Switches : Switches Cisco Catalyst 6500 Series

Troubleshooting de Problemas de Interfaces e Portas de Switches

17 Julho 2008 - Tradução Manual
Outras Versões: Versão em PDFpdf | Tradução por Computador (29 Julho 2013) | Inglês (3 Abril 2009) | Feedback

Índice

Introdução
Pré-requisitos
      Requisitos
      Componentes Utilizados
      Convenções
Troubleshooting da Camada Física
      Usando os LEDs para Troubleshooting
      Verificar o Cabo e os Dois Lados da Conexão
      Cabos Ethernet de Cobre e Fibra
      Troubleshooting de Gigabit Ethernets
      Conectado vs Não-conectado
Comandos Mais Comuns para o Troubleshooting de Portas e Interfaces no CatOS e no Cisco IOS
Compreendendo a Saída dos Contadores Específicos de Portas e Interfaces no CatOS e no Cisco IOS
      Show Port do CatOS e Show Interfaces do Cisco IOS
      Show Mac do CatOS e Show Interfaces Counters do Cisco IOS
      Show Counters do CatOS e Show Counters Interface do Cisco IOS
      Show Controller Ethernet-Controller do Cisco IOS
      Show Top do CatOS
Mensagens de Erro Comuns do Sistema
      Mensagens de Erro nos Módulos WS-X6348
      %PAGP-5-PORTTO / FROMSTP e %ETHC-5-PORTTO / FROMSTP
      %SPANTREE-3-PORTDEL_FAILNOTFOUND
      %SYS-4-PORT_GBICBADEEPROM: / %SYS-4-PORT_GBICNOTSUPP
      Command Rejected: [Interface] not a Switching Port
Problemas Comuns de Portas e Interfaces
      A Porta ou a Interface Possui o Status Disable ou Shutdown
      A Porta ou a Interface Possui o Status errDisable
      A Porta ou a Interface Possui o Status Inactive
      O Contador Deferred na Interface do Switch Catalyst Começa a Ser Incrementado
      Falha Intermitente ao Definir o Temporizador [valor] da Vlan [número da vlan]
      Incompatibilidade do Modo de Trunking
      Jumbos, Giants e Baby Giants
      Não é Possível Efetuar Ping no Dispositivo Final
      Usando Set Port Host ou Switchport Host para Corrigir Atrasos de Inicialização
      Problemas Relacionados a Velocidade/Duplex, Negociação Automática ou NIC
      Loops de Spanning Tree
      UDLD: Link Unidirecional
      Frames Adiados (Out-Lost ou Out-Discard)
      Problemas de Software
      Problemas de Hardware
      Erros de Entrada em uma Interface de Camada 3 Conectada a uma Porta de Switch de Camada 2
      Rápido Aumento do Contador Rx-No-Pkt-Buff e de Erros de Entrada
      Trunking entre um Switch e um Roteador
Discussões relacionadas da comunidade de suporte da Cisco

Introdução

O objetivo deste documento é ajudar a determinar o motivo pelo qual uma porta ou interface apresenta problemas. Este documento aplica-se aos switches Catalyst que executam o CatOS Software ou o Cisco IOS® System Software no Supervisor.

Pré-requisitos

Requisitos

Não existem requisitos específicos para este documento.

Componentes Utilizados

Este documento não se restringe a versões de software e hardware específicas.

Convenções

Consulte as Convenções de Dicas Técnicas da Cisco para obter mais informações sobre convenções de documentos.

Troubleshooting da Camada Física

Usando os LEDs para Troubleshooting

Caso tenha acesso físico ao switch, você poderá poupar tempo examinando os LEDs das portas, os quais fornecem o status do link ou podem indicar uma condição de erro (se estiverem em vermelho ou laranja). A tabela descreve os indicadores de status do LED para módulos Ethernet ou switches de configuração fixa:

Plataforma

URL

Catalyst 6000 Series Switches

LEDs do Módulo Ethernet

Catalyst 5000 Series Switches

LEDs do Módulo Ethernet

Catalyst 4000 Series Switches

LEDs do Módulo Ethernet

Catalyst 3750 Series Switches

LEDs do Painel Dianteiro

Catalyst 3550 Series Switches

LEDs do Painel Dianteiro

Catalyst 2950/2955 Series Switches

LEDs do Painel Dianteiro

Catalyst 2900/3500XL Series Switches

LEDs do Painel Dianteiro

Catalyst 1900 e 2820 Series Switches

LEDs do Painel Dianteiro

Catalyst G-L3 Series Switches

LEDs do Painel Dianteiro

Certifique-se de que ambos os lados possuam um link. Um único cabo quebrado ou uma porta desativada pode provocar o problema em que um lado possui uma luz de link, mas o outro não.

A luz de link não garante que o cabo esteja funcionando totalmente. O cabo pode ter sido submetido a um estresse físico, passando a funcionar em um nível marginal. Normalmente, será possível identificar essa situação se a porta possuir vários erros de pacote ou se oscilar constantemente (perdendo e recuperando o link).

Verificar o Cabo e os Dois Lados da Conexão

Se a luz do link da porta não acender, considere as seguintes possibilidades:

Possível Causa

Ação Corretiva

Nenhum cabo conectado

Conecte o cabo do switch a um dispositivo que esteja funcionando corretamente.

Porta errada

Verifique se ambas as extremidades estão conectadas nas portas corretas.

O dispositivo não está recebendo nenhuma alimentação de energia

Certifique-se de que ambos os dispositivos estejam sendo alimentados.

Tipo de cabo incorreto

Verifique a seleção de cabo. Consulte o Guia de Cabos de Switches Catalyst.

Cabo incorreto

Troque o cabo suspeito por um cabo que esteja funcionando. Verifique se há pinos quebrados ou faltando nos conectores.

Conexões soltas

Verifique se há conexões soltas. Às vezes, um cabo aparenta estar encaixado no soquete, mas não está. Desconecte o cabo e insira-o novamente.

Patch Panels

Elimine as conexões defeituosas do patch panel. Se possível, faça um desvio do patch panel para testá-lo.

Conversores de mídia

Elimine os conversores de mídia defeituosos: fibra-para-cobre, etc. Não utilize o conversor de mídia, se possível, para certificar-se de que ele não seja a causa do problema.

GBIC (Gigabit Interface Convertor) defeituoso ou incorreto

Troque o GBIC suspeito por outro em bom estado.

Verifique o suporte de hardware/software para esse tipo de GBIC. Consulte a seção Troubleshooting de Gigabit Ethernets deste documento.

Porta ou módulo com defeito

Porta, interface ou módulo não habilitado

Mova o cabo para uma porta em bom estado a fim de solucionar um problema com uma porta ou módulo suspeito.

Use o comando show port no CatOS ou o comando show interface no Cisco IOS para procurar o status errdisable, disable ou shutdown.

O comando show module poderá mostrar o status faulty, o qual pode indicar um problema de hardware. Consulte a seção Problemas Comuns de Portas e Interfaces deste documento para obter mais informações.

Cabos Ethernet de Cobre e Fibra

Verifique se você possui o cabo correto para o tipo de conexão que está fazendo. O cabo de cobre da Categoria 3 pode ser usado para conexões UTP (unshielded twisted pair) de 10 Mbps, mas nunca deve ser usado para conexões UTP de 10/100 ou 10/100/1000 Mbps. Use sempre UTP de Categoria 5, 5e ou 6 para conexões de 10/100 ou 10/100/1000Mbps.

aviso Aviso: Os cabos das Categorias 5e e 6 podem armazenar altos níveis de eletricidade estática devido às propriedades dielétricas dos materiais usados em sua fabricação. Aterre sempre os cabos (especialmente em novos cabeamentos) de forma segura e adequada antes de conectá-los ao módulo.

No caso de fibras, verifique se você possui o cabo correto para as distâncias envolvidas e o tipo de portas de fibra usado. As duas opções são fibras de single mode (SMF) ou fibra de multimode (MMF). Certifique-se de que as portas nos dispositivos conectados sejam ambas SMF ou MMF.

Nota: Para conexões de fibra, verifique se o cabo de transmissão de uma porta está conectado ao cabo de recepção da outra. As conexões transmissão-a-transmissão e recepção-a-recepção não funcionarão.

Distâncias Máximas de Transmissão para Ethernet e Fast Ethernet

Velocidade do transceptor

Tipo de cabo

Modo Duplex

Distância máxima entre estações

10 Mbps

UTP Categoria 3

Full e half

328 ft (100 m)

10 Mbps

MMF

Full e half

1,2 milhas (2 km)

100 Mbps

UTP da Categoria 5 / UTP da Categoria 5e

Full e half

328 ft (100 m)

100 Mbps

UTP Categoria 6

Full e half

328 ft (100 m)

100 Mbps

MMF

Half

1312 ft (400 m)

   

Full

1,2 milhas (2 km)

100 Mbps

SMF

Half

1312 ft (400 m)

   

Full

6,2 milhas (10 km)

Para obter mais detalhes sobre os diferentes tipos de cabos/conectores, requisitos de cabeamento, requisitos óticos (distância, tipo, patch cables, etc.), como conectar os diferentes cabos e quais cabos são utilizados pela maioria dos switches e módulos da Cisco, consulte o Guia de Cabos de Switches Catalyst.

Troubleshooting de Gigabit Ethernets

Se o dispositivo A estiver conectado ao dispositivo B por meio de um link Gigabit e o link não for ativado, execute o procedimento a seguir.

Procedimento Passo a Passo

  1. Verifique se os dispositivos A e B utilizam o mesmo GBIC, comprimento de ondas curtas (SX), comprimento de ondas longas (LX), longa distância (LH), comprimento de ondas estendidas (ZX) ou UTP de cobre (TX). Ambos os dispositivos devem usar o mesmo tipo de GBIC para estabelecer o link. Um SX GBIC precisa se conectar a um SX GBIC. Um GBIC SX não será conectado a um GBIC LX. Consulte Nota de Instalação do Patch Cord de Condicionamento de Modo para obter mais informações.

  2. Verifique a distância e o cabo usados para cada GBIC, conforme definido nesta tabela.

    Especificações de Cabeamento das Portas 1000 BASE-T e 1000 BASE-X

    GBIC

    Comprimento de onda (nm)

    Tipo de cobre/fibra

    Tamanho do núcleo1(Mícrons)

    Largura de Banda Modal (MHz/km)

    Distância do cabo2

    WS-G5483 1000 Base - T (cobre)

     

    UTP da Categoria 5

    UTP da Categoria 5e

    UTP da Categoria 6

       

    328 ft (100 m)

    WS-G54841000 BASE-SX3

    850

    MMF

    62,5

    62,5

    50,0

    50,0

    160

    200

    400

    500

    722 ft (22.006,56 cm)

    902 ft (275 m)

    1640 ft (500 m)

    1804 ft (550 m)

    WS-G5486 1000 BASE-LX/LH

    1310

    MMF4

    SMF

    62,5

    50,0

    50,0

    8,3/9/10

    500

    400

    500

    -

    1804 ft (550 m)

    1804 ft (550 m)

    1804 ft (550 m)

    6,2 milhas (10 km)

    WS-G54871000 BASE-ZX5

    1550

    MMF

    SMF6

    8,3/9/10

    8,3/9/10

     

    43,5 milhas (70 km)7

    62,1 milhas (100 km)

    1. Os números fornecidos para o cabo de fibra ótica multimodo referem-se ao diâmetro central. Para o cabo de fibra ótica de modo simples, 8,3 mícrons referem-se ao diâmetro central. Os valores de 9 mícrons e 10 mícrons referem-se ao diâmetro do campo de modo (MFD), que é o diâmetro da parte que conduz luz da fibra. Esta área consiste no núcleo da fibra mais uma parte pequena do revestimento ao redor. O MFD é uma função do diâmetro central, do comprimento de onda do laser e da diferença do índice de refração entre o núcleo e o revestimento.

    2. As distâncias baseiam-se na perda da fibra. Cabos de fibra ótica subpadrão e com várias emendas reduzirão as distâncias de cabeamento.

    3. Use somente com MMF.

    4. Ao usar um GBIC LX/LH com MMF de 62,5 mícrons de diâmetro, você deve instalar um patch cord de condicionamento de modo (CAB-GELX-625 ou equivalente) entre o GBIC e o cabo MMF nas extremidades de transmissão e recepção do link. O patch cable de condicionamento de modo é necessário para as distâncias de links inferiores a 328 ft (100 m) ou superiores a 984 ft (300 m). O patch cable de condicionamento de modo impede a sobrecarga do receptor para comprimentos curtos do MMF e reduz o atraso no modo diferencial para comprimentos longos do MMF. Consulte Nota de Instalação do Patch Cord de Condicionamento de Modo para obter mais informações.

    5. Use somente com SMF.

    6. Cabo de fibra ótica de modo único e dispersão deslocada.

    7. A distância mínima do link para GBICs ZX é de 6,2 milhas (10 km) com um atenuador de 8 dB instalado em cada extremidade do link. Sem os atenuadores, a distância mínima de link é 24,9 milhas (40 km).

  3. Se o dispositivo tiver várias portas Gigabit, conecte-as entre si. Isso testará cada dispositivo e verificará se a interface Gigabit funciona corretamente. Por exemplo, você possui um switch que possui duas portas de Gigabit. Conecte a porta Gigabit um à porta Gigabit dois. O link se torna ativo? Em caso afirmativo, a porta está boa. O STP bloqueia a porta e impedirá quaisquer loops (a recepção (RX) da porta um vai para a transmissão (TX) da porta dois e o TX da porta um para o RX da porta dois).

  4. Se a conexão única ou a Etapa 3 falhar com conectores SC, crie um loopback da porta (RX da porta um vai para o TX da porta um). A porta se torna ativa? Se ela não for ativada, entre em contato com o TAC, pois ela poderá estar com defeito.

  5. Se as etapas 3 e 4 forem bem-sucedidas, mas não for possível estabelecer uma conexão entre os dispositivos A e B, faça um loop nas portas com o cabo que conecta os dois dispositivos. Verifique se não existe um cabo defeituoso.

  6. Verifique se cada dispositivo oferece suporte à especificação 802.3z para a negociação automática de Gigabit. A Gigabit Ethernet possui um procedimento de negociação automática que é mais amplo do que o usado para 10/100 Ethernet (Especificação de negociação automática de Gigabit: IEEE Padrão 802.3z-1998). Ao habilitar a negociação de link, o sistema negocia automaticamente o controle do fluxo, o modo duplex e as informações de falha remota. Você deve habilitar ou desabilitar a negociação de link nas duas extremidades do link. Ambas as extremidades do link devem ser definidas com o mesmo valor ou o link não conseguirá ser conectado. Foram observados problemas durante a conexão com dispositivos fabricados antes que o padrão IEEE 802.3z fosse ratificado. Se o dispositivo não oferecer suporte à negociação automática de Gigabit, desabilite esse tipo de negociação para forçar a ativação do link.

    aviso Aviso: A desabilitação da negociação automática oculta as quedas de link ou os problemas na camada física. Esse procedimento só será necessário se forem usados dispositivos finais, como NICs Gigabit mais antigas, que não oferecem suporte ao IEEE 802.3z. Não desabilite a negociação automática entre os switches a menos que seja absolutamente necessário, uma vez que os problemas na camada física podem não ser detectados, resultando em loops de STP. A alternativa é entrar em contato com o fornecedor para obter uma atualização do software/hardware, tendo em vista o suporte à negociação automática de Gigabit EEE 802.3z.

Para solucionar o problema relacionado à mensagem de erro: %SYS-4-PORT_GBICBADEEPROM: / %SYS-4-PORT_GBICNOTSUPP, consulte Mensagens de Erro Comuns do CatOS nos Catalyst 6000/6500 Series Switches.

