Software Cisco IOS e NX-OS : Software Cisco IOS versões 12.3 T

Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP

2 Abril 2008 - Tradução Manual
Outras Versões: Versão em PDFpdf | Inglês (27 Junho 2005) | Feedback

Índice

Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP

Índice

Restrições para Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP

Informações sobre Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP

Recursos principais de Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP

Opções de Configuração de Hardware para o Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP

Compartilhamento de Recursos DSP

Configuração de Ponto Único de Gateways de Voz MGCP em Redes AVVID

Cronometragem de Relógio de Rede

Como fazer a Configuração do Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP

Configurando a Placa de Voz para Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP

Configurando Interfaces Digitais para Módulo de Rede Fax/Voz Digital IP de Alta Densidade para Comunicações IP

Configurando Cancelamento de Eco para Módulo de Rede Fax/Voz Digital IP de Alta Densidade para Comunicações IP

Configurando Compartilhamento DSP para Módulo de Rede Fax/Voz Digital IP de Alta Densidade para Comunicações IP

Configurando Suporte para Banco de Memória de Canal para Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP

Configurando Soltar e Inserir para Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP

Exemplos de Configurações para o Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP

Suporte para Banco de Memória: Exemplo

VoIP Normal Mostrando Algumas Chamadas: Exemplo

Configuração de MGCP: Exemplo

Configuração do Fax Relay: Exemplo

Referências Adicionais

Documentação Relacionada

Padrões

RFCs

MIBs

Assistência Técnica

Referências a Comandos

complexidade de codec

Glossário

Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP


O recurso Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP é compatível com conectividade de voz analógica de baixa densidade e voz digital de alta densidade, juntamente com conectividade de dados e acesso integrado. Os módulos de rede oferecem portas T1/E1 integradas e incluem um único slot de placa de interface de voz (VIC)/placa de voz de interface WAN (VWIC) para Estações de Câmbio Internacional (FXS), Escritório de Câmbio Internacional (FXO), E&M, Contabilidade de Mensagens Automática Centralizada (CAMA) configurado para software, discagem interna direta (DID), BRI ou placas E1 e T1, até um máximo de quatro portas T1/E1. Os módulos de rede também são compatíveis com 32 canais de HDLC com capacidade agregada de 2,048 Mbps.


Observação A placa CAMA (VIC-2CAMA) não é suportada. Entretanto, qualquer porta do VIC2-2FXO e do VIC2-4FXO pode ser configurada para o software para ficar compatível com CAMA analógico em serviços E-911 dedicados (somente para América do Norte).


Histórico de recurso do Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP

Versão
Modificação

12.3(7)T

Este recurso foi introduzido.


Localizando Informações de Suporte para Plataformas e Imagens do Cisco IOS Software

Use o Cisco Feature Navigator para localizar informações sobre suporte de plataforma e suporte de imagem do software Cisco IOS. Acesse o Cisco Feature Navigator em http://tools.cisco.com/ITDIT/CFN/jsp/index.jsp. É necessário ter uma conta em Cisco.com. Se não possui uma conta ou esqueceu o nome de usuário ou a senha, clique em Cancelar na caixa de diálogo de login e siga as instruções exibidas.

Índice

Restrições para Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP

Informações sobre Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP

Como fazer a Configuração do Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP

Exemplos de Configurações para o Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP

Referências Adicionais

Referências a Comandos

Glossário

Restrições para Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP

Antes de executar o Módulo de Rede/Fax Digital de Alta Densidade para Comunicações IP nas interfaces T1/E1, é necessário instalar uma imagem IP Plus (mínima) do Cisco IOS Versão 12.3(7)T ou versão mais recente. Quando o Módulo de Rede/Fax Digital de Alta Densidade para Comunicações IP é usado em uma rede Cisco CallManager, é necessário instalar a versão CCM 4.0(1) SR1 ou a CCM 3.3(4).

O cancelamento de eco de software é a configuração padrão. O cancelamento de eco compatível com G.168 é ativado por padrão com uma cobertura de 64 milissegundos.

Somente módulos DSP de voz (PVDM2s)/Fax de pacotes são compatíveis com o Módulo de Rede/Fax Digital de Alta Densidade para Comunicações IP.

Somente cartões de interface de voz iniciados com VIC2 são compatíveis no recurso Módulo de Rede/Fax Digital de Alta Densidade para Comunicações IP, com exceção do VIC-1J1, VIC-2DID e do VIC-4FXS/DID.

O recurso DID do VIC-4FXS/DID não é suportado.

O cartão CAMA (VIC-2CAMA) não é suportado. Qualquer porta do VIC2-2FXO e do VIC2-4FXO pode ser configurada para o software para suportar CAMA analógico em serviços E-911 dedicados (somente para América do Norte).

Informações sobre Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP

Esta seção fornece informações sobre o seguinte:

Recursos principais de Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP

Opções de Configuração de Hardware para o Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP

Compartilhamento de Recursos DSP

Configuração de Ponto Único de Gateways de Voz MGCP em Redes AVVID

Cronometragem de Relógio de Rede

Recursos principais de Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP

Os recursos principais do Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP são os seguintes:

Conectividade de voz digital de alta densidade de até 4 portas T1/E1 ou 120 canais de complexidade média

Conectividade de WAN de dados de alta densidade de até 4 portas T1/E1

Conectividade de voz analógica de até 4 portas

Portas T1/E1 internas configuráveis para operação T1 ou E1 por interface de linha de comando (CLI)

Até 32 grupos de canais de HDLC com uma largura de banda total de 2,048 Mbps

Tecnologia PVDM2 compatível com densidades de chamadas mais altas e mais flexibilidade na alocação de canais por DSP

Cancelamento de eco compatível com G.168 para circuitos traseiros de até 64 milissegundos

Opções de Configuração de Hardware para o Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP

O Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP está disponível em três módulos de rede, com a opção de zero, uma ou duas portas T1/E1 internas. Cada porta interna pode ser configurada para software para ficar compatível com operação T1 ou E1. Cada módulo de rede também é compatível com um único slot de VIC/VWIC que pode ser ajustado com um Cisco VWIC ou Cisco VIC. Os Cisco VICs são placas-filhas instaladas nos módulos de rede e fornecem as interfaces ao PSTN e ao equipamento telefônico (PBX, sistemas chaves, máquinas de fax e telefones). Os Cisco VWICs são placas-filhas que fornecem a interface a PBX, PSTN e WAN.

O Módulo de Rede Fax/Voz Digital IP de Alta Densidade para Comunicações IP deve ser usado com os novos PVDM2s , fornecendo escalabilidade de 4 a 120 canais e usando a tecnologia de processamento digital mais recente. É possível instalar no máximo quatro PVDM2s em cada módulo de rede NM-HDV2. Você pode selecionar o número mínimo e o tipo de densidade dos PVDM2s, dependendo dos canais de voz atualmente necessários e, em seguida, escalar o número de PVDMs conforme as necessidades aumentem. Esses novos SIMMs de PVDM2 podem ser configurados para complexidade alta, média ou flexível. A complexidade flexível é a configuração padrão. Nesse modo, o módulo de rede selecionará dinamicamente o codec apropriado (médio ou alto), dependendo dos PVDM2s disponíveis. Além disso, os DSPs dos PVDM2s podem ser compartilhados em vários Módulos de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP instalados em um único router de gateway de voz. A Tabela 1 resume as opções de configuração. A Tabela 2 resume os números de canais (com base na complexidade) do PVDM2.

Tabela 1 Opções de configuração do Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP 

Tipo de hardware
Número SKU
Descrição

Módulos de rede

NM-HDV2

Módulo de rede fax/voz de comunicação IP com 1 slot

NM-HDV2-1T1/E1

Módulo de rede fax/voz de comunicação IP com 2 slots com um slot para interface T1/E1

NM-HDV2-2T1/E1

Módulo de rede fax/voz de comunicação IP com 2 slots com dois slots para interface T1/E1

Módulos de dados de voz de pacote

PVDM2-8

Módulo DSP de fax/voz de pacotes de 8 canais

PVDM2-16

Módulo DSP de fax/voz de pacotes de 16 canais

PVDM2-32

Módulo DSP de fax/voz de pacotes de 32 canais

PVDM2-48

Módulo DSP de fax/voz de pacotes de 48 canais

PVDM2-64

Módulo DSP de fax/voz de pacotes de 64 canais

Opções de VIC e VWIC

VIC2-2FXO

Placa de interface de voz com duas portas – FXO (universal) – também suporta CAMA

