Software Cisco IOS e NX-OS : Software Cisco IOS versões 12.3 T

T1 de 1 e 2 Portas de Segunda Geração/Voz de Tronco E1 Multiflex/Placas de Interface de WAN

2 Abril 2008 - Tradução Manual
Outras Versões: Versão em PDFpdf | Inglês (28 Março 2005) | Feedback

Índice

T1 de 1 e 2 Portas de Segunda Geração/Voz de Tronco E1 Multiflex/Placas de Interface de WAN

Índice

Restrições para T1 de 1 e 2 Portas de Segunda Geração/Voz de Tronco E1 Multiflex/Placas de Interface de WAN

Informações sobre T1 de 1 e 2 Portas de Segunda Geração/Voz de Tronco E1 Multiflex/Placas de Interface de WAN

Principais Recursos de T1 de 1 e 2 Portas de Segunda Geração/Voz de Tronco E1 Multiflex/Placas de Interface de WAN

Recurso Integrado de Soltar e Inserir

Suporte de Módulo de Rede para T1 de 1 e 2 Portas de Segunda Geração/Voz de Tronco E1 Multiflex/Placas de Interface de WAN

Como fazer a configuração T1 de 1 e 2 Portas de Segunda Geração/Voz de Tronco E1 Multiflex/Placas de Interface de WANs

Configurando T1 de 1 e 2 Portas de Segunda Geração/Voz de Tronco E1 Multiflex/Placas de Interface de WAN

Exemplos de Configurações de T1 de 1 e 2 Portas de Segunda Geração/Voz de Tronco E1 Multiflex/Placas de Interface de WAN

Exemplo de Topologia de Rede para T1 de 1 e 2 Portas de Segunda Geração/Voz de Tronco E1 Multiflex/Placas de Interface de WAN

Exemplo de Configuração de T1 de 1 e 2 Portas de Segunda Geração/Voz de Tronco E1 Multiflex/Placas de Interface de WAN

Referências Adicionais

Documentação Relacionada

Padrões

MIBs

RFCs

Assistência Técnica

Referências a Comandos

origem de tempo (controlador T1/E1)

Glossário


T1 de 1 e 2 Portas de Segunda Geração/Voz de Tronco E1 Multiflex/Placas de Interface de WAN


T1 de 1 e 2 portas de segunda geração/Voz de tronco E1 Multiflex (MFT)/Placas de Interface de WAN (VWICs multiflex) são compatíveis com aplicativos de dados e de voz em routers multiserviço Cisco. O VWIC multiflex combina as funcionalidades da placa de interface WAN (WIC) e da placa de interface de voz (VIC) para fornecer as seguintes melhorias:

Suporte para placas T1 e E1—T1/E1 MFT VWIC2 oferecem flexibilidade adicional para fazer a configuração das placas MFT VWIC2 com suporte para T1, fracional T1, E1 e fracional E1 para aplicativos de voz e WAN.

Recurso de soltar e inserir em todas as versões—Todos os módulos MFT VWIC2 incluem agora o recurso de multiplexação soltar e inserir, o que elimina CSU/DSUs externos de terceiros e multiplexadores de soltar e inserir.

Recursos aprimorados de temporização—Os MFT VWIC2s de 2 portas podem permitir que cada porta seja temporizada de relógios de origens independentes para aplicativos de dados. Esse recurso de temporização independente não é suportado por aplicativos de voz e pelo módulo AIM-ATM-VOICE-30.

Opção dedicada de cancelamento de eco—MFT VWIC2s possuem slots integrados para um módulo de cancelamento de eco dedicado de tronco multiflex (EC-MFT-32 e EC-MFT-64), oferecendo uma capacidade aprimorada de cancelamento de eco para condições complexas de rede. Para mais informações sobre esse recurso, consulte o capítulo "Cancelamento de Eco de Hardware" no Guia de Configuração de Porta de Voz.

Histórico de Recursos para T1 de 1 e 2 Portas de Segunda Geração/Voz de Tronco E1 Multiflex/Placas de Interface de WAN

Versão
Modificação

12.3(14)T

Esse recurso foi introduzido nas plataformas Cisco das seguintes séries: 2600XM, 2691, 2800, 3662 (modelos telco), 3700 e 3800.


Localizando Informações de Suporte para Plataformas e Imagens do Cisco IOS Software

Use o Cisco Feature Navigator para localizar informações sobre suporte de plataforma e suporte de imagem do software Cisco IOS. Acesse o Cisco Feature Navigator em http://tools.cisco.com/ITDIT/CFN/jsp/index.jsp. É necessário ter uma conta em Cisco.com. Se não possui uma conta ou esqueceu o nome de usuário ou a senha, clique em Cancelar na caixa de diálogo de login e siga as instruções exibidas.

