Já tem uma conta?

  •   Conteúdo personalizado
  •   Produtos e suporte

Ainda não tem uma conta?

Criar conta

Cinco tendências de SD-WAN que vão definir o mercado futuro

por Andrew Froehlich

No início, a SD-WAN ajudou os usuários de filiais a se conectarem às LANs corporativas. Mas há várias novas tendências de SD-WAN que vão aumentar a relevância dessa tecnologia.

À medida que as empresas continuam migrando aplicações para a nuvem, arquiteturas de rede como a SD-WAN se tornam cada vez mais importantes para acomodá-las nesse contexto.

Com mais aplicações baseadas em software como serviço (SaaS) residindo na nuvem em vez de em data centers centralizados, os padrões de tráfego de dados mudam.

Tornam-se evidentes para as empresas as consequências de transferirem seus dados para a nuvem. Aplicações e serviços baseados em nuvem podem ter seu desempenho comprometido e resultar em aumento dos custos de largura de banda e da latência de dados. As WANs tradicionais não estão preparadas para lidar com esses novos fluxos de dados.

Por essa razão, as empresas estão considerando novas arquiteturas de rede, como as de WANs definidas por software (SD-WANs), para tratar de problemas de desempenho e gerenciamento.

A SD-WAN já começou a mudar a forma como os clientes gerenciam suas filiais para aumentar a resiliência e diminuir a latência e a instabilidade. O modelo para alcançar isso com as ferramentas SD-WAN atual é colocar a inteligência artificial (AI) em cada lado de uma WAN de múltiplas conexões e executar análises em tempo real com base em configurações específicas de aplicações que indicam quais fluxos de dados devem ter prioridade sobre os outros.

É uma maneira simples de aproveitar ao máximo uma WAN existente sem uma reformulação da arquitetura de TI. Sendo assim, agora que a SD-WAN está integrada a várias empresas, na sua forma mais básica, é o momento de pensar além. Vamos analisar as principais tendências de SD-WAN que poderão surgir nos próximos anos, sob a perspectiva da TI corporativa.

De acordo com os dados de 2017 da IDC, dois terços dos entrevistados na pesquisa se mostraram propensos a implantar a SD-WAN nos próximos dois anos (veja a Figura 1). E não é surpresa nenhuma que o uso da nuvem seja um determinante: mais de 90% dos entrevistados planejam usar aplicações baseadas em SaaS nos próximos 12 meses.

Na nossa primeira discussão, analisamos o mercado atual de SD-WAN . Em seguida, abordamos o futuro da SD-WAN e cinco tendências de SD-WAN que podemos observar.

Figura 1. Fonte: Pesquisa de WAN definida por software da IDC, agosto de 2017; n = 1.208

Uma abordagem “SD-WAN-first”

As primeiras implementações de SD-WAN em geral foram feitas dentro de estruturas de WAN existentes. Elas frequentemente foram criadas em Ethernet de operadora como o link primário e com a banda larga padrão/VPN como uma conexão secundária.

Agora que a SD-WAN provou ser um ativo eficaz na borda da WAN, os arquitetos de TI estão reavaliando sua arquitetura WAN existente para explorar melhor o desempenho da SD-WAN e os benefícios de economia de custos. Presume-se que a SD-WAN será implantada de qualquer forma, por isso ela se torna padrão na equação de todas as implantações de WAN daqui para frente.

Na maioria das vezes, ter uma abordagem de “SD-WAN-first” significa que você já considerou os benefícios. Geralmente, isso implica conectividade sob medida com as filiais com base no desempenho esperado, que pode ser obtido por meio dos recursos da SD-WAN. O dimensionamento não contempla apenas a produtividade recomendada para uma localidade remota, mas também o tipo de conectividade de WAN escolhido. Por exemplo, os arquitetos de WAN que se sentem confortáveis com os recursos da SD-WAN podem optar por implantar conexões de Internet de banda larga em vez de um Multiprotocol Label Switching (MPLS) de custo mais elevado. Essas alterações de design podem resultar em uma enorme economia das despesas operacionais (Opex) para as empresas. É importante observar que, embora uma WAN sob medida seja de grande relevância para a obtenção de bons resultados, é preciso que a arquitetura possa se expandir ou diminuir conforme necessário, principalmente em se tratatando de arquiteturas de nuvem.

Gerenciamento de desempenho do usuário

O gerenciamento de desempenho do usuário começou a ser mais utilizado nas LANs sem fio (WLANs). Mas hoje ele permite ganhos de desempenho com base na determinação de um usuário, ou de um grupo de usuários, de uma funcionalidade da aplicação que seja "essencial para a empresa".

A WAN construída com base no desempenho geral da rede evoluiu para uma SD-WAN controlada pelo desempenho das aplicações. Futuras implantações de SD-WAN provavelmente vão oferecer maior granularidade, e tratar os fluxos de dados de acordo com quais o usuário determina como sendo os mais importantes para concluir o seu trabalho.

Embora o gerenciamento de desempenho do usuário seja uma maneira de explorar os avanços da IA, ele também vai aumentar a complexidade do gerenciamento de políticas baseadas no usuário. Para alguns, o gerenciamento da infraestrutura subjacente, além das políticas de desempenho do usuário, pode se tornar um peso grande. É por isso que algumas empresas optam por transferir determinadas tarefas de gerenciamento para um provedor terceirizado.