Para saber quais são os requisitos de sistema de GigabitEthernets, bem como de GBICs (Gigabit Interface Converters), CWDM (Coarse Wavelength Division Multiplexing) e SFP (Small Form-Factor Pluggable), consulte:

Para obter informações gerais sobre configuração e troubleshooting, consulte Configurando e Fazendo o Troubleshooting da Negociação Automática Half/Full Duplex de Ethernets 10/100/1000 MB.

Conectado vs Não-conectado

A maioria dos switches Cisco possui por padrão uma porta no estado não-conectado. Isso significa que ela não está conectada a nada, mas se conectará se tiver uma conexão adequada com outro dispositivo operacional. Se um cabo em bom estado for conectado a duas portas do switch no estado não-conectado, a luz do link deverá ficar verde para ambas as portas e o status das portas deverá indicar que elas estão conectadas. Isso significa que a porta ficará ativa no que diz respeito a Camada 1 (L1).

No CatOS, você pode usar o comando show port para verificar se a porta está no status conectado ou não-conectado ou se ela está em outro estado que provocaria uma falha na conectividade, como disabled ou errdisable.

Switch> (enable) sh port status 3/1
  Port  Name                 Status     Vlan       Duplex Speed Type
  ----- -------------------- ---------- ---------- ------ ----- ------------
   3/1                       disabled   1            auto  auto 10/100BaseTX

!--- O comando show port status {mod/port} mostra que a porta está desativada.
!--- Use o comando set port enable {mod/port} para testar e reativar a porta.

No Cisco IOS, use o comando show interfaces para verificar se a interface está "up, line protocol is up (connected)". O primeiro "up" refere-se ao status da camada física da interface. A mensagem "line protocol up" mostra o status da camada do link de dados da interface e informa que a interface pode enviar e receber keepalives.

Router#show interfaces fastEthernet 6/1
FastEthernet6/1 is down, line protocol is down (notconnect)

!--- A interface está inativa e o protocolo de linha está inativo.
!--- Motivos: Nesse caso,
!--- 1) Um cabo não está corretamente conectado ou não está conectado de forma alguma a essa porta.
!--- 2) O cabo conectado está com defeito.
!--- 3) A outra extremidade do cabo não está conectada a uma porta ou dispositivo ativo.

!--- Nota: Para conexões gigabit, os GBICs precisam ser correspondidos em cada
!--- lado da conexão.
!--- Existem diferentes tipos de GBICs, dependendo do cabo e das
!--- distâncias envolvidas: comprimento de ondas curto (SX),
!--- comprimento de ondas longo/distâncias longas (LX/LH) e estendidas (ZX).
!--- Um SX GBIC precisa se conectar a um SX GBIC;
!--- um SX GBIC não será conectado a um LX GBIC. Além disso, algumas conexões
!--- gigabit necessitam de cabos adicionais,
!--- dependendo dos comprimentos envolvidos.

Router#show interfaces fastEthernet 6/1
FastEthernet6/1 is up, line protocol is down (notconnect)

!--- A interface está ativa (ou em um estado diferente de desligada), mas o protocolo de linha está inativo.
!--- Motivo: Nesse caso, o dispositivo no outro lado do cabo é um
!--- CatOS Switch com sua porta desativada.

Router#sh interfaces fas 6/1 status
Port   Name    Status       Vlan    Duplex   Speed  Type
Fa6/1          notconnect    1       auto     auto   10/100BaseTX

!--- O comando show interfaces card-type [slot/port] status é equivalente ao
!--- show port status do CatOS.

Se o comando show interfaces mostrar o status "connected" ou o comando show interfaces mostrar "up/ line protocol up (connected)", mas você observar cada vez mais erros na saída de algum dos comandos, consulte as seções Compreendendo a Saída dos Contadores Específicos de Portas e Interfaces no CatOS ou no Cisco IOS ou Problemas Comuns de Portas e Interfaces deste documento a fim de obter ajuda para troubleshooting.

Comandos Mais Comuns para o Troubleshooting de Portas e Interfaces no CatOS e no Cisco IOS

Esta tabela mostra os comandos mais usados para solucionar problemas de portas ou interfaces nos switches que executam o CatOS Software ou o Cisco IOS System Software no Supervisor.

Nota: Selecione um comando na coluna da esquerda a fim de ir para a documentação desse comando. A coluna da direita fornece uma breve descrição do que o comando faz e lista quaisquer exceções ao seu uso por plataforma.

Os comandos a seguir têm suporte na Output Interpreter Tool do CatOS e podem ser usados para ajudar no troubleshooting da porta do switch ou de outros problemas: show version, show module, show port, show counters ou show mac.

Se você tiver a saída dos comandos aceitos em seu dispositivo Cisco, será possível usá-la para exibir problemas potenciais e correções. Para utilizar essa ferramenta, você deve ser um usuário registrado, estar conectado e ter o JavaScript habilitado.

Comandos do CatOS

Comandos do IOS da Cisco

Descrição

show version

show version

Para os switches que executam o CatOS, este comando exibe informações sobre a versão de software/hardware por módulo e tamanho da memória do sistema.

Para switches que executam o Cisco IOS, este comando exibe uma saída semelhante a um roteador Cisco, como informações de versão e nome da imagem do software, além de tamanho da memória do sistema.

Útil para procurar incompatibilidades de software/hardware (com as Release Notes ou o Software Advisor) e bugs (com o Software Bug Toolkit).

Para obter mais informações sobre o comando show version, consulte a seção Problemas de Software deste documento

show module

show module

Nos Catalyst 6000, 5000, 4000 e em outros switches modulares que executam o CatOS ou o Cisco IOS, este comando exibe quais placas estão presentes no switch, a versão do software executada e o estado dos módulos: ok, faulty etc.

Útil para diagnosticar um problema de hardware em um módulo ou porta.

Para obter mais informações sobre como solucionar problemas de hardware com o comando show module, consulte as seções A Porta ou a Interface Possui o Status Disable ou Shutdown ou Problemas de Hardware deste documento.

show config

show that run-config

No CatOS, este comando exibe as definições de configuração não-padrão do switch (todas as alterações feitas na configuração padrão). Todas as alterações na configuração do CatOS são automaticamente salvas.

No Cisco IOS, este comando exibe o arquivo de configuração atual do switch. As alterações são salvas na configuração do Cisco IOS com o comando write memory.

Útil para determinar se um erro na configuração do módulo/porta ou da interface pode ser a causa de um problema.

show port

show interfaces

No CatOS, o comando show port indica se a porta está conectada, em qual VLAN ela está localizada, com qual velocidade/duplex ela é executada, além de informações de canal, erros, etc.

No Cisco IOS, o comando show interfaces exibe o status administrativo e operacional de uma porta de switching, pacotes de entrada e de saída, falhas no buffer, erros, etc.

A saída desses dois comandos é abordada em mais detalhes na seção Compreendendo a Saída dos Contadores Específicos de Portas e Interfaces no CatOS e no Cisco IOS deste documento.

clear counters

clear counters

No CatOS e no Cisco IOS, use o comando clear counters para zerar os contadores de tráfego e de erro, de modo que possa ver se o problema é apenas temporário ou se os contadores continuam sendo incrementados.

Nota: Os Catalyst 6500/6000 Series Switches não limpam os contadores de bit de uma interface com o comando clear counters. A única maneira de limpar os contadores nesses switches é através de um reload.

show port counters

show interfaces counters

No CatOS, o comando show port <mód/porta> exibe os contadores de erro de porta, como FCS, alinhamentos, colisões, etc.

No Cisco IOS executado nos Catalyst 6000, 4000, 3550, 2950 e 3750 Series Switches, o comando equivalente é show interfaces tipo-de-placa x/y counters errors.

A saída desses dois comandos é abordada em mais detalhes na seção Compreendendo a Saída dos Contadores Específicos de Portas e Interfaces no CatOS e no Cisco IOS deste documento.

show counters

show counters interface

show controllers ethernet-controller

No CatOS, o comando show counters exibe os contadores de hardware de 64 e 32 bits relativos a um determinado módulo/porta ou interface. Os contadores variam dependendo do tipo de módulo e da plataforma.

No Cisco IOS, o comando show counters interface foi introduzido na versão 12.1(13)E do software somente para o Catalyst 6000 Series e é o equivalente do comando show counters do CatOS, que exibe contadores de erro de 32 e 64 bits.

No Cisco IOS executado nos 2900/3500XL, 2950/2955, 3550, 2970 e 3750 Series Switches, o comando show controllers Ethernet-controller é semelhante ao comando show counters nas plataformas CatOS. Ele exibe frames descartados, frames adiados, erros de alinhamento, colisões, etc.

show mac

show interfaces counters

No CatOS, o comando show mac exibe os contadores MAC relativos ao tráfego que passa por cada porta, como frames recebidos, frames de transmissão, out-lost, in-lost etc. (Esse comando não lista os endereços MAC aprendidos em uma porta pelo software de bridging. Use o comando show cam dynamic para obter essa informação.)

No Cisco IOS, o comando show interfaces card-type x/y counters é semelhante ao comando show mac nas plataformas CatOS.

A saída desses dois comandos é abordada em mais detalhes na seção Compreendendo a Saída dos Contadores Específicos de Portas e Interfaces no CatOS e no Cisco IOS deste documento.

show test

show diagnostic(s)

show post

No CatOS, o comando show test exibe quaisquer erros de hardware encontrados durante a inicialização.

No Cisco IOS, o comando equivalente é show diagnostic, que foi introduzido na versão 12.1(11b)E para o Catalyst 6000 Series, e o comando show diagnostics (com um s), que foi introduzido para o Catalyst 4000 Series. Ambos os comandos exibem os resultados do POST (Power-On Self Test).

No Cisco IOS executado nos 2900/3500XL, 2950/2955, 3550, 2970 e 3750 Series Switches, o comando equivalente é show post, o qual exibe os resultados do POST do switch.

Para obter mais informações sobre o troubleshooting de erros relacionados a hardware nos switches Catalyst, consulte a seção Problemas de Hardware deste documento.

Compreendendo a Saída dos Contadores Específicos de Portas e Interfaces no CatOS e no Cisco IOS

A maioria dos switches possui algum meio de rastrear os pacotes e os erros que ocorrem em uma porta ou interface. Os comandos normalmente usados para encontrar esse tipo de informação estão descritos na seção Comandos Mais Comuns para o Troubleshooting de Portas e Interfaces no CatOS e no Cisco IOS deste documento.

Nota: Poderão existir diferenças na implementação dos contadores nas diversas plataformas e releases. Embora os valores dos contadores sejam em grande parte exatos, eles não são muito precisos por design. Para obter as estatísticas exatas do tráfego, é recomendável usar um sniffer para monitorar as interfaces de entrada e saída necessárias.

Erros em excesso para determinados contadores geralmente indicam um problema. Durante uma operação no modo half-duplex, é normal que haja um aumento de alguns erros de link de dados nos contadores de colisão, runts, alinhamento e FCS (Frame Check Sequence). Geralmente, uma razão de erros de um por cento para o tráfego total é aceitável para conexões half-duplex. Caso a razão entre erros e pacotes de entrada seja superior a dois ou três por cento, poderá ser observada uma degradação de desempenho.

Em ambientes half-duplex, é possível que o switch e o dispositivo conectado detectem a conexão e transmitam exatamente ao mesmo tempo, resultando em uma colisão. As colisões podem provocar runts, FCS e erros de alinhamento devido ao frame não estar sendo completamente copiado para a conexão, o que resulta em frames fragmentados.

Durante a operação em full-duplex, os erros nos contadores de runt, alinhamento, CRC (Cyclic Redundancy Checks) e FCS devem ser mínimos. Se o link estiver operando no modo full-duplex, o contador de colisão estará inativo. Se os contadores de runt, alinhamento, CRC ou FCS aumentarem, verifique se há incompatibilidade de duplex. Isso ocorre quando o switch opera em full-duplex e o dispositivo conectado em half-duplex ou vice-versa. Os resultados de uma incompatibilidade de duplex são desempenho extremamente lento, conectividade intermitente e perda de conexão. Outras possíveis causas de erros de link de dados em modo full-duplex são cabos incorretos, portas de switch defeituosas ou problemas de software/hardware de NIC. Consulte a seção Problemas Comuns de Portas e Interfaces deste documento para obter mais informações.

Show Port do CatOS e Show Interfaces do Cisco IOS

O comando show port {mód/porta} é usado quando o CatOS é executado no Supervisor. Uma alternativa a esse comando é o show port counters {mód/porta} que exibe apenas contadores de erro de porta. Veja na Tabela 1 as explicações da saída dos contadores de erro.

Switch> (enable) sh port counters 3/1

  Port  Align-Err  FCS-Err    Xmit-Err   Rcv-Err    UnderSize
 ----- ---------- ---------- ---------- ---------- ---------
  3/1           0          0          0          0         0

  Port  Single-Col Multi-Coll Late-Coll  Excess-Col Carri-Sen Runts     Giants
 ----- ---------- ---------- ---------- ---------- --------- --------- ---------
  3/1           0          0          0          0         0         0         0

O comando equivalente do Cisco IOS no Supervisor é o show interfaces tipo-de-placa {slot/porta}. Uma alternativa a esse comando (para Catalyst 6000, 4000, 3550, 2970 2950/2955 e 3750 Series Switches) é o comando show interfaces tipo-de-placa {slot/porta} counters errors que exibe somente os contadores de erro de interface.

Nota: Nos 2900/3500XL Series Switches, use o comando show interfaces tipo-de-placa {slot/porta} com o comando show controllers Ethernet-controller.

Router#sh interfaces fastEthernet 6/1
FastEthernet6/1 is up, line protocol is up (connected)
   Hardware is C6k 100Mb 802.3, address is 0009.11f3.8848 (bia 0009.11f3.8848)
   MTU 1500 bytes, BW 100000 Kbit, DLY 100 usec,
      reliability 255/255, txload 1/255, rxload 1/255
   Encapsulation ARPA, loopback not set
   Full-duplex, 100Mb/s
   input flow-control is off, output flow-control is off
   ARP type: ARPA, ARP Timeout 04:00:00
   Last input 00:00:14, output 00:00:36, output hang never
   Last clearing of "show interface" counters never
   Input queue: 0/2000/0/0 (size/max/drops/flushes); Total output drops: 0
   Queueing strategy: fifo
   Output queue :0/40 (size/max)
   5 minute input rate 0 bits/sec, 0 packets/sec
   5 minute output rate 0 bits/sec, 0 packets/sec

A saída do comando show interfaces até esse ponto é explicada aqui (em ordem):

  • up, line protocol is up (connected) - O primeiro "up"  refere-se ao status da camada física da interface. A mensagem "line protocol up" mostra o status da camada do link de dados da interface e informa que a interface pode enviar e receber keepalives.

  • MTU - A MTU (Maximum Transmission Unit) é 1500 bytes para Ethernet, por padrão (para o tamanho máximo da parte de dados do frame).

  • Full-duplex, 100Mb/s - Full-duplex e 100Mbps é a definição atual de velocidade e duplex da interface. Isso não informa se autoneg foi usado para realizar tal ação. Use o comando show interfaces fas 6/1 status para exibir:

    Router#sh interfaces fas 6/1 status
    
        Port    Name               Status       Vlan       Duplex  Speed Type
        Fa6/1                      connected    1          a-full  a-100 10/100BaseTX
     
    !--- A negociação automática foi usada para atingir full-duplex e 100 Mbps.
    
    
  • Last input, output - O número de horas, minutos e segundos desde que o último pacote foi transmitido ou recebido com êxito pela interface. Isso é útil para saber quando uma interface inoperante falhou.