VIC2-4FXO

VIC de 4 portas – FXO (universal) – também suporta CAMA

VIC2-2FXS

VIC de 2 portas – FXS

VIC-4FXS/DID

FXS de 4 portas ou DID VIC

VIC2-2E/M

Placa de interface de voz de 2 portas – E&M

VIC2-2BRI-NT/TE

Placa de interface de voz de 2 portas – BRI

VIC-2DID

Placa de interface de fax/voz DID de 2 portas

VIC-1J1

Placa de interface de 1 porta J1

VWIC-1MFT-T1

Tronco multiflex RJ-48 de 1 porta – T1

VWIC-2MFT-T1

Tronco multiflex RJ-48 de 2 porta – T1

VWIC-2MFT-T1-D1

Tronco Multiflex de 2 portas RJ-48 –- T1 com soltar e inserir

VWIC-1MFT-E1

Tronco multiflex de 1 porta RJ-48 – E1

VWIC-2MFT-E1

Tronco multiflex de 2 portas RJ-48 – E1

VWIC-2MFT-E1-D1

Tronco Multiflex de 2 portas RJ-48 – E1 com soltar e inserir

VWIC-2MFT-G703

Tronco multiflex de 2 portas RJ-48 – G.703


Tabela 2 Disponibilidade de Canal para Módulos PVDM2 com Base em Complexidade de Codec

Nome do Módulo
Número de DSPs
Número Máximo de Canais
Alta Complexidade1
Complexidade Média2
Complexidade Flexível3

PVDM2-8

1

4

4

8

PVDM2-16

1

6

8

16

PVDM2-32

2

12

16

32

PVDM2-48

3

18

24

48

PVDM2-64

4

24

32

64

1 Suporte a G.711, G.726, G.729, G.723,1, G.728, GSM-EFR e Fax Relay.

2 Suporte a G.711, G.726, G.729a, GSM e Fax Relay.

3 As densidades de chamadas mais altas são para G.711, portanto esses valores refletem condições ideais.


Compartilhamento de Recursos DSP

Quando um Módulo de Rede Fax/Voz de Alta Densidade para Comunicações IP não tem recursos de DSP suficientes, ele pode usar DSPs de outro NM-HDV2s no mesmo router. Esse procedimento chama-se compartilhamento de DSP. Quando os módulos de rede são configurados para compartilhamento de DSP, a complexidade de codec deve ser correspondente. Na pesquisa de recursos de DSP, os módulos de rede são pesquisados de acordo com o número de slot. O comando network-clock participate deve ser configurado nos módulos de rede que compartilham recursos e precisam de recursos de DSP. Um módulo de rede local que compartilha de um módulo de rede remoto deve corresponder às características dele, isto é, um módulo de rede de alta complexidade só pode compartilhar com outro módulo de rede de alta complexidade, enquanto um módulo de rede de complexidade flexível pode compartilhar DSPs com módulos de alta complexidade e de complexidade flexível. A Tabela 3 resume os recursos de compartilhamento de DSP de módulos de rede remotos e locais.

Tabela 3 Compartilhamento de DSP entre Módulos de Rede Remota e Local

Módulo de rede local
Módulo de rede remota

Alta complexidade

Complexidade média

Complexidade flexível

Alta complexidade

compartilhável

não compartilhável

não compartilhável

Complexidade média

compartilhável

compartilhável

não compartilhável

Complexidade flexível

compartilhável

não compartilhável

compartilhável



Cuidado Se estiver configurando um router Cisco 2600 XM, não use o comando network-clock-participate para o slot 1 do router. Esse procedimento pode provocar uma interrupção de serviços ao router.

Configuração de Ponto Único de Gateways de Voz MGCP em Redes AVVID

Ao usar um gateway de voz do Cisco IOS juntamente com o MGCP e o Cisco CallManager, você pode concluir a configuração necessária para um determinado gateway do servidor do Cisco CallManager e fazer download da configuração para o gateway por meio de um servidor de TFTP. Para ativar essa configuração nos módulos do NM-HDV2, é necessário usar o comando card type primeiramente:

card type {t1 | e1} slot subslot

Cronometragem de Relógio de Rede

Os sistemas de voz que passam fala digitalizada (Pulse Code Modulation – PCM) sempre dependeram da integração do sinal de cronometragem no fluxo de bits recebido. Essa confiança permite que dispositivos conectados recuperem o sinal do relógio a partir do fluxo de bits e, em seguida, utilizem-no para garantir que dados em canais diferentes mantenham o mesmo relacionamento de horários com outros canais.

Se uma origem de relógio comum não é utilizada entre os dispositivos, os valores binários nos fluxos de bit podem ser mal interpretados, porque o dispositivo testa o sinal no momento errado. Por exemplo, se a temporização local de um dispositivo receptor estiver usando um período um pouco mais curto do que a temporização do dispositivo de envio, uma série de oito 1s binários contínuos pode ser interpretada como nove 1s contínuos. Se esses dados forem reenviados para mais dispositivos de downstream que usam referências de cronometragem diferentes, o erro poderá ser aumentado. Ao assegurar que cada dispositivo da rede use o mesmo sinal de relógio, você pode garantir a integridade do tráfego.

Se a cronometragem entre os dispositivos não for mantida, pode ocorrer uma condição chamada de lapso de relógio. Lapso de relógio é a repetição ou a exclusão de um bloco de bits em um fluxo de bits síncrono, devido a uma discrepância nas taxas de leitura e gravação em um buffer.

Lapsos devido à incapacidade de armazenamento de buffer de equipamento (ou outro mecanismo) de acomodar as diferenças entre as fases ou freqüências dos sinais de entrada e saída, nos casos em que a temporização do sinal de saída não é derivada da do sinal de entrada.

Uma interface T1 ou E1 envia o tráfego dentro dos padrões de bit de repetição chamados quadros. Cada quadro é um número fixo de bits, o que permite ao dispositivo verificar o início e o fim de um quadro. O dispositivo de recebimento também sabe exatamente quando esperar o final de um quadro simplesmente contando o número apropriado de bits que tenham entrado. Portanto, se a cronometragem entre o dispositivo de entrada e o de saída não for a mesma, o dispositivo de saída poderá usar o fluxo de bits como exemplo no momento errado, resultando no retorno de um valor incorreto.

Mesmo que o Cisco IOS software possa ser usado para controlar a cronometragem dessas plataformas, o modo de cronometragem padrão é efetivamente de execução livre, o que quer dizer que o sinal de relógio recebido de uma interface não é conectado à placa-mãe do router e usado para sincronização interna entre o restante do router e suas interfaces. O router usará sua fonte de relógio interna para transmitir o tráfego na placa-mãe e em outras interfaces.

No caso de aplicativos de dados, essa cronometragem geralmente não representa um problema, porque o pacote é colocado em buffer na memória interna e, em seguida, copiado para o buffer de transmissão da interface de destino. As leituras e gravações de pacote na memória eliminam efetivamente a necessidade de sincronização dos relógios entre as portas.

As portas de voz digitais apresentam um problema diferente. Pode parecer que, a menos que configurado ao contrário, o Cisco IOS software utiliza o cronômetro backplane (ou interno) para controlar a leitura e a gravação dos dados aos DSPs. Se um fluxo de PCM vier em uma porta de voz digital, ele obviamente usará o cronômetro externo para o fluxo de bits recebidos. Contudo, esse fluxo de bit não utilizará necessariamente a mesma referência que o backplane router, o que significa que os DSPs podem interpretar de forma incorreta os dados provenientes do controlador.

Essa falta de correspondência de cronometragem é vista no controlador E1 ou T1 do router como um lapso de relógio – o router está usando seu relógio interno para enviar o tráfego para fora da interface, mas o tráfego de chegada à interface usa um relógio totalmente diferente. Eventualmente, a diferença na relação da cronometragem entre o sinal de transmissão e o de recepção se torna tão grande que o controlador registra um lapso no quadro recebido.

Para eliminar o problema, altere o comportamento de cronometragem padrão por meio dos comandos de configuração do Cisco IOS. É absolutamente fundamental configurar os comandos de cronometragem adequadamente.

Embora tais comandos sejam opcionais, é extremamente recomendável que você os digite como parte de sua configuração para garantir sincronização adequada do relógio da rede:

network-clock-participate [slot slot number | wic wic-slot | aim aim-slot-number]
network-clock-select priority {bri | t1 | e1} slot/port

O comando network-clock-participate permite que o router use o relógio da linha por meio do slot/wic/aim especificado e sincroniza o relógio interno com a mesma referência.

Se houver vários VWICS instalados, os comandos devem ser repetidos para cada placa instalada. A cronometragem do sistema pode ser confirmada com o comando show network clocks.


Cuidado Se estiver configurando um gateway de voz Cisco 2600 XM com um NM-HDV2 ou um NM-HD-2VE instalado no slot 1, não use o comando network-clock-participate slot 1 na configuração. Nesta situação de hardware específica, o comando network-clock-participate slot 1 não é necessário.