SD-WAN como serviço

A maneira mais fácil e eficiente de as empresas implementarem as tecnologias de SD-WAN atuais na arquitetura de borda da WAN existente é fazer isso por conta própria. No entanto, à medida que os tomadores de decisões de TI avaliam sua estratégia de WAN de longo prazo, fica claro que criar e gerenciar políticas específicas de aplicações e usuários demanda tempo e esforço. Portanto, alguns concluem que, para reduzir a mão de obra interna total dedicada à arquitetura da WAN, é melhor ter um provedor terceirizado gerenciando a infraestrutura da SD-WAN subjacente e deixar a criação e o gerenciamento de políticas para a equipe interna.

Os provedores de SD-WAN como serviço gerenciam tudo, desde o status de circuito ativado/desativado/degradado até os protocolos de roteamento entre os escritórios corporativos e remotos. O que resta para a equipe de TI interna é criar uma política baseada em quais fluxos de dados devem ser considerados importantes para a empresa. A desvantagem, é claro, é a empresa se tornar dependente de um terceiro para a operação geral da WAN das camadas 1 a 4 do modelo Open Systems Interconnection (ou OSI). Observe que a SD-WAN gerenciada como serviço não é diferente sob a perspectiva de risco de outros relacionamentos com provedores de serviços gerenciados.

A SD-WAN como parte de uma estratégia multinuvem

As plataformas de SD-WAN de primeira geração também estão sendo integradas a estratégias de computação em nuvem. Uma nuvem híbrida é estabelecida quando você conecta um data center operado de forma privada a um único provedor de nuvem pública ou privada. As políticas são então compartilhadas entre os dois, de modo que a aparência e a operação sejam idênticas sob a perspectiva de usuário final e administrativa.

À medida que as ambições de nuvem crescem, a maioria dos departamentos de TI encontra benefícios do ponto de vista de desempenho, confiabilidade e segurança, ao implementar seus serviços em várias redes de provedores de serviços de nuvem. Antes, as estratégias de multinuvem eram complexas e difíceis de implementar, porque cada plataforma de nuvem era gerenciada usando diferentes ferramentas e interfaces de programação de aplicações, ou APIs. Por isso, criar políticas idênticas de rede, segurança e aplicações em várias infraestruturas de nuvem - além de em um data center privado - resultava em muita dificuldade de manutenção. No entanto, as plataformas de gerenciamento multinuvem surgiram para ajudar os administradores a criar uma estratégia de política de rede centralizada e universal, que pode ser automatizada e enviada para a maioria das plataformas de nuvem pública disponíveis atualmente.

Agora que as estratégias de multinuvem são uma opção viável, já é possível adotar a SD-WAN para a arquitetura geral, fornecendo os mesmos benefícios de desempenho e latência oferecidos atualmente entre escritórios corporativos e remotos. Só que, desta vez, a SD-WAN vai ser implantada entre duas ou mais nuvens públicas gerenciadas por diferentes provedores de serviços.

SD-WAN para usuários remotos

Por fim, você pode ainda adotar a SD-WAN para se livrar das implantações estáticas de site remoto e de nuvem e, em vez disso, deligar esses serviços diretamente para os usuários finais, independentemente de onde eles estejam localizados. Ao combinar caminhos separados usando tecnologias de banda larga/Wi-Fi e de operadoras de redes sem fio, como LTE e 4G/5G, a SD-WAN chega diretamente ao desktop dos usuários remotos ou residenciais Hoje já vemos operadoras de redes sem fio sendo usadas como parte de uma estratégia geral de SD-WAN para escritórios de filiais.

Então, é apenas uma questão de tempo para que a SD-WAN possa ser implantada em qualquer lugar. Isso vai ser possível, independentemente de o usuário estar em uma filial, em casa ou em um restaurante a milhares de quilômetros de distância. Embora essa tendência futura de SD-WAN seja a mais distante dentre as cinco previsões apresentadas neste artigo, ela tem o maior potencial de impacto. Um aspecto bastante verdadeiro em vista do aumento contínuo das forças de trabalho remotas.

E isso é apenas o começo

Há muito interesse na borda de WAN empresarial, em parte porque os empregos tradicionais, em horário comercial, dentro de um escritório corporativo estão se tornando uma coisa do passado, já que a mobilidade está redefinindo o nosso modo de trabalho. Embora a SD-WAN possa inicialmente ter atraído nossos clientes por fornecer um serviço melhor para as filiais, a tecnologia tem muito mais que isso a oferecer. Não há dúvida de que a tecnologia de SD-WAN vai continuar evoluindo para fornecer aos usuários melhores serviços de conectividade que lhes permitam se distanciar ainda mais da LAN empresarial.

Fique atento à medida que observamos a consolidação dessas tendências de SD-WAN.

Para obter mais notícias da Cisco:

Para saber mais sobre produtos e serviços da Cisco

Andrew Froehlich

Andrew Froelhich é o presidente da West Gate Networks, uma provedora de consultoria e serviços de TI. Ele trabalha com TI empresarial há mais de 15 anos. Seu foco principal engloba as tecnologias com e sem fio, de desenvolvimento de redes de voz, implementação e suporte, e segurança de rede da Cisco. Froehlich tem experiência em atualizações de infraestrutura de rede e novos planejamentos. Ele também tem se envolvido bastante com arquiteturas de data center projetadas para oferecer aplicações e serviços empresariais tolerantes a falhas para milhares de usuários.