  • Last clearing of "show interface" counters - A última vez que o comando clear counters foi executado desde a última reinicialização do switch. O comando clear counters é usado para redefinir as estatísticas da interface.

    Nota: As variáveis que podem afetar o roteamento (por exemplo, carga e confiabilidade) não são limpas quando os contadores são zerados.

  • Input queue - O número de pacotes na fila de entrada. Size/max/drops é o número atual de frames na fila/o número máximo de frames aceitos na fila antes que ela comece a descartá-los/o número real de frames descartados porque o tamanho máximo da fila foi excedido. Flushes é usado para contar os descartes SPD (Selective Packet Discard) nos Catalyst 6000 Series Switches que executam o Cisco IOS. (O contador de descargas pode ser usado, mas nunca é incrementado nos Catalyst 4000 Series Switches que executam o Cisco IOS.) O SPD é um mecanismo que descarta rapidamente pacotes de baixa prioridade quando a CPU está sobrecarregada a fim de economizar a capacidade de processamento para pacotes de alta prioridade.

  • Total output drops - O número de pacotes que foram descartados porque a fila da saída está cheia. Uma causa comum desse erro é o tráfego de um link de largura de banda alta ser comutado para um link de largura de banda mais baixa ou o tráfego de vários link de entrada ser comutado para um único link de saída. Por exemplo, se uma quantidade grande de tráfego intermitente chegar em uma interface gigabit e for comutada para uma interface de 100 Mbps, isso poderá causar descartes de saída para aumentar a interface de 100 Mbps. Isso ocorre porque a fila de saída nessa interface está sobrecarregada com o excesso de tráfego devido à incompatibilidade de velocidade entre as larguras de banda de entrada e de saída.

  • Output queue - O número de pacotes na fila de saída. Tamanho/máximo significa o número atual de frames na fila/no número máximo de frames que a fila pode conter antes de ficar cheia e ter que parar de descartar frames.

  • 5 minute input/output rate - A taxa média de entrada e saída vista pela interface nos últimos cinco minutos. Para obter uma leitura mais precisa especificando um período de tempo mais curto (para detectar melhor surtos de tráfego, por exemplo), execute o comando load-interval <seconds>.

O resto do comando show interfaces exibe a saída dos contadores de erro a qual é semelhante ou equivalente à saída dos contadores de erro do CatOS. Veja na Tabela 1 as explicações da saída dos contadores de erro.


!--- ...continuação da saída do comando show interfaces.

     1117058 packets input, 78283238 bytes, 0 no buffer
      Received 1117035 broadcasts, 0 runts, 0 giants, 0 throttles
      0 input errors, 0 CRC, 0 frame, 0 overrun, 0 ignored
      0 watchdog, 0 multicast, 0 pause input
      0 input packets with dribble condition detected
      285811 packets output, 27449284 bytes, 0 underruns
      0 output errors, 0 collisions, 2 interface resets
      0 babbles, 0 late collision, 0 deferred
      0 lost carrier, 0 no carrier
      0 output buffer failures, 0 output buffers swapped out

O comando show interfaces tipo-de-placa {slot/porta} counters errors é o comando do Cisco IOS equivalente ao show port counters do CatOS. Veja na Tabela 1 as explicações da saída dos contadores de erro.

Router#sh interfaces fastEthernet 6/1 counters errors

 Port        Align-Err    FCS-Err   Xmit-Err    Rcv-Err UnderSize OutDiscards
 Fa6/1               0          0          0          0         0           0

 Port      Single-Col Multi-Col  Late-Col Excess-Col Carri-Sen     Runts    Giants
 Fa6/1              0         0         0          0         0         0         0

Tabela 1:

Saída dos contadores de erro do CatOs para show port ou show port counters nos 6000, 5000 e 4000 Series Switches. Saída dos contadores de erro do Cisco IOS para show interfaces ou show interfaces tipo-de-placa x/y counters errors nos Catalyst 6000 e 4000 Series Switches.

Contadores (em ordem alfabética)

Descrição e Causas Comuns da Incrementação dos Contadores de Erro

Align-Err

Descrição: sh port do CatOS e sh interfaces counters errors do Cisco IOS. Os erros de alinhamento são uma contagem do número de frames recebidos que não terminam com um número par de octetos e possuem uma CRC (Cyclic Redundancy Check) inválida.

Causas Comuns: Esses erros geralmente resultam de uma incompatibilidade de duplex ou de um problema físico (como cabeamento ou uma porta ou uma NIC com defeito). Quando o cabo é conectado à porta pela primeira vez, alguns desses erros podem ocorrer. Além disso, se houver um hub conectado à porta, colisões entre outros dispositivos no hub poderão causar esses erros.

Exceções de Plataforma: Os erros de alinhamento não são contados no Catalyst 4000 Series Supervisor I (WS-X4012) ou Supervisor II (WS-X4013).

babbles

Descrição: Contador do comando sh interfaces do Cisco IOS. O contador CatOS que indica que o temporizador em jab de transmissão expirou. Um jabber é um frame com mais de 1518 octetos (excluindo bits de enquadramento, mais incluindo octetos FCS) que não termina com um número par de octetos (erro de alinhamento) ou que apresenta um erro de FCS inválida.

Carri-Sen

Descrição: sh port do CatOS e sh interfaces counters errors do Cisco IOS. O contador Carri-Sen (carrier sense) é incrementado sempre que um controlador Ethernet deseja enviar os dados em uma conexão half-duplex. O controlador detecta o cabo e verifica se ele não está ocupado antes de transmitir.

Causas Comuns: Isso é normal em um segmento Ethernet half-duplex.

collisions

Descrições: Contador do comando sh interfaces do Cisco IOS. O número de vezes que ocorreu uma colisão antes que a interface transmitisse um frame com êxito para a mídia.

Causas Comuns: As colisões são normais em interfaces configuradas como half-duplex, mas não devem ser observadas em interfaces full-duplex. Se as colisões aumentarem drasticamente, isso indicará a alta utilização de um link ou uma possível incompatibilidade de duplex com o dispositivo conectado.

CRC

Descrição: Contador do comando sh interfaces do Cisco IOS. É incrementado quando a CRC gerada pela estação LAN de origem ou por um dispositivo da extremidade oposta não corresponde ao checksum calculado com base nos dados recebidos.

Causas Comuns: Isso normalmente indica problemas de transmissão ou ruído na interface LAN ou na própria LAN. Um número alto de CRCs, em geral, é o resultado de colisões, mas também pode indicar um problema físico (como cabeamento, uma interface ou uma NIC inválida) ou uma incompatibilidade duplex.

deferred

Descrição: Contador do comando sh interfaces do Cisco IOS. O número de frames que foram transmitidos com êxito após a espera porque a mídia estava ocupada.

Causas Comuns: Isso é geralmente observado em ambientes half-duplex onde a portadora já está em uso quando tenta transmitir um frame.

pause input

Descrição: Contador do comando show interfaces do Cisco IOS. Um incremento no contador pause input indica que o dispositivo conectado solicita uma pausa no tráfego quando seu buffer de recepção já está quase cheio.

Causas Comuns: Esse contador é incrementado para fins informativos, já que o switch aceita o frame. Os pacotes de pausa param quando o dispositivo conectado consegue receber o tráfego.

input packetswith dribble condition

Descrição: Contador do comando sh interfaces do Cisco IOS. Um erro de bit de dribble indica que um frame está um pouco longo.

Causas Comuns: Esse contador de erro de frame é incrementado para fins informativos, já que o switch aceita o frame.

Excess-Col

Descrição: sh port do CatOS e sh interfaces counters errors do Cisco IOS. Uma contagem dos frames para os quais a transmissão para uma interface específica falha devido a colisões excessivas. Uma colisão excessiva ocorre quando um pacote tem uma colisão 16 vezes seguidas. O pacote é então descartado.

Causas Comuns: Colisões em excesso geralmente são uma indicação de que a carga no segmento precisa ser dividida entre vários segmentos, mas também pode indicar uma incompatibilidade de duplex com o dispositivo conectado. Não devem ser observadas colisões em interfaces configuradas como full-duplex

FCS-Err

Descrição: sh portdo CatOS e sh interfaces counters errors do Cisco IOS. O número de frames de tamanho válido com erros de FCS (Frame Check Sequence), mas sem erros de enquadramento.

Causas Comuns: Geralmente esse é um problema físico (como cabeamento ou uma porta ou uma placa de interface de rede (NIC) com defeito), mas também pode indicar uma incompatibilidade de duplex.

frame

Descrição: Contador do comando sh interfaces do Cisco IOS. O número de pacotes recebidos incorretamente que possuem um erro CRC e um número não inteiro de octetos (erro de alinhamento).

Causas Comuns: Isso normalmente é o resultado de colisões ou de um problema físico (como cabeamento ou uma porta ou uma NIC com defeito), mas também pode indicar uma incompatibilidade de duplex.

Giants

Descrição: sh port do CatOS e sh interfaces e sh interfaces counters errors do Cisco IOS. Frames recebidos que excedem o tamanho máximo de frame do IEEE 802.3 (1518 bytes para Ethernet não-jumbo) e que possuem uma FCS (Frame Check Sequence) inválida.

Causas Comuns: Muitas vezes, isso é o resultado de uma NIC com defeito. Tente encontrar o dispositivo defeituoso e removê-lo da rede.

Exceções de Plataforma: Catalyst Cat4000 Series que executam o Cisco IOS Antes da Versão 12.1(19)EW do software, o contador giants era incrementado para frames maiores que 1518 bytes. Depois dessa versão, o contador giant em show interfaces é incrementado somente quando um frame com mais de 1518 bytes e uma FCS inválida é recebido.

ignored

Descrição: Contador do comando sh interfaces do Cisco IOS. O número de pacotes recebidos ignorados pela interface devido à falta de buffers internos no respectivo hardware.

Causas Comuns: Tempestades de broadcast e surtos de ruído podem provocar o aumento dessa contagem.

Input errors

Descrição: Contador do comando sh interfaces do Cisco IOS.

Causas Comuns: Isso inclui contagens de runts, giants, no buffer, CRC, frame, overrun e ignored. Outros erros relacionados à entrada também podem fazer com que a contagem de erros de entrada aumente, e alguns datagramas podem ter mais de um erro. Portanto, essa soma não pode corresponder à soma de contagens de erros de entrada enumeradas.

Consulte também a seção Erros de Entrada em uma Interface de Camada 3 Conectada a uma Porta de Switch de Camada 2.

Late-Coll

Descrição: sh port do CatOS e sh interfaces e sh interfaces counters errors do Cisco IOS. O número de vezes em que uma colisão é detectada tardiamente em uma interface específica no processo de transmissão. Para uma porta de 10 Mbit/s, isso corresponde a mais de 512 tempos de bit na transmissão de um pacote. Quinhentos e vinte tempos de bit correspondem a 51,2 microssegundos em um sistema de 10 Mbit/s.

Causas Comuns: Esse erro pode indicar uma incompatibilidade de duplex, entre outras coisas. Para o cenário de incompatibilidade duplex, a colisão atrasada é vista no lado do semi-duplex. Enquanto o lado half-duplex está transmitindo, o lado full-duplex não espera sua vez e realiza uma transmissão simultânea, provocando uma colisão atrasada. As colisões atrasadas também podem indicar um segmento ou um cabo Ethernet muito longo. Não devem ser observadas colisões em interfaces configuradas como full-duplex.

lost carrier

Descrição: Contador do comando sh interfaces do Cisco IOS. O número de vezes que a portadora foi perdida durante a transmissão.

Causas Comuns: Verifique se há um cabo defeituoso. Verifique ambos os lados da conexão física.

Multi-Col

Descrição: sh port do CatOs e sh interfaces counters errors do Cisco IOS.

O número de vezes que ocorreram várias colisões até que a interface transmitisse um frame para a mídia com êxito.

Causas Comuns: As colisões são normais em interfaces configuradas como half-duplex, mas não devem ser observadas em interfaces full-duplex. Se as colisões aumentarem drasticamente, isso indicará a alta utilização de um link ou uma possível incompatibilidade de duplex com o dispositivo conectado.

no buffer

Descrição: Contador do comando sh interfaces do Cisco IOS. O número de pacotes recebidos descartados devido à falta de espaço no buffer.

Causas Comuns: Compare com a contagem de pacotes ignorados. As tempestades de broadcast geralmente podem ser responsáveis por esses eventos.

no carrier

Descrição: Contador do comando sh interfaces do Cisco IOS. O número de vezes que a portadora não estava presente durante a transmissão.

Causas Comuns: Verifique se há um cabo defeituoso. Verifique ambos os lados da conexão física.

Out-Discard

Descrição: O número de pacotes de saída escolhidos para serem descartados mesmo que erros não tenham sido detectados.

Causas Comuns: Um possível motivo para descartar um pacote desse tipo seria para liberar espaço em buffer.

output buffer failuresoutput buffers swapped out

Descrição: Contador do comando sh interfaces do Cisco IOS. O número de buffers com falha e o número de buffers trocados.

Causas Comuns: Uma porta armazenará em buffer os pacotes para o buffer Tx quando a taxa de tráfego comutada para a porta for alta e ela não puder processar o volume de tráfego. A porta começará a descartar os pacotes quando o buffer Tx ficar cheio e, portanto, aumentará os contadores de falha do buffer de saída e de insuficiências. O aumento nos contadores de falha do buffer de saída pode ser um sinal de que as portas estão sendo executadas em uma velocidade e/ou duplex inferiores ou de que há um tráfego excessivo passando pela porta.

Como exemplo, considere um cenário em que um fluxo de multicast de 1giga é encaminhado para 24 portas de 100 Mbps. Se houver excesso de demanda em uma interface de saída, normalmente serão observadas falhas do buffer de saída que aumentam com Out-Discards.

Para obter informações sobre troubleshooting, consulte a seção Frames Adiados (Out-Lost ou Out-Discard) deste documento.

output errors

Descrição: Contador do comando sh interfaces do Cisco IOS. A soma de todos os erros que impediram a transmissão final de datagramas a partir da interface.

overrun

Descrição: O número de vezes que o hardware receptor não conseguiu entregar os dados recebidos para um buffer do hardware.

Causas Comuns: A taxa de tráfego de entrada excedeu a capacidade de manipulação de dados do receptor.

packets input/output

Descrição: Contador do comando sh interfaces do Cisco IOS. O total dos pacotes sem erro recebidos e transmitidos na interface. É útil monitorar os incrementos desses contadores para determinar se o tráfego está fluindo adequadamente pela interface. O contador de bytes inclui o encapsulamento MAC e de dados nos pacotes sem erro recebidos e transmitidos pelo sistema.

Rcv-Err

Descrição: show port ou show port counters do CatOS e sh interfaces counters error do Cisco IOS (somente para os Catalyst 6000 Series Switches).

Causas Comuns: Consulte Exceções de Plataforma.

Exceções de Plataforma: Catalyst 5000 Series rcv-err = falhas no buffer de recepção. Por exemplo, um runt, um giant ou um FCS-Err não incrementará o contador rcv-err. O contador rcv-err em um 5K será incrementado apenas como resultado do tráfego excessivo.

No Catalyst 4000 Series rcv-err = soma de todos os erros de recepção, o que significa que, diferentemente do que acontece no Catalyst 5000, o contador rcv-err será incrementado quando a interface receber um erro como runt, giant ou FCS-Err.

Runts

Descrição: sh port do CatOS e sh interfaces e sh interfaces counters errors do Cisco IOS. Os frames recebidos que são menores do que o tamanho mínimo de frame do IEEE 802.3 (64 bytes para Ethernet) e com uma CRC inválida.