Índice

Restrições para T1 de 1 e 2 Portas de Segunda Geração/Voz de Tronco E1 Multiflex/Placas de Interface de WAN

Informações sobre T1 de 1 e 2 Portas de Segunda Geração/Voz de Tronco E1 Multiflex/Placas de Interface de WAN

Como fazer a configuração T1 de 1 e 2 Portas de Segunda Geração/Voz de Tronco E1 Multiflex/Placas de Interface de WANs

Exemplos de Configurações de T1 de 1 e 2 Portas de Segunda Geração/Voz de Tronco E1 Multiflex/Placas de Interface de WAN

Referências Adicionais

Referências a Comandos

Glossário

Restrições para T1 de 1 e 2 Portas de Segunda Geração/Voz de Tronco E1 Multiflex/Placas de Interface de WAN

Imagem do Cisco IOS

Para executar esses recursos nas interfaces T1/E1, é necessário instalar uma imagem IP Plus ou IP Voice (mínimo) do Cisco IOS Versão 12.3(14)T ou posterior.

Suporte a VWIC

As placas VWIC multiflex são compatíveis com routers Cisco séries 2600XM, 2691, 2800, 3700 e 3800 quando instaladas nos módulos da rede listados na Tabela 2. As placas VWIC multiflex podem também ser instaladas em qualquer slot VIC do router.

Modo Temporização Independente

O modo temporização independente é suportado somente nestes módulos:

VWIC2-1MFT-G703

VWIC2-2MFT-G703

VWIC2-2MFT-T1/E1

VWIC2-1MFT-T1/E1

Para ativar o modo temporizador independente, use a palavra-chave independent no comando clock source. A palavra-chave independent é expandida nos comandos clock source internal e clock source line para especificar que a porta pode operar em um domínio de temporização independente. Antes da adição da palavra-chave independent, a porta 0 era a origem principal de temporização padrão, a porta 1 era a origem secundária de temporização padrão, programada em circuito. Com a temporização independente habilitada, essa dependência não existe mais, de modo que a palavra-chave independent significa que as duas portas podem ser cronometradas separadamente.

Quando a temporização independente é configurada, o controlador suporta somente um grupo de canais e nenhuma aplicação de voz. Se mais de um grupo de canais estiver configurado, ocorrerá a seguinte mensagem de erro:

channel-group 2 timeslots 3
%Channel-group already created.
%Only 1 channel-group can be configured with independent clocking.
%Insufficient resources to create channel group

Ao fazer a configuração dos comandos clock source independent e no clock source independent, o grupo de canais deve ser removido da configuração.

Informações sobre T1 de 1 e 2 Portas de Segunda Geração/Voz de Tronco E1 Multiflex/Placas de Interface de WAN

Esta seção fornece informações sobre o seguinte:

Principais Recursos de T1 de 1 e 2 Portas de Segunda Geração/Voz de Tronco E1 Multiflex/Placas de Interface de WAN

Recurso Integrado de Soltar e Inserir

Suporte de Módulo de Rede para T1 de 1 e 2 Portas de Segunda Geração/Voz de Tronco E1 Multiflex/Placas de Interface de WAN

Principais Recursos de T1 de 1 e 2 Portas de Segunda Geração/Voz de Tronco E1 Multiflex/Placas de Interface de WAN

O T1 de 1 e 2 portas de segunda geração/voz de tronco E1 multiflex/placas de interface WAN tem os seguintes recursos principais:

Total suporte para FDL (Facility Data Link) de T1

Loopbacks locais do controlador

Loopbacks remotos do controlador

RFC 1406 e CSU/DSU MIB integrado

Gerenciamento de MIB e SNMP (Simple Network Management Protocol)

Firmware para suporte de T1 e homologação da Camada 1 E1

Reinicialização de VWIC iniciada pelo usuário e download de FPGA (Field-Programmable Gate Array)

Suporte de voz (inclui a configuração do grupo DS0 e PRI)

Tabela 1 lista os nomes e descrições dos módulos disponíveis para esse recurso.

Tabela 1 Módulos com T1 de 1 e 2 Portas de Segunda Geração/Voz de Tronco E1 Multiflex/Placas de Interface de WAN 

Nome do Módulo1
Descrição

VWIC2-1MFT-T1/E1

Voz de 1 porta RJ-48 multiflex/Tronco de WAN (T1/E1)

VWIC2-2MFT-T1/E1

Voz de 2 porta RJ-48 multiflex/Tronco de WAN (T1/E1)

VWIC2-1MFT-G7032

Tronco multiflex RJ-48 de uma porta – (E1 G.703)

VWIC2-2MFT-G703

Tronco multiflex RJ-48 de duas portas – (E1 G.703)

1 Essas placas de base podem também fornecer cancelamento de eco de hardware se houver uma placa filha (EC-MFT-32 ou EC-MFT-64) montada na placa de base. Para mais informações, consulte o Guia de Configuração da Porta de Voz em Cisco.com.

2 Embora a operação não estruturada G.703 seja específica da operação de E1, as placas VWIC2-1/2MFT-G703 também suportam operação estruturada T1.


