Voz : H.323

Voice Design and Implementation Guide (Manual de projetos e implementação de voz)

19 Setembro 2015 - Tradução por Computador
Outras Versões: Versão em PDFpdf | Inglês (22 Agosto 2015) | Feedback


Índice


Introdução

Este documento detalha o projeto e os princípios de implementação para tecnologias de voz.

Pré-requisitos

Requisitos

Não existem requisitos específicos para este documento.

Componentes Utilizados

Este documento não se restringe a versões de software e hardware específicas.

Convenções

Para obter mais informações sobre convenções de documento, consulte as Convenções de dicas técnicas Cisco.

Projete um Plano de discagem para redes de roteador com capacidade de voz

Embora a maioria de povos não fossem colocados ao corrente com os Planos de discagem por nome, tornaram-se habituados a usá-los. A rede telefônica norte-americana é projetada em torno de um Plano de discagem 10-digit que consista em códigos de área e em números de telefone do 7-dígito. Para os números de telefone situados dentro de um código de área, um Plano de discagem do 7-dígito é usado para a rede telefônica pública comutada (PSTN). As características dentro de uma máquina do interruptor do telefone (tal como Centrex) permitem o uso de um Plano de discagem do costume 5-digit para os clientes específicos que subscrevem a esse serviço. Os centrais telefônica privada (PBX) igualmente permitem os Planos de discagem do comprimento variável que contêm três a onze dígitos. Os Planos de discagem contêm testes padrão de discagem específicos para um usuário que queira alcançar um número de telefone particular. Os códigos de acesso, códigos de área, especializaram códigos, e as combinações dos números de dígitos discados são todas as parte de todo o Plano de discagem particular.

Os Planos de discagem exigem o conhecimento da topologia de rede do cliente, dos testes padrão de discagem atuais do número de telefone, do roteador proposto/locais do gateway, e das exigências do roteamento de tráfego. Se os Planos de discagem são para uma rede de voz interna privada que não esteja alcançada pela rede de voz exterior, os números de telefone podem ser todo o número de dígitos.

O processo de design do Plano de discagem começa com a coleção da informação específica sobre o equipamento a ser instalados e a rede a que deve ser conectada. Termine uma lista de verificação da preparação do local para cada unidade na rede. Esta informação, acoplada com um diagrama da rede, é a base para o projeto de plano do número e as configurações correspondentes.

Os Planos de discagem são associados com as redes telefônica a que são conectados. São baseados geralmente em planos de numeração e o tráfego em termos do número de chamadas de voz a rede é esperado levar.

Para obter mais informações sobre dos dial peer de Cisco IOS�, refira estes documentos:

Plano de numeração norte-americana

O North American Numbering Plan (NANP) consiste em um Plano de discagem 10-digit. Isto é dividido em duas porções básicas. Os primeiros três dígitos referem o Numbering Plan Area (o NPA), referido geralmente como o “código de área.” Os sete dígitos permanecendo são divididos igualmente em duas porções. Os primeiros três números representam o código da sede (cia.). Os quatro dígitos permanecendo representam um número da estação.

O NPA, ou os códigos de área, são fornecidos neste formato:

  • N 0/1/2/3

    • N é um valor de dois a nove.

    • O segundo dígito é um valor de zero a oito.

    • O terceiro dígito é um valor de zero a nove.

O segundo dígito, quando grupo a um valor de zero a oito, for usado para distinguir imediatamente entre números de 10- e de 7-dígito. Quando os segundos e terceiros dígitos são ambo o “”, este indica uma ação especial.

  • 211 = reservou.

  • 311 = reservou.

  • 411 = assistência de diretório.

  • 511 = reservou.

  • 611 = serviço de reparo.

  • 711 = reservou.

  • 811 = escritório de negócio.

  • 911 = emergência.

Adicionalmente, o NPA codifica igualmente os códigos de acesso do serviço de assistência (SAC). Estes códigos apoiam 700, 800, e 900 serviços.

Códigos da sede

Os códigos CO são atribuídos dentro de um NPA pelo Bell Operating Company do serviço (BOC). Estes códigos CO são reservados para o uso especial:

  • 555 = assistência de diretório do pedágio

  • 844 = serviço de tempo

  • 936 = serviço do tempo

  • 950 = portadores da inter-troca do acesso (IXC) sob o acesso do grupo “B” da característica

  • 958 = teste de planejamento

  • 959 = teste de planejamento

  • 976 = serviço de entrega da informação

Alguns códigos de "NN0" (dígito último "0") são reservados igualmente.

Códigos de acesso

Um "1" é transmitido normalmente como o primeiro dígito para indicar umas ligações nacional interurbanas. Contudo, alguns códigos especiais do prefixo 2-digit são usados igualmente:

  • 00 = assistência de operador da Inter-troca

  • 01 = usado para o International Direct Distance Dialing (IDDD).

  • 10 = usado como parte da sequência 10XXX. O “XXX” especifica o acesso igual IXC.

  • 11 = código de acesso para serviços de chamada personalizados. Esta é a mesma função que é conseguida pela chave multifrequency do tom dual (DTMF) “*”.

A sequência 10XXX significa um código de acesso do portador (CAC). O “XXX” é um número 3-digit atribuído ao portador com Bellcore, como:

  • 031 = ALC/Allnet

  • 222 = MCI

  • 223 = cabo e Sem fio

  • 234 = longa distância ACC

  • 288 = AT&T

  • 333 = sprint

  • 432 = Litel (LCI International)

  • 464 555 = WilTel

  • 488 = Metromedia Communication

Os códigos de acesso 1010XXX e 1020XXX novos são adicionados. Verifique seu diretório de telefone local para ver se há uma lista atualizada.

Plano de numeração internacional CCITT

No início dos anos 1960, o comitê consultivo para telégrafo e telefone internacional (CCITT) desenvolveu um plano de numeração que dividisse o mundo em nove zonas:

  • 1 = America do Norte

  • 2 = África

  • 3 = Europa

  • 4 = Europa.

  • 5 = América Central e do Sul

  • 6 = Pacíficos Sul

  • 7 = URSS

  • 8 = Extremo Oriente

  • 9 = Médio Oriente e 3Sudeste Asiático

Adicionalmente, cada país é atribuído um código de país (CC). Este é um, dois, ou três dígitos por muito tempo. Começa com um dígito da zona.

O método recomendado pelo Setor de Padronização de Telecomunicação da União de Telecomunicação Internacional (ITU-T) (anteriormente o CCITT) é mostrado na recomendação E.123. Os números de formato internacionais usam o sinal positivo (+), seguido pelo código de país, então o código do Subscriber Trunk Dialing (STD), se algum (sem dígitos comuns do prefixo do código STD/area ou dígitos interurbanos do acesso), então o número local. Estes números (dados como exemplos somente) descrevem alguns dos formatos usados:

Cidade Número doméstico Formato internacional
Toronto, Canadá (416) 872-2372 + 1 416 872 2372
Paris, França 01 33 33 33 33 + 33 1 33 33 33 33
Birmingham, UK (0121) 123 4567 + 44 121 123 4567
Colon, Panama 441-2345 + 507 441 2345
Tóquio, Japão (03) 4567 8901 + 81 3 4567 8901
Hong Kong 2345 6789 + 852 2345 6789

Na maioria dos casos, o 0 inicial de um código STD não formam parte do número de formato internacional. Alguns países usam um prefixo comum de 9 (tal como Colômbia, e anteriormente Finlandia). Os códigos STD de alguns países são usados enquanto são, onde os dígitos do prefixo não estão parte do código de área (como é o caso em America do Norte, em México, e em diversos outros países).

