Voz e comunicações unificadas : Cisco TelePresence Video Communication Server (VCS)

VC Traversal e uso da licença do atendimento de NON-Traversal

19 Setembro 2015 - Tradução por Computador
Outras Versões: Versão em PDFpdf | Inglês (22 Agosto 2015) | Feedback

Introdução

Este documento descreve a diferença entre um traversal e um NON-Traversal chamar o server de comunicações de vídeo do Cisco TelePresence (VC) e o uso de licenças do atendimento.

Contribuído por engenheiros de TAC da Cisco.

Uso da licença do atendimento VC Traversal

Quando um atendimento é feito e os VC tomam os media assim como a sinalização, é um atendimento do traversal e usa uma licença do atendimento do traversal naquele VC. Estão aqui alguns exemplos dos atendimentos do traversal que exigem os VC tomar os media:

  • Para um controle VC, atendimentos a ou de um server do traversal (conhecido como o traversal do Firewall chama).

  • Para uma via expressa VC, atendimentos a ou de um cliente do traversal (atendimentos do traversal do Firewall). Os clientes de Traversal incluem o outro VCSs, porteiros, controladores da beira, ou valores-limite Traversal-permitidos.

  • Chama que gatewayed (colaborado) entre H.323 e o Session Initiation Protocol (SIP) nos VC locais.

  • Chama que gatewayed (colaborado) entre endereços do IPv4 e do IPv6 nos VC locais.

  • Para VCSs com as interfaces de rede duplas permitidas, atendimentos que são de entrada de uma porta de LAN e de partida em outra.

  • Um atendimento do Sorvo-à-SORVO quando um dos participantes for atrás de um Network Address Translation (NAT), a menos que ambos os valores-limite usarem o estabelecimento interativo da Conectividade (GELO) para o traversal NAT.

  • Chama que tem uma política da criptografia de mídias aplicada.

  • Atendimentos cifrados a e da versão 2007 do Communications Server do microsoft office (OC) ou da versão de servidor 2010 de Microsoft Lync, onde o agente de usuário lado a lado OCS/Lync (B2BUA) não é usado. Se o B2BUA é usado, o aplicativo B2BUA toma sempre os media, mas o atendimento não é classificado como um atendimento do traversal VC e não consome uma licença do atendimento do traversal (pôde ainda consumir uma licença de NON-Traversal se os VC tomam a sinalização de chamada).

Nota: A chave aumentada da opção da Colaboração OC é exigida para atendimentos cifrados ao server OC ou de Lync.

Todos atendimentos restantes são atendimentos (locais) de NON-Traversal.

Nota: Um atendimento pôde ser um traversal chama uns VC mas um local (NON-Traversal) chama uns outros VC na rota do atendimento, dependente de se cada os VC na rota estão exigidos para tomar os media.

Os atendimentos de Traversal usam mais recursos do que atendimentos de NON-Traversal, e o número de cada tipo de atendimento é licenciado separadamente. Os VC têm uma licença para um número máximo de atendimentos simultâneos do traversal que pode tomar, e outro para o número máximo de NON-Traversal simultâneo chama. A fim aumentar o número de cada tipo de atendimento que está disponível em seu conjunto VC (ou VC), você pode comprar e instalar a chave da opção apropriada. Quando cada desenvolvimento for diferente, como uma diretriz, Cisco recomenda que seu sistema tem uma relação de 10:1 dos registos às licenças da chamada simultânea.

Uso da licença do atendimento de NON-Traversal da via expressa VC

Geralmente, uma via expressa VC exige uma licença do atendimento do traversal distribuir atendimentos, mesmo para atendimentos entre os dispositivos que lhe são registrados diretamente. Isto é porque os valores-limite que são atrás dos Firewall precisam a via expressa VC de receber e enviar os media a fim garantir que o media é roteável entre os valores-limite no atendimento.

A única situação onde um atendimento que passe através de uma via expressa VC está classificado enquanto um atendimento local (de NON-Traversal) é quando combinar qualqueras um encenações:

  • Não há nenhuma colaboração SIP-to-H.323 exigida.

  • Não há nenhuma colaboração do endereço IPv4-to-IPv6 exigida.

  • O atendimento não é distribuído da via expressa VC com uma zona de Traversal.

  • Nenhuns dos valores-limite Traversal-são permitidos (nenhum dos valores-limite se registrou com aprovação ou H.460.18/19, e nenhum fez o atendimento com um pedido para a aprovação ou o H.460.18/19).

  • O atendimento é recebido de e enviado a:

    • Um valor-limite ou uma zona vizinha que seja conectada diretamente a WAN.

    • Um valor-limite ou uma zona vizinha atrás de um Firewall que tenha um gateway do SORVO ou do nível de aplicativo de H.323 (ALG) esse apoiam os atendimentos video, que faz a sinalização parecer como se o valor-limite é conectado diretamente a WAN.

    • Valores-limite localmente registrados, Gelo-permitidos (se a versão é usada X5 VC ou mais tarde).

Nota: A fim ajudar ao traversal do Firewall, todos os valores-limite do Cisco TelePresence Traversal-são permitidos, assim que uma licença do traversal está exigida sempre quando pelo menos um dos valores-limite que estão envolvidos no atendimento é um valor-limite do TelePresence.

Nota: NON-Traversal chama uma via expressa VC consome uma licença do traversal se não há nenhuma licença do atendimento de NON-Traversal disponível (se a versão está usada X5 VC ou mais tarde). Nesta encenação, o atendimento permanece um atendimento de NON-Traversal, e a via expressa VC não toma os media, mesmo que use uma licença do traversal.


Discussões relacionadas da comunidade de suporte da Cisco

A Comunidade de Suporte da Cisco é um fórum onde você pode perguntar e responder, oferecer sugestões e colaborar com colegas.


Document ID: 118872