Se o comando network-clock-participate slot 1 for configurado, a conectividade de voz e dados em interfaces terminando nos módulos de rede NM-HDV2 ou NM-HD-2VE podem não funcionar de maneira apropriada. A conectividade de dados para dispositivos correspondentes pode não ser possível, e mesmo testes de plugues de circuito fechado para a interface serial gerados por meio de um grupo de canal configurado na controladora local T1/E1 não serão bem sucedidos. Grupos de voz tais como grupos CAS ds0 e grupos pri ISDN podem não sinalizar de forma apropriada. A controladora T1/E1 pode acumular grandes quantidades de falhas de temporização, bem como Path Code Violations (PCVs) e Line Code Violations (LCVs).

Como fazer a Configuração do Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP

Esta seção contém os seguintes procedimentos:

Configurando a Placa de Voz para Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP

Configurando Interfaces Digitais para Módulo de Rede Fax/Voz Digital IP de Alta Densidade para Comunicações IP

Configurando Cancelamento de Eco para Módulo de Rede Fax/Voz Digital IP de Alta Densidade para Comunicações IP

Configurando Compartilhamento DSP para Módulo de Rede Fax/Voz Digital IP de Alta Densidade para Comunicações IP

Configurando Suporte para Banco de Memória de Canal para Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP

Configurando Soltar e Inserir para Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP

Configurando a Placa de Voz para Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP

Para ativar o recurso Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP, proceda à configuração da placa de voz.

RESUMO DAS ETAPAS

1. enable

2. configure terminal

3. voice-card slot

4. codec complexity {flex [reservation-fixed {high | medium}] | high | medium}

5. local-bypass

6. exit

ETAPAS DETALHADAS

 
Comando ou Ação
Propósito

Etapa 1

enable

Exemplo:

Router> enable

Habilita o modo EXEC com privilégio.

Insira a senha, se solicitado.

Etapa 2

configure terminal

Exemplo:

Router# configure terminal

Insere o modo de configuração global.

Etapa 3

voice-card slot
Exemplo:

Router(config)# voice-card 1

Insere o modo de configuração voice-card e especifique a localização do slot.

Para o argumento slot, especifique um valor de 1 a 4, dependendo do router.

Etapa 4

codec complexity {flex [reservation-fixed {high
| medium}] | high | medium}
Exemplo:

Router(config-voicecard)# codec complexity flex

Especifique a complexidade do codec com base no padrão de codec usado.

flex—Até 16 chamadas podem ser concluídas por DSP. O número de chamadas suportadas varia de 6 a 16, dependendo do codec usado em uma chamada. Neste modo, a reserva para VICs analógicos pode ser necessária para determinadas aplicações tais como chamadas CAMA E-911 porque o excesso de assinaturas de DSPs é possível. Se for verdadeiro, então a opção reservation-fixed pode ser ativada. Por padrão, não há reserva.

reservation-fixedÉ exibido como opção somente quando houver um VIC analógico presente. Assegura que haja recursos de DSP suficientes disponíveis para lidar com uma chamada. Se você digitar esta palavra-chave, especifique se a complexidade deverá ser alta ou média.

high—Até seis chamadas de voz ou fax podem ser concluídas por DSP, com utilização dos seguintes codecs: G.711, G.726, G.729, G.723,1, G.723,1 Annex A, G.728, GSMEFR e fax relay.


Observação Codecs de alta complexidade suportam densidades de chamada mais baixas do que os de complexidade média.


medium—Até oito chamadas de fax ou voz podem ser concluídas por DSP, com utilização dos seguintes codecs: G.711, G.726, G.729 Annex A, G.729 Annex B, G.729 Annex B com Annex A, GSMFR e fax relay.

A palavra-chave especificada para o comando codec complexity afeta a escolha de codecs disponíveis usando o comando de configuração de voz de dial-peer codec.

Não é possível alterar a complexidade do codec enquanto são definidos os grupos DSO. Se já tiverem sido configuradas, siga estas etapas:

Desligue a porta de voz associada à controladora.

Remova o grupo de DS0 ou PRI do controlador T1 ou E1.

Digite o comando voice-card slot e, em seguida, altere a complexidade do codec.


Observação Este procedimento de alteração da complexidade do codec se aplica somente aos controladores T1 e E1. Isto não é válido para portas de voz analógicas.


Etapa 5

local-bypass
Exemplo:
Router(config-voicecard)# local-bypass

Configure chamadas locais para ignorar o DSP. Esse é o padrão.

A utilização deste comando ativa o grampeamento do módulo de rede interno (não DSPs).

Observação Para chamadas de POTS-para-POTS entre dois módulos de rede, o grampeamento não é compatível. Se o gerenciador de conexão do software IOS não lidar com isso automaticamente, pode ser necessário desabilitar o local-bypass para que os DSPs sejam usados para essas chamadas.

Etapa 6

exit
Exemplo:
Router(config-voicecard)# exit

Sai do modo de configuração de placa de voz e retorne ao router ao modo de configuração global.

Configurando Interfaces Digitais para Módulo de Rede Fax/Voz Digital IP de Alta Densidade para Comunicações IP

Para fazer a configuração das interfaces de T1/E1 digitais internas disponíveis em NM-HDV2-1T1/E1 e NM-HDV2-2T1/E1, siga o procedimento desta seção.


Observação Para as placas VWIC e VIC que se acomodam no único slot de VIC/VWIC (isto é, as interfaces não são internas), as interfaces são automaticamente reconhecidas e não são necessárias configurações de CLI.


RESUMO DAS ETAPAS

1. enable

2. configure terminal

3. card type {t1 | e1} slot subslot

4. controller {t1 | e1} slot/port

5. clock source {line [primary] | internal}

6. framing {sf | esf}
or
framing {crc4 | no-crc4}

7. linecode {b8zs | ami}
or
linecode {ami | hdb3}

8. cablelength long {gain26 | gain36} {-15db | -22,5db | -7,5db | 0db}
or
cablelength short {133 | 266 | 399 | 533 | 655}

9. ds0-group ds0-group-number timeslots timeslot-list type {e&m-delay-dial | e&m-fgd | e&m-immediate-start | e&m-wink-start | ext-sig | fgd-eana | fgd-os | fxo-ground-start | fxo-loop-start | fxs-ground-start | fxs-loop-start | none}
or
pri-group [timeslots range]
or
channel-group channel-group-number timeslots range [speed kbps]
or
tdm-group tdm-group-number timeslots timeslot-list type {e&m | fxs [loop-start | ground-start] | fxo [loop-start | ground-start]}

10. no shutdown

11. fim

ETAPAS DETALHADAS

 
Comando ou Ação
Propósito

Etapa 1

enable

Exemplo:

Router> enable

Habilita o modo EXEC com privilégio.

Insira a senha, se solicitado.

Etapa 2

configure terminal

Exemplo:

Router# configure terminal

Insere o modo de configuração global.

Etapa 3

card type {t1 | e1} slot subslot

Exemplo:

Router(config)# card type t1 3 1

Define ou altera o tipo de placa para T1 ou E1.

O argumento slot especifica o número do slot. O intervalo pode ser de 1 a 4, dependendo da plataforma.

O argumento subslot especifica o número de slot de VWIC.

Digite 0 para controladores WIC.

Digite 1 para controladores internos.

Quando o comando é usado pela primeira vez, a configuração é aceita imediatamente.

Uma alteração subseqüente no tipo de placa não terá efeito se não digitar o comando reload ou reinicializar o router.

Etapa 4

controller {t1 | e1} slot/port
Exemplo:
Router(config)# controller t1 1/1

Insira o modo de configuração da controladora e identifique o tipo da controladora (T1 ou E1) e um slot e porta para os comandos de configuração que se aplicam especificamente à interface T1 ou E1.

Os valores válidos para o argumento slot são de 1 a 4.

Os valores válidos para o argumento port são 0 e 1.

Etapa 5

clock source {line [primary] | internal}
Exemplo:
Router(config-controller)# clock source line

Especifica a origem do relógio.

A palavra-chave line especifica que a origem do relógio é derivada da linha ativa. Esse é o padrão.

Quando ambas as portas são definidas para a sincronização de linha sem especificação primária, a porta 0 é a origem de relógio primária padrão e a porta 1 é a origem secundária padrão.

Quando ambas as portas são definidas para a linha e uma porta é identificada como a origem de relógio primária, a outra porta será por padrão a origem secundária ou de backup e será programada em circuito.

Se uma porta for definida como clock source line ou clock source line primary e a outra for definida como clock source internal, a porta interna recuperará o relógio da porta da linha de origem do relógio se ela estiver ativa. Se estiver desligada, a porta interna gerará seu próprio horário.

