Analytics and Automation Software : Cisco ONS 15454 SDH Multiservice Provisioning Platform (MSPP)

Informação de fiação BITS e sincronismo de BIT dado laços no ONS15454

14 Outubro 2016 - Tradução por Computador
Outras Versões: Versão em PDFpdf | Inglês (22 Agosto 2015) | Feedback


Índice


Introdução

Este documento descreve a informação da fiação do montagem de suprimento integrado de cronometragem (BITS) e apresenta um argumento para a configuração de cronometragem dada laços dos BIT no Cisco ONS 15454.

Pré-requisitos

Requisitos

A Cisco recomenda que você tenha conhecimento destes tópicos:

  • Cisco ONS 15454

  • Padrões de Telecordia do núcleo GR

Componentes Utilizados

As informações neste documento são baseadas nestas versões de software e hardware:

  • Cisco ONS 15454

As informações neste documento foram criadas a partir de dispositivos em um ambiente de laboratório específico. Todos os dispositivos utilizados neste documento foram iniciados com uma configuração (padrão) inicial. Se a sua rede estiver ativa, certifique-se de que entende o impacto potencial de qualquer comando.

Convenções

Consulte as Convenções de Dicas Técnicas da Cisco para obter mais informações sobre convenções de documentos.

Informação de fiação BITS

Cada chassi ANSI tem duas portas entrantes dos BIT (1 e 2) e duas portas que parte dos BIT (1 e 2). Dois pinos são atribuídos para cada sinal do relógio segundo as indicações da tabela 1.

Tabela 1 – BIT que prendem a carta

Dispositivo externo Função Contato Ponta ou anel
BIT 1 Para fora A3 Anel
Para fora B3 Dica
Em A4 Anel
Em B4 Dica
BIT 2 Para fora A1 Anel
Para fora B1 Dica
Em A2 Anel
Em B2 Dica

Um conector do padrão T1/E1 contém 8 pinos com active de 4 fios (1, 2, 4 e 5). O tipo de dispositivo (DCE ou DTE) define os pinos T1 segundo as indicações da tabela 2.

Tabela 2 – Pin T1 para fora

Pino # Nome DCE (rede) DTE (cliente)
1 R Anel tx Anel Rx
2 T Ponta Tx Ponta Rx
4 R1 Anel Rx Anel tx
5 T1 Ponta Rx Ponta Tx

Nota: Está aqui a chave aos termos na tabela 2:

  • Tx: Transmite fora de um dispositivo de terminação.

  • RX: Recebe dentro a um dispositivo de terminação.

  • Dica: Positivo (+).

  • Anel: Negativo (-).

Quando você conectar um DCE a um DTE (uma configuração típica), você deve usar um cabo direto reto. Se não você precisa um cabo cross-over. Por exemplo, você precisa um cabo cross-over de conectar um DTE a um outro DTE, de modo que uma ponta de Tx se comunique com uma indicação de RX, e um anel de Tx se comunique com um anel RX. Em tal cabo, fixe 1 de um conector termina sempre no pino 4 do outro conector, e o pino 2 de um conector termina sempre no pino 5 do outro conector.

Cisco recomenda cabo protegido Calibre de diâmetro de fios do twisted pair #22 ou #24 do tipo do 100-ohm. Os cabos protegidos 5 do twisted pair da categoria encontram este critério. Use condutores contínuos firmemente envolvendo. Também, Line Build Out da disposição corretamente para minimizar edições cabo-relacionadas.

O RJ-48C e RC-45 são dois conectores comuns que você pode usar para a terminação T1. Ambos têm oito pinos.

As conexões T1/E1 cronometrando envolvem os dados simples, que referem uma comunicação de sentido único do origem de cronometragem ao receptor. Consequentemente, você exige somente dois fios para cada sinalização de cronometragem. A fim assegurar-se de que a porta não vá para baixo, o fornecedor pode provision um loopback interno para a porta. A fim conectar BIT cronometre aos BIT nos pinos, conecte o anel para soar e derrubar para derrubar. Por exemplo, para BITS1 dentro, você deve prender o pino 1 ao A4 e fixar 2 ao B4.

