Voz : Sinalização de telefonia

Teoria de Sinalização E1 R2

23 Março 2008 - Tradução Manual
Outras Versões: Versão em PDFpdf | Tradução por Computador (29 Julho 2013) | Inglês (2 Fevereiro 2006) | Feedback


Índice

Introdução
Pré-requisitos
     Requisitos
     Componentes Usados
     Convenções
Recursos Digitais E1
Sinalização R2
     Sinalização de Linha (Sinais Supervisores)
     Sinalização entre Registros (Sinais de Controle de Configuração de Chamada)
Discussões relacionadas da comunidade de suporte da Cisco

Introdução

A sinalização R2 consiste em um sistema de sinalização de canal associada (CAS) desenvolvido na década de 1960, ainda utilizado na Europa, América Latina, Austrália e Ásia. A sinalização R2 existe em várias versões nos países ou variantes em uma versão internacional chamada Consultative Committee for International Telegraph and Telephone (CCITT-R2). As especificações da sinalização R2 estão nas recomendações de Q.400 a Q.490 do International Telecommunication Union Telecommunication Standardization Sector (ITU-T).

A sinalização E1 R2 é um padrão de sinalização internacional comum para redes E1 com canais. Não há suporte à sinalização E1 R2 nos roteadores de acesso Cisco das séries AS5200, AS5300 e AS5800. A sinalização E1 R2 foi apresentada aos roteadores Cisco das séries 2600/3600 no Cisco IOS® Software Release 12.1.2XH e 12.1(3)T e mais recente. O suporte agora está disponível nos roteadores Cisco da série 3700.

Observação: Não há suporte à sinalização R2 no roteador Cisco MC3810.

O suporte à sinalização E1 R2 permite que os roteadores Cisco da série AS5x00s e 2600/3600/3700 se comuniquem com uma central (CO) ou um tronco de central telefônica privada (PBX) e atuem como uma substituição de linha de ligação. Embora a sinalização R2 esteja definida nas recomendações ITU-T Q.400-Q.490, há muitas variações na forma que a R2 é implementada. (Vários países escolheram implementar a R2 de forma diferente.) A implementação Cisco da sinalização R2 em roteadores consegue abordar esse problema de forma a acomodar a maioria dos países.

Pré-requisitos

Requisitos

Não existem requisitos específicos para este documento. No entanto, o conhecimento sobre a sinalização CAS é uma vantagem adicional. Consulte CAS Digital (R2, E&M, FXS, FXO) para obter mais informações sobre a sinalização CAS.

Componentes Usados

Este documento não usa nenhuma versão específica de software ou hardware. Ele basicamente aborda a teoria da sinalização E1 R2. No entanto, a sinalização E1 R2 atualmente tem suporte nestes Módulos de Rede:

  • NM-HDV

  • AIM-VOICE-30

  • AIM-ATM-VOICE-30

  • NM-HD-2VE

  • NM-HDV2

  • NM-HDV2-1T1/E1

  • NM-HDV2-2T1/E1

Convenções

Consulte Convenções e Dicas Técnicas da Cisco para obter mais informações sobre convenções de documentos.

Recursos Digitais E1

A sinalização R2 opera em recursos digitais E1. A portadora dos recursos digitais E1 executa a 2.048 Mbps e possui 32 slots de tempo. Os slots de tempo de E1 são numerados de TS0 a TS31, onde TS1 a TS15 e TS17 a TS31 são utilizados para conduzir voz, codificada com modulação de código de pulso (PCM) ou para conduzir dados de 64 kbps. Esta imagem exibe os 32 slots de tempo de um quadro E1:

E1.gif

Uma operadora E1 pode usar uma estrutura multiquadros dentro de um formato Super Frame (SF) ou pode ser executada em um modo não-multiquadros sem a verificação de redundância cíclica (CRC). O formato SF contém dezesseis quadros consecutivos numerados de 0 a 15. O slot de tempo TS16 no quadro 0 é usado para o alinhamento SF, e o TS16 nos quadros restantes (de 1 a 15) é usado para a sinalização de tronco CAS. O TS16 usa quatro bits de status, designados como A, B, C e D, para finalidades de sinalização. Essa estrutura multiquadros é usada para a CRC, ou verificação de erro. Essa estrutura multiframe de 16 quadros (SF) permite que um único slot de 8 bits cuide da sinalização de linha para todos os 30 canais de dados. Este diagrama ilustra o formato E1 SF:

multiframe.gif

Sinalização R2

Os dois elementos para a sinalização R2 são a sinalização de linha (sinais supervisores) e a sinalização entre registros (sinais de controle de configuração de chamada). A maioria das variações entre os países na sinalização R2 acontece com a configuração da sinalização entre registros.

Sinalização de Linha (Sinais Supervisores)

Você pode usar a sinalização de linha, que usa o TS16 (bits A, B, C e D), para finalidades de supervisão como saudação entre duas centrais para a configuração e terminação de chamada. No caso da sinalização CCITT-R2, somente os bits A e B são usados (o bit C é configurado como 0 e o bit D é configurado como 1). Para troncos bidirecionais, as funções de supervisão para a sinalização de encaminhamento e retorno variam dependendo da chamada. Esta tabela ilustra a direção, transição e sinal de supervisão R2 usados em troncos digitais:

Observação: Um estado inativo é indicado quando A=1 e B=0.

Direção

Tipo de Sinal

Transição

Encaminhamento

Captura

A, B: 1,0 a 0,0

Encaminhamento

Clear-forward

A, B: De 0,0 a 1,0

Retorno

Reconhecimento de Captura (ACK)

A, B: De 1,0 a 1,1

Retorno

Resposta

A, B: De 1,1 a 0,1

Retorno

Clear-back

A, B: De 0,1 a 1,1

Retorno

Release-guard

A, B: De 0,1 a 1,0

A sinalização de linha é definida com estes tipos:

  • R2-Digital — O tipo de sinalização da linha R2, ITU-U Q.421, em geral utilizado para sistemas PCM (onde os bits A e B são utilizados).

  • R2-Analog — O tipo de sinalização da linha R2, ITU-U Q.411, em geral utilizado para sistemas da operadora (onde um bit de Tom/A é utilizado).

  • R2-Pulse — O tipo de sinalização da linha R2, ITU-U Suplemento 7, em geral utilizado para sistemas que usam links de satélite (onde um bit de Tom/A é pulsado).

Observação: R2-Pulse reflete os mesmos estados que a sinalização analógica. Mas o sinal analógico é um estado estático (sinal contínuo), enquanto o sinal pulsado fica ativado apenas por um curto tempo. O pulsado consiste em apenas um único pulso para refletir a alteração de estado.

Consulte Configuração e Solução de Problemas de Sinalização E1 R2 para obter mais informações sobre como configurar a sinalização de linha.

Sinalização entre Registros (Sinais de Controle de Configuração de Chamada)

O conceito de sinalização de endereço no R2 é ligeiramente diferente do utilizado em outros sistemas CAS. Na sinalização R2, os intercâmbios são considerados registros e a sinalização entre esses intercâmbios são chamadas de sinalização entre registros. A sinalização entre registros usa sinais de multifreqüência em banda de encaminhamento e retorno em cada slot de tempo para transferir números de parte chamada e chamadora, bem como a categoria da parte chamadora.

Observação: Alguns países usam o dual tone multifrequency (DTMF) em banda de dois-em-seis em vez de encaminhar e retornar sinais de multifreqüência em banda.

Os sinais de multifreqüência usados na sinalização entre registros são divididos em grupos de sinal de encaminhamento (I e II), e em grupos de sinal de retorno (A e B). A sinalização entre registros inicia após o "Seize-ACK" da linha. Este diagrama e tabela ilustram as informações sobre sinais de encaminhamento e de retorno:

fwd_bwd.gif

Grupos de Sinal de Encaminhamento

Grupos de Sinal de Retorno

Sinais do Grupo I

  • Representam o número da parte chamada ou os dígitos discados.