Se ambas as portas estiverem definidas como clock source internal, haverá apenas a origem de relógio interna.

Etapa 6

framing {sf | esf}

ou

framing {crc4 | no-crc4}
Exemplo:
Router(config-controller)# framing esf

ou

Exemplo:

Router(config-controller)# framing crc4

Defina o enquadramento de acordo com as instruções do seu provedor de serviço.

Para controladoras T1, insira sf ou esf.

Para controladoras E1, insira crc4 ou no-crc4.

Observação Se estiver configurando o recurso soltar e inserir, o enquadramento de T1 ou E1 das controladoras envolvidas (onde os grupos tdm são configurados) deverão ser os mesmos. Se forem usados diferentes tipos de enquadramento, os bits de sinalização poderão não ser entendidos de forma apropriada quando um canal de uma controladora for descartado e inserido em um canal de outra controladora.

Etapa 7

linecode {b8zs | ami}

ou

linecode {ami | hdb3}
Exemplo:
Router(config-controller)# linecode b8zs

ou

Exemplo:
Router(config-controller)# linecode hdb3

Defina a codificação de linha de acordo com as instruções do seu provedor do serviço.

A palavra-chave b8zs codifica uma seqüência de oito zeros em uma seqüência binária única para detectar violações na codificação da linha. Válido apenas para controladoras T1.

A palavra-chave ami representa zeros usando 01 durante cada célula de bit, e 1s são representados por 11 ou 00, alternativamente, durante cada célula de bits.

A palavra-chave hdb3 especifica 3 binários de alta densidade (hdb3) como o tipo de código de linha. Válido apenas para controladora E1; padrão para linhas E1.

Etapa 8

cablelength long {gain26 | gain36} {-15db | -22,5db | -7,5db | 0db}

ou

cablelength short {133 | 266 | 399 | 533 | 655}

Exemplo:

Router(config-controller)# cablelength long gain36 -15db

ou

Exemplo:

Router(config-controller)# cablelength short 266

Define um comprimento de cabo maior que 200 metros (655 pés) para uma ligação T1.

A palavra-chave gain26 especifica o ganho de pulsos em decibéis em 26. Esse é o padrão de ganho de pulso.

A palavra-chave gain36 especifica o ganho de pulsos em decibéis em 36.

A palavra-chave -15db especifica a taxa de pulsos em decibéis em -15.

A palavra-chave -22,5db especifica a taxa de pulsos em decibéis em  -22,5.

A palavra-chave -7,5db especifica a taxa de pulsos em decibéis em -7,5.

A palavra-chave 0db especifica a taxa de pulsos em decibéis em 0. Esse é o padrão de taxa de pulso.

ou

Define um comprimento de cabo de 200 metros (655 pés) ou menos para uma ligação T1.

Não há padrão para o comando cablelength short.

A palavra-chave 133 especifica um comprimento de cabo de 0 a 40,5 metros (133 pés).

A palavra-chave 266 especifica um comprimento de cabo de 40,5 a 81 metros (134 a 266 pés).

A palavra-chave 399 especifica um comprimento de cabo de 81,4 a 121,6 metros (267 a 399 pés).

A palavra-chave 533 especifica um comprimento de cabo de 121,9 a 162,45 metros (400 a 533 pés).

A palavra-chave 655 especifica um comprimento de cabo de 162,76 a 199,6 metros (534 a 655 pés).


Observação se não definir o comprimento do cabo, o sistema usará o padrão de cablelength long gain26 0db.


Etapa 9

ds0-group ds0-group-number timeslots timeslot-list type {e&m-delay-dial | e&m-fgd | e&m-immediate-start | e&m-wink-start | ext-sig | fgd-eana | fgd-os | fxo-ground-start | fxo-loop-start | fxs-ground-start | fxs-loop-start | none}

ou

pri-group [timeslots range]

ou

channel-group channel-group-number timeslots range [speed kbps]

ou

tdm-group tdm-group-number timeslots
timeslot-list type {e&m | fxs [loop-start |
ground-start] | fxo [loop-start |
ground-start]}
Exemplo:

Router(config-controller)# ds0-group 10 timeslots 1.2, 7-9 type e&m-wink-start

ou

Exemplo:

Router(config-controller)# pri-group timeslots 1-5

ou

Exemplo:

Router(config-controller)# channel-group 0 timeslots 1-12

ou

Exemplo:

Router(config-controller)# tdm-group 12 timeslots 1, 5-7, 23 type fxo loop-start


Define os canais T1 ou E1 para utilização por chamadas de voz compactadas e o método de sinalização usado pelo router para o PBX ou escritório central.


Observação se modificar os parâmetros do comando codec complexity, primeiro deverá remover qualquer grupo de DS0 existente e, em seguida, reestabelecê-los depois da mudança de complexidade do codec.


O comando ds0-group cria automaticamente uma porta de voz lógica.

ds0-group-number—Valor de 0 a 23 que identifica o grupo DS0.

timeslot-list—Número único, números separados por vírgulas ou pares de números separados por hífen para indicar um intervalo de slots de tempo. Para T1, os valores permitidos são de 1 a 24; Para E1, os valores permitidos variam de 1 a 31.

A seleção do método de sinalização para type depende na conexão que está sendo feita:

E&M—Conecta linhas do tronco PBX (linhas de ligação) e o equipamento telefônico. As configurações de retardo e permissão especificam sinais de confirmação entre as extremidades de envio e recebimento, ou as configurações imediatas não estipulam sinal de fora do gancho ou no gancho.

FXO—Conecta um escritório central para uma interface PBX padrão onde for permitido por regulamentações locais.

FXS—Conecta o equipamento de telefone básico e os PBXs.


Observação Não há suporte para retorno do operador.


ou

Especifica que o controlador deve ser configurado como uma interface PRI.

Para a T1, o último canal definido é o canal D.

Se um controlador for configurado como PRI, não será possível fazer a configuração de grupos individuais de canais nesse controlador.

O comando controller deve ser digitado antes desse comando ser usado.

 

ou

Especifica um número do grupo de canais.

Para linhas de T1, os números do grupo de canal podem ser de 0 a 23.

Para linhas de E1, os números do grupo de canal podem ser de 0 a 30.

timeslots range—Especifica um ou mais slots de tempo separados por vírgulas, ou intervalos de slots de tempo pertencentes ao grupo de canais separados por uma barra. O primeiro slot de tempo será numerado como 1. Para uma controladora T1, o intervalo de slots de tempo é de 1 a 24. Para uma controladora E1, o intervalo de slots de tempo é de 1 a 31.

speed kbps—(opcional) Especifica a velocidade dos DS0s subjacentes em kilobits por segundo. Os valores válidos são 56 a 64 minutos.

Velocidade padrão da linha na configuração de uma controladora T1 é de 56 kbps.

Velocidade padrão da linha na configuração de uma controladora E1 é de 64 kbps.

ou

Especifica grupos de canais TDM para a função soltar-e-inserir (também chamada de conexão cruzada TDM) com uma placa de interface de tronco multiflex T1 de duas portas.

tdm-group-number—Valor de 0 a 23 que identifica o grupo TDM.

timeslot-list—Valores de 1 a 24.

type—Depende da conexão. As palavras-chave fxs e fxo permitem a especificação de linha de início-terra ou linha de início-loop.


Observação Os números do grupo para grupos de controladoras devem ser exclusivos. Por exemplo, um grupo TDM não deve ter o mesmo número de identificação de um grupo DS0.


Etapa 10

no shutdown
Exemplo:
Router(config-controller)# no shutdown

Ativa a controladora.

Etapa 11

fim

Exemplo:

Router(config-controller)# end

Encerra a atual sessão de configuração e retorna ao modo EXEC com privilégios.

Configurando Cancelamento de Eco para Módulo de Rede Fax/Voz Digital IP de Alta Densidade para Comunicações IP

Esta tarefa configura as portas de voz com cancelamento de eco.

RESUMO DAS ETAPAS

1. enable

2. configure terminal

3. voice-port slot/port

4. echo-cancel enable

5. echo-cancel coverage {24 | 32 | 48 | 64}

6. exit

ETAPAS DETALHADAS

 
Comando ou Ação
Propósito

Etapa 1

enable

Exemplo:

Router> enable

Habilita o modo EXEC com privilégio.

Insira a senha, se solicitado.

Etapa 2

configure terminal

Exemplo:

Router# configure terminal

Insere o modo de configuração global.

Etapa 3

voice-port slot/port

Exemplo:

Router(config)# voice-port 2/1

Insere o modo de configuração de porta de voz e identifica um slot e uma porta como parâmetros de configuração.

Etapa 4

echo-cancel enable

Exemplo:

Router(config-voiceport)# echo-cancel enable

Ativa o cancelamento de voz enviado da interface e recebido de volta na mesma interface.