Recurso Integrado de Soltar e Inserir

O recurso "soltar e inserir" permite que a remoção de timeslots DS0 de uma interface E1 e a inserção nos timeslots de outra interface E1. Esse recurso está disponível nos aplicativos VWIC. Ao fazer a configuração do recurso soltar e inserir, garanta que a estrutura E1 sob os controladores envolvidos (o local de configuração dos grupos tdm) seja a mesma. Se usar diferentes tipos de estrutura, os bits de sinalização podem não ser lidos de forma correta. Esta falha ocorre durante a queda de um canal de um controlador e a inclusão de um canal de outro controlador. A queda e inserção de timeslots não precisam ser contíguas.

Suporte de Módulo de Rede para T1 de 1 e 2 Portas de Segunda Geração/Voz de Tronco E1 Multiflex/Placas de Interface de WAN

Tabela 2 resume os módulos de rede compatíveis com T1 de 1 e 2 portas de segunda geração/voz de tronco E1 multiflex/placas de interface de WAN.

Tabela 2 Suporte de Módulo de Rede para T1 de 1 e 2 Portas de Segunda Geração/Voz de Tronco E1 Multiflex/Placas de Interface de WAN

Módulo de Rede1
Opções de VWIC
T1 de 1 e 2 Portas de Segunda Geração/Voz de Tronco E1 Multiflex/Placas de Interface de WAN

NM-HDV

Escolha zero ou um

VWIC2-1MFT-T1/E1
VWIC2-2MFT-T1/E1
VWIC2-2MFT-G703

NM-HDV2

Escolha zero ou um

VWIC2-1MFT-T1/E1
VWIC2-2MFT-T1/E1
VWIC2-1MFT-G703
VWIC2-2MFT-G703

NM-HD-2VE

Escolha zero, um ou dois

VWIC2-1MFT-T1/E1
VWIC2-2MFT-T1/E1

NM-2W NM-1FE1R2W NM-1FE2W-V2 NM-2FE2W-V2

Escolha zero, um ou dois

VWIC2-1MFT-T1/E1
VWIC2-2MFT-T1/E1
VWIC2-1MFT-G703
VWIC2-2MFT-G703

1 Para que esse recurso funcione corretamente, os módulos de rede listados aqui devem ser instalados em uma das seguintes plataformas Cisco séries: 2600XM, 2691, 2800, 3662 (modelos telco), 3700 e 3800


Como fazer a configuração T1 de 1 e 2 Portas de Segunda Geração/Voz de Tronco E1 Multiflex/Placas de Interface de WANs

Para fazer a configuração T1 de 1 e 2 portas de segunda geração/voz de tronco E1 multiflex/placas de interface de WAN, execute a tarefa descrita na seção a seguir:

Configurando T1 de 1 e 2 Portas de Segunda Geração/Voz de Tronco E1 Multiflex/Placas de Interface de WAN

Configurando T1 de 1 e 2 Portas de Segunda Geração/Voz de Tronco E1 Multiflex/Placas de Interface de WAN

Execute esta tarefa para fazer a configuração de uma interface T1 ou E1 com temporização independente ativada e recurso integrado de soltar e inserir em uma voz de tronco multiflex/placa de interface de WAN.

RESUMO DAS ETAPAS

1. enable

2. configure terminal

3. card type {e1 | t1} slot subslot

4. voice-card slot

5. codec complexity {flex [reservation-fixed {high | medium}] | high | medium}

6. controller {e1 | t1} slot/port

7. framing {sf | esf}
or
framing {crc4 | no-crc4}

8. linecode {ami | b8zs}
or
linecode {ami | hdb3}

9. clock source {line [primary | bits | independent] | internal [independent] | free-running}

10. ds0-group ds0-group-number timeslots timeslot-list type {e&m-delay-dial | e&m-fgd | e&m-immediate-start | e&m-wink-start | ext-sig | fgd-eana | fxo-ground-start | fxo-loop-start | fxs-ground-start | fxs-loop-start}
or
pri-group [timeslots range]

11. voice-port {slot-number/subunit-number/port | slot/port:ds0-group-number}

12. exit

ETAPAS DETALHADAS

 
Comando ou Ação
Propósito

Etapa 1 

enable

Exemplo:

Router> enable

Habilita o modo EXEC com privilégio.

Insira a senha, se solicitado.

Etapa 2 

configure terminal

Exemplo:

Router# configure terminal

Insere o modo de configuração global.

Etapa 3 

card type {e1 | t1} slot subslot

Exemplo:

Router(config)# card type t1 0 0

Define ou altera o tipo de placa para T1 ou E1.

slot—Especifica o número do slot. O intervalo pode ser de 0 a 6, dependendo da plataforma.

subslot—Especifica o número do slot do VWIC. O intervalo pode ser de 0 a 3, dependendo do módulo do host ou da plataforma.

Quando o comando é usado pela primeira vez, a configuração é aceita imediatamente. Uma alteração subseqüente no tipo de placa não terá efeito se não digitar o comando reload ou reinicializar o router.