Causas Comuns: Isso pode resultar de uma incompatibilidade de duplex e de problemas físicos, como cabos, portas ou NICs com defeito no dispositivo conectado.

Exceções de Plataforma: Catalyst 4000 Series que executam o Cisco IOS Antes da Versão 12.1(19)EW do software, um runt = tamanho menor. Tamanho menor = frame < 64bytes. O contador de runts era incrementado apenas quando um frame com menos de 64 bytes era recebido. Após a versão 12.1(19EW, um runt = um fragmento. Um fragmento é um frame < 64 bytes, mas com um CRC inválido. O resultado é que agora o contador de runts é incrementado em show interfaces, juntamente com o contador de fragmentos em show interfaces counters errors, quando um frame menor que 64 bytes com uma CRC inválida é recebido.

Single-Col

Descrição: sh port do CatOS e sh interfaces counters errors do Cisco IOS.

O número de vezes em que ocorreu uma colisão antes que a interface transmitisse com sucesso um frame para a mídia.

Causas Comuns: As colisões são normais em interfaces configuradas como half-duplex, mas não devem ser observadas em interfaces full-duplex. Se as colisões aumentarem drasticamente, isso indicará a alta utilização de um link ou uma possível incompatibilidade de duplex com o dispositivo conectado.

underruns

Descrição: O número de vezes que transmissor foi executado mais rápido do que o switch é capaz de suportar.

Causas Comuns: Isso poderá ocorrer em uma situação de alta taxa de transferência na qual uma interface recebe de uma só vez um alto volume de tráfego intermitente de várias outras interfaces. Reinicializações de interface podem ocorrer junto com os underruns.

Undersize

Descrição: sh port do CatOs e sh interfaces counters errors do Cisco IOS.

Os frames recebidos que são menores do que o tamanho mínimo de 64 bytes do IEEE 802.3 (excluindo bits de enquadramento, mas incluindo octetos FCS), mas formados corretamente.

Causas Comuns: Verifique o dispositivo que está enviando esses frames.

Xmit-Err

Descrição: sh port do CatOS e sh interfaces counters errors do Cisco IOS.

Isso indica que o buffer interno de envio (Tx) está cheio.

Causas Comuns: Uma causa comum desse erro poderá ser que o tráfego de um link de largura de banda elevada esteja sendo comutado para um link de largura de banda mais baixa ou o tráfego de vários links de entrada esteja sendo comutado para um único link de saída. Por exemplo, se um grande volume de tráfego intermitente for transportado em uma interface gigabit e comutado para uma interface de 100Mbps, isso poderá fazer com que Xmit-Err seja incrementado na interface de 100Mbps. Isso ocorre porque o buffer de saída da interface está sobrecarregado pelo excesso de tráfego devido à incompatibilidade de velocidade entre as larguras de banda de entrada e de saída.

Show Mac do CatOS e Show Interfaces Counters do Cisco IOS

O comando show mac {mód/porta} é útil ao executar o CatOS no supervisor para monitorar o tráfego de entrada e de saída na porta, conforme exibido pelos contadores de recebimento (Rcv) e transmissão (Xmit) para o tráfego unicast, multicast e broadcast. Esta é a saída de um Catalyst 6000 que executa o CatOS:

Console> (enable) sh mac 3/1

  Port     Rcv-Unicast          Rcv-Multicast        Rcv-Broadcast
  -------- -------------------- -------------------- --------------------
   3/1                      177               256272                 3694

  Port     Xmit-Unicast         Xmit-Multicast       Xmit-Broadcast
  -------- -------------------- -------------------- --------------------
   3/1                       30               680377                  153

  Port     Rcv-Octet            Xmit-Octet
  -------- -------------------- --------------------
   3/1                 22303565             48381168

  MAC      Dely-Exced MTU-Exced  In-Discard Out-Discard
  -------- ---------- ---------- ---------- -----------
   3/1              0          0     233043          17

  Port  Last-Time-Cleared
  ----- --------------------------
   3/1  Sun Jun 1 2003, 12:22:47

Esse comando também possui os seguintes contadores de erro: Dely-Exced, MTU-Exced, In-Discard e Out-Discard.

  • Dely-Exced – O número de frames descartados por essa porta devido a um excesso no retardo de transmissão pelo switch. Esse contador nunca deve aumentar, a menos que a porta esteja com alto nível de utilização.

  • MTU Exceed - Indica que um dos dispositivos nessa porta ou segmento está transmitindo mais do que o tamanho de frame permitido (1518 bytes para Ethernet não-jumbo).

  • In-Discard - O resultado de frames válidos de entrada que foram descartados porque o frame não precisava ser comutado. Isso poderá ser normal se um hub estiver conectado a uma porta e dois dispositivos nesse hub estiverem trocando dados. A porta do switch ainda reconhece os dados, mas não tem que comutá-la (como a tabela CAM mostra o endereço MAC dos dois dispositivos associados à mesma porta) e, portanto, é descartada. Esse contador também poderá ser incrementado em uma porta configurada como um tronco, se esse tronco for bloqueado para algumas VLANs, ou em uma porta que seja o único membro de uma VLAN.

  • Out-Discard – O número de pacotes externos escolhidos para serem descartados mesmo sem serem detectados erros de pacote. Um possível motivo para descartar um pacote desse tipo seria para liberar espaço em buffer.

Os Catalyst 4000 e 5000 Series Switches que executam o CatOS possuem dois contadores de erro adicionais no comando show mac, In-Lost e Out-Lost:

MAC      Dely-Exced MTU-Exced  In-Discard Lrn-Discrd In-Lost    Out-Lost
-------- ---------- ---------- ---------- ---------- ---------- ----------
5/1              0          0          0          0          0          0
  • In-Lost - No Catalyst 4000, este contador é a soma de todos os pacotes de erros recebidos na porta. Por outro lado, o contador In-Lost no Catalyst 5000, rastreia a soma de todas as falhas de buffer de recepção.

  • Out-Lost - No Catalyst 4000 e 5000, estes são os frames de saída que foram perdidos antes de serem encaminhados (devido ao espaço insuficiente no buffer). Isso geralmente é provocado pelo excesso de carga na porta.

O comando show interfaces tipo-de-placa {slot/porta} counters é usado quando o Cisco IOS é executado no Supervisor.

Nota: Não há contadores equivalentes aos contadores de erro do comando show mac do CatOs: Dely-Exced, MTU-Exced e In-Discard nesse comando. Entretanto, há um contador Out-Discard no comando show interfaces counters errors do Cisco IOS que é explicado na Tabela 1.

Router#sh interfaces fas 6/1 counters

  Port            InOctets   InUcastPkts   InMcastPkts   InBcastPkts
  Fa6/1           47856076            23        673028           149

  Port           OutOctets  OutUcastPkts  OutMcastPkts  OutBcastPkts
  Fa6/1           22103793            17        255877          3280
  Router#
 
  !--- Os contadores do Cisco IOS usados para monitorar pacotes unicast de entrada e saída, multicast
  !--- e broadcast na interface.

Show Counters do CatOS e Show Counters Interface do Cisco IOS

O comando show counters [mód/porta] fornece estatísticas ainda mais detalhadas de portas e de interfaces. Esse comando está disponível no CatOS e o comando show counters interface tipo-de-placa {slot/porta} equivalente foi introduzido na versão 12.1(13)E do Cisco IOS Software somente para os Catalyst 6000 Series Switches. Esses comandos exibem os contadores de erro de 32 bit e 64 bit s por porta ou interface. Consulte a documentação de comandos do CatOS referente a show counters para obter mais informações.

Nota: As estatísticas dos contadores para os Catalyst 6000 Series Switches que executam o Cisco IOS estão em hexadecimal.

Console> (enable) sh counters 3/1
  64 bit counters
  0  rxHCTotalPkts                      =               260555
  1  txHCTotalPkts                      =               687411
  2  rxHCUnicastPkts                    =                  177
  3  txHCUnicastPkts                    =                   30
  4  rxHCMulticastPkts                  =               256684
  5  txHCMulticastPkts                  =               687228
  6  rxHCBroadcastPkts                  =                 3694
  7  txHCBroadcastPkts                  =                  153
  8  rxHCOctets                         =             22386167
  9  txHCOctets                         =             48850817
  10 rxTxHCPkts64Octets                 =               228929
  11 rxTxHCPkts65to127Octets            =               701493
  12 rxTxHCPkts128to255Octets           =                  285
  13 rxTxHCPkts256to511Octets           =                17090
  14 rxTxHCpkts512to1023Octets          =                  168
  15 rxTxHCpkts1024to1518Octets         =                    1
  16 txHCTrunkFrames                    =               395217
  17 rxHCTrunkFrames                    =               236459
  18 rxHCDropEvents                     =                    0
  32 bit counters
  0  rxCRCAlignErrors                   =          0
  1  rxUndersizedPkts                   =          0
  2  rxOversizedPkts                    =          0
  3  rxFragmentPkts                     =          0
  4  rxJabbers                          =          0
  5  txCollisions                       =          0
  6  ifInErrors                         =          0
  7  ifOutErrors                        =          0
  8  ifInDiscards                       =     233043
  9  ifInUnknownProtos                  =          2
  10 ifOutDiscards                      =         17
 
  !--- Saída suprimida.

Show Controller Ethernet-Controller do Cisco IOS

Nos Catalyst 3750, 3550, 2970, 2950/2955, 2940 e 2900/3500XL Switches, use o comando show controller ethernet-controller para exibir a saída dos contadores de tráfego e de erro que é semelhante à saída dos comandos sh port, sh interface, sh mac e show counters nos Catalyst 6000, 5000 e 4000 Series Switches.

3550-1#sh controller ethernet-controller fastEthernet 0/1
 
!--- Saída de um Catalyst 3550.


    Transmit FastEthernet0/1           Receive
          0 Bytes                        0 Bytes
          0 Unicast frames               0 Unicast frames
          0 Multicast frames             0 Multicast frames
          0 Broadcast frames             0 Broadcast frames
          0 Discarded frames             0 No dest, unicast
          0 Too old frames               0 No dest, multicast
          0 Deferred frames              0 No dest, broadcast
          0  1 collision frames
          0  2 collision frames          0 FCS errors
          0  3 collision frames          0 Oversize frames
          0  4 collision frames          0 Undersize frames
          0  5 collision frames          0 Collision fragments
          0  6 collision frames
          0  7 collision frames          0 Minimum size frames
          0  8 collision frames          0 65 to 127 byte frames
          0  9 collision frames          0 128 to 255 byte frames
          0 10 collision frames          0 256 to 511 byte frames
          0 11 collision frames          0 512 to 1023 byte frames
          0 12 collision frames          0 1024 to 1518 byte frames
          0 13 collision frames
          0 14 collision frames          0 Flooded frames
          0 15 collision frames          0 Overrun frames
          0 Excessive collisions         0 VLAN filtered frames
          0 Late collisions              0 Source routed frames
          0 Good (1 coll) frames         0 Valid oversize frames
          0 Good(>1 coll) frames         0 Pause frames
          0 Pause frames                 0 Symbol error frames
          0 VLAN discard frames          0 Invalid frames, too large
          0 Excess defer frames          0 Valid frames, too large
          0 Too large frames             0 Invalid frames, too small
          0 64 byte frames               0 Valid frames, too small
          0 127 byte frames
          0 255 byte frames
          0 511 byte frames
          0 1023 byte frames
          0 1518 byte frames

 3550-1#
 
 !--- Consulte a tabela para obter a saída de contadores adicionais para 2900/3500XL Series Switches.

Contador

Descrição

Possíveis causas

Frames transmitidos

Discarded frames

O número total de frames cuja tentativa de transmissão é abandonada devido a recursos insuficientes. Este total inclui frames de todos os tipos de destino.

A carga de tráfego na interface é excessiva e faz com que os frames sejam descartados. Reduza a carga de tráfego na interface se você observar um número crescente de pacotes nesse campo.

Too old frames

Número de frames que demoraram mais de dois segundos para atravessar o switch. Por esse motivo, foram descartados pelo switch. Isso só acontece em condições de estresse extremamente elevado.

A carga de tráfego destinada a esse switch é excessiva e faz com que os frames sejam descartados. Reduza a carga do switch se você observar um número crescente de pacotes nesse campo. Talvez seja necessário modificar a topologia da rede para reduzir a carga de tráfego para esse switch.

Deferred frames

O número total de frames cuja primeira tentativa de transmissão foi atrasada devido ao tráfego na mídia de rede. Esse total inclui apenas os frames que são transmitidos subseqüentemente sem erro e sem passar por uma colisão.

A carga de tráfego destinada a esse switch é excessiva e faz com que os frames sejam descartados. Reduza a carga do switch se você observar um número crescente de pacotes nesse campo. Talvez seja necessário modificar a topologia da rede para reduzir a carga de tráfego para esse switch.

Collision frames

Os contadores de frames de colisão são o número de vezes em que um pacote tentou ser transmitido sem ser bem-sucedido, mas foi bem-sucedido em sua próxima tentativa. Isso significa que, se o contador de frames de colisão tiver sido incrementado para 2, o switch tentou enviar o pacote duas vezes e falhou, mas obteve êxito em sua terceira tentativa.

A carga de tráfego na interface é excessiva e faz com que os frames sejam descartados. Reduza a carga de tráfego na interface se você observar um número crescente de pacotes nesses campos.

Excessive collisions

O contador de colisões excessivas aumenta depois que 16 colisões consecutivas atrasadas ocorrerem em uma linha. Após serem feitas 16 tentativas de enviar o pacote, ele será descartado e o contador será incrementado.

Se esse contador for incrementado, isso indicará um problema de fiação, uma rede excessivamente carregada ou uma incompatibilidade de duplex. Uma rede poderá estar excessivamente carregada devido a um número excessivo de dispositivos em uma Ethernet compartilhada.

Late collisions

Uma colisão posterior ocorre quando dois dispositivos transmitem ao mesmo tempo e nenhum dos lados da conexão detecta uma colisão. A razão para esta ocorrência é que o tempo de propagação do sinal de um fim de rede para outro é mais longo que o tempo de colocação do pacote inteiro na rede. Os dois dispositivos que causam a colisão atrasada nunca vêem que o outro está enviando até que ele coloque todo o pacote na rede. As colisões atrasadas não são detectadas pelo transmissor até passar o primeiro período de tempo de 64 bytes. Isso acontece porque elas são detectadas somente durante transmissões de pacotes com mais de 64 bytes.

As colisões atrasadas são o resultado do cabeamento incorreto ou de um número não-compatível de hubs na rede. As NICs inválidas também podem provocar colisões atrasadas.

Good (1 coll) frames

O número total de frames que passam exatamente por uma colisão e que depois são transmitidos com êxito.

As colisões em um ambiente half-duplex são o comportamento normal esperado.

Good (>1 coll) frames

O número total de frames que passam por 2 a 15 colisões, inclusive, e que depois são transmitidos com êxito

As colisões em um ambiente half-duplex são o comportamento normal esperado. Os frames que são incrementados na extremidade superior desse contador correm o risco de exceder 15 colisões e serem contabilizados como colisões excessivas.

VLAN discardframes

O número de frames descartados em uma interface porque o bit CFI está definido.

O bit do CFI (Indicador de Formato Canônico) no TCI de um frame 802.1q é definido para 0 para o formato de frame canônico Ethernet. Se o bit CFI for definido como 1, isso indicará a presença de um frame não-canônico Token Ring ou RIF (Routing Information Field) que é descartado.

Frames recebidos

No bandwidth frames

Somente 2900/3500XL. O número de vezes que uma porta recebeu um pacote da rede, mas o switch não possuía os recursos para recebê-lo. Isso acontece apenas sob condições de estresse, mas poderá ocorrer quando há surtos de tráfego em diversas portas. Portanto, um número pequeno no campo No bandwidth frames não deve ser motivo de preocupação. (Ele ainda deve representar muito menos de um por cento dos frames recebidos.)