Etapa 5

echo-cancel coverage {24 | 32 | 48 | 64}

Exemplo:

Router (config-voiceport)# echo-cancel coverage 24

Ajusta o cancelador de eco pelo número especificado em milissegundos.

O padrão é 64.

Etapa 6

exit

Exemplo:

Router(config-voiceport)# exit

Sai do modo de configuração de porta de voz e retorna ao modo de configuração global.

Configurando Compartilhamento DSP para Módulo de Rede Fax/Voz Digital IP de Alta Densidade para Comunicações IP

Esta tarefa adiciona uma placa de voz especificada a um pool de recursos DSP para participar do compartilhamento de DSP.

RESUMO DAS ETAPAS

1. enable

2. configure terminal

3. controller {t1 | e1} slot/port

4. voice-card slot

5. dspfarm

6. exit

7. network-clock-participate [slot slot-number]

8. fim

ETAPAS DETALHADAS

 
Comando ou Ação
Propósito

Etapa 1

enable

Exemplo:

Router> enable

Habilita o modo EXEC com privilégio.

Insira a senha, se solicitado.

Etapa 2

configure terminal

Exemplo:

Router# configure terminal

Insere o modo de configuração global.

Etapa 3

controller {t1 | e1} slot/port

Exemplo:

Router(config)# controller t1 1/0

Insira o modo de configuração da controladora e identifique o tipo da controladora (T1 ou E1) e um slot e porta para os comandos de configuração que se aplicam especificamente à interface T1 ou E1.

Os valores válidos para o argumento slot são de 1 a 4.

Os valores válidos para o argumento port são 0 e 1.

Etapa 4

voice-card slot

Exemplo:

Router(config-controller)# voice-card 2

Insere o modo de configuração de placa de voz e identifica um slot como parâmetros de configuração.

Etapa 5

dspfarm

Exemplo:

Router(config-voicecard)# dspfarm

Adiciona uma placa de voz especificada aos participantes de um pool de recursos DSP.

Etapa 6

exit

Exemplo:

Router(config-voicecard)# exit

Sai do modo de configuração de placa de voz e retorna ao modo de configuração global.

Etapa 7

network-clock-participate [slot slot-number]

Exemplo:

Router(config)# network-clock-participate slot 2

Permite que as portas de um módulo de rede especificado utilizem o relógio da rede para cronometragem.

O argumento slot-number identifica a localização do slot no módulo de rede.


Observação se for necessário sincronizar mais de um módulo de rede, use este comando para cada slot.



Cuidado Se estiver configurando um gateway de voz Cisco 2600 XM com um NM-HDV2 ou um NM-HD-2VE instalado no slot 1, não use o comando network-clock-participate slot 1 na configuração. Nesta situação de hardware específica, o comando network-clock-participate slot 1 não é necessário.

Se o comando network-clock-participate slot 1 for configurado, a conectividade de voz e dados em interfaces terminando nos módulos de rede NM-HDV2 ou NM-HD-2VE podem não funcionar de maneira apropriada. A conectividade de dados para dispositivos correspondentes pode não ser possível, e mesmo testes de plugues de circuito fechado para a interface serial gerados por meio de um grupo de canal configurado na controladora local T1/E1 não serão bem sucedidos. Grupos de voz tais como grupos CAS ds0 e grupos pri ISDN podem não sinalizar de forma apropriada. A controladora T1/E1 pode acumular grandes quantidades de falhas de temporização, bem como Path Code Violations (PCVs) e Line Code Violations (LCVs).

Etapa 8

fim

Exemplo:

Router(config)# end

Encerra a atual sessão de configuração e retorna ao modo EXEC com privilégios.

Configurando Suporte para Banco de Memória de Canal para Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP

O recurso banco de memória fornece suporte à funcionalidade de conexão cruzada TDM entre as portas de voz analógicas e DS0s digitais no mesmo NM-HDV2 que utiliza a sinalização CAS.

Restrições

O grupo DS0 deve conter apenas um slot de tempo. O tipo de sinalização do grupo DS0 deve corresponder ao da porta de voz analógica.

Se o recurso de banco de memória for usado para a controladora T1, o restante do DS0 não usado poderá ser usado para sinalização fracional da PRI.

O suporte do banco de memória exige que a porta digital e a analógica se localizem no mesmo módulo de rede.

RESUMO DAS ETAPAS

1. enable

2. configure terminal

3. controller {t1 | e1} slot/port

4. ds0-group ds0-group-number timeslots timeslot-list type {e&m-immediate | e&m-delay | e&m-wink | fxs-ground-start | fxs-loop-start | fxo-ground-start | fxo-loop-start}

5. exit

6. voice-port slot/port

7. operation {2-wire | 4-wire}

8. type {1 | 2 | 3 | 5}

9. signal {loop-start | ground-start}
or
signal {wink-start | immediate | delay-dial}

10. exit

11. connect connection-name voice-port voice-port-number {t1 | e1} controller-number ds0-group-number

12. fim

ETAPAS DETALHADAS

 
Comando ou Ação
Propósito

Etapa 1

enable

Exemplo:

Router> enable

Habilita o modo EXEC com privilégio.

Insira a senha, se solicitado.

Etapa 2

configure terminal

Exemplo:

Router# configure terminal

Insere o modo de configuração global.

Etapa 3

controller {t1 | e1} slot/port

Exemplo:

Router(config)# controller t1 1/0

Insira o modo de configuração da controladora e identifique o tipo da controladora (T1 ou E1) e um slot e porta para os comandos de configuração que se aplicam especificamente à interface T1 ou E1.

Os valores válidos para o argumento slot são de 1 a 4.

Os valores válidos para o argumento port são 0 e 1.

Etapa 4

ds0-group ds0-group-number timeslots
timeslot-list type {e&m-immediate | e&m-delay |
e&m-wink | fxs-ground-start | fxs-loop-start |
fxo-ground-start | fxo-loop-start}
Exemplo:

Router(config-controller)# ds0-group 1 timeslots 1 type e&m-wink

Define os canais T1 ou E1 para utilização por chamadas de voz compactadas e o método de sinalização usado pelo router para o PBX ou escritório central.

O comando ds0-group cria automaticamente uma porta de voz lógica.

ds0-group-numberValor de 0 a 23 que identifica o grupo DS0.

timeslot-listNúmero único, números separados por vírgulas ou pares de números separados por hífen para indicar um intervalo de slots de tempo. Para T1, os valores permitidos são de 1 a 24; Para E1, os valores permitidos variam de 1 a 31.

A seleção do método de sinalização para type depende na conexão que está sendo feita:

E&M—Conecta linhas do tronco PBX (linhas de ligação) e o equipamento telefônico. As configurações de retardo e permissão especificam sinais de confirmação entre as extremidades de envio e recebimento, enquanto as configurações imediatas não estipulam sinal de fora do gancho ou no gancho.

FXO—Conecta um escritório central a uma interface PBX, onde permitido por regulamentações locais.

FXS—Conecta o equipamento de telefone básico e os PBXs.

Etapa 5

exit

Exemplo:

Router(config-controller)# exit

Sai do modo de configuração da controladora e retorna ao modo de configuração global.

Etapa 6

voice-port slot/port

Exemplo:

Router(config)# voice-port 2/1

Insere o modo de configuração de porta de voz e identifica um slot e uma porta como parâmetros de configuração.

Etapa 7

operation {2-wire | 4-wire}

Exemplo:

Router(config-voiceport)# operation 4-wire

Seleciona um esquema de cabeamento específico somente para portas E&M.

Esse comando não é aplicável a interfaces FXS ou FXO, pois elas são, por definição, interfaces de 2 fios.

A utilização desse comando em uma porta de voz altera a operação das portas de voz em uma placa VPM. A porta de voz deve ser desligada e, então, aberta novamente para o novo valor ter efeito.

Etapa 8

type {1 | 2 | 3 | 5}

Exemplo:

Router(config-voiceport)# type 2

Especifica o tipo de interface E&M.

