessoas da Geração Y inquiridas dizem que, assim que acordam, agarram no smartphone para ver o email, mensagens e updates das redes sociais, muitas vezes ainda antes de sair da cama, isto de acordo com o estudo 2012 Cisco Connected World Technology Report (CCWTR.) O corpo humano tem 206 ossos, mas, para a Geração Y, o smartphone pode muito bem vir a ser o osso número 207. Dois em cada cinco inquiridos dizem que “se sentiriam ansiosos, como se uma parte minha faltasse” se não pudessem usar os seus smartphones para se manterem ligados.

Baseado num inquérito efectuado pela InsightExpress a 1800 estudantes universitários e jovens profissionais com idades entre os 18 e os 30 anos em 18 países, o estudo examina o modo como a Geração Y usa a Internet e os dispositivos móveis para se ligar ao mundo à sua volta. O estudo revela o comportamento e atitudes dos sujeitos em relação à criação, acesso e privacidade da enorme quantidade de dados gerados diariamente por smartphones, câmaras de vídeo, monitores e outros aparelhos com ligação à Internet.

Os dispositivos móveis são apenas o princípio. À medida que mais e mais dispositivos, sensores, ténis de basquetebol, campos de cultivos, animais e outros seres vivos vão ficando ligados à Internet, o volume e o potencial valor de todos os dados gerados por estas ligações cresce exponencialmente. A Cisco acredita que, num futuro próximo, profissionais e empresas vão tirar mais partido da comunicação entre dispositivos para oferecer serviços e aplicações e tomar decisões em tempo real.

2012 Cisco Connected World Technology Report – principais descobertas

A nova rotina matinal: pasta de dentes, papel higiénico e mensagens de texto
A Geração Y não quer perder nada. Começa o dia a pegar no telemóvel para verificar SMS, emails e actualizações das redes sociais – muitas vezes, antes mesmo de sair da cama. Para esta geração, informação é sinónimo de “tempo real, o tempo todo”.

  • Nove em cada 10 inquiridos vestem-se, escovam os dentes e verificam o seu smartphone como parte do ritual matinal de preparação para a escola ou para o trabalho.
  • Para as empresas, este dado é significativo porque demonstra que a força de trabalho do futuro é mais ágil, mais informal e mais reactiva do que qualquer geração anterior. Esta nova geração vive para estar ligada e comunicar.

Eu e o meu smartphone. A Geração Y está ligada em permanência, de manhã à noite.

  • Mais de um em cada quatro respondentes da Geração Y (29 porcento) diz verificar os smartphones tão constantemente que perde a conta às vezes que o faz.
  • Globalmente, um em cada cinco olha para o smartphone para verificar email, mensagens e actualizações das redes sociais de 10 em 10 minutos, pelo menos.
  • Um terço dos respondentes verifica os seus smartphones pelo menos a cada 30 minutos.

Ligados ou viciados?

  • Sessenta porcento dos sujeitos da Geração Y dão por si a consultar involuntária ou compulsivamente os seus smartphones à procura de novos emails, mensagens ou updates das redes sociais.
  • As mulheres são mais propensas a estar ligadas do que os homens: 85 porcento de mulheres contra 63 porcento de homens admitem verificar compulsivamente o smartphone para ver mensagens, emails e updates nas redes sociais.
  • Mais de 40 porcento dos inquiridos sentiria um efeito de “ressaca” e de “ansiedade, como se uma parte minha faltasse” se não pudesse verificar o seu smartphone constantemente.
  • Destes utilizadores compulsivos de telefone, 60 porcento queria não se sentir tão “agarrado”.

Os profissionais de Tecnologias de Informação são ainda mais ligados

  • Quase um terço dos profissionais de TI afirmou consultar os seus smartphones ‘continuamente’
  • 40 porcento dos profissionais de TI verifica o smartphone a cada 10 minutos

Estão por toda a parte! Os smartphones usam-se em toda a parte, até no mais privado dos lugares. O ímpeto de permanecer ligado faz com que a linha que separa o trabalho da vida familiar/social fique cada vez mais ténue. As pessoas consultam mensagens de trabalho e comunicam a todas as horas, em todos os lugares imagináveis. O tempo é elástico: para a Geração Y não há fronteiras precisas entre o “dia de trabalho” e o tempo pessoal – fundem-se ambos e sobrepõem-se ao longo do dia e da noite.

  • O romantismo acabou? Globalmente, 3 em 4 respondentes usam o smartphone na cama.
  • Não te esqueças de lavar as mãos: Mais de um terço usa o smartphone na casa de banho.
  • Põe a mesa, por favor: Quase metade de todos os respondentes (46 porcento) afirma escrever mensagens, emails e verificar as redes sociais durante as refeições em família ou com amigos.
  • Atenção! Por mais perigoso que seja, quase um em cada cinco inquiridos admite escrever mensagens enquanto conduz.

Mais do que apenas mensagens e email: a revolução das apps

  • Quase 70 porcento dos respondentes da Geração Y diz que as aplicações móveis são importantes para as suas vidas diárias.
  • Mais de metade afirma usar aplicações móveis sobretudo para jogos e entretenimento.
  • Contudo, um em cada quatro (27 porcento) usa as aplicações móveis sobretudo para trabalhar.

De quantas aplicações precisa? Os fabricantes divulgam milhares de aplicações nas suas lojas, mas será que estas estão a ser utilizadas? De todas as aplicações descarregadas diariamente, apenas um número surpreendentemente pequeno é, de facto, usado regularmente.