Como indicado na tabela do exemplo, o código de país "1" é usado para o Estados Unidos, Canadá, e muitas nações caribenha sob o NANP. Este fato também não está publicado por companhias telefônica americanas e canadenses enquanto está em outros países. "1" é discado primeiramente em chamadas interurbanas domésticas. É uma coincidência que este é idêntico ao código de país 1.

Os dígitos que seguem + sinal representam o número enquanto é discado em uma chamada internacional (isto é, o código discando ultramarino da companhia telefônica seguido pelo número internacional após + sinal).

Códigos de acesso - Discagem internacional

Os códigos de acesso para o discagem internacional dependem do país de que uma chamada internacional é colocada. O prefixo internacional o mais comum é 00 (seguido pelo número de formato internacional). Uma recomendação do ITU-T especifica 00 como o código preferido. Em particular, European Union (EU) as nações estão adotando 00 como o código de acesso internacional padrão.

Códigos de países

Código de país País, área geográfica Nota de serviço
0 Reservado a
1 Anguila b
1 Antígua e barbuda b
1 Bahamas (comunidade do) b
1 Barbados b
1 Bermuda b
1 Ilhas Virgens britânicas b
1 Canadá b
1 Ilhas Caimão b
1 República dominicana b
1 Granada b
1 Jamaica b
1 Monserrate b
1 Porto Rico b
1 Saint Kitts e Nevis b
1 Santa lúcia b
1 São Vicente e Granadinas b
1 Trinidad e Tobago b
1 Ilhas Turcos e Caicos b
1 Estados Unidos da América b
1 United States Virgin Islands b
20 Egito (República Árabe de)  
21 Argélia (a república democrática do pessoa de) b
21 Líbia (o Jamahyria Popular Socialista da Líbia Jamahiriya do pessoa socialista) b
21 Marrocos (reino de) b
21 Tunísia b
220 Gâmbia (república do)  
221 Senegal (república de)  
222 Mauritânia (república Islâmica de)  
223 Mali (república de)  
224 Guiné (república do)  
225 D'Ivoire da costa (república de)  
226 Burkina Faso  
227 Niger (república do)  
228 República Togolesa  
229 Benin (república de)  
230 Maurícias (república de)  
231 Libéria (república de)  
232 Serra Leoa  
233 Gana  
234 Nigéria (república federativa de)  
235 Chade (república de)  
236 República Centro-Africana  
237 República dos Camarões (república de)  
238 Cabo Verde (república de)  
239 Sao Tome and Principe (república democrática de)  
240 Guiné equatorial (república de)  
241 República do Gabão  
242 Congo (república do)  
243 Zaire (república de)  
244 Angola (república de)  
245 Guiné-Bissau (república de)  
246 Diego Garcia  
247 Ascensão  
248 Seychelles (república de)  
249 Sudão (república do)  
250 República Ruandesa  
251 Etiópia  
252 República democrática da somália  
253 Jibuti (república de)  
254 Kenya (república de)  
255 Tanzânia (república unida de)  
256 Uganda (república de)  
257 Burundi (república de)  
258 Moçambique (república de)  
259 Zanzibar (Tanzânia)  
260 Zâmbia (república de)  
261 Madagáscar (república de)  
262 Reunião (departamento francês de)  
263 Zimbabwe (república de)  
264 Namíbia (república de)  
265 Malawi  
266 Lesoto (reino de)  
267 Botswana (república de)  
268 Suazilândia (reino de)  
269 Comores (república federativa islâmica do) c
269 Mayotte (francaise de la Republique do territoriale de Collectivite) c
270 África do Sul (república de) c
280-289 Códigos sobressalente  
290 Santa Helena d
291 Eritreia  
292-296 Códigos sobressalente  
299 Gronelândia (Dinamarca)  
30 Grécia  
31 Países Baixos (reino do)  
32 Bélgica  
33 França  
33 Mônaco (principado de) b
34 Espanha b
350 Gibraltar  
351 Portugal  
352 Luxemburgo  
353 Irlanda  
354 Islândia  
355 Albânia (república de)  
356 Malta  
357 Chipre (república de)  
358 Finlandia  
359 Bulgária (república de)  
36 Hungria (república de)  
370 Lituânia (república de)  
371 Letónia (república de)  
372 Estónia (república de)  
373 Moldova (república de)  
374 Arménia (república de)  
375 Bielorrússia (república de)  
376 Andorra (principado de)  
377 Mônaco (principado de) e
378 São Marino (república de) f
379 Vatican City State  
380 Ucrânia  
381 Jugoslávia (república federativa de)  
382-384 Códigos sobressalente  
385 Croácia (república de)  
386 Eslovénia (república de)  
387 Bósnia e Herzegovina (república de)  
388 Código sobressalente  
389 O Antiga República Iugoslava da Macedônia  
39 Itália  
40 Roménia  
41 Liechtenstein (principado de)  
41 Suíça (confederação de) b
42 República tcheca b
42 República Eslovaca b
43 Áustria b
44 Reino Unido da Grã Bretanha e da Irlanda do Norte  
45 Dinamarca  
46 Suécia  
47 Noruega  
48 Polônia (república de)  
49 Alemanha (república federativa de)  
500 Ilhas Falkland (Malvinas)  
501 Belize  
502 Guatemala (república de)  
503 El Salvador (república de)  
504 Honduras (república de)  
505 Nicarágua  
506 Costa Rica  
507 Panamá (república de)  
508 St Pierre-miquelon (francaise de la Republique do territoriale de Collectivite)  
509 Haiti (república de)  
51 Peru  
52 México  
53 Cuba  
54 República Argentina  
55 Brasil (República federativa de)  
56 O Chile  
57 Colômbia (república de)  
58 Venezuela (república de)  
590 Guadalupe (departamento francês de)  
591 Bolívia (república de)  
592 Guiana  
593 Equador  
594 Guiana (departamento francês de)  
595 Paraguai (república de)  
596 Martinica (departamento francês de)  
597 Suriname (república de)  
598 Uruguai (República Oriental de)  
599 Antilhas holandesas  
60 Malásia  
61 Austrália i
62 Indonésia (república de)  
63 Filipinas (república do)  
64 Nova Zelândia  
65 Singapura (república de)  
66 Tailândia  
670 Ilhas Marianas do Norte (comunidade do)  
671 Guam  
672 Territórios de externo australiano j
673 Brunei darussalam  
674 Nauru (república de)  
675 Papuásia-Nova Guiné  
676 Tonga (reino de)  
677 Ilhas salomão  
678 Vanuatu (república de)  
679 Fiji (república de)  
680 Palau (república de)  
681 Wallis e Futuna (Território francês no exterior)  
682 Ilhas cook  
683 Niue  
684 Samoa Americana  
685 SAMOA OCIDENTAL (estado independente de)  
686 Kiribati (república de)  
687 Nova Caledônia (Território francês no exterior)  
688 Tuvalu  
689 Polinésia Francesa (Território francês no exterior)  
690 Tokelau  
691 Micronésia (estados federados de)  
692 Ilhas Marshall (república do)  
693-699 Códigos sobressalente  
7 Cazaquistão (república de) b
7 República do Quirguistão b
7 Federação russa b
7 Tajiquistão (república de) b
7 Turquemenistão b
7 Usbequistão (república de) b
800 Reservado - atribuído para o UIFS considerado  
801-809 Códigos sobressalente d
81 Japão  
82 Coreia (república de)  
830 - 839 Códigos sobressalente d
84 Vietname (República Socialista de)  
850 Democratic Peoples Republic of Korea  
851 Código sobressalente  
852 Hong Kong  
853 Macau  
854 Código sobressalente  
855 Camboja (reino de)  
856 Lao People's Democratic Republic  
857 - 859 Códigos sobressalente  
86 China (República Popular de) g
870 Reservado - Teste Inmarsat SNAC  
871 Inmarsat (Oceano-leste atlântico)  
872 Inmarsat (oceano pacífico)  
873 Inmarsat (Oceano Índico)  
874 Inmarsat (Oceano-oeste atlântico)  
875 - 879 Reservado - Aplicativos de serviço móvel marítimo  
880 Bangladesh (República Popular de)  
881 - 890 Códigos sobressalente d
890 - 899 Códigos sobressalente d
90 Turquia  
91 Índia (república de)  
92 Paquistão (república Islâmica de)  
93 Afeganistão (estado islâmico de)  
94 Sri Lanka (República socialista democrática de)  
95 Myanmar (união de)  
960 Maldivas (república de)  
961 Líbano  
962 Jordânia (Reino Hashemita da Jordânia de)  
963 República árabe síria  
964 Iraque (república de)  
965 Kuwait (estado de)  
966 Arábia Saudita (reino de)  
967 Iémen (república de)  
968 Omã (sultanato de)  
969 Reservado - reserva atualmente sob a investigação  
970 Código sobressalente  
971 Emirados árabes unidos h
972 Israel (estado de)  
973 Barém (estado de)  
974 Catar (estado de)  
975 Butão (reino de)  
976 Mongólia  
977 Nepal  
978 - 979 Códigos sobressalente  
98 Irã (república Islâmica de)  
990 - 993 Códigos sobressalente  
994 República do Azerbaijão  
995 Geórgia (república de)  
996 - 999 Códigos sobressalente  