A carga de tráfego na interface é excessiva e faz com que os frames sejam descartados. Reduza a carga de tráfego na interface se você observar um número crescente de pacotes nesse campo.

No buffers frames

Somente 2900/3500XL. O número de vezes que uma porta recebeu um pacote da rede, mas o switch não possuía os recursos para recebê-lo. Isso acontece apenas sob condições de estresse, mas poderá ocorrer quando há surtos de tráfego em diversas portas. Portanto, um número pequeno no campo No bandwidth frames não deve ser motivo de preocupação. (Ele ainda deve representar muito menos de um por cento dos frames recebidos.)

A carga de tráfego na interface é excessiva e faz com que os frames sejam descartados. Reduza a carga de tráfego na interface se você observar um número crescente de pacotes nesse campo.

No dest, unicast

No destination unicast é o número de pacotes unicast que a porta não encaminhou a qualquer outra porta.

Veja a seguir breves descrições de quando os contadores No dest (unicast, multicast e broadcast) podem ser incrementados:

  • Se uma porta for uma porta de acesso e estiver conectada a uma porta de tronco ISL (Inter-Switch Link Protocol), o contador No dest ficará muito grande, uma vez que todos os pacotes ISL de entrada não serão encaminhados. Configuração inválida.

  • Se uma porta for bloqueada pelo STP (Spanning Tree Protocol), a maioria dos pacotes não será encaminhada, resultando em pacotes No dest. Se uma porta tiver acabado de adquirir um link, haverá um período muito breve (inferior a um segundo) no qual os pacotes de entrada não serão encaminhados.

  • Se a porta estiver em uma VLAN sozinha, e nenhuma outra porta do switch pertencer a essa VLAN, todos os pacotes de entrada serão descartados e o contador será incrementado.

  • O contador também é incrementado quando o endereço de destino no pacote é aprendido na porta na qual o pacote foi recebido. Se um pacote tiver sido recebido na porta 0/1, com o endereço MAC X de destino, e o switch já tiver aprendido que esse endereço reside na porta 0/1, ele incrementará o contador e descartará o pacote. Isso poderá ocorrer nas seguintes situações:

    • Se um hub estiver conectado à porta 0/1 e uma estação de trabalho conectada ao hub transmitir os pacotes para outra estação de trabalho conectada a ele, a porta 0/1 não encaminhará esse pacote para nenhum lugar porque o MAC de destino reside na mesma porta.

    • Isso também poderá ocorrer se um switch estiver conectado à porta 0/1 e começar a inundar todas as suas portas com pacotes para aprender os endereços MAC.

  • Se um endereço estático tiver sido configurado em outra porta na mesma VLAN e nenhum endereço estático tiver sido configurado para a porta receptora, o pacote será descartado. Por exemplo, se um mapa estático para o endereço MAC X tiver sido configurado na porta 0/2 a fim de encaminhar o tráfego para a porta 0/3, o pacote deverá ser recebido na porta 0/2, caso contrário, ele será descartado. Se um pacote for enviado de qualquer outra porta na mesma VLAN da porta 0/2, ele será descartado.

  • Se a porta for uma porta segura, os pacotes com endereços MAC de origem não autorizados não serão encaminhados e incrementarão o contador.

No dest, multicast

No destination multicast é o número de pacotes multicast que a porta não encaminhou a qualquer outra porta.

No dest,broadcast

No destination broadcast é o número de pacotes broadcast que a porta não encaminhou a qualquer outra porta.

Alignment errors

Os erros de alinhamento são o número de frames recebidos que não terminam com um número par de octetos e possuem um CRC inválido.

Os erros de alinhamento são atribuídos ao frame não estar sendo completamente copiado para a conexão, o que resulta em frames fragmentados. Os erros de alinhamento são o resultado de colisões em half-duplex, uma incompatibilidade duplex, hardware inválido (NIC, cabo ou porta) ou um dispositivo conectado gerando frames que não terminam em um octeto e que têm um FCS inválido.

FCS errors

A contagem de erros de FCS é o número de frames que foi recebido com soma de verificação inválida (valor de CRC) no frame Ethernet. Esses frames são descartados e não são propagados para outras portas.

Os erros de FCS são o resultado de colisões em half-duplex, uma incompatibilidade duplex, hardware inválido (NIC, cabo ou porta) ou de um dispositivo conectado que gera frames com FCS inválido.

Undersize frames

O número total de pacotes recebidos com menos de 64 octetos de comprimento (excluindo os bits de enquadramento, mas incluindo FCS) e que possuem um valor válido de FCS.

Isso é uma indicação de um frame defeituoso gerado pelo dispositivo conectado. Verifique se o dispositivo conectado funciona corretamente.

Oversize frames

O número de pacotes com mais de 1514 bytes recebidos pela porta da rede.

Isso pode indicar problemas na configuração de trunking ISL, dot1q ou um hardware com defeito.

Collision fragments

O número total de frames com comprimento inferior a 64 octetos (excluindo os bits de enquadramento, mas incluindo FCS) e que possuem um valor inválido de FCS.

Se esse contador for incrementado, isso indicará que as portas estão configuradas em half-duplex. Altere a configuração duplex para full-duplex.

Overrun frames

O número de vezes que o hardware receptor não conseguiu entregar os dados recebidos para um buffer do hardware.

A taxa de tráfego de entrada excedeu a capacidade de manipulação de dados do receptor.

VLAN filtered frames

O número total de frames que são filtrados devido ao tipo de informações da VLAN contidas no frame.

A porta pode estar configurada para filtrar frames etiquetados 802.1Q. Quando um frame é recebido e contém um rótulo 802.1Q, o frame é filtrado e sua estatística é incrementada.

Source routed frames

O número total de frames recebidos que são descartados porque o bit de rota de origem é definido no endereço de origem do frame nativo.

Esse tipo de roteamento de origem é definido apenas para Token Ring e FDDI. A especificação Ethernet do IEEE proíbe que esse bit seja definido em qualquer frame Ethernet. Portanto, o switch descarta esses frames.

Valid oversize frames

O número total de frames recebidos cujo comprimento excede a MTU do Sistema, mas que possuem valores válidos de FCS.

Essa estatística conta os frames que excedem a MTU do Sistema configurada, mas que podem ter sido aumentados de 1518 bytes para permitir encapsulamentos Q-in-Q ou MPLS.

Symbol error frames

O Gigabit Ethernet (1000 Base-X) usa a Codificação 8B/10B para converter os dados de 8 bits da subcamada MAC (camada 2) em um Símbolo de 10 bits para envio através da rede. Quando uma porta recebe um Símbolo, ela extrai os dados de 8 bits do Símbolo (10 bits).

Um erro de Símbolo significa que a interface detecta um Símbolo undefined(invalid) recebido. Pequenas quantidades de erros de símbolos podem ser ignoradas. Grandes quantidades desses erros podem indicar um dispositivo, cabo ou hardware com defeito.

Invalid frames, too large

Frames giants ou frames recebidos que excedem o tamanho máximo de frame do IEEE 802.3 (1518 bytes para Ethernet não-jumbo) e que possuem uma FCS (Frame Check Sequence) inválida.

Em vários casos, esse é o resultado de uma NIC inválida. Tente encontrar o dispositivo defeituoso e removê-lo da rede.

Invalid frames, too large

Frames runt ou frames recebidos com menos de 64 bytes (incluindo os bits FCS e excluindo o cabeçalho do frame) e que possuem um erro de FCS ou de alinhamento.

Isso pode ser causado por uma incompatibilidade duplex e por problemas físicos, por exemplo, um cabo, uma porta ou uma NIC com defeito no dispositivo conectado.

Show Top do CatOS

O comando show top permite coletar e analisar os dados de cada porta física em um switch. O comando exibe estes dados para cada porta física:

  • Utilização da porta (% de utilização)

  • Número de bytes de entrada e de saída (Bytes)

  • Número de pacotes de entrada e de saída (Pacotes)

  • Números de pacotes broadcast de entrada e de saída (Bcst)

  • Número de pacotes multicast de entrada e de saída (Mcst)

  • Número de erros de entrada (Erro)

  • Número de erros de estouro de buffer (Estouro)

 Console> (enable) sh top
Start Time:     Mar 28 2007 06:58:41
End Time:       Mar 28 2007 06:59:11
PortType:       all
Metric:         util
Port  Band- Uti Bytes                Pkts       Bcst       Mcst       Error Over
      width  %  (Tx + Rx)            (Tx + Rx)  (Tx + Rx)  (Tx + Rx)  (Rx)  flow
----- ----- --- -------------------- ---------- ---------- ---------- ----- ----
 3/11  a-10   0               334187       1561         22       1536     0    0
 3/12 a-100   0               333608       1557         22       1532     0    0
 3/25 a-100   0               333622       1555         22       1533     0    0
 6/2   1000   0                    0          0          0          0     0    0
 6/1   1000   0                    0          0          0          0     0    0
 4/8   1000   0                    0          0          0          0     0    0
 4/7   1000   0                    0          0          0          0     0    0
 4/6   1000   0                    0          0          0          0     0    0
 4/5   1000   0                    0          0          0          0     0    0
 4/4   1000   0                    0          0          0          0     0    0
 4/3   1000   0                    0          0          0          0     0    0
 4/2   1000   0                    0          0          0          0     0    0
 4/1   1000   0                    0          0          0          0     0    0
 3/48  auto   0                    0          0          0          0     0    0
 3/47  auto   0                    0          0          0          0     0    0
 3/46  auto   0                    0          0          0          0     0    0

Nota: Ao calcular a utilização das portas, o comando agrupa as linhas Tx e Rx no mesmo contador e também examina a largura de banda full-duplex quando calcula o percentual de utilização. Por exemplo, uma porta Gigabit Ethernet é full-duplex de 2000 Mbps.

In Errors é a soma de todos os pacotes de erro recebidos nessa porta.

Buffer Overflow indica que a porta recebe mais tráfego do que é capaz de armazenar em seu buffer. Isso pode ser causado por tráfego intermitente, bem como pela sobrecarga dos buffers. A ação recomendada é diminuir a transmissão do dispositivo de origem.

Consulte também os contadores 'In-Lost' e 'Out-Lost' do comando show mac.

Mensagens de Erro Comuns do Sistema

Às vezes, o Cisco IOS possui um formato diferente para as mensagens do sistema. Você pode examinar as mensagens dos sistemas CatOS e Cisco IOS para uma comparação. Consulte o Guia de Mensagens e Procedimentos de Recuperação referente à release do software executada. Por exemplo, você pode examinar as Mensagens e Procedimentos de Recuperação da Versão 7.6 do CatOS Software e compará-los com as Mensagens e Procedimentos de Recuperação das releases do Cisco IOS 12.1 E.

Mensagens de Erro nos Módulos WS-X6348

Examine estas mensagens de erro:

  • Coil Pinnacle Header Checksum

  • Coil Mdtif State Machine Error

  • Coil Mdtif Packet CRC Error

  • Coil Pb Rx Underflow Error

  • Coil Pb Rx Parity Error

Você poderá ver mensagens syslog com um desses erros listados:

%SYS-5-SYS_LCPERR5:Module 9: Coil Pinnacle Header Checksum Error - Port #37

Se você encontrar esse tipo de mensagem ou perceber falhas nos grupos de portas 10/100 nos módulos WS-X6348, consulte os seguintes documentos a fim de obter uma orientação adicional para troubleshooting com base no sistema operacional utilizado:

%PAGP-5-PORTTO / FROMSTP e %ETHC-5-PORTTO / FROMSTP

No CatOS, use o comando show logging buffer para exibir as mensagens armazenadas no log. No Cisco IOS, use o comando show logging.

Console> (enable) sh logging buffer
  2003 Jun 02 20:12:43 %PAGP-5-PORTTOSTP:Port 3/2 joined bridge port 3/2
  2003 Jun 02 20:59:56 %PAGP-5-PORTFROMSTP:Port 3/1 left bridge port 3/1
 
  !--- Este é o comando para exibir o buffer de registro nos switches que executam o CatOS.

Embora essa mensagem possa preocupar os clientes, na maioria das vezes, ela tem apenas fins informativos.

%PAGP-5-PORTTO / FROMSTP and %ETHC-5-PORTTO / FROMSTP

O Port Aggregation Protocol (PAgP) negocia os links Etherchannel entre os switches. Sempre que um dispositivo entra ou sai de uma porta de bridge, uma mensagem informativa é exibida no console. Nas maioria dos casos, essa mensagem é absolutamente normal, mas, se você observá-la em portas que não devem nunca oscilar, investigue melhor o que está acontecendo.

No CatOS Software versão 7 e posterior, "PAGP-5" foi alterado para "ETHC-5" a fim de tornar a mensagem mais compreensível.

Essa mensagem aplica-se especificamente aos Catalyst 4000, 5000 e 6000 Series Switches que executam o CatOS. Não há mensagens de erro equivalentes a essa para os switches que executam o Cisco IOS. Para obter mais informações sobre as mensagens de erro dos switches que executam o CatOS, consulte os seguintes documentos referentes à sua plataforma:

%SPANTREE-3-PORTDEL_FAILNOTFOUND

Esta mensagem não indica um problema com o switch. Ela normalmente ocorre com mensagens %PAGP-5-PORTFROMSTP.

O Port Aggregation Protocol (PAgP) negocia os links Etherchannel entre os switches. Sempre que um dispositivo é entra ou sai de uma porta de bridge, uma mensagem informativa é exibida no console. Nas maioria dos casos, esta mensagem é absolutamente normal, mas, se você observá-la em portas que não devem nunca oscilar, investigue melhor o que está acontecendo.

Esta mensagem aplica-se especificamente aos Catalyst 4000, 5000 e 6000 Series Switches que executam o CatOS. Não há mensagens de erro equivalentes a ela para os switches que executam o Cisco IOS. Para obter mais informações sobre as mensagens de erro dos switches que executam o CatOS, consulte os seguintes documentos referentes à sua plataforma:

%SYS-4-PORT_GBICBADEEPROM: / %SYS-4-PORT_GBICNOTSUPP

A causa mais comum dessa mensagem é quando um GBIC não-certificado e não-Cisco é inserido em um módulo Gigabit Ethernet. O GBIC não possui um Cisco SEEPROM, o que resulta na geração de uma mensagem de erro.

Os módulos GBIC WS-G5484, WS-G5486 e WS-G5487 usados com um WS-X6408-GBIC também podem fazer com que essas mensagens de erro apareçam; no entanto, não há um problema real com a placa ou os GBICs e existe uma correção de atualização do software.

Consulte Mensagens de Erro Comuns do CatOS nos Catalyst 6000/6500 Series Switches para obter mais informações.

Command Rejected: [Interface] not a Switching Port

Nos switches que oferecem suporte a interfaces L3 e à porta de switch L2, a mensagem Command rejected: [interface] not a switching port é exibida quando você tenta inserir um comando relacionado à camada 2 em uma porta configurada como uma interface de camada 3.

Para converter a interface do modo de camada 3 no modo de camada 2, execute o comando de configuração de interface switchport. Após executar esse comando, configure a porta para quaisquer propriedades de camada 2.

Problemas Comuns de Portas e Interfaces

A Porta ou a Interface Possui o Status Disable ou Shutdown

Uma causa óbvia, porém desprezada, da falha na conectividade da porta é uma configuração incorreta no switch. Se uma porta apresentar uma luz laranja constante, isso significa que o software do switch desativou a porta, seja pelo método de interface do usuário ou por processos internos.

