Guest

Apenas 25% das organizações têm uma estratégia de Cloud madura

Hierarchical Navigation

Segundo um relatório da IDC e da Cisco o avanço na adoção da Cloud permite obter maiores benefícios empresariais e a capacidade de impulsionar a inovação.


Embora quase seis em cada 10 organizações (57%) já utilizem a Cloud ou planeiem implementá-la em alguma das suas formas, apenas 25% alcançou um certo nível maturidade e apenas 1 em cada 100 tem uma estratégia optimizada. No entanto, metade das empresas (53%) espera que a Cloud ajude a aumentar as receitas nos próximos dois anos.

Esta é uma das principais conclusões do estudo “Não fique para trás: as vantagens empresariais de uma maior adoção à Cloud” realizado pela International Data Corporation (IDC) e patrocinado pela Cisco, que revela também que a Cloud está a entrar na sua segunda vaga de adoção, convertendo-se numa plataforma chave de crescimento e inovação, a preponderância das Clouds privadas e híbridas e os sectores que estão a obter os maiores benefícios.

Principais Conclusões do Relatório

  • A adoção da Cloud está em expansão, mas poucas organizações implementaram estratégias avançadas. Cerca de 57% dos inquiridos utilizam ou pretendem implementar algum tipo de Cloud, mas apenas 25% contam com estratégias de adoção maduras ou avançadas, que a IDC define como “reproduzíveis, geridas ou otimizadas” face a estratégias “ad hoc e oportunistas”, ao passo que 32% carecem de estratégia (Figura 1).
  • Plataforma para o crescimento e inovação. A Cloud está a entrar numa segunda vaga de adoção na qual as empresas não se centram apenas na redução de custos e no cumprimento de Acordos de Nível de Serviço (SLAs) mas que se apoiam também na Cloud como plataforma chave de crescimento e inovação. Desta forma, 54% dos inquiridos esperam que a Cloud os ajude a definir o orçamento de TI de uma forma mais estratégica nos próximos dois anos e 53% acreditam que graças à Cloud conseguirão aumentar as suas receitas (Figura 2).
  • A evolução na curva da adoção implica melhores resultados empresariais. As vantagens aumentam à medida que se passa de uma etapa de maturidade a outra: ad hoc, oportunista, reproduzível, gerida e otimizada. Por exemplo, passar do nível de menor maturidade (ad hoc) ao de maior maturidade (otimizado) permitirá aumentar as receitas em 10,4%, reduzir os custos em 77%, acelerar o aprovisionamento de serviços e aplicações em 99% e duplicar a capacidade de investimento em novos projetos para impulsionar a inovação (Figura 3).
  • Preponderância das Clouds privadas e híbridas. A Cloud privada é adotada com mais frequência do que a pública: 44% dos inquiridos já utiliza ou tem prevista a utilização da Cloud privada, face a 37% que já utiliza a Cloud pública (Figura 4). A Cloud privada e a utilização do software de código aberto (como o OpenStack) associa-se a maior valor de negócio e a melhores resultados empresariais. Também a utilização da Cloud híbrida está a crescer: 64% das organizações consultadas fazem-no, quer apoiando-se na mobilidade para as cargas de trabalho (48%) ou na combinação de recursos de TI públicos/privados (50%), que são as principais características da Cloud híbrida (Figura 5). Sete em cada 10 organizações pretendem migrar dados entre Clouds públicas e privadas (ou entre múltiplos fornecedores de Cloud) para o qual se exige, funcionalidades avançadas de segurança e controlo.
  • Sectores com maiores benefícios. Por sectores, os Serviços Profissionais, a Tecnologia e os Transportes, as Comunicações e as Utilities (TCU) esperam maior impacto nos resultados de negócio, ao passo que o sector de Retalho/Vendas espera o menor impacto (Figura 6/).

Análise Personalizada

Com o objetivo de ajudar as organizações a avaliar o seu nível de adoção da Cloud em função do estudo (comparação por sector, país e dimensão) e identificar os aspetos de melhoria, a Cisco disponibiliza a quem o solicite uma ferramenta gratuita de autoavaliação baseada em questionários e num workshop ou jornada de análise detalhada (em colaboração com parceiros de canal qualificados). Denominada Cisco Business Cloud Advisor, os detalhes desta iniciativa podem ser consultados em www.cisco.com/go/bca.

Declarações de Apoio

  • Nick Earle, Vicepresidente Sénior, Global Cloud e Managed Services Sales: “Embora a Cloud tenha já um grande impacto na transformação das TI, estamos a entrar numa segunda vaga de adoção, onde as organizações se centram nos benefícios empresariais e na maior segurança, rendimento e controlo oferecidos pelas Clouds privadas e híbridas. Assim, são exigidas estratégias maduras e fornecedores comprovados, com a capacidade de garantir que as cargas de trabalho corretas são atribuídas aos recursos adequados”.
  • Robert Mahowald, vicepresidente de SaaS e Cloud na IDC: “Diversos estudos feitos pela IDC têm revelado que as organizações avançadas em Cloud obtêm maiores benefícios empresariais, incluindo a melhor alocação de recursos de TI, maior flexibilidade, geração de receitas, redução de custos e melhor prestação de serviços. Estes benefícios aumentam à medida que se avança na curva de adoção da Cloud, daí iniciativas como o Cisco Business Cloud Advisor poderem ajudar as organizações a avaliar o seu nível de maturidade e melhorar a sua capacidade para avançar na sua estratégia Cloud.”

Recursos Adicionais

Figura 1

Figura 2

Figura 3

Figura 4

Figura 5

Figura 6

Acerca do Relatório

O relatório “Não fique para trás: as vantagens empresariais de uma maior adoção à Cloud” baseia-se num questionário realizado pela IDC a responsáveis de TI e negócio de mais de 3.463 organizações, que estão a adotar com sucesso Clouds públicas, privadas ou híbridas, de mais 17 países diferentes (Estados Unidos da América, Candá, México, França, Alemanha, Reino Unido, Itália, Espanha, Países Baixos, Suécia, China, Índia, Coreia, Japão, Austrália, Malásia e Brasil). Ao questionário da IDC, juntaram-se ainda: uma extensão sobre o valor do negócio, patrocinada pela Cisco, ao qual responderam 2.378 inquiridos e outros estudos sobre o valor de negócio elaborados pela IDC.