Para o chassi ETSI, quatro conectores coaxiais diminutos fornecem duas entradas e duas saídas. Você pode encontrá-los no cartão do SLOT 24 MIC-C/T/P em FMEC. Os dois conectores superiores são para os BIT 1 (à esquerda e para fora à direita) e os dois conectores inferiores são para os BIT 2 (na esquerda e para fora à direita). O cabo é um cabo coaxial 75-ohm com um conector coaxial de 1.0/2.3 miniaturas.

Sincronismo de BIT dado laços

Um modo de cronometragem misturado usa externos e a linha entradas como referências. O perigo com sincronismo misturado é o potencial para loop de sincronização. Como uma alternativa a sincronismo misturado, você pode usar as saídas de bits que você deriva de uma linha ótica como uma entrada ao BIT secundários. Há diversas maneiras de prender e provision o sincronismo de BIT dado laços (veja figura 1 para um exemplo).

Figura 1 – Circuito do sincronismo ONS15454

bits_wiring_timing_01.gif

Nota: O uso da configuração de BIT dada laços não impede loop de sincronização. Use o mesmo cuidado que com o abastecimento misturado do modo.

Prenda um dos dois BIT para fora (BIT 1 para fora) diretamente aos segundo bit nos pinos (veja figura 2).

Figura 2 – Uma configuração de BIT dada laços amostra

bits_wiring_timing_02.gif

O pino A3 do fio é fixar o A2 e o pino B3 é ao pino B2. BIT 1 do fio dentro como discutido previamente.

BIT 2 da disposição dentro como uma segunda referência externa, além do que os BIT do dispositivo anexado dos BIT (a referência principal). Similarmente, o fio e provision o NE1 e o NE2.

O NE4 deriva a cronometragem principal do NE1, e a cronometragem secundária do NE3. O NE3 deriva a cronometragem principal do NE2, e a cronometragem secundária do NE4. Permita o Source Specific Multicast (SSM) em todos os Nós.

A fim ativar para fora BIT, provision duas linhas como os origens de cronometragem para os BIT 1 para fora. No NE1, uma porta no entalhe 12 é o origem principal e uma porta no entalhe 6 é o origem secundária. No NE2, o entalhe 6 é o origem principal e o entalhe 12 é o origem secundária.

A tabela 3 mostra a informação de provisionamento do sincronismo para todos os quatro Nós.

Tabela 3 – Informação de provisionamento cronometrando

Dispositivo Modo de cronometragem Primário Secundário Terceiro BIT 1 para fora preliminares BIT 1 para fora secundários
NE1 Externo BIT 1 dentro BIT 2 dentro Interno 12 6
NE2 Externo BIT 1 dentro BIT 2 dentro Interno 6 12
NE3 Linha 6 12 Interno - -
NE4 Linha 12 6 Interno - -

Você pode analisar pelo menos três cenários de falha para este esquema do sincronismo, como explicado aqui:

  • Cenário 1: O origem de bit 1 falha

    Quando o origem de bit 1 falha, o NE1 comuta aos BIT 2, que é derivado do entalhe 12 e assim do origem de bit 2. Não há nenhum interruptor cronometrando em nenhuns outros Nós.

  • Cenário 2: Falha do origem de bit 1 e do origem de bit 2

    Quando o origem de bit 2 igualmente falha após a falha do origem de bit 1, o NE2 incorpora o modo remanescente do período anterior, porque o NE2 recebe o DUS dos entalhes 6 e 12. Todos os quatro Nós são cronometrados do oscilador interno do NE2.

  • Cenário 3: Origem de bit 1 e o link entre a falha NE1 e NE2

    Quando o origem de bit 1 falha e o link entre o NE1 e o NE2 falha depois disso, o NE1 incorpora o modo remanescente do período anterior porque o NE1 recebe o DUS do Switches NE4 do entalhe 6. ao origem secundária do NE3, e remove o DUS que o NE1 recebe. Consequentemente, o NE1 pode comutar dentro aos BIT 2.


Informações Relacionadas


Document ID: 65352