  • A maioria dos respondentes da Geração Y (60 porcento) afirma usar regularmente menos de 10 aplicações no seu smartphone.
  • Apenas um em cinco inquiridos (20 porcento) diz usar entre 10 a 25 apps regularmente.

Amizade online versus face-a-face: a comunidade online não tem barreiras geográficas ou fusos horários.

  • Quarenta porcento dos inquiridos passa mais tempo a interagir com amigos online do que a socializar em pessoa, fisicamente.
  • Dois terços de todos os respondentes afirmam gastar o mesmo tempo a socializar com amigos online e pessoalmente.
  • Existe, contudo, uma diferença entre sexos: 38 porcento dos homens gastam mais tempo em interacções cara-a-cara do que online, contra 29 porcento de mulheres.

Quem és tu de verdade? As identidades online e do mundo real não são iguais.
A interacção online cria oportunidades para esticar as fronteiras do quotidiano e experimentar uma nova identidade – mas, em contrapartida, este pode ser o princípio da decepção. Até que ponto se pode confiar no que se lê online?

  • Quatro em cada cinco inquiridos (81 porcento) acreditam que as pessoas têm identidades diferentes online e na vida real.
  • Globalmente, mais de um terço dos respondentes sente que a maioria das pessoas tem identidades diferentes online e offline. 
  • Quando questionados sobre a sua posição nesta matéria, 44 porcento afirmam ter a mesma identidade online e no mundo real, offline.

Será que os smartphones vão substituir os portáteis no local de trabalho?
Em muitas partes do mundo, os smartphones já rivalizam com os portáteis enquanto aparelhos preferidos pelos utilizadores dos 18 aos 30 anos de idade. O smartphone é encarado como sendo mais versátil e mais compacto.

  • Se tivesse de escolher apenas um aparelho, um terço dos respondentes daria preferência ao smartphone, ao passo que um pouco mais de um terço escolheria um portátil. 
  • A nível global, os smartphones já ultrapassaram os computadores de secretária enquanto dispositivo de eleição no local de trabalho.
  • Os smartphones foram considerados duas vezes mais populares do que o PC de secretária e três vezes mais populares do que os tablets.

Para a geração “sempre-ligada”, basta apenas um dispositivo móvel, seja um aparelho próprio ou um aparelho fornecido pela empresa. Para os gestores de TI, isto constitui um desafio, pois implica a salvaguarda dos bens e dados da empresa.

  • Enquanto dois em cinco dizem que a política das suas empresas proíbe a utilização de dispositivos corporativos para fins não profissionais, quatro em cinco – quase 80 porcento – afirmam nem sempre obedecer a essas regras.
  • Dois terços (66 porcento) sentem que “os empregadores não deviam controlar os empregados” nas suas actividades online – é algo que não diz respeito à empresa.
  • Os profissionais de TI sabem que muitos funcionários não obedecem às regras, mas não têm noção de quão prevalecente é esse comportamento: globalmente, mais de metade dos profissionais de TI acredita que os funcionários da sua empresa respeitam a política de não usar dispositivos da empresa para assuntos pessoais.

Compras online – uma tendência global da Geração Y

  • Nove em dez sujeitos inquiridos da Geração Y dizem já ter efectuado compras online.
  • Quase três em cada cinco (58 porcento) afirmam confiar com regularidade em comentários de outros compradores quando decidem a compra de artigos online; adicionalmente, 28 porcento consultam ocasionalmente análises e testes online.
  • Cinquenta e sete porcento – praticamente três em cinco respondentes – acede a partilhar o endereço de email com lojas e sites, a fim de receber notícias sobre promoções e descontos. No entanto, não estão dispostos a partilhar muito mais do que isso – poucos concordam em ceder o número de telefone, morada de casa e outros dados pessoais.

Alimentar um mundo de dados

  • Quase 90 porcento faz upload de fotos para partilha e armazenamento online.
  • 62 Porcento carrega vídeos para partilha e armazenamento online.
  • Enfrentar o mundo: 87 porcento tem conta no Facebook, e um em cada 10 tem o Facebook sempre ligado.
  • 41 Porcento publica no Facebook pelo menos uma vez por dia, e mais de um em cinco actualizam o Facebook várias vezes ao dia.
  • 56 Porcento dos inquiridos tem uma conta no Twitter, e 21 porcento twitam pelo menos uma vez por dia.

Sobre o estudo
Terceiro de uma série anual, o estudo 2012 Cisco Connected World Technology Report foi efectuado a pedido da Cisco pela InsightExpress, uma empresa independente de estudos de mercado sedeada nos Estados Unidos. O estudo global consiste em dois inquéritos: um centrado em estudantes universitários e trabalhadores com idades entre os 18 e os 30 anos, e um segundo focado em profissionais de TI. Cada inquérito inclui 100 respondentes em cada um dos 18 países, o que resulta numa amostra global de 3600 inquiridos. Os 18 países incluem: Estados Unidos, Canadá, México, Brasil, Argentina, Reino Unidos, França, Alemanha, Holanda, Rússia, Polónia, Turquia, África do Sul, Índia, China, Japão, Coreia do Sul e Austrália. 

RECURSOS DE APOIO

Conte connosco

  • Ligue grátis 800 880 456
  • Dias úteis, 9h-13h e 14h-18h
Partilhar