Notas de serviço:

  • a - A atribuição não era praticável até depois de dezembro 31, 1996.

  • b - Plano de numeração integrado.

  • c - Codifique compartilhado entre as Ilhas Maiote e o Comores (república federativa islâmica de).

  • d - São somente os códigos 3-digit atribuídos dos grupos de dez são esgotados afinal.

  • e - Antes dezembro de 17, 1994, as parcelas de Andorra cada um foram servidas pelos códigos de país 33 e 34.

  • f - Reservado ou atribuído a Mónaco para uso futuro (igualmente veja o código 33).

  • g - Referência.: O no. 1157 da notificação de 10.XII.1980, o código 866 é atribuído à província de Taiwan.

  • h - U.A.E.: Abu Dhabi, Ajman, Dubai, Fujeirah, Ras al Khaimah, Sharjah, Umm Al Qaiwain

  • mim - Incluindo ilhas dos cocos-Keeling - Oceano Índico dos territórios de externo australiano

  • j - Inclui as bases de Território Antártico Australiano, as ilhas christmas, e a ilha norfolk

Engenharia de tráfego

A engenharia de tráfego, enquanto se aplica às redes de voz tradicional, determina o número de troncos necessários levar uma quantidade requerida de chamadas de voz durante um período de tempo. Para desenhistas de uma Voz sobre a rede X, o objetivo é fazer sob medida corretamente o número de troncos e provision a quantidade apropriada de largura de banda necessária levar a quantidade de troncos determinada.

Há dois tipos de conexão diferentes a estar cientes de. São linhas e troncos. As linhas permitem que os aparelhos telefônico sejam conectados aos switch de telefones, como PBX e switch CO. Os troncos conectam o Switches junto. Um exemplo de um tronco é uma linha tie que interconecta PBX (ignore o uso da “linha” na indicação da linha tie. É realmente um tronco).

Switches do uso das empresas a atuar como concentradores porque o número de aparelhos telefônico exigidos é geralmente maior do que o número de chamadas simultâneas que precisam de ser feitas. Por exemplo, uma empresa tem 600 aparelhos telefônico conectados a um PBX. Contudo, tem somente quinze troncos que conectam o PBX ao switch CO.

A engenharia de tráfego uma Voz sobre a rede X é um processo de cinco etapas.

Os passos são:

  • Recolha os dados de tráfego da voz existente.

  • Categorize o tráfego por grupos.

  • Determine o número de troncos físicos exigidos para encontrar o tráfego.

  • Determine a combinação adequada de troncos.

  • Converta o número de erlangs do tráfego aos pacotes ou às pilhas por segundo.

  1. Recolha o tráfego de voz existente.

    Do portador, recolha esta informação:

    • Contas peg para os atendimentos oferecidos, os atendimentos abandonados, e todos os troncos ocupados.

    • Avaliação da grade de serviços (GoS) para grupos de troncos.

    • Tráfego total levado pelo grupo de troncos.

    • Contas telefônica para ver as taxas do portador.

    Os termos usados aqui são cobertos com maiores detalhes nas próximas seções deste documento. Para os melhores resultados, obtenha um valor de duas semanas do tráfego.

    O departamento interno de telecomunicações fornece o Call Detail Records (CDR) para PBX. Esta informação grava os atendimentos que são oferecidos. Contudo, não fornece a informação nos atendimentos que são obstruídos porque todos os troncos são ocupados.

  2. Categorize o tráfego por grupos.

    Na maioria grandes de negócios, é mais eficaz na redução de custos aplicar a engenharia de tráfego aos grupos de troncos que servem uma finalidade comum. Por exemplo, chamadas de serviço do cliente de entrada separadas em um grupo de tronco separado distintamente diferente das chamadas feitas gerais.

    Comece separando o tráfego em de entrada e em direções externas. Como um exemplo, o tráfego de saída do grupo em distâncias chamou a longa distância local, local, intra-estado, de um estado a outro, e assim por diante. É importante quebrar o tráfego pela distância porque a maioria de tarifas estão a uma distância sensível. Por exemplo, o serviço de telefonia da área ampla (WATS) é uma opção de tipo de serviço no Estados Unidos que use faixas da distância para propósitos de faturamento. Estados adjacentes das tampas da faixa uma. Tem uns custos mais baixos do que, por exemplo, um serviço da faixa cinco que abranja os estados unidos continental inteiros.

    Determine a finalidade dos atendimentos. Por exemplo, que eram os atendimentos para? Eram usaram-se para o fax, modem, centro de chamadas, 800 para o serviço de cliente, 800 para o correio de voz, trabalhadores à distância, e assim por diante.

  3. Determine o número de troncos físicos exigidos para encontrar as necessidades do tráfego.

    Se você conhece a quantidade de tráfego gerada e o GoS exigido, calcule o número de troncos exigidos para encontrar suas necessidades. Use esta equação para calcular o fluxo de tráfego:

    A = C x T 

    A é o fluxo de tráfego. O C é o número de atendimentos que originam durante um período de uma hora. T é o tempo de contenção médio de um atendimento.

    O C é o número de atendimentos originados, não levados. A informação recebida do portador ou dos CDR internos da empresa é em termos do tráfego levado e do tráfego não oferecido, como é fornecido geralmente por PBX.

    O tempo de contenção de um atendimento (T) deve esclarecer o tempo médio onde um tronco é ocupado. Deve fatorar nas variáveis diferentes do comprimento de uma conversação. Isto inclui o momento exigido discando e soando (estabelecimento de chamada), a hora de terminar o atendimento, e um método de amortizar busy signais (sinal ocupado) e atendimentos NON-terminados. Adicionar dez por cento a dezesseis por cento ao comprimento de uma chamada média ajuda a esclarecer estes segmentos variados do tempo.

