Já tem uma conta?

  •   Conteúdo personalizado
  •   Produtos e suporte

Ainda não tem uma conta?

Criar conta

Arapongas investe em anel óptico para conectar serviços públicos

População no interior do Paraná é beneficiada com redução de custos do poder públicos, maior agilidade e segurança no atendimento na área de saúde, além de ganhar acesso Wi-Fi

Requisito comum no Brasil, o acesso gratuito à rede Wi-Fi se tornou uma realidade em Arapongas, no interior do Paraná. Na cidade localizada a 380 quilômetros da capital Curitiba, os quase 120 mil habitantes passaram a ter acesso à internet para explorar os serviços eletrônicos da Prefeitura.

Formada por um anel óptico de 20 quilômetros, a rede foi inaugurada em 2015, fornecendo conectividade a escolas, postos de saúde, além de todos os demais departamentos das Secretarias municipais.

Uma das principais mudanças percebidas na cidade foi a modernização do atendimento na saúde. “Não havia condição de implantar um sistema de prontuário eletrônico antes do projeto, por falta de infraestrutura adequada de rede”, conta Vagner Mantovani, analista de TI da área de Projetos de Tecnologia da Informação da Prefeitura de Arapongas.“Hoje, qualquer médico da saúde pública tem acesso rápido ao histórico do paciente, melhorando e agilizando o atendimento”, pontua.

Com a integração das informações entre os postos de saúde e unidades de pronto atendimento, o médico tem acesso ao prontuário eletrônico e consegue entender melhor a vida clínica do paciente, chegando a um diagnóstico mais rápido e preciso. Também consegue entender o porquê de uma consulta, se ela é reincidente, a quais tratamentos e medicamentos um paciente já foi submetido, as principais queixas recentes, etc.

“Isso é muito importante para o paciente, porque evita, por exemplo, que ele seja submetido a exames e tratamentos desnecessários e que algumas vezes são maléficos à saúde, como o Raio-X, por exemplo”, cita o executivo. Além do que, as farmácias que participam da distribuição pública de medicamentos foram integradas ao sistema, iniciativa que permite desde o controle de estoque até a distribuição em todo o município.

O projeto de implantação da rede óptica, realizado junto à integradora Teletex, começou em 2011, quando o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI, que à época não estava integrado à pasta de Comunicações) realizou um processo de seleção de municípios para prover verbas a projetos de Cidades Digitais.

A iniciativa foi selecionada em primeiro lugar no Paraná e em 12o no Brasil, contemplando switches e roteadores para as redes fixa e Wi-Fi. O investimento de US$ 6,9 milhões, sendo R$ 500 mil de contrapartida da Prefeitura, permitiu ao município implementar primeiro a infraestrutura de rede. Com isso, as escolas rurais, que antes não contavam com acesso à internet, mesmo tendo laboratórios de informática, foram conectadas, e a gestão pública passou a ser totalmente integrada em Arapongas.

Aliás, a Prefeitura coloca na área da educação a maior expectativa com o projeto. Agora que as escolas estão conectadas, o município passa por um processo de amadurecimento nesta área e estuda inovações pedagógicas, experimentadas durante visita ao Centro de Inovação da Cisco, no Rio de Janeiro.

O município vislumbra, por exemplo, implementar soluções que possibilitem tornar o ensino fundamental mais interativo, com acesso a conteúdos de qualquer lugar do mundo, e até mesmo digitalizar as bibliotecas municipais. Outras opções são a possibilidade de gravar as aulas para que o estudante possa acessá-las mais tarde e revisar o conteúdo dado em sala ou também transmitir as aulas em tempo real aos alunos que eventualmente estejam ausentes por questões de saúde.

A administração municipal também implantou um sistema de registro de ponto eletrônico e, em janeiro de 2018, a biometria nesta área. Assim, reduziu o tempo e as condições para processamento da folha de pagamento dos mais de 3 mil servidores públicos. O registro, que antes era físico e precisava ser transportado por um carro da Prefeitura, de cada local para a Diretoria de Recursos Humanos, passou a ser processado eletronicamente e online, permitindo a redução de fraudes e erros, além de acelerar o tempo de processamento dos dados, que caiu de uma exigência de 10 dias antes do fechamento da folha, para no máximo dois dias.