Nota: Alguns LEDs de porta da plataforma funcionam de maneira diferente no que diz respeito ao STP. Por exemplo, o Catalyst 1900/2820 deixa as portas alaranjadas quando elas ficam no modo de bloqueamento STP. Nesse caso, a luz laranja poderá indicar as funções normais do STP. O Catalyst 6000/5000/4000 não torna a luz da porta laranja quando bloqueada pelo STP.

Certifique-se de que a porta ou o módulo não tenham sido desabilitados ou desligados por algum motivo. Se uma porta ou módulo for encerrado manualmente em um dos lados do link, o link não será ativado até que a porta seja reabilitada. Verifique o status da porta em ambos os lados.

No CatOS, verifique o status da porta com o comando show port e, se o status for disabled, reabilite-a:

Port  Name                 Status     Vlan       Duplex Speed Type
----- -------------------- ---------- ---------- ------ ----- ------------
 3/1                       disabled   1            auto  auto 10/100BaseTX
 
!--- Use o comando set port enable mod/port para reativar esta porta.

Use comando show module para determinar se o módulo está desabilitado. Se ele estiver, reabilite-o:

Mod Slot Ports Module-Type               Model               Sub Status
--- ---- ----- ------------------------- ------------------- --- --------
2   2    2     1000BaseX Supervisor      WS-X6K-SUP1A-2GE    yes ok
16  2    1     Multilayer Switch Feature WS-F6K-MSFC         no  ok
3   3    48    10/100BaseTX Ethernet     WS-X6348-RJ-45      no  disable

!--- Use o comando set module enable mod/port para reativar esta porta.

No Cisco IOS, use o comando show run interface e verifique se a interface está no estado shutdown:

Switch#sh run interface fastEthernet 4/2
!
interface FastEthernet4/2
 switchport trunk encapsulation dot1q
 switchport mode trunk
 shutdown
 duplex full
 speed 100
end

!--- Use o comando no shut no modo config-if para reativar esta interface.

Se a porta entrar no modo shutdown imediatamente após uma reinicialização do switch, a causa provável será a definição de port security. Se a inundação de unicast estiver habilitada na porta, ela poderá fazer com que a porta seja encerrada após uma reinicialização. A Cisco recomenda desabilitar a inundação de unicast, pois isso também garantirá que não ocorra inundação na porta quando o limite de endereços MAC for alcançado.

A Porta ou a Interface Possui o Status errDisable

Por padrão, os processos do software do switch poderão encerrar uma porta ou interface se determinados erros forem detectados.

Ao examinar o comando show port no CatOS, você poderá observar o status errdisable:

switch>(enable) sh port 4/3
  Port  Name                 Status     Vlan       Duplex Speed Type
  ----- -------------------- ---------- ---------- ------ ----- ------------
  4/3                        errdisable 150          auto  auto 10/100BaseTX
 
  !--- O comando show port exibe um status errdisable.

Você também pode usar o comando show interface tipo-de-placa {slot/porta} status no Cisco IOS:

Router#show int fasteth 2/4 status

  Port    Name               Status       Vlan       Duplex  Speed Type
  Gi2/4                      err-disabled 1            full   1000 1000BaseSX
 
  !--- O comando show interfaces card-type {slot/port} status para o Cisco IOS
  !--- exibe um status errdisabled.
  !--- O comando show interfaces status errdisabled mostra todas as interfaces
  !--- neste status.

O comando show logging buffer do CatOS e o comando show logging do Cisco IOS também exibem mensagens de erro (o formato exato das mensagens varia) relacionadas ao estado errdisable.

As portas ou as interfaces encerradas como resultado do estado errdisable são denominadas razões no CatOS e causas no Cisco IOS. Há várias razões ou causas para que isso ocorra, como um erro na configuração EtherChannel que provoque uma oscilação PAgP, uma incompatibilidade de duplex, a configuração do protetor de porta BPDU e do portfast ao mesmo tempo, a detecção de um link unidirecional pelo UDLD, etc.

Você precisará reabilitar manualmente a porta ou a interface para retirá-la do estado errdisable, a menos que configure uma opção de recuperação desse estado. No software CatOS 5.4(1) e posteriores, você terá a capacidade de reabilitar automaticamente uma porta após um período de tempo configurável dispensado no estado errdisable. Na maioria dos switches, o Cisco IOS também tem essa funcionalidade. O ponto principal é que, mesmo se você configurar a interface para recuperar-se do estado errdisable, o problema ocorrerá novamente até que a causa raiz seja determinada.

Para obter informações sobre as causas do status errdisable e a sua recuperação nos switches que executam o CatOS, consulte Recuperando uma Porta do Estado errDisable nas Plataformas CatOS.

Nota: Use esse link como uma referência para o status errdisable nos switches que executam o Cisco IOS também, uma vez que as causas raízes são as mesmas, independentemente do sistema operacional executado.

Esta tabela mostra uma comparação dos comandos usados para configuração, verificação e troubleshooting do status errdisable nos switches que executam o CatOS e o Cisco IOS. Selecione um comando para ir para a documentação correspondente.

Comandos errdisable do CatOS

Ação

Comandos errdisable do Cisco IOS

set errdisable-timeout {enable | disable} {reason}

definir ou configurar

errdisable detect cause

errdisable recovery cause

set errdisable-timeout interval {interval

definir ou configurar

errdisable recovery {interval

show errdisable-timeout

verificar e solucionar problemas

show errdisable detect

show interfaces status err-disabled

A Porta ou a Interface Possui o Status Inactive

Uma causa comum de portas inativas nos switches que executam o CatOS ocorre quando a VLAN à qual elas pertencem desaparece. O mesmo problema poderá ocorrer nos switches que executam o Cisco IOS quando as interfaces são configuradas como portas de switch de camada 2 que usam o comando switchport.

Cada porta em um switch da Camada 2 pertence a uma VLAN. Cada porta em um switch da Camada 3 configurado para ser uma porta de switch L2 também deve pertencer a uma VLAN. Se essa VLAN for excluída, a porta ou a interface se tornará inativa.

Nota: Alguns switches mostram uma luz laranja (âmbar) constante em cada porta quando isso acontece.

No CatOS, use o comando show port ou show port status com o comando show vlan para verificar:

Switch> (enable) sh port status 2/2
Port Name Status Vlan Duplex Speed Type
----- -------------------- ---------- ---------- ------ ----- ------------
2/2 inactive 2 full 1000 1000BaseSX

!--- A porta 2/2 está inativa para a VLAN 2.


Switch> (enable) sh vlan
VLAN Name Status IfIndex Mod/Ports, Vlans
---- -------------------------------- --------- ------- ------------------------
1 default active 5 2/1

!--- As VLANs são exibidas em ordem e a VLAN 2 está ausente.

No Cisco IOS, use o comando show interfaces tipo-de-placa {slot/porta} switchport com show vlan para verificar.

Router#sh interfaces fastEthernet 4/47 switchport
  Name: Fa4/47Switchport: Enabled
  Administrative Mode: static access
  Operational Mode: static access
  Administrative Trunking Encapsulation: negotiate
  Operational Trunking Encapsulation: native
  Negotiation of Trunking: Off
  Access Mode VLAN: 11 ((Inactive))
 
  !--- FastEth 4/47 está inativa.


 Router#sh vlan

 VLAN Name                             Status    Ports
 ---- -------------------------------- --------- -------------------------------
 1    default                          active    Gi1/1, Gi2/1, Fa6/6
 10   UplinkToGSR's                    active    Gi1/2, Gi2/2
 
 !--- As VLANs são exibidas em ordem e a VLAN 11 está ausente.

 30   SDTsw-1ToSDTsw-2Link             active   Fa6/45

Se o switch que excluiu a VLAN for um servidor VTP no domínio VTP, cada switch de servidor e de cliente do domínio terá a VLAN removida de sua tabela de VLANs também. Quando você adicionar a VLAN novamente a essa tabela a partir de um switch de servidor VTP, as portas dos switches no domínio que pertencerem a essa VLAN restaurada ficarão ativas novamente. Uma porta lembra a qual VLAN está atribuída, mesmo se a própria VLAN for excluída.

Consulte Compreendendo e Configurando o VTP (VLAN Trunk Protocol) para obter mais informações sobre o VTP.

O Contador Deferred na Interface do Switch Catalyst Começa a Ser Incrementado

O problema ocorre porque a carga de tráfego destinada ao switch é excessiva e faz com que os frames sejam descartados. Normalmente, os frames adiados são o número de frames que foram transmitidos com êxito após aguardar pela mídia porque a mídia estava muito ocupada. Isso geralmente é observado em ambientes half-duplex onde a portadora já está em uso ao tentar transmitir um frame. Mas em ambientes full duplex o problema ocorre quando a carga excessiva é destinada ao switch.

Esta é a solução:

  • Codificar permanentemente ambas as extremidades do link para full duplex de modo que a incompatibilidade na negociação possa ser evitada.

  • Trocar o cabo normal e o patch cord para garantir que ambos os cabos não estejam com defeito.

Falha Intermitente ao Definir o Temporizador [valor] da Vlan [número da vlan]

O problema ocorre quando a EARL (Encoded Address Recognition Logic) não é capaz de definir o tempo de validade CAM da VLAN como o número necessário de segundos. Aqui, o tempo de validade da VLAN já está definido para expiração rápida.

Quando a VLAN já está em processo de expiração rápida da validade, o EARL não pode configurar a VLAN para a expiração de validade rápida e o processo de configuração do temporizador de validade é bloqueado. O tempo de validade de CAM padrão é de cinco minutos, o que significa que o switch limpa a tabela de endereços MAC aprendidos a cada cinco minutos. Isso assegura que a tabela de endereço MAC (a tabela CAM) contenha as entradas mais recentes.

A validade curta configura temporariamente o tempo de validade CAM para o número de segundos especificado pelo usuário, e é usado em conjunto com o processo Topology Change Notification (TCN). A idéia é que, quando ocorrer uma alteração na topologia, esse valor seja necessário para limpar a tabela CAM mais rápido, para compensar a alteração na topologia.

Execute o comando show cam aging para verificar o tempo de validade CAM no switch. TCNs e validade curta são muito raros. Como resultado, a mensagem possui um nível de gravidade 3. Se as VLANs estiverem freqüentemente em validade rápida, verifique o motivo.

O motivo mais comum para TCNs é a existência de PCs clientes conectados diretamente a um switch. Quando você liga ou desliga o PC, a porta do switch muda de estado e o switch inicia o processo TCN. Isso ocorre porque o switch não sabe que o dispositivo conectado é um PC; o switch sabe apenas que a porta mudou de estado.

Para resolver esse problema, a Cisco desenvolveu o recurso PortFast para portas de host. Uma vantagem do PortFast é que esse recurso suprime os TCNs para uma porta de host.

Nota: O PortFast também ignora os cálculos da spanning-tree na porta e, portanto, é adequado apenas para uso em uma porta de host.

Para habilitar o PortFast na porta, configure um desses comandos:

set spantree portfast mod/port enable | disable

ou

set port host mod/port A Cisco recomenda o uso deste comando se o switch executar o CatOS 5.4 ou versões superiores.

Incompatibilidade do Modo de Trunking

Verifique o modo de trunking em cada lado do enlace. Certifique-se de que ambos os lados estejam no mesmo modo (ambos com trunking o mesmo método: ISL ou 802.1q, ou ambos sem trunking). Se você ativar o modo de trunking (em oposição ao modo auto ou desirable) para uma porta e o modo de trunking da outra porta estiver definido como desativado, elas não conseguirão se comunicar. O trunking altera a formatação do pacote. As portas precisam usar o mesmo formato no link para que possam se comunicar.

No CatOS, use o comando show trunk {mód/porta} para verificar se o status do tronco e a VLAN Nativa (para dot1q) são correspondentes em ambos os lados.

Switch> (enable) sh trunk 3/1
  * - indicates vtp domain mismatch
  Port      Mode         Encapsulation  Status        Native vlan
  --------  -----------  -------------  ------------  -----------
   3/1      desirable    dot1q          trunking      1

  Port      Vlans allowed on trunk
  --------  ---------------------------------------------------------------------
   3/1      1-1005,1025-4094

!--- Saída truncada.

No Cisco IOS, use o comando show interfaces tipo-de-placa {mód/porta} trunk para verificar a configuração de trunking e a VLAN Nativa.

Router#sh interfaces fastEthernet 6/1 trunk

  Port      Mode         Encapsulation  Status        Native vlan
  Fa6/1     desirable    802.1q         trunking      1

  Port      Vlans allowed on trunk
  Fa6/1     1-4094

!--- Saída truncada.

Consulte estes documentos para obter mais informações sobre os diferentes modos de trunking, diretrizes e restrições:

Jumbos, Giants e Baby Giants

A Maximum Transmission Unit (MTU) da parte dos dados de um frame Ethernet é de 1500 bytes, por padrão. Se a MTU do tráfego transmitido exceder a MTU com suporte, o switch não encaminhará o pacote. Além disso, dependendo do hardware e do software, algumas plataformas de switch incrementarão os contadores de erro de porta e de interface como resultado.

  • Os frames jumbo não são definidos como parte do padrão IEEE Ethernet e dependem do fornecedor. Eles podem ser definidos como qualquer frame maior que o frame Ethernet padrão de 1518 bytes (incluindo o cabeçalho L2 e a CRC (Cyclic Redundancy Check)). Os Jumbos possuem tamanhos de frames maiores, geralmente superiores a 9000 bytes.

  • Os frames giant são definidos como qualquer frame maior que o tamanho máximo de um frame Ethernet (maior que 1518 bytes) que tenha uma FCS inválida.

  • Os frames Baby Giant são apenas um pouco maiores que o tamanho máximo de um frame Ethernet. Geralmente, isso significa frames de até 1600 bytes de tamanho.

O suporte para jumbo e baby giants nos switches Catalyst varia de acordo com a plataforma do switch, às vezes até pelos módulos dentro do switch. A versão do software também é um fator.

Consulte Configurando o Suporte para Frames Jumbo/Giant em Switches Catalyst para obter mais informações sobre requisitos de sistema, configuração e troubleshooting de frames jumbo e baby giant.

Não é Possível Efetuar Ping no Dispositivo Final

Verifique o dispositivo final ao efetuar primeiro um ping no switch diretamente conectado e, em seguida, verificando porta por porta, interface por interface e tronco por tronco até encontrar a origem do problema de conectividade. Certifique-se de que cada switch possa ver o endereço MAC do dispositivo final em sua tabela CAM (Content-Addressable Memory).

No CatOS, use o comando show cam dynamic {mód/porta}.

Switch> (enable) sh cam dynamic 3/1
* = Static Entry. + = Permanent Entry. # = System Entry. R = Router Entry.
X = Port Security Entry $ = Dot1x Security Entry

VLAN  Dest MAC/Route Des    [CoS]  Destination Ports or VCs / [Protocol Type]
----  ------------------    -----  -------------------------------------------
2    00-40-ca-14-0a-b1             3/1 [ALL]

!--- Uma estação de trabalho na VLAN 2 com endereço MAC 00-40-ca-14-0a-b1 é exibida na tabela CAM
!--- na porta de tronco de um switch executando o CatOS.

Total Matching CAM Entries Displayed  =1
Console> (enable)

No Cisco IOS, use o comando show mac address-table dynamic ou substitua a palavra-chave interface.

Router# sh mac-address-table int fas 6/3
Codes: * - primary entry

  vlan   mac address     type    learn qos            ports
------+----------------+--------+-----+---+--------------------------
*    2 0040.ca14.0ab1   dynamic  No    --  Fa6/3

!--- Uma estação de trabalho na VLAN 2 com endereço MAC 0040.ca14.0ab1 está conectada diretamente
!--- à interface fastEthernet 6/3 em um switch executando o Cisco IOS.