    O tempo de contenção baseado em registros de faturamento do atendimento pôde precisar de ser ajustado com base no incremento do faturamento. Os registros de faturamento baseados nos incrementos um minutos exageram atendimentos em 30 segundos em média. Por exemplo, uma conta que mostre 404 atendimentos que totalizam 1834 minutos do tráfego precisa de ser ajustada como isto:

    • 404 atendimentos x 0.5 minutos (exagerados comprimento do atendimento) = 202 minutos adicionais do atendimento

    • Retifique o tráfego ajustado: 1834 - 202 = 1632 minutos reais do atendimento

    A fim fornecer “um nível aceitável do serviço,” da engenharia de tráfego baixa em um GoS durante o pico ou as horas ocupadas. O GoS é uma unidade de medida da possibilidade que um atendimento está obstruído. Por exemplo, um GoS de P(.01) significa que um atendimento está obstruído em 100 tentativas de chamada. Um GoS P(.001) de resultados em um atendimento obstruído por 1000 tentativas. Olhe tentativas de chamada durante a hora a mais ocupada do dia. A maioria de método preciso para encontrar a hora a mais ocupada é tomar os dez dias os mais ocupados em um ano, somar o tráfego em uma base de hora em hora, encontrar a hora a mais ocupada, a seguir para derivar o valor médio do tempo.

    Em America do Norte os dias 10 os mais ocupados do ano são usados para encontrar a hora a mais ocupada. Os padrões tais como o Q.80 e o Q.87 usam outros métodos para calcular as horas ocupadas. Use um número que seja suficientemente grande a fim fornecer um GoS para condições ocupadas e não o tráfego médio da hora.

    O volume de tráfego na engenharia de telefone é medido nas unidades chamadas erlangs. Um erlang é uma a quantidade de tráfego dos punhos do tronco em uma hora. É uma unidade NON-dimensional que tenha muitas funções. A maneira a mais fácil de explicar erlangs é com o uso de um exemplo.

    Supõe que você tem dezoito troncos que levam nove erlangs do tráfego com uma duração média de todos os atendimentos de três minutos. Que é o número médio de troncos ocupados, o número de origens de chamada em uma hora, e o tempo onde toma para terminar todos os atendimentos?

    1. Que é o número médio de troncos ocupados?

      Com as nove erlangs do tráfego, nove troncos são ocupados desde que um erlang é uma a quantidade de tráfego dos punhos do tronco em uma hora.

    2. Que é o número de origens de chamada em uma hora?

      Dado que há nove erlangs do tráfego em uma hora e em uma média de três minutos pelo atendimento, converte uma hora aos minutos, multiplica o número de erlangs, e divide o total na duração média de chamada. Isto rende 180 atendimentos.

      • Nove em uma hora multiplicada em 60 minutos/hora dividida em três minutos/atendimento = 180 atendimentos.

      As erlangs são dimensionless. Contudo, são providos às horas.

    3. Que é o tempo onde toma para terminar todos os atendimentos?

      Com 180 atendimentos que últimos três minutos pelo atendimento, o tempo total é 540 minutos, ou nove horas.

    Outras medições equivalente que você pode potencialmente encontrar para incluir:

    • 1 erlang =

      60 minutos do atendimento =

      3600 segundos do atendimento =

      36 segundos do atendimento do centum (CCS)

    Uma maneira simples calcular as horas ocupadas é recolher o um valor do mês comercial do tráfego. Determine a quantidade de tráfego que ocorre em um dia baseado em vinte e dois dias úteis em um mês. Multiplique esse número por quinze por cento a dezessete por cento. Geralmente, o tráfego das horas ocupadas representa quinze por cento a dezessete por cento do tráfego total que ocorre em um dia.

    Uma vez que você determinou a quantidade de tráfego nas erlangs que ocorre durante as horas ocupadas, a próxima etapa é determinar o número de troncos exigidos para encontrar um GoS particular. O número de troncos exigidos difere baseado nas suposições da probabilidade do tráfego.

    Há quatro suposições básicas:

    • Quantas fontes de tráfego há?

    • Que são as características de chegada do tráfego?

    • Como as chamadas perdidas (atendimentos que não são prestadas serviços de manutenção) são seguradas?

    • Como o interruptor segura a atribuição do tronco?

Origens potenciais

A primeira suposição é o número de origens potenciais. Às vezes, há uma diferença principal entre o planeamento para um infinito contra um pequeno número de fontes. Para este exemplo, ignore o método de como isto é calculado. A tabela aqui compara a quantidade de tráfego que o sistema precisa de levar dentro erlangs à quantidade de origens potenciais que oferecem o tráfego. Supõe que o número de posses dos troncos constantes em dez para um GoS de .01.

Somente 4.13 erlangs são levadas se há um número infinito de origens. A razão para este fenômeno é que como o número de fontes aumenta, a probabilidade de uma distribuição mais larga no tempo de chegada e tempo de contenção de aumentos dos atendimentos. Como o número de fontes diminui, a capacidade para levar aumentos do tráfego. Na extremidade, os suportes de sistema dez erlangs. Há somente uns origens de ten. Assim, se fazendo sob medida um PBX ou um sistema chave em um escritório remoto, você pode obter perto com menos troncos e ainda oferecer o mesmo GoS.

Distribuição de poisson com os troncos 10 e um P de 0.01 *

Número de fontes Capacidade de tráfego (erlangs)
Infinito 4.13
100 4.26
75 4.35
50 4.51
25 4.84
20 5.08
15 5.64
13 6.03
11 6.95
10 10

Nota: As equações usadas tradicionalmente na engenharia de telefone são baseadas no padrão de chegada de poisson. Esta é uma distribuição exponencial aproximada. Esta distribuição exponencial indica que um pequeno número de atendimentos são muito curtos de comprimento, um grande número atendimentos é somente um a dois minutos de comprimento. Enquanto os atendimentos alongam diminuem exponencialmente em número com um número muito pequeno de atendimentos sobre dez minutos. Embora esta curva não duplique exatamente uma curva exponencial, encontra-se para ser bastante próximo na prática real.

Características de chegada do tráfego

A segunda suposição trata as características de chegada do tráfego. Geralmente, estas suposições são baseadas em uma distribuição de tráfego de Poisson onde as chegadas de chamada sigam uma curva em formato de sino clássica. A distribuição de poisson é de uso geral para origens de tráfego infinitos. Nos três gráficos aqui, a linha central vertical mostra que a distribuição de probabilidade e a linha central horizontal mostram os atendimentos.

Tráfego aleatório

random_traffic.gif

Resultado ajuntado dos atendimentos no tráfego que tem um teste padrão liso-dado forma. Este teste padrão ocorre mais frequentemente com origens finita.

Tráfego liso

smooth_traffic.gif

O tráfego repicado ou áspero é representado por uma forma enviesada. Este fenômeno ocorre quando o tráfego rola de um grupo de troncos a outro.

Tráfego áspero ou repicado

rough_traffic.gif

Chamadas perdidas do punho

Como segurar chamadas perdidas é a terceira suposição. A figura aqui descreve as três opções disponíveis quando a estação que você chama não responde:

  • Chamadas perdidas canceladas (LCC).

  • Chamadas perdidas guardadas (LCH).

  • Chamadas perdidas atrasadas (LCD).