Observação Ao usar o comando card type para alterar a configuração de uma placa instalada, você deve primeiro digitar o comando no card type {e1 | t1} slot subslot. Depois, digite o comando card type {e1 | t1} slot subslot para as novas informações de configuração.

Etapa 4 

voice-card slot

Exemplo:

Router(config)# voice card 1

Digita o modo de configuração da interface.

Especifique o local do slot usando um valor de 0 a 5.

Etapa 5 

codec complexity {flex [reservation-fixed {high
| medium}] | high | medium}
Exemplo:

Router(config-voicecard)# codec complexity flex

Especifique a complexidade do codec com base no padrão de codec usado.

flex—Até 16 chamadas podem ser concluídas por DSP. O número de chamadas suportadas varia de 6 a 16, dependendo do codec usado em uma chamada. Neste modo, a reserva para VICs analógicos pode ser necessária para determinadas aplicações tais como chamadas CAMA E-911 porque o excesso de assinaturas de DSPs é possível. Se for verdadeiro, então a opção reservation-fixed pode ser ativada. Por padrão, não há reserva.

reservation-fixed—Não aplicável para o VWIC ou o T1/E1 VIC.

high—Até seis chamadas de voz ou fax podem ser concluídas por DSP, com utilização dos seguintes codecs: G.711, G.726, G.729, G.729 Annex B, G.723,1, G.723,1 Annex A, G.728 e GSMEFR.

Observação Codecs de alta complexidade suportam densidades de chamada mais baixas do que os de complexidade média.

medium—Até oito chamadas de fax ou voz podem ser concluídas por DSP, com utilização dos seguintes codecs: G.711, G.726, G.729 Annex A, G.729 Annex B com Annex A, GSMFR e fax relay.

Observação Todos os codecs de complexidade média são compatíveis com codecs de alta complexidade.

A palavra-chave especificada para o comando codec complexity afeta os codecs disponíveis ao usar o comando codec de configuração de voz de correspondente de discagem. Se você selecionar um codec que não esteja disponível, aparecerá uma mensagem de erro.

Não é possível alterar a complexidade do codec enquanto são definidos os grupos DSO. Se já tiverem sido configuradas, siga estas etapas:

1. Desligue a porta de voz associada com o controlador.

2. Remova o grupo de DS0 ou PRI do controlador T1 ou E1.

3. Digite o comando voice-card slot e, em seguida, altere a complexidade do codec.

Observação Este procedimento de alteração da complexidade do codec se aplica somente aos controladores T1 e E1. Isto não é válido para portas de voz analógicas.

Etapa 6 

controller {e1 | t1} slot/port

Exemplo:

Router(config-voicecard)# controller t1 0/0

Inserir o modo de configuração do controlador do VWIC.

Valores válidos do slot são 0 a 5 e para port são 0 e 1.

Etapa 7 

framing {sf | esf}

ou

framing {crc4 | no-crc4}


Exemplo:

Router(config-controller)# framing esf

Exemplo:

Router(config-controller)# framing crc4

Especifica um tipo de estrutura.

O comando controller deve ser digitado antes desse comando ser usado.

O tipo de estrutura para controladores T1 pode ser especificado como sf para superestrutura ou esf para superestrutura estendida.

O tipo de estrutura para controladores E1 pode ser especificada como crc4 ou no-crc4.

Etapa 8 

linecode {ami | b8zs}

ou

linecode {ami | hdb3}


Exemplo:

Router(config-controller)# linecode b8zs

Exemplo:

Router(config-controller)# linecode hdb3

Especifica uma codificação de linha para um controlador.

O comando controller deve ser digitado antes desse comando ser usado.

O valor do código de linha para T1 pode ser ami ou b8zs.

O valor do código de linha para E1 pode ser ami ou hdb3.

Etapa 9 

clock source {line [primary | bits | independent] | internal [independent] | free-running}

Exemplo:

Router(config-controller)# clock source line independent

Especifica a origem do relógio.

Quando ambas as portas são definidas para a sincronização de linha sem especificação primária, a porta 0 é a origem do horário primária padrão e a porta 1 é a origem secundária padrão.

Quando ambas as portas são definidas para a linha e uma porta é identificada como a origem de relógio primária, a outra porta será por padrão a origem secundária ou de backup e será programada em circuito.

Se uma porta for definida como clock source line e a outra como clock source internal, a porta interna recupera o relógio a partir da porta da linha de origem de relógio se essa porta estiver ativa. Se estiver desligada, a porta interna gerará seu próprio horário.

Se as duas portas estiverem definidas como clock source internal, haverá apenas uma origem de relógio—interna.

As palavras-chave opcionais primary e bits aparecem na interface da linha de comando, mas não têm nenhum impacto nessa configuração específica.

A palavra-chave independent é expandida em clock source internal e clock source line para especificar se a porta pode operar um em domínio de temporização independente. A porta 0 é a origem padrão do relógio principal e a porta 1 é a origem padrão do relógio secundário, programada em circuito. Com a temporização independente habilitada, essa dependência não existe mais, de modo que a palavra-chave independent significa que as duas portas podem ser cronometradas separadamente.

