Srikanth Narasimhan

Através da arte, Srikanth e sua filha autista Sanjna estão inspirando outros a se tornarem 'Mais Rápidos, Mais Altos, Mais Fortes' apesar da deficiência.

Cargo: Engenheiro Sênior de TI
Local: Bangalore, India
Anos na Cisco: 15

Como um Engenheiro Sênior (Distinguished) de TI com mais de uma década e meia de experiência na Cisco, Srikanth Narasimhan já recebeu inúmeros prêmios e reconhecimentos – Top Chief Architect de 2015 na Índia; vencedor do Global Innovation Platform Challenge da Cisco; finalista do prêmio Pioneer Award de 2015 na categoria de Inovação de Produto. Mas seus momentos de maior orgulho não vêm da realização profissional ou elogios pessoais, mas sim de ver sua filha de 19 anos, Sanjna – diagnosticada com autismo aos 3 anos de idade – estar muito bem e prosperar em face de sua deficiência.

“Nós nunca acreditamos em estereótipos"

Srikanth diz. "O autismo é só um diagnóstico – não deve ser visto como um rótulo. Toda criança tem um talento, e esse talento tem de ser promovido. Queremos transmitir a mensagem de que o mundo tem que ir além de estereótipos e além dos rótulos."

Srikanth levará essa mensagem e sua missão com ele no meio do ano, quando representar a Cisco como participante do Revezamento da Tocha Paralímpica de 2016 no Brasil.

"Os Jogos Paralímpicos são um símbolo de coragem e inspiração sobre o que é possível", Srikanth diz. "A estética do esporte é intangível. Deixe-nos mudar a maneira de trabalhar, viver, brincar e aprender para um futuro mais rápido, mais alto e mais forte!"

Ao receber o diagnóstico de Sanjna, muitos anos atrás, Srikanth e sua esposa Jayashree decidiram focar na habilidade de sua filha, ao invés de focarem na deficiência. Enquanto criança, Sanjna mostrou um incrível talento artístico, utilizando vários meios para se expressar de uma forma que ela nem sempre podia fazer verbalmente. Com seu talento incentivado pela Bangalore International School e suportado por seus pais, Sanjna organizou sua primeira exposição individual de arte aos 16 anos, com mais de 45 pinturas e desenhos. O show levantou mais de 40.000 rúpias indianas, e os recursos foram doados ao Sunshine Autism Trust, uma escola local em Bangalore especializada em crianças com autismo.

“Os Jogos Paralímpicos são um símbolo de coragem e inspiração sobre o que é possível.”

Conforme as pinturas de Sanjna começaram a se tornar notícia em escala nacional e internacional, Srikanth e sua esposa resolveram usar sempre a oportunidade e a exposição para espalhar a consciência sobre as pessoas com necessidades especiais e trabalhar em direção a um mundo de oportunidades iguais.

“Sentimos que Sanjna tem a oportunidade de ser um modelo inspirador para seus colegas e mostrar que é possível, apesar da deficiência e os desafios que apresenta o autismo", Srikanth diz. "Ela tem sonhos, e nós temos sonhos para ela como seus pais."

Em 2014, Sanjna recebeu o prêmio International Diana Award do primeiro-ministro britânico, dado em reconhecimento a jovens que estão mudando o mundo. Hoje, Sanjna continua a pintar e conscientizar e a levantar fundos para o autismo e pessoas com necessidades especiais. Ela recentemente terminou o colegial e agora está buscando um bacharelado em Belas Artes.

Apesar das realizações de Sanjna serem notáveis, seu caminho trilhou desafios incríveis. Como uma jovem menina, ela enfrentou uma grave alergia alimentar que impede que a família coma fora em um restaurante. Ela foi ridicularizada por seus colegas na escola por suas dificuldades de comunicação. Os pais dela eventualmente decidiram ensinar Sanjna em casa, com a atenção individualizada que ela precisava.

"Em alguns momentos," Srikanth recorda, "parecia que estávamos subindo o Everest sem mapa."

Com uma fé inabalável em sua filha e uma visão para mudar o mundo, Srikanth é a verdadeira definição de um Cisco Olympian. Quando ele aceitar a Tocha Paralímpica de 2016 no Brasil, com Sanjna olhando, ele fará isso representando todas as famílias com necessidades especiais ao redor do globo.

"Assim como John Chambers [ex-CEO da Cisco] mostrou ao mundo como mudar a maneira de viver, jogar e trabalhar com dislexia, estamos tentando mudar a maneira de viver, jogar e trabalhar com autismo", Srikanth diz.

Quando a família – incluindo Ritu, de 15 anos - viajar para o Brasil, Sanjna trará com ela uma pintura para doar aos Jogos Paralímpicos, como um memorial de sua experiência.

"Para um mundo 'Mais Rápido, Mais Alto, Mais Forte', precisamos de todos os tipos de mentes", Srikanth diz. "Vamos respeitar a 'habilidade' na deficiência, e se esforçar pela beleza moral para junto mudarmos o mundo."