/image/gif/paws/5756/traffic_char.gif

A opção LCC supõe que uma vez que um atendimento está colocado e o server (rede) está ocupado ou não disponível, o atendimento desaparece do sistema. Essencialmente, você para e faz algo diferente.

A opção LCH supõe que um atendimento está no sistema para a duração do tempo de contenção, apesar de mesmo se o atendimento está colocado. Essencialmente, você continua a riscar para enquanto o tempo de contenção antes que você pare.

Recordar, ou riscar, são uma consideração importante do tráfego. Supõe que 200 atendimentos estão tentados. Quarenta recebem busy signais (sinal ocupado) e tentam riscar. Isso conduz a 240 tentativas de chamada, um aumento de 20%. O grupo de troncos fornece agora um GoS mesmo mais deficiente do que pensou inicialmente.

A opção LCD significa que uma vez que um atendimento é colocado, permanece em uma fila até que um server esteja pronto para a segurar. Então usa o server pelo tempo de contenção completo. Esta suposição é a mais de uso geral para sistemas da distribuição automática de chamada (ACD).

A suposição que as chamadas perdidas cancelam o sistema tende a atenuar o número de troncos exigidos. Por outro lado, o LCH exagera o número.

Como o interruptor segura a atribuição do tronco

A quarta e suposição final centra-se em torno do equipamento de switching próprio. No circuito comute o ambiente, muitos do Switches maior do bloco do Switches. Isto é, não cada entrada tem um trajeto a cada saída. As estruturas de classificação complexas são criadas para ajudar a determinar os caminhos tomadas de um circuito através do interruptor, e o impacto no GoS. Neste exemplo, supõe que o equipamento envolvido NON-está obstruindo inteiramente.

A finalidade da terceira etapa é calcular o número de troncos físicos exigidos. Você determinou a quantidade de tráfego oferecido durante as horas ocupadas. Você falou ao cliente. Consequentemente, você conhece o GoS os pedidos do cliente. O `calcula o número de troncos exigidos usando fórmulas ou tabelas.

A teoria de tráfego consiste em muitos métodos de enfileiramento e fórmulas associadas. As tabelas que tratam o modelo o mais geralmente encontrado são apresentadas aqui. O modelo e a tabela os mais de uso geral são o erlang B. É baseado em fontes infinitas, em LCC, e em distribuição de poisson que é apropriada pelo tempo de contenção exponencial ou constante. O erlang B atenua o número de troncos devido à suposição de LCC. Contudo, é o algoritmo o mais de uso geral.

O exemplo aqui determina o número de troncos em um grupo de troncos que levam este tráfego (um grupo de troncos é definido como um grupo de buscas de troncos paralelos):

  • 352 horas do tráfego oferecido do atendimento em um mês.

  • 22 dias úteis/mês.

  • Processamento de chamadas de 10% aéreo

  • 15% do tráfego ocorre nas horas ocupadas.

  • Grade de serviços p=.01

Horas ocupadas = 352 dividiram-se por 22 x 15% x 1.10 (despesas gerais do Processamento de chamadas) = 2.64 erlangs

As suposições do tráfego são:

  • Origens de infinito.

  • A distribuição de tráfego e as chamadas perdidas aleatórias ou de Poisson são canceladas.

Baseado nestas suposições, o algoritmo apropriado para usar-se é o erlang B. Use esta tabela para determinar o número apropriado de troncos (N) para um P de .01.

N P
.003 .005 .01 .02 .03 .05
1 .003 .005 .011 .021 .031 .053
2 .081 .106 .153 .224 .282 .382
3 .289 .349 .456 .603 .716 .9
4 .602 .702 .87 1.093 1.259 1.525
5 .995 1.132 1.361 1.658 1.876 2.219
6 1.447 1.622 1.909 2.276 2.543 2.961
7 1.947 2.158 2.501 2.936 3.25 3.738
8 2.484 2.73 3.128 3.627 3.987 4.543
9 3.053 3.333 3.783 4.345 4.748 5.371
10 3.648 3.961 4.462 5.084 5.53 6.216
11 4.267 4.611 5.16 5.842 6.328 7.077
12 4.904 5.279 5.876 6.615 7.141 7.95
13 5.559 5.964 6.608 7.402 7.967 8.835
14 6.229 6.664 7.352 8.201 8.804 9.73
15 6.913 7.376 8.108 9.01 9.65 10.63

Nota: A tabela é extraída ABC de T. Frankel do “do telefone”

Desde que uma grade de serviços de P .01 é exigida, use somente a coluna designada como P .01. Os cálculos indicam uma quantidade do tráfego das horas ocupadas de 2.64 erlangs. Isto encontra-se entre 2.501 e 3.128 na coluna P .01. Isto corresponde a um número de troncos (N) de sete e de oito. Desde que você é incapaz de usar um tronco fracional, use o valor maior seguinte (oito troncos) para levar o tráfego.

Há diversas variações das tabelas do erlang B disponíveis para determinar o número de troncos exigidos para prestar serviços de manutenção a uma quantidade de tráfego específica. A tabela aqui mostra o relacionamento entre o GoS e o número de troncos (T) exigido para apoiar uma taxa de tráfego nas erlangs.

Taxa de tráfego nas erlangs Número dos troncos (T)
T=1 T=2 T=3 T=4 T=5 T=6 T=7 T=8 T=9 T=10
0.10 .09091 .00452 .00015 .00000 .00000 .00000 .00000 .00000 .00000 .00000
0.20 .16667 .01639 .00109 .00005 .00000 .00000 .00000 .00000 .00000 .00000
0.30 .23077 .03346 .00333 .00025 .00002 .00000 .00000 .00000 .00000 .00000
0.40 .28571 .05405 .00716 .00072 .00006 .00000 .00000 .00000 .00000 .00000
0.50 .33333 .07692 .01266 .00158 .00016 .00001 .00000 .00000 .00000 .00000
0.60 .37500 .10112 .01982 .00296 .00036 .00004 .00000 .00000 .00000 .00000
0.70 .41176 .12596 .02855 .000497 .00070 .00008 .00001 .00000 .00000 .00000
0.80 .44444 .15094 .03869 .00768 .00123 .00016 .00002 .00000 .00000 .00000
0.90 .47368 .17570 .05007 .01114 .00200 .00030 .00004 .00000 .00000 .00000
1.00 .50000 .20000 .06250 .01538 .00307 .00051 .00007 .00001 .00000 .00000
                     
1.10 .52381 .22366 .07579 .02042 .00447 .00082 .00013 .00002 .00000 .00000
1.20 .54545 .24658 .08978 .02623 .00625 .00125 .00021 .00003 .00000 .00000
1.30 .56522 .26868 .10429 .03278 .00845 .00183 .00034 .00006 .00001 .00000
1.40 .58333 .28949 .11918 .40040 .01109 .00258 .00052 .00009 .00001 .00000
1.50 .60000 .31034 .13433 .04796 .01418 .00353 .00076 .00014 .00002 .00000
1.60 .61538 .32990 .14962 .05647 .01775 .00471 .00108 .00022 .00004 .00001
1.70 .62963 .34861 .16496 .06551 .02179 .00614 .00149 .00032 .00006 .00001
1.80 .644286 .36652 .18027 .07503 .02630 .00783 .00201 .00045 .00009 .00002
1.90 .65517 .38363 .19547 .08496 .03128 .00981 .00265 .00063 .00013 .00003
2.00 .66667 .40000 .21053 .09524 .03670 .01208 .00344 .00086 .00019 .00004
                     