  • Dígitos de Dialed Number Identification Service (DNIS)/Automatic Number Identification (ANI).

  • I-1 a I-10 são dígitos de 1 a 10.

  • I-15 é o final da identificação.

Sinais do Grupo II

  • Representam a categoria da parte chamadora.

  • II-1 é assinante sem prioridade.

  • II-2 a II-9 referem-se a assinante com prioridade .

  • II-11 a II-15 são reservas para uso nacional.

Sinais do Grupo A

  • Indicam se a sinalização foi finalizada ou se um sinal de encaminhamento específico é necessário.

  • Usados para confirmar e transmitir informações sobre sinalização.

  • A-1 é enviar próximo dígito.

  • A-3 é endereço completo, alternar para recepção de sinais do Grupo-B.

  • A-4 é congestionamento.

  • A-5 é enviar categoria da parte chamadora.

  • A-6 é endereço completo, cobrança, configuração, condições de discurso.

Sinais do Grupo B

  • Enviados pelo switch de terminação para reconhecimento de um sinal de encaminhamento ou para fornecer uma cobrança de chamada e informações sobre a parte chamada.

  • Usados para reconhecer sinais de encaminhamento do Grupo II. São sempre precedidos por um sinal A-3 de endereço completo.

  • B-3 é linha de assinante ocupada.

  • B-4 é congestionamento.

  • B-5 é número não alocado.

  • B-6 é linha de assinante gratuita.

Estas regras de seqüência de grupos entre registros são usadas para identificar o grupo ao qual o sinal pertence:

  • O sinal inicial recebido pelo intercâmbio de entrada é um sinal do Grupo I.

  • Os intercâmbios de saída consideram os sinais de retorno como sinais do Grupo A.

  • Os sinais do Grupo A recebidos pelos intercâmbios de saída são usados para identificar se o sinal seguinte é um sinal do Grupo B.

  • Os sinais do Grupo B sempre indicam uma seqüência de final de sinalização.

Há três tipos de sinalizações entre registros:

  • R2-Compelled — Quando um par de tons é enviado de um switch (sinal de encaminhamento), os tons permanecem ativos até que o terminal remoto responda (envie um ACK) com um par de tons que sinalize ao switch para desativar os tons. Os tons são forçados a permanecer ativados até que sejam desativados.

  • R2-Non-Compelled — Os pares de tons são enviados (sinal de encaminhamento) como pulsos, para que permaneçam ativos por uma duração breve. As respostas (sinais de retorno) ao switch (Grupo B) são enviadas como pulsos. Não há sinais do Grupo A na sinalização não-forçada entre registros.

    Observação: A maioria das instalações utiliza a sinalização não forçada entre registros.

  • R2-Semi-Compelled — Os pares de tons de direcionamento são enviados como forçados. As respostas (sinais de retorno) ao switch são enviadas como pulsos. É o mesmo do forçado, exceto que os sinais de retorno são pulsados em vez de serem contínuos.

Observação: Não use a sinalização forçada em links lentos (satélite). O tempo de configuração da chamada é muito extenso devido aos retardos de distância.

A maioria das variações entre os países na sinalização R2 é exibida na sinalização entre registros. Parâmetros exclusivos de sinalização E1 R2 para regiões e países específicos são configurados quando você executa o comando cas-custom , seguido pelo comando country name .

Consulte Configuração e Solução de Problemas de Sinalização E1 R2 para obter mais informações sobre a configuração da sinalização entre registros e os parâmetros do comando cas-custom .


Discussões relacionadas da comunidade de suporte da Cisco

A Comunidade de Suporte da Cisco é um fórum onde você pode perguntar e responder, oferecer sugestões e colaborar com colegas.


Document ID: 5717