Observação Quando a temporização independente é configurada, o controlador suporta somente um grupo de canais e nenhuma aplicação de voz. Se mais de um grupo de canais estiver configurado, ocorrerá a seguinte mensagem de erro:

channel-group 2 timeslots 3
%Channel-group already created.
%Only 1 channel-group can be configured with
independent clocking.
%Insufficient resources to create channel
group

Ao fazer a configuração de clock source independent e no clock source independent, o grupo de canais deve ser removido dessa configuração.

A palavra-chave free-running especifica um relógio de execução livre derivado do oscilador na placa-mãe, que é usado somente para testes e conexões back-to-back.

Etapa 10 

ds0-group ds0-group-number timeslots timeslot-list type {e&m-delay-dial | e&m-fgd | e&m-immediate-start | e&m-wink-start | ext-sig | fgd-eana | fxo-ground-start | fxo-loop-start | fxs-ground-start | fxs-loop-start}


ou

pri-group [timeslots range]

Exemplo:

Router(config-controller)# ds0-group 12 timeslots 1-3 type fxs-loop-start


ou

Exemplo:

Router(config-controller)# pri-group timeslots 1-5

(Somente voz) Define os canais T1 para uso por chamadas de voz compactadas e o método de sinalização usado pelo router para conectar-se com o PBX ou escritório central.

Faça a configuração dos grupos DS0 depois de especificar a complexidade do codec na configuração da placa de voz.

ds0-group-number—Valor de 0 a 23 que identifica o grupo DS0.

O comando ds0-group cria automaticamente uma porta de voz lógica que é numerada da seguinte forma: slot/port:ds0-group-number. Embora somente uma porta de voz seja criada, as chamadas aplicáveis são roteadas para qualquer canal do grupo.

O timeslot-list argument é um número único, números separados por vírgulas ou um par de números separados por um hífen para indicar um intervalo de timeslots.

A seleção do método de sinalização para a palavra-chave type depende da conexão que estiver sendo feita:

A interface E&M permite conexão para linhas de tronco PBX (linhas de ligação) e equipamento de telefone.

A interface FXS permite conexão de equipamento de telefone básico e PBX.

A interface FXO conecta o CO a uma interface PBX padrão, onde a regulamentação local permitir; é usada com freqüência para extensões localizadas fora (OPXs).

ou

Especifica que o controlador deve ser configurado como uma interface PRI.

Para a T1, o último canal definido é o canal D.

Se um controlador for configurado como PRI, não será possível fazer a configuração de grupos individuais de canais nesse controlador.

O comando controller deve ser digitado antes desse comando ser usado.

Observação Para usar esse comando para criar um grupo PRI, digite primeiro o comando isdn switch-type no modo de configuração global.

 

Etapa 11 

voice-port {slot-number/subunit-number/port | slot/port:ds0-group-number}

Exemplo:

Router(config-controller)# voice-port 3/0:0

Digita o modo de configuração de porta de voz e especifica a porta de voz.

O argumento slot-number identifica o slot onde o VIC está instalado. As entradas válidas são de 0 a 3, dependendo do slot no qual foi instalado.

O subunit-number identifica a sub-unidade do VIC onde a porta de voz está localizada. Os valores válidos são 0 ou 1.

O argumento port identifica o número da porta de voz. Os valores válidos são 0 e 1.

ou

O argumento slot é o slot no qual o adaptador da porta de voz está instalado. Os valores válidos são de 0 a 3.

O argumento port é o local da placa de interface de voz. Os valores válidos são de 0 a 3.

O argumento ds0-group-number indica o número do grupo DS0 definido. Cada número de grupo DSO definido é representado em uma porta de voz separada. Isso permite que você defina DS0s individuais na placa T1/E1 digital.

Etapa 12 

exit

Exemplo:

Router(config-voiceport)# exit

Sai do modo de configuração do controlador e retorna o router ao modo EXEC com privilégio.

Exemplos de Configurações de T1 de 1 e 2 Portas de Segunda Geração/Voz de Tronco E1 Multiflex/Placas de Interface de WAN

Esta seção contém as seguintes informações:

Exemplo de Topologia de Rede para T1 de 1 e 2 Portas de Segunda Geração/Voz de Tronco E1 Multiflex/Placas de Interface de WAN

Exemplo de Configuração de T1 de 1 e 2 Portas de Segunda Geração/Voz de Tronco E1 Multiflex/Placas de Interface de WAN

Exemplo de Topologia de Rede para T1 de 1 e 2 Portas de Segunda Geração/Voz de Tronco E1 Multiflex/Placas de Interface de WAN

Figura 1 mostra um exemplo de topologia de rede fornecido como referência.