O RH não “perde” mais tempo conferindo planilhas e redigitando informações. Os dados são transmitidos de cada relógio de ponto do município, através da rede óptica, diretamente para o sistema de folha de pagamento. “É mais agilidade, segurança e conforto para os funcionários”, afirma Mantonavi. “O RH agora pode destinar mais tempo para tarefas mais “nobres”, pois não precisa processar uma imensa quantidade de papel como antes, já que o sistema online faz 80% do trabalho automaticamente”, afirma.

“Esse benefício à administração e aos sistemas públicos são indiretos à população, mas geram melhoria no atendimento e menor custo à máquina pública”, diz Moisés Galian, analista de TI da área de Redes e Comunicação de Dados. Outra mudança que beneficia os cofres de Arapongas é o compartilhamento da infraestrutura de rede para acesso à internet. “Antes do projeto, cada local da Prefeitura tinha seu link de internet, algo que agora foi centralizado, dando maior controle e eficiência ao uso da internet pela administração do município. “Só isso paga o investimento a médio prazo”, dita Mantovani.

Wi-Fi para a população

À população, o benefício direto é a rede Wi-Fi gratuita que a Prefeitura começou a disponibilizar em outubro de 2017, em 70 pontos de Arapongas -principais parques, praças e espaços públicos.

Dimensionada para atender até 15 mil usuários simultaneamente ao longo do dia, com uma conexão de 3 megabits para download e upload por pessoa, o Wi-Fi já conta com 2,8 mil cidadãos cadastrados e a expectativa é de que 10% da população se torne usuária ativa, cerca de 12 mil pessoas.

Segundo Mantovani, toda a área urbana está conectada, inclusive os bairros que não são atendidos pelas operadoras de telecom. O Wi-Fi alcança também a zona rural, onde os usuários contam com 5 megabits para download e upload, qualidade maior justamente para compensar eventuais debilidades na rede da região, que recebe conectividade através de enlaces de rádio, a partir do anel óptico.

Para o Wi-Fi públicos, foi disponibilizado um link dedicado de 300 mbps, com possibilidade de aumento no futuro, já que a expectativa é que os custos caiam com o passar do tempo e a quantidade de usuários aumente.

O plano principal é que esta rede pública traga mais facilidade de acesso aos serviços eletrônicos da Prefeitura, sendo a inclusão digital o objetivo do projeto. “Por isso, o cidadão pode acessar o portal da Prefeitura sem a necessidade de se cadastrar”, explica Galian. A intenção é que outros serviços digitais das esferas estaduais e federais sejam disponibilizados sem a necessidade de cadastro. Para acessar os demais conteúdos da Web, o cidadão precisa realizar um cadastro e registrar login e senha.

MAIS BENEFÍCIOS AO MUNICÍPIO

  • Serviço de videomonitoramento da cidade, que antes era conectado via rádio, agora está sobre a rede óptica, proporcionando melhor qualidade de imagem
  • A rede viabilizou a atualização do gestão GRP (government resource planning), em um projeto paralelo, beneficiandose da integração de todas as Secretarias e ainda possibilitando o uso de tecnologias de gestão de documentos (GED)
  • Centralização dos sistemas, padronização e agilidade no processamento das informações
  • Registro de ponto online e aceleração do fechamento da folha de pagamento de funcionários
  • RH com mais tempo para tarefas “mais nobres”, porque não precisa mais conferir e redigitar dados de frenquência dos servidores.

 

 

 

"Hoje, qualquer médico da saúde pública tem acesso rápido ao histórico do paciente, melhorando e agilizando o atendimento"

Vagner Mantovani, analista de TI da área de Projetos de Tecnologia da Informação da Prefeitura de Arapongas