Quando tiver certeza de que o switch possui o endereço MAC do dispositivo em sua tabela CAM, verifique se esse dispositivo está na mesma VLAN ou em uma VLAN diferente daquela onde você está tentando efetuar ping.

Se o dispositivo final estiver em outra VLAN, será necessário configurar um roteador ou um switch L3 para que os dispositivos possam se comunicar. Certifique-se de que seu endereçamento L3 no dispositivo final e no roteador / switch L3 esteja corretamente configurado. Verifique o endereço IP, a máscara de sub-rede, o gateway padrão, a configuração do protocolo de roteamento dinâmico, as rotas estáticas, etc.

Usando Set Port Host ou Switchport Host para Corrigir Atrasos na Inicialização

Se as estações não conseguirem se comunicar com seus servidores principais ao se conectarem através de um switch, o problema poderá envolver atrasos na ativação da porta do switch depois que o link da camada física é ativado. Em alguns casos, esses atrasos podem ser de até 50 segundos.

Algumas estações de trabalho simplesmente não podem aguardar tanto antes de localizarem seus servidores sem desistir. Esses atrasos são causados pelo STP, negociações de trunking (DTP) e negociações EtherChannel (PAgP). Todos esses protocolos podem ser desabilitados nas portas de acesso onde não são necessários; dessa maneira, a porta ou a interface do switch começará a encaminhar os pacotes alguns segundos depois de estabelecer um link com seu dispositivo vizinho.

O comando set port host foi introduzido no CatOS Versão 5.4. Esse comando define os modos de trunking e de canal como desativados e coloca a porta no estado de encaminhamento STP.

Switch> (enable) set port host 3/5-10
Port(s) 3/5-10 channel mode set to off.

!--- O comando set port host também desliga automaticamente o etherchannel nas portas.

Warning: Spantree port fast start should only be enabled on ports connected
to a single host.  Connecting hubs, concentrators, switches, bridges, etc. to
a fast start port can cause temporary spanning tree loops.  Use with caution.

!--- Observe que o switch o avisa para ativar somente o port host nas portas de acesso.

Spantree ports 3/5-10 fast start enabled.Dot1q tunnel feature disabled on port(s) 3/5-10.
Port(s) 3/5-10 trunk mode set to off.

!--- O comando set port host também desliga automaticamente o entroncamento nas portas.

Nota: Nas versões do CatOS anteriores à 5.4, o comando set spantree portfast {mód/porta} enable era usado. Nas versões atuais do CatOS, você ainda tem a opção de usar somente esse comando, mas precisará desativar o trunking e o etherchannel separadamente para ajudar a corrigir os atrasos na inicialização das estações de trabalho. Os outros comandos usados para fazer isso são: set port channel {mód/porta} off e set trunk {mód/porta} off.

No Cisco IOS, você pode usar o comando switchport host para desabilitar a canalização e habilitar o portfast da spanning-tree, e o comando switchport nonegotiate para desativar os pacotes de negociação DTP. Use o comando interface-range para fazer isso em várias interfaces de uma vez.

Router6k-1(config)#int range fastEthernet 6/13 - 18
Router6k-1(config-if-range)#switchport
Router6k-1(config-if-range)#switchport host
switchport mode will be set to access
spanning-tree portfast will be enabled
channel group will be disabled

!--- O Etherchannel é desativado e o portfast é ativado nas interfaces 6/13 - 6/18.

Router6k-1(config-if-range)#switchport nonegotiate

!--- A negociação de entroncamento é desativada nas interfaces 6/13 - 6/18.

Router6k-1(config-if-range)#end
Router6k-1#

O Cisco IOS permite o uso do comando global spanning-tree portfast default para aplicar automaticamente o portfast a qualquer interface configurada como uma porta de acesso de switch de camada 2. Consulte a Referência de Comandos referente à sua versão do software para verificar a disponibilidade desse comando. Também é possível usar o comando spanning-tree portfast para cada interface, mas será necessário desativar o trunking e o etherchannel separadamente para ajudar a corrigir os atrasos na inicialização das estações de trabalho.

Consulte Usando o Portfast e Outros Comandos para Corrigir Atrasos na Conectividade de Inicialização da Estação de Trabalho para obter mais informações sobre como corrigir atrasos na inicialização.

Problemas de Velocidade/Duplex, Negociação Automática ou NIC

Se houver muitos erros de alinhamento, erros de FCS ou colisões atrasadas, isso poderá indicar:

  • Incompatibilidade duplex

  • Cabo inadequado ou danificado

  • Problemas na placa NIC

Incompatibilidade duplex

Um problema comum com velocidade/duplex ocorre quando as configurações duplex são incompatíveis entre dois switches, entre um switch e um roteador ou entre o switch e uma estação de trabalho ou servidor. Isso poderá ocorrer ao se codificar permanentemente, de forma manual, a velocidade e o duplex ou resultar de problemas de negociação automática entre os dois dispositivos.

Se a incompatibilidade ocorrer entre dois dispositivos Cisco com o CDP (Cisco Discovery Protocol) habilitado, você encontrará mensagens de erro do CDP no console ou no buffer de log dos dois dispositivos. O CDP é útil para detectar erros, bem como estatísticas de portas e do sistema, nos dispositivos Cisco vizinhos. O CDP é de propriedade da Cisco e funciona enviando pacotes para um endereço MAC conhecido 01-00-0C-CC-CC-CC.

O exemplo mostra as mensagens de log que resultam de uma incompatibilidade de duplex entre dois Catalyst 6000 Series Switches: um que executa o CatOS e outro que executa o Cisco IOS. Essas mensagens geralmente informam qual é a incompatibilidade e onde ela ocorre.

2003 Jun 02 11:16:02 %CDP-4-DUPLEXMISMATCH:Full/half duplex mismatch detected on port 3/2

!--- O CatOS Switch identifica incompatibilidade de duplex.

Jun  2 11:16:45 %CDP-4-DUPLEX_MISMATCH: duplex mismatch discovered on FastEthernet6/2
(not half duplex), with TBA04251336 3/2 (half duplex).

!--- O Cisco IOS Switch identifica incompatibilidade de duplex.

No CatOS, use o comando show cdp neighbor [mód/porta] detail para exibir informações do CDP referentes a dispositivos Cisco vizinhos.

Switch> (enable) sh cdp neighbor 3/1 detail
Port (Our Port): 3/1
Device-ID: Router
Device Addresses:
  IP Address: 10.1.1.2
Holdtime: 133 sec
Capabilities: ROUTER SWITCH IGMP
Version:
  Cisco Internetwork Operating System Software
  IOS (tm) c6sup2_rp Software (c6sup2_rp-PK2S-M), Version 12.1(13)E6, EARLY DEPL
OYMENT RELEASE SOFTWARE (fc1)
  TAC Support: http://www.cisco.com/tac
  Copyright (c) 1986-2003 by cisco Systems, Inc.
  Compiled Fri 18-Apr-03 15:35 by hqluong
Platform: cisco Catalyst 6000
Port-ID (Port on Neighbors's Device): FastEthernet6/1

!--- O dispositivo vizinho à porta 3/1 é um Cisco Catalyst 6000 Switch na
!--- FastEth 6/1 executando o Cisco IOS.

VTP Management Domain: test1Native VLAN: 1
Duplex: full

!--- O modo duplex é full.

System Name: unknown
System Object ID: unknown
Management Addresses: unknown
Physical Location: unknown
Switch> (enable)

No Cisco IOS, use o comando show cdp neighbors tipo-de-placa {slot/porta} detail para exibir informações do CDP referentes a dispositivos Cisco vizinhos.

Router#sh cdp neighbors fastEthernet 6/1 detail
-------------------------
Device ID: TBA04251336
Entry address(es):
  IP address: 10.1.1.1
Platform: WS-C6006,  Capabilities: Trans-Bridge Switch IGMP
Interface: FastEthernet6/1,  Port ID (outgoing port): 3/1
Holdtime : 152 sec
Version :
WS-C6006 Software, Version McpSW: 6.3(3) NmpSW: 6.3(3)
Copyright (c) 1995-2001 by Cisco Systems

!--- O dispositivo vizinho à FastEth 6/1 é um Cisco Catalyst 6000 Switch
!--- na porta 3/1 executando o CatOS.

advertisement version: 2
VTP Management Domain: 'test1'
Native VLAN: 1
Duplex: full

!--- O modo duplex é full.

Router#

Definir velocidade/duplex automáticos em um lado e 100/Full-duplex em outro também é um erro de configuração e pode resultar em uma incompatibilidade duplex. Se a porta do switch receber muitas colisões atrasadas, isso geralmente indicará um problema de incompatibilidade de duplex e poderá fazer com que a porta seja colocada no status errdisable. Como o lado half-duplex espera os pacotes apenas em determinados momentos, e não a qualquer hora, ele conta os pacotes recebidos na hora errada como colisões. Existem outras causas para colisões atrasadas além da incompatibilidade duplex, mas esse é um dos motivos mais comuns. Defina sempre ambos os lados da conexão para fazer a negociação automática de velocidade/duplex ou defina a velocidade/duplex manualmente nos dois lados.

No CatOS, use o comando show port status [mód/porta] para exibir o status de velocidade/duplex, além de outras informações. Use os comandos set port speed e set port duplex para codificar de forma permanente os dois lados como 10 ou 100 e half ou full, conforme necessário.

Switch> (enable) sh port status 3/1
Port  Name                 Status     Vlan       Duplex Speed Type
----- -------------------- ---------- ---------- ------ ----- ------------
 3/1                       connected  1         a-full a-100 10/100BaseTX
Switch> (enable)

No Cisco IOS, use o comando show interfaces tipo-de-placa {slot/porta} status para exibir as definições de velocidade e de duplex, bem como outras informações. Use os comandos speed e duplex no modo de configuração de interface para codificar de forma permanente os dois lados como 10 ou 100 e half ou full, conforme necessário.

Router#sh interfaces fas 6/1 status
Port    Name               Status       Vlan       Duplex  Speed Type
Fa6/1                      connected    1          a-full  a-100 10/100BaseTX

Se usar o comando show interfaces sem a opção status, você verá uma definição de velocidade e duplex, mas não saberá se esses valores foram ou não alcançados através da negociação automática.

Router#sh int fas 6/1
FastEthernet6/1 is up, line protocol is up (connected)
  Hardware is C6k 100Mb 802.3, address is 0009.11f3.8848 (bia 0009.11f3.8848)
  MTU 1500 bytes, BW 100000 Kbit, DLY 100 usec,
     reliability 255/255, txload 1/255, rxload 1/255
  Encapsulation ARPA, loopback not set
 Full-duplex, 100Mb/s

!--- Full-duplex e 100 Mbps não informam se autoneg foi usado para atingir isso.
!--- Use o comando sh interfaces fas 6/1 status para exibir:

Cabo incorreto ou danificado

Sempre verifique no cabo se há danos periféricos ou falhas. Um cabo poderá ser adequado para conexão na camada física, mas corromperá os pacotes como resultado de danos sutis na fiação ou nos conectores. Verifique ou troque o cabo de fibra ou cobre. Troque o GBIC (se removível) para conexões de fibra. Elimine qualquer conversor de mídia ou conexões do patch panel inválidas entre a origem e o destino. Teste o cabo em outra porta ou interface, se houver uma disponível, e veja se o problema persiste.

Problemas de Negociação Automática e na Placa NIC

Às vezes, os problemas ocorrem entre os switches Cisco e determinadas placas NIC de terceiros. Por padrão, as portas e as interfaces do switch Catalyst são definidas para negociação automática. É comum que dispositivos como laptops ou outros sejam definidos também para negociação automática, embora, às vezes, ocorram problemas nessa negociação.

Para solucionar problemas de negociação automática, geralmente é recomendável tentar codificar permanentemente ambos os lados. Se, aparentemente, nem a negociação automática nem a codificação funcionarem, poderá haver um problema relacionado ao firmware ou ao software na placa NIC. Atualize o driver da placa NIC para a versão mais recente disponível no site do fabricante na Web a fim de resolver esse problema.

Consulte Configurando e Fazendo o Troubleshooting da Negociação Automática Half/Full Duplex de Ethernets 10/100/1000 MB para obter detalhes sobre como resolver problemas de velocidade/duplex e negociação automática.

Consulte Troubleshooting de Problemas de Compatibilidade entre Switches Cisco Catalyst e NIC para obter detalhes sobre como resolver problemas relacionados a NICs de terceiros.

Loops de Spanning Tree

Os loops de STP (Spanning Tree Protocol) podem provocar sérios problemas de desempenho que são mascarados como problemas de porta ou de interface. Nessa situação, a largura de banda é usada pelos mesmos frames inúmeras vezes, deixando pouco espaço para o tráfego legítimo.

Este documento aborda os motivos pelos quais o STP pode falhar, as informações que você deve procurar para identificar a origem do problema e o tipo de design que minimiza os riscos do STP.

Os loops também podem ser provocados por um link unidirecional. Para obter mais informações, consulte a seção deste documento sobre problemas relacionados a UDLD: Link Unidirecional.

UDLD: Link Unidirecional

Um link unidirecional é aquele no qual o tráfego sai por um caminho, mas nenhum tráfego é recebido de volta. O switch não sabe que o link de retorno está com problemas (a porta acredita que o link está ativo e em operação).

Um cabo de fibra quebrado ou outros problemas de porta/cabeamento podem ocasionar essa comunicação em um único sentido. Esses links parcialmente funcionais poderão causar problemas, como loops de STP, quando os switches envolvidos não souberem que o link está parcialmente quebrado. O UDLD pode colocar uma porta no estado errdisable ao detectar um link unidirecional. O comando udld aggressive-mode pode ser configurado nos switches que executam o CatOS e o Cisco IOS (verifique a disponibilidade do comando nas release notes) para conexões ponto-a-ponto entre switches nos quais não são tolerados links que não estejam funcionando corretamente. O uso desse recurso pode ajudá-lo a identificar problemas de link unidirecional difíceis de serem detectados.

Consulte Compreendendo e Configurando o Recurso UDLD (Unidirectional Link Detection Protocol) para obter informações sobre a configuração do UDLD.

Frames Adiados (Out-Lost ou Out-Discard)

Se você possui um grande número de frames adiados, ou Out-Discard (também conhecidos como Out-Lost em algumas plataformas), isso significa que os buffers de saída do switch foram preenchidos e que o switch teve que descartar esses pacotes. Isso pode indicar que esse segmento está sendo executado em uma velocidade e/ou duplex inferiores ou que há um tráfego excessivo passando por essa porta.

No CatOS, use o comando show mac para o módulo e a porta ou para o módulo inteiro a fim de examinar os out-discards:

MAC      Dely-Exced MTU-Exced  In-Discard Out-Discard
-------- ---------- ---------- ---------- -----------
2/1              0          -          0    10175888
2/2              0          -          0     9471889
2/3              0          -          0     9095371
2/4              0          -          0     8918785

!--- O comando show mac executado no mod 2 em intervalos diferentes mostra
!--- o incremento de contadores out-discard.

No Cisco IOS, use o comando show interfaces counters error.

Router#sho interfaces counters error
Port        Align-Err    FCS-Err   Xmit-Err    Rcv-Err UnderSize OutDiscards
Fa7/47              0          0          0          0         0           0
Fa7/48              0          0          0          0         0     2871800
Fa8/1               0          0          0          0         0     2874203
Fa8/2             103          0          0        103         0     2878032
Fa8/3             147          0          0        185         0           0
Fa8/4             100          0          0        141         0     2876405
Fa8/5               0          0          0          0         0     2873671
Fa8/6               0          0          0          0         0           2
Fa8/7               0          0          0          0         0           0

!--- O comando show interfaces counters errors mostra determinadas interfaces
!--- incrementando grandes quantidades de OutDiscards enquanto outras são executadas sem.