Figura 1 Exemplo de Topologia de Rede para T1 de 1 e 2 Portas de Segunda Geração/Voz de Tronco E1 Multiflex/Placas de Interface de WAN

Exemplo de Configuração de T1 de 1 e 2 Portas de Segunda Geração/Voz de Tronco E1 Multiflex/Placas de Interface de WAN

Esta seção mostra um exemplo de configuração de um controlador T1 configurado para dados e recurso de soltar e inserir:

card type t1 0 0
!
no network-clock-participate wic 0
ip subnet-zero
ip cef
!
no ip dhcp use vrf connected
!
controller t1 0/0
 framing esf
 linecode b8zs
 channel-group 1 timeslots 1-12 speed 64
 tdm-group 2 timeslots 13-24
!
controller t1 0/1
 framing esf
 linecode b8zs
 channel-group 1 timeslots 1-12 speed 64
 tdm-group 2 timeslots 13-24
!
!
interface Serial0/0:1
 ip address 10.0.0.1 255.255.255.0
!
interface Serial0/1:1
 ip address 10.0.0.2 255.255.255.0
!
connect t1-xconnect T1 0/0 2 T1 0/1 2
 !
!

Informações mais detalhadas da sintaxe dos comandos usados nesse recurso estão documentadas em Referências a Comandos de Voz Cisco IOS Versão 12.3.

Referências Adicionais

As seções a seguir fornecem referências relacionadas a T1 de 1 e 2 portas de segunda geração/voz de tronco E1 multiflex/placas de interface de WAN.

Documentação Relacionada

Tópico Relacionado
Título do Documento

Instruções de instalação de hardware para módulos de rede

Guia de Instalação de Hardware do Cisco Network Module

Informação Geral sobre configuração de voz e Referências a Comandos

Referências a Comandos de Voz do Cisco IOS, Versão 12.3 T

Informações e instruções para configuração de porta de voz e cancelamento de eco de hardware

Guia de Configuração de Porta de Voz do Cisco IOS, Versão 12.3 T


Padrões

Padrões
Título

ITU-T G.164

Supressores de Eco

ITU-T G.165

Canceladores de Eco

ITU-T G.168

Canceladores de Eco de Rede Digital


MIBs

MIBs
Ligação de MIBs

RFC 1406 MIB

Suporte T1 CSU MIB

MIB de Módulo de Porta

Relatório de Status de Linha T1/E1

Para localizar e fazer download de MIBs para plataformas, versões do Cisco IOS e conjuntos de recursos selecionados, use o Localizador de MIBs da Cisco, no seguinte URL:

http://tools.cisco.com/ITDIT/MIBS/servlet/index


RFCs

RFCs
Título

RFC 1406

Definições de Objetos Gerenciados para Tipos de Interface DS1 e E1


Assistência Técnica

Descrição
Ligação

O website da Cisco Technical Support contém milhares de páginas de conteúdo técnico pesquisável, incluindo ligações para produtos, tecnologias, soluções, dicas técnicas e ferramentas. Os usuários registrados da Cisco.com podem fazer login nessa página para acessar ainda mais conteúdo.

http://www.cisco.com/cisco/web/BR/support/index.html


Referências a Comandos

Esta seção documenta comandos modificados.

origem de tempo (controlador T1/E1)

origem de tempo (controlador T1/E1)

Para definir o temporizador para ligações individuais T1 ou E1, use o comando clock source no modo de configuração do controlador. Para retornar o modo padrão, utilize a forma no desse comando.

clock source {line [primary | bits | independent] | internal [independent] | free-running}

no clock source

Descrição da sintaxe

line

Especifica que o PLL (Phase-Locked Loop) desse controlador deriva a temporização da fonte externa à qual o controlador está conectado, que geralmente é o escritório central (CO) da companhia telefônica.

primário

(Opconal) Especifica que o PLL desse controlador deriva a temporização da fonte externa ao qual o controlador está conectado. Essa opção também coloca uma segunda porta, que geralmente está conectada ao PBX, em modo de programação em circuito. As duas portas são configuradas com linha, mas somente a porta conectada à fonte externa é configurada com principal.

bits

(Opcional) Especifica que o controlador derivará a temporização de BITS (Building Integrated Timing Supply).

independent

(Opctional) Especifica que a porta pode operar em um domínio de temporização independente. Antes que esse recurso fosse adicionado, em um VWIC-MFT de 2 portas, se as duas fossem configuradas como clock source line, o dispositivo de 2 portas estaria, na verdade, em circuito, o que significava que estava obtendo o relógio da primeira porta. Com o modo de temporização independente, essa dependência não existe mais, portanto a palavra-chave independent significa que as duas portas podem ser temporizadas de forma independente.

internal

Especifica que o relógio é gerado do PLL interno do controlador T1 ou E1.

free-running

Especifica um relógio de execução livre derivado do oscilador na placa-mãe, que é usado para testes e conexões back-to-back.


Defaults

O padrão é line.

Modos de comando

Configuração do controlador

Histórico de comando

Versão
Modificação

12.2(2)XB

Esse comando foi introduzido no modo de configuração do controlador para os routers das séries Cisco 2600 e Cisco 3660.

12.2(8)T

Este comando foi integrado ao Cisco IOS Versão 12.2(8)T.