2.20 .68750 .43060 .23999 .11660 .04880 .01758 .00549 .00151 .00037 .00008
2.40 .70588 .45860 .26841 .13871 .06242 .02436 .00828 .00248 .00066 .00016
2.60 .72222 .48424 .29561 .16118 .07733 .03242 .01190 .00385 .00111 .00029
2.80 .73684 .50777 .32154 .18372 .09329 .04172 .01641 .00571 .00177 .00050
3.00 .75000 .52941 .34615 .20611 .11005 .05216 .02186 .00813 .00270 .00081
                     
3.20 .76190 .54936 .36948 .22814 .12741 .06363 .02826 .01118 .00396 .00127
3.40 .77273 .56778 .39154 .24970 .14515 .07600 .03560 .01490 .00560 .00190
3.60 .78261 .58484 .41239 .27069 .16311 .08914 .04383 .01934 .00768 .00276
3.80 .79167 .60067 .43209 .29102 .18112 .10290 .05291 .02451 .01024 .00388
4.00 .80000 .61538 .45070 .31068 .19907 .11716 .06275 .03042 .01334 .00531

Taxa de tráfego nas erlangs Número dos troncos (T)
T=11 T=12 T=13 T=14 T=15 T=16 T=17 T=18 T=19 T=20
4.00 .00193 .00064 .00020 .00006 .00002 .00000 .00000 .00000 .00000 .00000
4.50 .00427 .00160 .00055 .00018 .00005 .00002 .00000 .00000 .00000 .00000
                     
5.00 .00829 .00344 .00132 .00047 .00016 .00005 .00001 .00000 .00000 .00000
5.25 .01107 .00482 .00194 .00073 .00025 .00008 .00003 .00001 .00000 .00000
5.50 .01442 .00657 .00277 .00109 .00040 .00014 .00004 .00001 .00000 .00000
5.75 .01839 .00873 .00385 .00158 .00060 .00022 .00007 .00002 .00001 .00000
                     
6.00 .02299 .01136 .00522 .00223 .00089 .00033 .00012 .00004 .00001 .00000
6.25 .02823 .01449 .00692 .00308 .00128 .00050 .00018 .00006 .00002 .00001
6.50 .03412 .01814 .00899 .00416 .00180 .00073 .00028 .00010 .00003 .00001
6.75 .04062 .02234 .01147 .00550 .00247 .00104 .00041 .00015 .00005 .00002
                     
7.00 .04772 .02708 .01437 .00713 .00332 .00145 .00060 .00023 .00009 .00003
7.25 .05538 .02827 .01173 .00910 .00438 .00198 .00084 .00034 .00013 .00005
7.50 .06356 .03821 .02157 .01142 .00568 .00265 .00117 .00049 .00019 .00007
7.75 .07221 .04456 .02588 .01412 .00724 .00350 .00159 .00068 .00028 .00011
                     
8.00 .08129 .05141 .03066 .01722 .00910 .00453 .00213 .00094 .00040 .00016
8.25 .09074 .05872 .03593 .02073 .01127 .00578 .00280 .00128 .00056 .00023
8.50 .10051 .06646 .04165 .02466 .01378 .00727 .00362 .00171 .00076 .00032
8.75 .11055 .07460 .04781 .02901 .01664 .00902 .00462 .00224 .00103 .00045
                     
9.00 .12082 .08309 .05439 .03379 .01987 .01105 .00582 .00290 .00137 .00062
9.25 .13126 .09188 .06137 .03897 .02347 .01338 .00723 .00370 .00180 .00083
9.50 .14184 .10095 .06870 .04454 .02744 .01603 .00888 .00466 .00233 .00110
9.75 .15151 .11025 .07637 .05050 .03178 .01900 .01708 .00581 .00297 .00145
                     
10.00 .16323 .11974 .08434 .05682 .03650 .02230 .01295 .00714 .00375 . 00187
10.25 .17398 .12938 .09257 .06347 .04157 .02594 .01540 .00869 .00467 .00239
10.50 .18472 .13914 .10103 .07044 .04699 .02991 .01814 .01047 .00575 .00301
10.75 .19543 .14899 .10969 .07768 .05274 .03422 .02118 .01249 .00702 .00376
                     
11.00 .20608 .15889 .11851 .08519 .05880 .03885 .02452 .01477 .00848 .00464
11.25 .21666 .16883 .12748 .09292 .06515 .04380 .02817 .01730 .01014 .00567
11.75 .22714 .17877 .13655 .10085 .07177 .04905 .03212 .02011 .01202 .00687

Taxa de tráfego nas erlangs Número dos troncos (T)
T=21 T=22 T=23 T=24 T=25 T=26 T=27 T=28 T=29 T=30
11.50 .00375 .00195 .00098 .00047 .00022 .00010 .00004 .00002 .00001 .00000
12.00 .00557 .00303 .00158 .00079 .00038 .00017 .00008 .00003 .00001 .00001
                     
12.50 .00798 .00452 .00245 .00127 .00064 .00034 .00014 .00006 .00003 .00001
13.00 .01109 .00651 .00367 .00198 .00103 .00051 .00025 .00011 .00005 .00001
                     
13.50 .01495 .00909 .00531 .00298 .00160 .00083 .00042 .00020 .00009 .00004
14.00 .01963 .01234 .00745 .00433 .00242 .00130 .00067 .00034 .00016 .00008
                     
14.50 .02516 .01631 .01018 .00611 .00353 .00197 .00105 .00055 .00027 .00013
15.00 .03154 .02105 .01354 .00839 .00501 .00288 .00160 .00086 .00044 .00022
                     
15.50 .03876 .02658 .01760 .01124 .00692 .00411 .00235 .00130 .00069 .00036
16.00 .04678 .03290 .02238 .01470 .00932 .00570 .00337 .00192 .00106 .00056
                     
16.50 .05555 .03999 .02789 .01881 .01226 .00772 .00470 .00276 .00157 .00086
17.00 .06499 .04782 .03414 .02361 .01580 .01023 .00640 .00387 .00226 .00128
                     
17.50 .07503 .05632 .04109 .02909 .01996 .01326 .00852 .00530 .00319 .00185
18.00 .08560 .06545 .04873 .03526 .02476 .01685 .01111 .00709 .00438 .00262
                     
18.50 .09660 .07513 .05699 .04208 .03020 .02103 .01421 .00930 .00590 .00362
19.00 .10796 .08528 .04952 .03627 .02582 .01785 .01785 .01197 .00788 .00490
                     
19.50 .11959 .09584 .07515 .05755 .04296 .03121 .02205 .01512 .01007 .00650
20.00 .13144 .10673 .08493 .06610 .05022 .03720 .02681 .01879 .01279 .00846

Nota: Esta tabela é obtida da “análise de sistemas para a transmissão de dados,” James Martin, Prentice hall, Inc. 1972, ISBN: 0-13-881300-0; Probabilidade da tabela 11. de uma transação que está sendo perdida, P (n).

Na maioria das situações, um único circuito entre unidades é bastante para o número esperado de chamadas de voz. Contudo, em algumas rotas há uma concentração de atendimentos que exija circuitos adicionais ser adicionada para fornecer um GoS melhor. Um GoS na engenharia de telefone varia geralmente de 0.01 a 0.001. Isto representa a probabilidade do número de atendimentos que são obstruídos. Ou seja .01 são um atendimento em 100, e .001 são um atendimento em 1000 que é perdido devido à obstrução. A maneira comum descrever as características GoS ou de obstrução de um sistema é indicar a probabilidade que um atendimento está perdido quando há uma carga de tráfego dada. P(01) são considerados um bom GoS, visto que P(001) são considerados um GoS deobstrução.