Investigue as seguintes causas comuns de falhas do buffer de saída:

Velocidade/Duplex Inferiores para a Quantidade de Tráfego

Sua rede pode estar enviando um número excessivo de pacotes através dessa porta o qual ela não consegue processar com sua definição atual de velocidade/duplex. Isso pode acontecer quando há várias portas de alta velocidade fluindo para uma única porta (geralmente mais lenta). Você pode mover o dispositivo que trava essa porta para uma mídia mais rápida. Por exemplo, se a porta for de 10 Mbps, mova esse dispositivo para uma porta de 100 Mbps ou Gigabit. Você pode alterar a topologia para rotear os frames de maneira diferente.

Problemas de Congestionamento: O Segmento Está Muito Sobrecarregado

Se o segmento for compartilhado, é possível que outros dispositivos nesse segmento façam tantas transmissões que o switch não tenha a oportunidade de transmitir. Evite os hubs encadeados em cascata sempre que possível. O congestionamento pode levar à perda do pacote. A perda do pacote causa retransmissões na camada de transporte que, por sua vez, faz com que os usuários passem por latência no nível do aplicativo. Você pode atualizar os links de 10Mbps para 100Mbps ou Gigabit Ethernet, quando possível. Você também pode remover alguns dispositivos dos segmentos sobrecarregados para outros menos ocupados. Torne a prevenção contra o congestionamento uma prioridade em sua rede.

Aplicativos

Ocasionalmente, as características de transmissão do tráfego dos aplicativos usados podem levar a problemas no buffer de saída. As transferências de arquivos NFS provenientes de um servidor Gigabit conectado que usa o UDP (user datagram protocol) com um tamanho de janela de 32K é um exemplo de definição de aplicativo que pode gerar esse tipo de problema. Se você tiver verificado ou tentado as outras sugestões fornecidas neste documento (velocidade/duplex, ausência de erros físicos no link, todo o tráfego é o tráfego válido normal e assim por diante), a redução do tamanho de unidade enviado pelo aplicativo pode ajudar a minimizar esse problema.

Problemas de Software

Se você encontrar um comportamento que possa ser considerado apenas como "estranho", se puder associar o comportamento a um equipamento específico e se tiver examinado tudo o que foi sugerido até o momento, isso poderá indicar problemas de software ou hardware. Normalmente, é mais fácil atualizar o software do que o hardware. Altere o software primeiro.

No CatOS, use o comando show version para verificar a versão atual do software e liberar a memória flash para a atualização.

Switch> (enable) sh ver
WS-C6006 Software, Version NmpSW: 6.3(3)
Copyright (c) 1995-2001 by Cisco Systems
NMP S/W compiled on Oct 29 2001, 16:50:33
System Bootstrap Version: 5.3(1)
Hardware Version: 2.0  Model: WS-C6006  Serial #: TBA04251336
PS1  Module: WS-CAC-1300W    Serial #: SON04201377
PS2  Module: WS-CAC-1300W    Serial #: SON04201383
Mod Port Model               Serial #    Versions
--- ---- ------------------- ----------- --------------------------------------
1   2    WS-X6K-SUP1A-2GE    SAD041901PP Hw : 3.6
                                         Fw : 5.3(1)
                                         Fw1: 5.4(2)
                                         Sw : 6.3(3)
                                         Sw1: 6.3(3)
         WS-F6K-PFC          SAD041803S3 Hw : 2.0

!--- Saída truncada.

       DRAM                    FLASH                   NVRAM
Module Total   Used    Free    Total   Used    Free    Total Used  Free
------ ------- ------- ------- ------- ------- ------- ----- ----- -----
1       65408K  47274K  18134K  16384K  14009K   2375K  512K  308K  204K

!--- Saída típica de show version do CatOS.
!--- Verifica a memória livre antes de atualizar.

Uptime is 32 days, 4 hours, 44 minutes
Console> (enable)

No Cisco IOS, use o comando show version para verificar a versão atual do software e o comando dir flash: ou dir bootflash: ((dependendo da plataforma) para verificar a memória flash disponível para a atualização:

Router#sh ver
Cisco Internetwork Operating System Software
IOS (tm) Catalyst 4000 L3 Switch Software (cat4000-IS-M), Version 12.1(13)EW, EA
RLY DEPLOYMENT RELEASE SOFTWARE (fc1)
TAC Support: http://www.cisco.com/tac
Copyright (c) 1986-2002 by cisco Systems, Inc.
Compiled Fri 20-Dec-02 13:52 by eaarmas
Image text-base: 0x00000000, data-base: 0x00E638AC
ROM: 12.1(12r)EW
Dagobah Revision 71, Swamp Revision 24
trunk-4500 uptime is 2 weeks, 2 days, 6 hours, 27 minutes
System returned to ROM by redundancy reset
System image file is "bootflash:cat4000-is-mz.121-13.EW.bin"

!--- Saída típica de show version do Cisco IOS.


Router#dir bootflash:
Directory of bootflash:/
1  -rw-     8620144   Mar 22 2002 08:26:21  cat4000-is-mz.121-13.EW.bin
61341696 bytes total (52721424 bytes free)

!--- Verifica a memória flash disponível no switch executando o Cisco IOS.

Router

Como Atualizar o Software

Para obter informações sobre como atualizar o software nos switches Catalyst, escolha sua plataforma em Switches de LAN e ATM e examine a seção Configuração de Software > Atualização de Software e Trabalhando com Arquivos de Configuração.

Incompatibilidade de Hardware/Software

Poderá ocorrer uma situação em que o software não seja compatível com o hardware. Isso acontece quando o novo hardware aparece e requer suporte especial do software. Para obter mais informações sobre a compatibilidade de software, use a ferramenta Software Advisor.

Bugs no Software

O sistema operacional pode ter um bug. Se você carregar uma versão mais recente do software, geralmente esse problema poderá ser corrigido. Você pode pesquisar os bugs de software conhecidos no Software Bug Toolkit.

Imagens Danificadas

Uma imagem pode ter sido corrompida ou estar ausente. Para obter informações sobre a recuperação de imagens corrompidas, escolha sua plataforma em Switches de LAN e ATM e examine a seção Troubleshooting > Recuperação de Software Corrompido ou Ausente.

Problemas de Hardware

Verifique os resultados do comando show module nos Catalyst 6000 e 4000 Series Switches que executam o CatOS ou o Cisco IOS.

Switch> (enable) sh mod
Mod Slot Ports Module-Type               Model               Sub
Status
--- ---- ----- ------------------------- ------------------- -----------
1   1    2     1000BaseX Supervisor      WS-X6K-S2U-MSFC2    yes ok
15  1    1     Multilayer Switch Feature WS-F6K-MSFC2        no  ok
3   3    8     1000BaseX Ethernet        WS-X6408A-GBIC      no  faulty
5   5    48    10/100BaseTX Ethernet     WS-X6348-RJ-45      no  faulty

!--- O status "faulty" indica um possível problema de hardware.
!--- Isso poderia ser um problema de placa de linha, mas como dois mods são afetados,
!--- talvez haja um problema com o supervisor.
!--- Use o comando reset (CatOS) ou o comando hw-module{mod}reset (Cisco IOS),
!--- ou try physically reseating the modules and the supervisor.
!--- Além disso, tente mover o supervisor para o slot 2.

Verifique os resultados do POST do switch para ver se foi indicada alguma falha em qualquer parte do switch. Se houver falha em qualquer teste de um módulo ou porta, será exibido um 'F' nos resultados do teste.

No CatOS, use o comando show test para ver todos os resultados do teste. Para ver os resultados do teste por módulo, use o comando show test {mód}:

Switch> (enable) sh test 3
Diagnostic mode: complete   (mode at next reset: minimal)

!--- O diaglevel é definido como complete que é um teste mais longo, porém mais completo.
!--- O comando para essa operação no CatOS é set test diaglevel complete.

Module 3 : 16-port 1000BaseX EthernetLine Card Status for Module 3 : PASS
Port Status :
 Ports 1  2  3  4  5  6  7  8  9  10 11 12 13 14 15 16
 -----------------------------------------------------
       .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .
GBIC Status :
 Ports 1  2  3  4  5  6  7  8  9  10 11 12 13 14 15 16
 -----------------------------------------------------
       .  .  .  .  .  N  .  .  .  .  .  .  .  .  N  N
Line Card Diag Status for Module 3  (. = Pass, F = Fail, N = N/A)
Loopback Status [Reported by Module 1] :
 Ports 1  2  3  4  5  6  7  8  9  10 11 12 13 14 15 16
 -----------------------------------------------------
     F  F  F  F  F  F  F  F  F  F  F  F  F  F  F  F

!--- Os testes de loopback que falharam significam que as portas estão inutilizáveis no momento.
!--- Use o comando reset {mod} ou, se necessário, recoloque fisicamente o
!--- módulo para tentar corrigir este problema.
!--- Se esses passos falharem, abra uma ocorrência com o Suporte Técnico da Cisco.

No Cisco IOS, em switches modulares, como o Cat6000 e 4000, use o comando show diagnostics. Para ver os resultados do POST por módulo, use o comando show diagnostics module {mód}.

ecsj-6506-d2#sh diagnostic module 3
  Current Online Diagnostic Level = Minimal
 
  !--- O nível de diagnóstico é definido como minimal que é mais curto,
  !--- porém também fornece um resultado de teste menos completo.
  !--- Talvez você deseje configurar diagnostic level complete para obter mais resultados de teste.

  Online Diagnostic Result for Module 3 : MINOR ERROR
  Online Diagnostic Level when Line Card came up = Minimal
  Test Results: (. = Pass, F = Fail, U = Unknown)
  1 . TestLoopback :
  Port  1  2  3  4  5  6  7  8  9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24
  ----------------------------------------------------------------------------
        .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  F  F  F  F F  F
 
  !--- Observe o resultado de teste MINOR ERROR e o teste de loopback com falha o que significa
  !--- que essas portas estão inutilizáveis no momento.
  !--- Use o comando hw-module{mod}reset ou, se necessário, recoloque fisicamente o
  !--- módulo para tentar corrigir este problema.

  !--- Se esses passos falharem, abra uma ocorrência com o Suporte Técnico da Cisco.

Nota: Nos Catalyst 3750, 3550, 2970, 2950/2955 e 2900/3500XL Series Switches, use o comando show post, que indica uma simples aprovação ou falha no status hw. Use os LEDs nesses switches para ajudar a entender os resultados do POST. Consulte Compreendendo os Resultados do Post.

Para obter mais informações sobre o troubleshooting de problemas de hardware nos switches Catalyst que executam o CatOS e o Cisco IOS, vá para as páginas de suporte Switches de LAN e ATM, escolha sua plataforma e examine a seção Troubleshooting > Hardware.

Para solucionar possíveis problemas relacionados a Field Notices, consulte as Field Notices referentes a Switches de LAN e ATM.

Erros de Entrada em uma Interface de Camada 3 Conectada a uma Porta de Switch de Camada 2

Por padrão, todas as portas de camada 2 estão no modo dynamic desirable; assim, a porta de camada 2 tenta formar um link de tronco e enviar pacotes DTP para o dispositivo remoto. Quando uma interface de camada 3 é conectada a uma porta de switch de camada 2, ela não consegue interpretar esses frames, o que resulta em erros de entrada, erros WrongEncap e descartes da fila de entrada.

Para resolver esse problema, altere o modo da porta do switch para static access ou trunk de acordo com sua necessidade.

Switch2(config)#int fa1/0/12
Switch2(config-if)#switchport mode access

ou

Switch2(config)#int fa1/0/12
Switch2(config-if)#switchport trunk encapsulation dot1q

Switch2(config-if)#switchport mode trunk

Rápido Aumento do Contador Rx-No-Pkt-Buff e dos Erros de Entrada

O contador Rx-No-Pkt-Buff poderá aumentar nas portas onde há blades, como WS-X4448-GB-RJ45, WS-X4548-GB-RJ45 e WS-X4548-GB-RJ45V. Além disso, algum aumento dos descartes de pacotes é normal e resulta de tráfego intermitente.

Esses tipos de erros aumentam rapidamente, sobretudo quando o tráfego que passa por esse link é intenso ou quando há dispositivos, como servidores, conectados a essa interface. Esse elevado volume de tráfego gera uma demanda excessiva nas portas, esgotando os buffers de entrada e fazendo com que o contador Rx-No-Pkt-Buff e os erros de entrada aumentem rapidamente.

Esses tipos de erros na interface estão relacionados a um problema de tráfego nas portas com excesso de demanda. Os WS-X4448-GB-RJ45, WS-X4548-GB-RJ45 e WS-X4548-GB-RJ45V Switching Modules possuem 48 portas com excesso de demanda em seis grupos de oito portas cada:

  • Portas 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8

  • Portas 9, 10, 11, 12, 13, 14, 15, 16

  • Portas 17, 18, 19, 20, 21, 22, 23, 24

  • Portas 25, 26, 27, 28, 29, 30, 31, 32

  • Portas 33, 34, 35, 36, 37, 38, 39, 40

  • Portas 41, 42, 43, 44, 45, 46, 47, 48

As oito portas de cada grupo usam um circuito comum que multiplexa com eficiência o grupo em uma única conexão Gigabit Ethernet full-duplex sem bloqueio com o switch fabric interno. Para cada grupo de oito portas, os frames recebidos são armazenados no buffer e enviados através do link Gigabit Ethernet comum para o switch fabric interno. Se o volume de dados recebido em uma porta começar a exceder a capacidade do buffer, o controle de fluxo enviará frames de pausa para a porta remota a fim de interromper temporariamente o tráfego e evitar a perda de frames.

Se os frames recebidos em um grupo excederem a largura de banda de 1 Gbps, o dispositivo começará a descartar os frames. Esses descartes não são óbvios, uma vez que eles ocorrem no ASIC interno, e não nas interfaces reais. Isso poderá resultar em uma taxa de transferência lenta de pacotes no dispositivo.

Quando houver dispositivos que precisam transportar um grande volume de tráfego através dessa interface, considere o uso de uma porta de cada grupo, de modo que o circuito comum que compartilha um único grupo não seja afetado por esse tráfego. Quando o Gigabit Ethernet Switching Module não for totalmente utilizado, você poderá estabelecer conexões com balanceamento de porta entre os grupos de portas para maximizar a largura de banda disponível. Por exemplo, com o WS-X4448-GB-RJ45 10/100/1000 Switching Module, você poderá conectar portas de diferentes grupos, como as portas 4, 12, 20 ou 30 (em qualquer ordem), antes de conectar portas do mesmo grupo, como as portas 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7 e 8.

Se isso não resolver o problema, considere um módulo onde não haja portas com excesso de demanda.

Trunking entre um Switch e um Roteador

Os links de tronco entre um switch e um roteador podem tornar a porta do switch inativa. Embora o tronco possa ser ativado depois que você desabilitar e habilitar a porta, ela poderá ficar inativa novamente.

Para resolver esse problema, conclua estas etapas:

  1. Verifique se o CDP (Cisco Discovery Protocol) é executado entre o switch e o roteador e se ambos enxergam um o outro.

  2. Desabilite os Keepalives na interface do roteador.

  3. Reconfigure o encapsulamento de tronco nos dois dispositivos.

Quando os keepalives forem desabilitados, o CDP habilitará o link para que opere normalmente.


Discussões relacionadas da comunidade de suporte da Cisco

A Comunidade de Suporte da Cisco é um fórum onde você pode perguntar e responder, oferecer sugestões e colaborar com colegas.


Document ID: 12027