1 especifica

E—Saída, relé para aterramento

M—Entrada, referenciado ao aterramento

2 especifica:

E—Saída, relé para SG

M—Entrada, referenciado ao aterramento

SB—Alimentação para M, conectado a -48V

SG—Retorno para E, isolada galvanicamente do aterramento

3 especifica:

E—Saída, relé para aterramento

M—Entrada, referenciado ao aterramento

SB—Conectado a -48V

SG—Conectado à terra

5 especifica:

E—Saída, relé para aterramento

M—Entrada, referenciado para -48V

Etapa 9

signal {loop-start | ground-start}

ou

signal (wink-start | immediate | delay-dial}

Exemplo:

Router(config-voiceport)# signal loop-start

ou

Exemplo:

Router(config-voiceport)# signal wink-start


Portas de voz FXO e FXS:

loop-startSomente um dos lados de uma conexão pode ser desligado. Essa é a configuração padrão para portas de voz FXO e FXS.

ground-startPermite que os dois lados de uma conexão façam uma chamada e desliguem.

ou

Portas de voz E&M:

wink-startIndica que o lado que chama captura a linha ao ficar fora do gancho com seu conector E e, em seguida, aguarda uma breve indicação de "permissão" para ficar fora do gancho no conector M do lado chamado, antes de enviar informações de endereço como dígitos de tons de multifreqüência dual (DTMF). Essa é a configuração padrão para portas de voz E&M.

immediateIndica que o lado que chama captura a linha ao ficar fora do gancho no seu conector E e envia as informações de endereço como dígitos DTMF.

delay-dialIndica que o lado que chama captura a linha ao ficar fora do gancho em seu conector E. Depois de um intervalo de tempo, o lado que chama observa a supervisão do lado chamado. Se a supervisão estiver no gancho, o lado que chama começa a enviar informações como dígitos DTMF; caso contrário, o lado que chama aguarda até o lado chamado ficar no gancho e, em seguida, começa a enviar informações do endereço.

Etapa 10

exit

Exemplo:

Router(config-voiceport)# exit

Sai do modo de configuração de porta de voz e retorna ao modo de configuração global.

Etapa 11

connect connection-name voice-port voice-port-number {t1 | e1} controller-number ds0-group-number

Exemplo:

Router(config)# connect connect1 voice-port 01/01/00 t1 1/0 0

Cria uma conexão nomeada entre duas portas de voz (uma das quais é uma porta analógica) associada com interfaces T1 ou E1 onde você já tiver definido os grupos usando o comando ds0-group.

Etapa 12

fim

Exemplo:

Router(config)# end

Encerra a atual sessão de configuração e retorna ao modo EXEC com privilégios.

Exemplos

Para verificar a conexão do banco de memória, use o comando show connection. No exemplo a seguir, a porta E&M 2/0 é configurada para uma conexão do banco de memória com slot de tempo 1 em T1 1/0:

Router# show connection ?

all	All Connections
elements	Show Connection Elements
id 	ID Number
name 	Connection Name
port 	Port Number

Router# show connection all

ID	Name	Segment 1	Segment 2	State ==========================================================
5	connect1	voice-port 2/0	T1 1/0 01 	UP

Configurando Soltar e Inserir para Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP

VWICs de T1/E1 com a funcionalidade soltar e inserir conectam outros dispositivos a um fluxo de dados de T1 ou E1. A tecnologia soltar e inserir às vezes é denominada conexão cruzada TDM.

Essa tarefa configura um VWIC de T1/E1 para o recurso de soltar e inserir. Repita o procedimento nas duas controladoras.

Observe que este recurso é compatível com a capacidade soltar e inserir do módulo entre redes e do módulo dentro das redes. Se fizer a configuração de soltar e inserir no módulo entre as redes, deverá fazer a configuração também da cronometragem da rede.

RESUMO DAS ETAPAS

1. enable

2. configure terminal

3. controller {t1 | e1} slot/port

4. clock source {line [primary] | internal}

5. network-clock-participate slot slot number

6. network-clock-select priority {bri | t1 | e1} slot/port

7. framing {sf | esf}
or
framing {crc4 | no-crc4}

8. linecode {b8zs | ami}
or
linecode {ami | hdb3}

9. tdm-group tdm-group-number timeslots timeslot-list type {e&m | fxs [loop-start | ground-start] | fxo [loop-start | ground-start]}

10. no shutdown

11. exit

12. connect id {t1 | e1} slot/port-1 tdm-group-no-1 {t1 | e1} slot/port-2 tdm-group-no-2

13. fim

ETAPAS DETALHADAS

 
Comando ou Ação
Propósito

Etapa 1

enable

Exemplo:

Router> enable

Habilita o modo EXEC com privilégio.

Insira a senha, se solicitado.

Etapa 2

configure terminal

Exemplo:

Router# configure terminal

Insere o modo de configuração global.

Etapa 3

controller {t1 | e1} slot/port
Exemplo:
Router(config)# controller t1 1/1

Insira o modo de configuração da controladora e identifique o tipo da controladora (T1 ou E1) e um slot e porta para os comandos de configuração que se aplicam especificamente à interface T1 ou E1.

Os valores válidos para o argumento slot são de 1 a 4.

Os valores válidos para o argumento port são 0 e 1.

Etapa 4

clock source {line [primary] | internal}
Exemplo:
Router(config-controller)# clock source line

Especifica a origem do relógio.

A palavra-chave line especifica que a origem do relógio é derivada da linha ativa. Esse é o padrão.

Quando ambas as portas são definidas para a sincronização de linha sem especificação primária, a porta 0 é a origem de relógio primária padrão e a porta 1 é a origem secundária padrão.

Quando ambas as portas são definidas para a linha e uma porta é identificada como a origem de relógio primária, a outra porta será por padrão a origem secundária ou de backup e será programada em circuito.

Se uma porta for definida como clock source line ou clock source line primary e a outra for definida como clock source internal, a porta interna recuperará o relógio da porta da linha de origem do relógio se ela estiver ativa. Se estiver desligada, a porta interna gerará seu próprio horário.

Se ambas as portas estiverem definidas como clock source internal, haverá apenas a origem de relógio interna.

Etapa 5

network-clock-participate slot slot number

Exemplo:

Router(config)# network-clock-participate slot 2

Permite que as portas de um módulo de rede especificado ou placa de voz/interface WAN (VWIC) use o relógio da rede para cronometragem.

O argumento slot number é o número do slot do módulo da rede do chassi do router.


Cuidado Se estiver configurando um gateway de voz Cisco 2600 XM com um NM-HDV2 ou um NM-HD-2VE instalado no slot 1, não use o comando network-clock-participate slot 1 na configuração. Nesta situação de hardware específica, o comando network-clock-participate slot 1 não é necessário.

Se o comando network-clock-participate slot 1 for configurado, a conectividade de voz e dados em interfaces terminando nos módulos de rede NM-HDV2 ou NM-HD-2VE podem não funcionar de maneira apropriada. A conectividade de dados para dispositivos correspondentes pode não ser possível, e mesmo testes de plugues de circuito fechado para a interface serial gerados por meio de um grupo de canal configurado na controladora local T1/E1 não serão bem sucedidos. Grupos de voz tais como grupos CAS ds0 e grupos pri ISDN podem não sinalizar de forma apropriada. A controladora T1/E1 pode acumular grandes quantidades de falhas de temporização, bem como Path Code Violations (PCVs) e Line Code Violations (LCVs).

Etapa 6

network-clock-select priority {bri | t1 | e1} slot/port

Exemplo:

Router(config)# network-clock-select 1 bri 2/0

(Opcional) Permite que os circuitos PLL de TDM da placa-mãe selecionem referências de cronometragem recuperadas de ligações digitais saudáveis, de acordo com uma prioridade definida.

O argumento priority especifica a prioridade de seleção das origens de relógio (1 é a prioridade mais alta).

Quando a origem de relógio de prioridade mais alta falha, a segunda origem prioritária é selecionada.

A palavra-chave bri especifica que o slot é configurado como BRI.

A palavra-chave t1 especifica que o slot é configurado como T1.

A palavra-chave e1 especifica que o slot é configurado como E1.

O argumento slot é o número de slot que identifica a controladora que é a origem do relógio.

O argumento port é o número de porta que identifica a controladora que é a origem do relógio.

O intervalo é de 0 a 3.

Etapa 7

framing {sf | esf}

ou

framing {crc4 | no-crc4}
Exemplo:
Router(config-controller)# framing esf

ou

Exemplo:

Router(config-controller)# framing crc4

Defina o enquadramento de acordo com as instruções do seu provedor de serviço.

Para controladoras T1, insira sf ou esf.

Para controladoras E1, insira crc4 ou no-crc4.

Observação Para que o recurso soltar e inserir funcione adequadamente, a T1 ou E1 enquadrada pelas controladoras envolvidas (onde os grupos tdm são configurados) precisa ser a mesma. Se forem usados diferentes tipos de enquadramento, os bits de sinalização poderão não ser entendidos de forma apropriada quando um canal de uma controladora for descartado e inserido em um canal de outra controladora.

Etapa 8

linecode {b8zs | ami}

ou

linecode {ami | hdb3}
Exemplo:
Router(config-controller)# linecode b8zs

ou

Exemplo:
Router(config-controller)# linecode hdb3

Defina a codificação de linha de acordo com as instruções do seu provedor do serviço.