12.2(15)T

Esse comando foi implementado nas séries Cisco 2691 e Cisco 3700.

12.3(4)XD

A palavra-chave bits foi adicionada.

12.3(7)T

A palavra-chave bits foi integrada ao Cisco IOS Versão 12.3(7)T.

12.3(14)T

Esse comando foi integrado no Cisco IOS Versão 12.3(14)T e a palavra-chave independent foi adicionada.


Diretrizes de uso

Para obter uma discussão detalhada das origens do relógio em portas individuais, consulte "Origens de relógiosem Portas de Voz Digitais T1/E1" no " Configuring Voice Ports" chapter of the Cisco IOS Voice, Video, e Fax -Guia de Configuração, Release 12,3.

Exemplos

O exemplo a seguir mostra o router fornecendo a origem de relógio para dois controladores:

Router(config)# controller E1 1/0
Router(config-controller)# framing crc
Router(config-controller)# linecoding hdb3
Router(config-controller)# clock source internal
Router(config-controller)# ds0-group timeslots 1-15 type e&m-wink-start
!
Router(config)# controller E1 1/1
Router(config-controller)# framing esf
Router(config-controller)# linecoding b8zs
Router(config-controller)# clock source internal
Router(config-controller)# ds0-group timeslots 1-15 type e&m-wink-start

O exemplo a seguir mostra o hardware de voz digital que recebe a temporização para o PLL do E1 1/0 e usa esse relógio como referência para E1 1/1. Se o controlador E1 1/0 falhar, o PLL gera o relógio de referência internamente para o drive E1 1/1.

Router(config)# controller E1 1/0
Router(config-controller)# framing crc
Router(config-controller)# linecoding hdb3
Router(config-controller)# clock source line
Router(config-controller)# ds0-group timeslots 1-15 type e&m-wink-start
!
Router(config)# controller E1 1/1
Router(config-controller)# framing crc4
Router(config-controller)# linecoding hdb3
Router(config-controller)# clock source internal
Router(config-controller)# ds0-group timeslots 1-15 type e&m-wink-start

O exemplo a seguir mostra o router sendo configurado para receber temporização de BITS.

Router(config)# network-clock-participate slot 1
Router(config)# network-clock-select 1 E1 1/1
Router(config)# controller E1 1/1
Router(config-controller)# clock source line bits

Comandos relacionados

Comando
Descrição

controller

Configura um controlador T1 ou E1 e define o modo de configuração do controler.


Glossário

a-law—Uma técnica de compressão usada comumente na Europa. Padronizada como codec de 64 kbps em G.711.

cancelled end—O lado de um cancelador de eco que contém um caminho de eco no qual esse cancelador deve operar. Inclui todas as instalações e equipamentos de transmissão (incluindo o aparelho telefônico híbrido e de terminação) incluido no caminho do eco.

CAS—channel-associated signaling. RBS em uma interface T1; R2, SS1 ou P7 em uma interface E1.

combined loss—A soma de perda de retorno de eco, aprimoramentos de perda de retorno de eco e perda de processamento não linear (se houver).

comfort noise—Inserção de ruído pseudo-aleatório durante o intervalo silencioso quando o NLP opera ou tolerância da passagem de parte do ruído de fundo ou do canal ocioso através do NLP para evitar o incômodo de intervalos de fala com ruído de fundo seguidos de intervalos de silêncio.

composite echo—Consiste de ecos elétricos e ecos acústicos provocados por sinais refletidos em ambientes híbridos e acústicos (por exemplo, telefones analógicos com viva-voz).

convergence—Processo de desenvolvimento de um modelo de caminho de eco, que será usado no analista de ecos para produzir uma estimativa do eco do circuito.

convergence time—Para um caminho de eco definido, o intervalo entre o instante que um determinado sinal de teste é aplicado à porta de recebimento de um cancelador de eco, com a resposta do impulso do caminho do eco estimado inicialmente definido como zero, e o instante que o nível do eco retornado na porta de saída atinge um determinado nível.

E1—Equivalente europeu de T1. E1 fornece 32 canais de 64 kbps incluindo 1 canal para enquadramento e 1 canal para informações do canal D. Taxa de pulso de disparo 2.048 MHz.

echo path—O caminho da transmissão entre Rout e Sin de um EC. Esse termo pretende descrever o caminho do sinal do eco.

echo path capacity—O retardo máximo do caminho do eco no qual um cancelador de eco foi projetado para operar.

echo path delay—O retardo entre a Rout da porta de recebimento e as portas Sin da porta de envio do cancelador de eco.

ERL—echo return loss. A atenuação do sinal entre a Rout da porta de recebimento e as portas Sin da porta de envio do cancelador de eco.

ERLE—echo return loss enhancement. A quantidade de atenuação de eco fornecida pelo cancelador de eco.

ESF—superestrutura estendida: a técnica de enquadramento T1 com 24 quadros por superestrutura, que permite sinalização adicional.

FXO—Escritório de Câmbio Internacional. Uma interface do FXO se conecta a um escritório central.