4. Determine a combinação adequada de troncos.

A combinação adequada de troncos é mais de uma decisão econômica do que uma decisão técnica. O custo pelo minuto é a medida a mais de uso geral a fim determinar o ponto de ruptura do preço de adicionar troncos. Assegure-se de que todos os componentes de custo estejam considerados, como esclarecer a transmissão, o equipamento, a administração, e custos de manutenção adicionais.

Há duas regras a seguir quando você aperfeiçoa a rede para o custo:

  • Use as figuras médias do uso em vez das horas ocupadas que exagera o número de minutos do atendimento.

  • Use menos circuito caro até que os custos incrementais se tornem mais caros do que a melhor ruta seguinte.

Baseado no exemplo anterior, fornecer um GoS de .01 exige 8 troncos se há 2.64 erlangs do tráfego oferecido. Derive uma figura média do uso:

  • 352 horas divididas em 22 dias em um mês dividido em 8 horas em um dia x 1.10 (Processamento de chamadas aéreo) = 2.2 erlangs durante a hora média.

Supõe que o portador (XYZ) oferece estas taxas:

  • Discagem direta à distância (DDD) = $25 pela hora.

  • As economias planeiam A = a carga fixa $60 mais $18 pela hora.

  • Tie Trunk = $500 taxas lisas.

Primeiramente, represente graficamente os custos. Todos os números são convertidos às figuras de hora em hora para a facilitar trabalhar com os cálculos de erlang.

/image/gif/paws/5756/tie_table.gif

O Tie Trunk, representado pela linha vermelha, é uma linha reta em $500. O DDD é uma linha Linear que comece em 0. Para aperfeiçoar custos, o objetivo é ficar abaixo da curva. Os pontos do cruzamento entre os planos diferentes ocorrem em 8.57 horas entre o DDD e planeiam A, e 24.4 horas entre o plano A e os troncos de laço.

A próxima etapa é calcular o tráfego levado na pela base de tronco. A maioria de Switches atribui o tráfego de voz em uma base do first in first out (FIFO). Isto significa que o primeiro tronco em um grupo de troncos leva substancialmente mais tráfego do que o último tronco no mesmo grupo de troncos. Calcule a atribuição média do tráfego pelo tronco. É difícil fazer assim sem um programa que calcule estas figuras em uma base interativa. Esta tabela mostra a distribuição de tráfego baseada em 2.2 erlangs usando tal programa:

Tráfego em cada tronco baseado em 2.2 erlangs

Troncos Horas oferecidas Levado pelo tronco Cumulativo levado GoS
1 2,2 0.688 0.688 0.688
2 1.513 0.565 1.253 0.431
3 0.947 0.419 1.672 0.24
4 0.528 0.271 1.943 0.117
5 0.257 0.149 2.093 0.049
6 0.107 0.069 2.161 0.018
7 0.039 0.027 2.188 0.005
8 0.012 0.009 2.197 0.002
9 0.003 0.003 2.199 0

O primeiro tronco é oferecido 2.2 horas e leva .688 erlangs. A teórica máxima para este tronco é um erlang. O oitavo tronco leva somente .009 erlangs. Uma implicação óbvia quando você projeta uma rede de dados levar a Voz é que o tronco específico movido sobre para a rede de dados pode ter uma quantidade considerável de tráfego levada, ou ao lado de nada levado.

Usando estas figuras e combinando as com os preços da ruptura mesmo calculados mais cedo, você pode determinar a mistura apropriada de troncos. Um tronco pode levar 176 erlangs do tráfego pelo mês, com base em 8 horas por dia e em 22 dias por mês. O primeiro tronco leva .688 erlangs ou é 68.8% eficazes. Numa base mensal, esse iguala 121 erlangs. Os pontos do cruzamento são 24.4 e 8.57 horas. Nesta figura, os troncos de laço são usados ainda em 26.2 erlangs. Contudo, o tronco mais baixo seguinte usa o plano A porque deixa cair abaixo de 24.4 horas. O mesmo método aplica-se aos cálculos de DDD.

Em relação à Voz sobre redes de dados, é importante derivar um custo pela hora para a infraestrutura de dados. Então, calcule a Voz sobre o tronco X como outra opção tarifada.

/image/gif/paws/5756/22erlang.gif

5. Iguale erlangs do tráfego levado aos pacotes ou às pilhas por segundo.

A quinta e última etapa na engenharia de tráfego é igualar por segundo erlangs do tráfego levado aos pacotes ou às pilhas. Uma maneira de fazer isto é converter um erlang à medida apropriada dos dados, a seguir aplica modificadores. Estas equações são números teóricos baseados na Voz da modulação de código de pulso (PCM) e em pacotes inteiramente carregados.

  • 1 canal de voz PCM exige 64 kbps

  • 1 erlang é 60 minutos da Voz

Consequentemente, 1 erlang = 64 kbps x 3600 segundos x bit 1 byte/8 = 28.8 MB do tráfego em uma hora.

ATM usando o AAL1

  • 1 erlang = pilhas 655 KB/hora que supõe uma carga útil de byte 44

  • = 182 pilhas/segundo

ATM usando o AAL5

  • 1 erlang = pilhas 600 KB/hora que supõe uma carga útil de byte 47

  • = 167 pilhas/em segundo

Frame Relay

  • 1 erlang = quadros 960 KB (carga útil de byte 30) ou 267 fps

IP

  • 1 erlang = pacotes 1.44 M (20 pacotes de bytes) ou 400 pps

Aplique modificadores a estas figuras baseadas nas circunstâncias reais. Os tipos de modificadores a aplicar-se incluem a carga adicional de pacote, a compressão de voz, a detecção de atividade da Voz (VAD), e as despesas gerais da sinalização.

A carga adicional de pacote pode ser usada como um modificador dos por cento.

ATM

  • O AAL1 tem nove bytes para cada 44 bytes de payload ou tem um multiplicador 1.2.

  • O AAL5 tem seis bytes para cada 47 bytes de payload ou tem um multiplicador 1.127.

Frame Relay

  • Quatro a seis bytes de sobrecarga, carga útil variável a 4096 bytes.

  • Usando 30 bytes de payload e quatro bytes de sobrecarga, tem um multiplicador 1.13.

IP

  • 20 bytes para o IP.

  • Oito bytes para o User Datagram Protocol (UDP).

  • Doze a 72 bytes para o Real-Time Transport Protocol (RTP).

Sem usar o Compressed Real-Time Protocol (CRTP), a quantidade de despesas gerais é fantasiosa. O multiplicador real é três. O CRTP pode reduzir as despesas gerais mais, geralmente na escala de quatro a seis bytes. Supondo cinco bytes, o multiplicador muda a 1.25. Supõe que você executa 8 KB da voz comprimida. Você é incapaz de obter abaixo de 10 KB se você fatora nas despesas gerais. Considere a camada 2 aérea também.

A compressão de voz e a detecção de atividade da Voz são tratadas igualmente como multiplicadores. Por exemplo, o conjugate structure algebraic code excited linear prediction (CS-ACELP) (uma Voz 8 KB) é considerado um .125 multiplicador. O VAD pode ser considerado um .6 ou .7 multiplicador.

Fator na sinalização aérea. Em particular, VoIP precisa de figurar no protocolo real time control (RTCP) e as conexões H.225 e H.245.