A palavra-chave b8zs codifica uma seqüência de oito zeros em uma seqüência binária única para detectar violações na codificação da linha. Válido apenas para controladoras T1.

A palavra-chave ami representa zeros usando 01 durante cada célula de bit, e 1s são representados por 11 ou 00, alternativamente, durante cada célula de bits.

A palavra-chave hdb3 especifica 3 binários de alta densidade (hdb3) como o tipo de código de linha. Válido apenas para controladora E1; padrão para linhas E1.

Etapa 9

tdm-group tdm-group-number timeslots
timeslot-list type {e&m | fxs [loop-start |
ground-start] | fxo [loop-start |
ground-start]}
Exemplo:

Router(config-controller)# tdm-group 12 timeslots 1, 5-7, 23 type fxo loop-start

Especifica grupos de canais TDM para a função soltar-e-inserir (também chamada de conexão cruzada TDM) com uma placa de interface de tronco multiflex T1 de duas portas.

tdm-group-number—Valor de 0 a 23 que identifica o grupo TDM.

timeslot-list—Valores de 1 a 24.

type—Depende da conexão. As palavras-chave fxs e fxo permitem a especificação de linha de início-terra ou linha de início-loop.


Observação Os números do grupo para grupos de controladoras devem ser exclusivos. Por exemplo, um grupo TDM não deve ter o mesmo número de identificação de um grupo DS0.


Etapa 10

no shutdown
Exemplo:

Router(config-controller)# no shutdown

Ativa a controladora.

Etapa 11

exit
Exemplo:
Router(config-controller)# exit

Sai do modo de configuração de placa de voz e retorne ao router ao modo de configuração global.

Etapa 12

connect id {t1 | e1} slot/port-1 tdm-group-no-1 {t1 | e1} slot/port-2 tdm-group-no-2

Exemplo:

Router(config)# connect connect1 t1 1/1 10 1/0 11

Cria uma conexão nomeada entre duas portas de voz (uma das quais é uma porta analógica) associada com interfaces T1 ou E1 onde você já tiver definido os grupos usando o comando tdm-group.

O argumento id é um nome para a conexão.

Os parâmetros tdm-group-no-1 e tdm-group-no-2 identificam os números do grupo TDM (de 0 a 31) na controladora especificada. (Esses grupos foram configurados no Etapa 9.)

Etapa 13

fim

Exemplo:

Router(config)# end

Encerra a atual sessão de configuração e retorna ao modo EXEC com privilégios.

Exemplos de Configurações para o Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP

Esta seção fornece os seguintes exemplos de configurações para o Módulo de Rede Fax/Voz Digital IP de Alta Densidade para Comunicações IP:

Suporte para Banco de Memória: Exemplo

VoIP Normal Mostrando Algumas Chamadas: Exemplo

Configuração de MGCP: Exemplo

Configuração do Fax Relay: Exemplo

Suporte para Banco de Memória: Exemplo

!
card type t1 3 1
!
!
controller T1 3/0
framing esf
linecode b8zs
ds0-group 0 timeslots 1 type fxo-loop-start
ds0-group 1 timeslots 2 type fxo-loop-start
!
!
connect test_1 voice-port 3/0/0 T1 3/0 0
!
!
connect test_2 voice-port 3/0/1 T1 3/0 1
!
!
!
voice-port 3/0/0
 signal loopstart
 description FXS LoopStart Port
!
voice-port 3/0/1
 signal loopstart
 description FXS LoopStart Port
!

VoIP Normal Mostrando Algumas Chamadas: Exemplo

Lado de origem

!
card type t1 2 1
!
controller T1 2/0
framing esf
linecode b8zs
ds0-group 0 timeslots 1-24 type e&m-immediate-start
!
dial-peer voice 4100 pots
destination-pattern 4100
port 2/0:0
!
dial-peer voice 999 voip
destination-pattern 99..
session target ipv4:11.3.14.25
codec gsmfr
!

Lado de terminação

!
card type t1 1 1
!
controller T1 1/0
framing esf
clock source internal
linecode b8zs
ds0-group 0 timeslots 1-24 type e&m-immediate-start
!
dial-peer voice 999 pots
destination-pattern 99..
port 1/0:0
!
dial-peer voice 1111 voip
incoming called-number 99..
codec gsmfr
!

Configuração de MGCP: Exemplo

!
card type t1 4 1
!
controller T1 4/0
framing esf
linecode b8zs
ds0-group 0 timeslots 1-24 type e&m-immediate-start
!
mgcp
mgcp call-agent 10.1.0.60 service-type mgcp version 0.1
mgcp package-capability rtp-package
no mgcp package-capability atm-package
no mgcp package-capability res-package
mgcp fax t38 inhibit
!
ccm-manager mgcp
!
call app alternate default 		<=== required for fall back
!
dial-peer voice 4000 pots
application mgcpapp
port 4/0:0!

Configuração do Fax Relay: Exemplo

Os exemplos a seguir apresentam informações de configuração para Fax Pass Through, Cisco Fax Relay e T.38:

Configuração Global para o Fax Pass-Through

voice service voip
fax protocol passthrough g711ulaw

Configuração no Nível do Correspondente de Discagem para o Fax Pass-Through

dial-peer voice 300 voip
destination-pattern 93...
session target ipv4:1.3.28.103
fax rate disable
fax protocol passthrough g711ulaw

Configuração Global para o Fax Relay

voice service voip
fax protocol cisco ! this line will not show as it is default setting

Configuração no Nível do Correspondente de Discagem para o Fax Relay

dial-peer voice 300 voip
destination-pattern 93...
session target ipv4:1.3.28.103
fax protocol cisco ! this line will not show as it is default setting

Configuração Global para o T.38

voice service voip
fax protocol t.38

Configuração no Nível do Correspondente de Discagem para o T.38

dial-peer voice 300 voip
destination-pattern 93...
session target ipv4:1.3.28.103
fax protocol t38

Referências Adicionais

As seções a seguir apresentam referências relacionadas ao Módulo de Rede Fax/Voz Digital IP de Alta Densidade para Comunicações IP.

Documentação Relacionada

Tópico Relacionado
Título do Documento

Instruções de instalação de hardware do recurso Módulo de Rede Fax/Voz Digital de Alta Densidade para Comunicações IP

Guia de Instalação de Hardware do Cisco Network Module


Padrões

Padrões
Título

Nenhum padrão novo ou modificado são suportados por esse recurso.


RFCs

RFCs
Título

Nenhum RFC novo ou modificado são suportados por esse recurso.


MIBs

MIBs
Ligação de MIBs

IF-MIB

ENTITY-MIB

DS1-MIB

OLD-CISCO-CHASSIS-MIB

CISCO-VOICE-IF-MIB

CISCO-VOICE-DIAL-CONTROL-MIB

CISCO-DIAL-CONTROL-MIB

Para localizar e fazer download de MIBs para plataformas, versões do Cisco IOS e conjuntos de recursos selecionados, use o Localizador de MIBs da Cisco, no seguinte URL:

http://tools.cisco.com/ITDIT/MIBS/servlet/index


Assistência Técnica

Descrição
Ligação

A página do Centro de Assistência Técnica (TAC) contém 30 mil páginas de conteúdo técnico pesquisável, incluindo ligações para produtos, tecnologias, soluções, dicas técnicas e ferramentas. Os usuários registrados da Cisco.com podem fazer login nessa página para acessar ainda mais conteúdo.

http://www.cisco.com/cisco/web/BR/support/


Referências a Comandos

Esta seção documenta o comando modificado codec complexity .

complexidade de codec

Para especificar a densidade da chamada e a complexidade do codec de acordo com o padrão de codec usado, use o comando codec complexity no modo de configuração de placa de voz. Para redefinir o padrão de complexidade flexível, use o formulário no deste comando.

codec complexity {flex [reservation-fixed {high | medium}] | high | medium}

no codec complexity

Descrição da sintaxe

flex

Quando a palavra-chave flex é utilizada, é possível concluir até 16 chamadas por DSP. O número de chamadas suportadas varia de 6 a 16, dependendo do codec usado em uma chamada. Neste modo, a reserva para VICs analógicos pode ser necessária para determinadas aplicações tais como chamadas CAMA E-911 porque o excesso de assinaturas de DSPs é possível. Se for verdadeiro, então a opção reservation-fixed pode ser ativada. Por padrão, não há reserva.