FXS—Estação de Câmbio Internacional. Uma interface de FXS se conecta diretamente a um telefone padrão, fornecendo recursos básicos como tensão de toque e tom de discagem.

G.168—Padrão ITU-T que estabelece os requisitos mínimos de desempenho para canceladores de eco.

ground-start—Usado para PBX e outros serviços que devem ter sinal terra para indicar quando um tom de discagem é aplicado pelo sistema de comutação do serviço ou para evitar brilho. Ground-start minimiza a possibilidade de brilho e fornece supervisão de desconexão na extremidade oposta (por exemplo, o usuário remoto pode desconectar e o FXO local pode perceber essa desconexão e também desconectar).

H register—O registro dentro do cancelador de eco que armazena o modelo de resposta de impulsos do caminho do eco.

H.323—Um padrão de Internet que define um conjunto comum de codecs, configuração de chamadas e procedimentos de negociação, e os métodos básicos de transporte dos dados.

IMA—inverse multiplexing for ATM.

immediate-start—No protocolo de início imediato, a extremidade de origem não aguarda permissão para enviar informações de endereçamento. Depois de receber os dígitos de endereçamento, a extremidade de terminação fica fora do gancho durante toda a chamada. O ponto de origem mantém o estado fora do gancho durante toda a chamada.

leak timeO intervalo entre o instante que um sinal de teste é removido da porta de recebimento de um cancelador de eco totalmente convergente e o instante que o modelo de caminho do eco no EC muda, de maneira que, quando um sinal de teste é reaplicado em Rin com o circuito de convergência inibido, o eco retornado fica em um determinado nível.

loop-start—Usado em sistemas chave comuns de telefonia. A vantagem é que não há necessidade de referência exata de terra entre CO ou FXS e o telefone ou FXO. A desvantagem é a resolução de brilho deficiente e a falta de supervisão na desconexação na extremidade oposta. Quando o aparelho telefônico remoto desliga ou a linha é desligada, não há um dispositivo para que o CO local ou FXS notifique o FXO da desconexão.

noncancelled end—A extremidade de um EC que não contém o caminho do eco no qual esse EC deve operar.

NLP—Nonlinear Processor. Um componente do cancelador de eco que fornece ERLE adicional.

open echo path—Um caminho de eco com perda de retorno de eco infinito.

OOF—Sinais de alinhamento de quadros consecutivos fora de enquadramento (G.706) recebidos com erro.

PRI—Primary Rate Interface. Interface ISDN com canal D de 64 kbps mais 23 (T1) ou 30 (E1) canais B para voz ou dados.

pure delay—O retardo da porta Rout para a porta Sin devido a retardos inerentes às instalações de transmissão do caminho do eco próximas da extremidade, não incluindo o tempo de dispersão devido a elementos da rede.

RAIremote alarm indication.

R2um método de sinalização não-ISDN para interfaces E1.

RBS—robbed bit signaling. Uma forma de sinalização que "rouba" um bit do fluxo de dados do usuário para fornecer informações de supervisão e sinalização de e para o switch. RBS emula métodos mais antigos de tronco analógico e sinalização de linha fornecendo um mapeamento 1:1 de sinalização de supervisão analógica para os bits de sinalização (A, B, C, D).

residual echo level—O nível do sinal de eco que permanece na porta de envio de um EC em operação após o cancelamento imperfeito do eco do circuito.

SF—Superestrutura ou enquadramento D4, 12 quadros por superestrutura para extração de sinalização in-band.

Sgen—Sinal proveniente da extremidade próxima.

tail length—O retardo máximo entre o sinal de origem transmitido pelo módulo de voz e o sinal de eco retornado pelo híbrido no circuito traseiro. Ou seja, o comprimento traseiro especifica o período de tempo que o cancelador de eco armazena na memória sua aproximação de um eco (isto é, a cache do cancelador de eco). É o retardo máximo do eco que um cancelador de eco poderá eliminar.

T1—Fornece 24 time slots de 64 kbps em uma interface serial de 1,544 Mbps.

TE—Modo de equipamento de terminal de barramento IOM-2. A cronometragem é fornecida na linha ou no WIC.

VWIC—Placa de interface de voz/WAN.

wink—Terminologia Telco para uma transição específica de bits de sinalização em uma linha T1. Se o estado de origem dos bits de sinalização indicar no gancho, um "sinal de permissão" é uma transição para no gancho para fora do gancho para no gancho. A cronometragem do sinal de permissão e os valores dos bits de sinalização para no gancho e fora do gancho podem depender do tipo de sinalização.

wink-start—A extremidade que terminar responde a um fora do gancho do lado de origem com um sinal curto de permissão. Esse sinal informa a extremidade de origem que o lado de terminação está pronto para receber os dígitos de endereçamento. Depois de receber os dígitos de endereçamento, a extremidade de terminação fica fora do gancho durante toda a chamada.


Observação Consulte Internetworking Terms and Acronyms para obter termos não listados neste glossário.