Oversubscription—Quando você especifica a palavra-chave flex , não pode conectar (ou fazer a configuração, no caso de grupos DS0 e grupos PRI) mais canais de voz para o módulo do que os DSPs podem acomodar. Se todos os canais de voz forem ativados simultaneamente, os DSPs apresentarão excesso de assinaturas e as chamadas que não puderem alocar um recurso DSP falharão na conexão.

reservation-fixed

(Opcional) Se você especificar a palavra-chave flex, a palavra-chave reservation-fixed garantirá que haja recursos de DSP suficientes para lidar com uma chamada. Se você digitar esta palavra-chave, especifique se a complexidade deverá ser alta ou média. Esta opção só é exibida quando há um VIC analógico presente.

alto

Se você especificar a palavra-chave high para definir a complexidade, cada DSP suportará dois canais de voz codificados em um dos seguintes formatos:

g711alaw—G.711 A-law 64.000 bps.

g711ulaw—G.711 u-law 64.000 bps.

g723ar53—G.723.1 Annex A 5300 bps.

g723ar63—G.723.1 Annex A 6300 bps.

g723r53—G.723.1 5300 bps.

g723r63—G.723.1 6300 bps.

g723r16—G.726 16.000 bps.

g726r24—G726 24.000 bps.

g726r32—G.726 32.000 bps.

g728—G.728 16.000 bps.

g729r8—G.729 8000 bps. Esse é o padrão.

g729br8—G.729 Annex B 8000 bps.

fax relay—2400 bps, 4800 bps, 7200 bps, 9600 bps, 12 kbps, e 14,4 kbps.

Observação Os codecs G.723.1 e G.728 não são compatíveis com os routers de acesso modular Cisco 1750 e Cisco 1751 para Cisco Hoot e Holler sobre aplicativos IP.

medium

Se você especificar a palavra-chave medium para definir a complexidade, cada DSP suportará quatro canais de voz codificados em um dos seguintes formatos:

g711alaw—G.711 A-law 64.000 bps.

g711ulaw—G.711 u-law 64.000 bps.

g726r16—G.726 16.000 bps.

g726r24—G.726 24.000 bps.

g726r32—G.726 32.000 bps.

g729r8—G.729 Annex A 8000 bps.

g729br8—G.729 Annex B with Annex A 8000 bps.

fax relay—2400 bps, 4800 bps, 7200 bps, 9600 bps, 12 kbps, e 14,4 kbps. Fax relay é o padrão.


Defaults

Complexidade flexível

Modos de comando

Configuração da placa de voz

Histórico de comando

Versão
Modificação

12.0(5)XK

Este comando foi apresentado nas séries Cisco 2600 e Cisco 3600.

12.0(7)T

Este comando foi integrado ao Cisco IOS Versão 12.0(7)T.

12.0(7)XK

Este comando foi implementado no Cisco MC3810 para utilização com o módulo de compressão de alto desempenho (HCM).

12.1(2)T

Este comando foi integrado ao Cisco IOS Versão 12,1(2)T.

12.2(8)T

Este comando foi implementado no Cisco 1750 e no Cisco 1751.

12.2(13)T

A palavra-chave ecan-extended foi acrescentada.

12.2(15)T

Este comando foi integrado ao Cisco IOS Versão 12.2(15)T com suporte para os routers da série Cisco 2600, Cisco 2600XM, Cisco 3660, Cisco 3725 e Cisco 3745. A complexidade de codec alta é suportada para processamento de DSP nessas plataformas.

12.2(15)ZJ

Esse comando foi integrado no Cisco IOS Versão 12.2(15)ZJ e a palavra-chave flex foi acrescentada.

12.3(4)T

Este comando foi integrado ao Cisco IOS Versão 12.3(4)T.

12.3(7)T

Esse comando foi integrado no Cisco IOS Versão 12.3(7)T e a palavra-chave reservation-fixed foi acrescentada.


Diretrizes de uso

A complexidade de codec se refere à quantidade de processamento necessária para realizar compactação de voz. A complexidade de codec afeta a densidade da chamada; o número de chamadas reconciliadas nos DSPs. Com complexidades de codec mais altas, é possível lidar com menos chamadas. Selecione uma complexidade de codec alta, caso isso seja necessário para suportar um codec específico ou combinações de codecs. Selecione uma complexidade de codec mais baixa para suportar o maior número de canais de voz, desde que a complexidade mais baixa seja compatível com os codecs específicos em uso.

Para alterar a complexidade de codec, todos os canais de voz DSP deverão estar no estado ocioso.

A palavra-chave flex para configuração da complexidade do codec permite que o DSP processe até 16 canais. Além de continuar a suportar a configuração de um número fixo de canais por DSP, a palavra-chave flex ativa o DSP para lidar com um número flexível de chamadas. O número de chamadas suportadas varia de 6 a 16, dependendo do codec usado em uma chamada. Portanto, a densidade de canal varia de 6 por DSP (codec de alta complexidade) a 16 por DSP (codec g.711).

No modo flexível, você pode conectar (ou fazer a configuração, no caso de grupos DS0 e PRI) mais canais de voz ao módulo do que os DSPs podem acomodar. Se todos os canais de voz forem ativados simultaneamente, os DSPs apresentarão excesso de assinaturas e as chamadas que não puderem alocar um recurso DSP falharão na conexão.

A palavra-chave high seleciona uma complexidade de codec alta, caso isso seja necessário para suportar um codec específico ou combinações de codecs. Quando usar o comando codec complexity high para alterar a complexidade do codec, o sistema o solicita a remover todos os grupos de DS0 ou PRI existentes com a placa de voz especificada; em seguida, todos os DSPs são redefinidos com a imagem de firmware especificada, e liberados. Consulte a seção "Switching Echo Cancellers" (Alterando Canceladores de Eco) da documentação do recurso Cancelamento de Eco ITU-T G.168 Aprimorado em Cisco.com para obter mais informações sobre a remoção e a recolocação de grupos de DS0 ou PRI.

A palavra-chave medium seleciona uma complexidade de codec mais baixa para suportar o maior número de canais de voz, desde que a complexidade mais baixa seja compatível com os codecs específicos em uso.

Exemplos

O exemplo a seguir define a complexidade do codec como alta na placa da voz 1 em um router da série Cisco 2600 ou Cisco 3600 e configura chamadas locais para ignorar o DSP:

voice-card 1
 codec complexity high
local-bypass

Comandos relacionados

Comando
Descrição

ds0-group

Define canais de T1/E1 para chamadas de voz compactadas e o método CAS pelo qual o router se conecta ao PBX ou PSTN.

show voice dsp

Exibe o status atual de todos os canais de voz DSP.


Glossário

AIM—Módulo de Integração Assíncrona. Um módulo interno com acesso a PCI e TDM.

AMI—inversão alternada de máscara. Tipo de código de linha utilizado em circuitos T1 e E1. Os zeros são representados por 01 durante cada célula de bit e os uns são representados como 11 ou 00, alternativamente, durante cada célula de bit. A AMI requer que o dispositivo de envio mantenha a densidade em um. A densidade de um não é mantida de forma independente do fluxo de dados.

CAS—sinalização associada a canal para interfaces T1/E1.

CCS—sinalização comum de canal para interfaces T1/E1.

DSP—Processador digital de sinais.

E1—Equivalente europeu para T1, canais 32 64-kbps. Inclui um canal para enquadramento e um canal para informações do canal D. A taxa do relógio é de 2,048 MHz.

ECAN—cancelador de eco.

ESF—superquadro estendido. Tipo de enquadramento usado em interfaces T1 que consistem em 24 quadros de 192 bits cada, com o 193º bit fornecendo cronometragem e outras funções. O ESF é uma versão aprimorada do formato SF.

FXO—Escritório de Câmbio Internacional. Uma interface de voz emulando uma linha de tronco PBX para um switch ou equipamento telefônico para uma interface de ramal PBX.

FXS—Estação de Câmbio Internacional. Uma interface de voz para conexão de equipamento telefônico. Emula a interface de extensão de um PBX ou a interface do assinante para uma comutação.

HDLC—Controle de Ligação de Dados de Alto Nível.

NM-HDV—Um módulo de rede de tronco de voz de pacote de alta densidade que suporta até duas interfaces T1/E1.

SF—superquadro. Tipo comum de enquadramento usado em interfaces T1. O SF consiste em 12 quadros de 192 bits cada com o 193° bit proporcionando a verificação de erro e outras funções. O SF é substituído por ESF, mas ainda é amplamente usado. O SF também é chamado de enquadramento D4.

T1—Interface serial de 1,544 Mbps que suporta até 24 64-kbps slots de tempo.

TDM—multiplexação de divisão de tempo. Um método de divisão de uma interface serial em slots de tempo fixos ou largura de banda fixa.

VAD—detenção da atividade de voz (supressão de silêncio).

VoIP—Voice over IP. Termo genérico que denota uma abordagem baseada em padrões para tráfego de voz via IP.


Observação Consulte Internetworking Terms and Acronyms para obter termos não listados neste glossário.