A etapa final é aplicar a distribuição de tráfego aos troncos para considerar como iguala à largura de banda. Este diagrama mostra a distribuição de tráfego baseada nos cálculos do hora ocupada e os médios da hora. Para os cálculos de hora ocupada, o programa que mostra a distribuição de tráfego por tronco baseada em 2.64 erlangs é usado.

/image/gif/paws/5756/264erlang.gif

BH = horas ocupadas

AH = hora média

Usando a hora média figura como um exemplo, lá são .688 erlangs no primeiro tronco. Isto iguala a 64 kbps x .688 = 44 kbps. 8 KB de compressão de voz igualam a 5.5 kbps. As despesas gerais IP fatoradas dentro trazem ao número até 6.875 kbps. Com troncos da Voz, os troncos iniciais levam o tráfego elevado somente em grupos de troncos maiores.

Quando você trabalha com os gerentes da Voz e dos dados, a melhor aproximação a tomar quando você calcula exigências da largura de banda de voz é trabalhar com a matemática. Oito troncos são precisados em todas as vezes para a intensidade de tráfego de pico. Usando o PCM exprima resultados em 512 KB para oito troncos. As horas ocupadas usam 2.64 erlangs, ou 169 kbps do tráfego. Em média, você usa 2.2 erlangs ou 141 kbps do tráfego.

2.2 erlangs do tráfego levadas sobre o IP que usa a compressão de voz exigem esta largura de banda:

  • 141 kbps x .125 (uma Voz 8 KB) x 1.25 (CRTP de utilização aéreo) = 22 kbps

Outros modificadores que precisam de ser esclarecidos incluem:

  • Camada 2 aérea

  • A configuração de chamada e rasga para baixo a sinalização em cima

  • Detecção de atividade da Voz (se usado)

Plano do ganho/perda

Em redes privadas de hoje do cliente, a atenção deve ser dada aos parâmetros de transmissão, tais como a perda fim-a-fim e o retardo de propagação. Individualmente, estas características impedem transferência eficiente de informação através de uma rede. Junto, manifestam-se como ainda mais obstrução de detrimento referiu como o “eco.”

A perda é introduzida em caminhos de transmissão entre os escritórios finais (EO) primeiramente para controlar o eco e o próximo-canto (eco de ouvinte). A quantidade de perda necessária conseguir um eco dado GoS aumenta com atraso. Contudo, a perda igualmente atenua o sinal de discurso preliminar. Demasiada perda faz difícil ouvir o orador. O grau de dificuldade depende em cima da quantidade de ruído no circuito. O efeito comum da perda, do ruído, e do eco é avaliado com a medida GoS do perda-ruído-eco. O desenvolvimento de um plano da perda leva em consideração o efeito comum da percepção do cliente dos três parâmetros (perda, ruído, e talker echo). Um plano da perda precisa de fornecer um valor da perda de conexão que é próxima ao valor ótimo para todos os comprimentos de conexão. Ao mesmo tempo, o plano deve ser fácil bastante de executar e administrar. A informação aqui ajuda-o a projetar e executar Cisco MC3810 em uma rede privada do cliente.

Centrais telefônica privada

Um PBX é um conjunto de equipamento que permita que um indivíduo dentro de uma comunidade de usuários origine e responda a atendimentos a e da rede pública (através do escritório central, serviço de telefonia da área ampla (WATS), e troncos de FX), dos troncos do serviço especial, e dos outros usuários (linhas PBX) dentro da comunidade. Em cima da iniciação do seletor, o PBX conecta o usuário a uma linha inativa ou a um tronco inativo em um grupo de troncos apropriado. Retorna o sinal apropriado do status de chamada, tal como um tom de discagem ou um anel audível. Uma indicação de ocupado é retornada se o grupo de linha ou tronco é ocupado. Um cargo de atendente pode ser fornecido para responder a chamadas recebidas e para o auxílio de usuário. Há um analógico e uns PBX digitais. Um analógico PBX (APBX) é um seletor PBX que use o switching analógica para fazer conexões de chamada. Um PBX digital (DPBX) é um seletor PBX que use o switching digital para fazer conexões de chamada. Os PBX funcionam em uma de três maneiras: Satélite, cano principal, e Tandem.

Um satélite PBX é dirigido em um PBX principal com que recebe atendimentos da rede pública e pode conectar a outros PBX em uma rede privada.

Um PBX principal funciona como a relação à rede telefônica pública comutada (PSTN). Suporta uma área geográfica específica. Pode suportar um satélite subentendido PBX assim como funcionar como um PBX em tandem.

Funções em tandem PBX como um através-ponto. Os atendimentos de um PBX principal são distribuídos com um outro PBX a um terceiro PBX. Consequentemente, o Tandem da palavra.

Relações PBX

As relações PBX quebram-se em quatro categorias principal:

  • Relações do Tie Trunk

  • Relações de rede pública

  • Relações satélites PBX

  • Interfaces de linha

Este documento centra-se sobre o Tie Trunk e as relações satélites PBX. Há quatro relações principais nestas duas categorias:

  • S/DTT - Relação do tronco digital ao tronco tie de PBX de Satélite digital.

  • S/ATT - Relação do tronco analógico ao tronco tie de PBX de Satélite análogo.

  • D/TT - Relação do tronco digital a digital não ISDN ou ao tronco de conexão de combinação.

  • A/TT - Relação do tronco analógico ao Tie Trunk.

Níveis de interface PBX

__________

                       |         |

                       |         | ------>    0 dB  D/TT, S/DTT 

                       |         | <------    0 dB

                -------|         |

                |                | ------>   -2 dB  A/TT , S/ATT,  S/DTT (with CB)

                |________________| <------   -2 dB

As relações e os níveis esperados por DPBX são alistados primeiramente a fim ajudar a projetar e executar Cisco MC3810 com o nível de transmissão e recebimento correto. Os DPBX com troncos de ligação digitais puras (nenhumas conversões de analógico para digital) sempre recebem e transmitem em 0 DB (D/TT), como ilustrado na figura precedente.

Para DPBX com troncos tie híbridos (conversão de analógico para digital), o nível de transmissão e recebimento é igualmente 0 DB se a relação do banco de memória de canal (CB) conecta ao DPBX digitalmente no ambas as extremidades e um Tie Trunk análogo está usado (veja a figura seguinte). Se o CB conecta ao DPBX através de uma interface análoga, os níveis são -2.0 que o DB para transmite e recebe (veja esta figura).

DPBX com troncos tie híbridos

/image/gif/paws/5756/dpbx_hybrid.gif

O banco de memória de canal conecta ao DPBX através de uma interface análoga

/image/gif/paws/5756/cb_dpbx.gif

Se há somente um CB e conecta a um DPBX através de uma interface análoga, os níveis são -2.0 que o DB transmite e -4.0 recebem (veja esta figura).

Um CB conectado a um DPBX através de uma interface análoga

/image/gif/paws/5756/cb_dpbx.gif

Projete e instale Cisco MC3810

Quando você executa Cisco MC3810 em uma rede cliente, você deve primeiramente compreender o plano da perda da rede existente para assegurar-se de que uma chamada ponta a ponta ainda tenha a mesmos perda total ou níveis quando Cisco MC3810 é instalado. Este processo é chamado linha de base ou benchmarking. Uma maneira de avaliar é desenhar todos os componentes de rede antes que você instale Cisco MC3810. Documente então os níveis previstos no acesso chave e pontos de saída na rede, com base em padrões da associação das indústrias eletrônica e da associação do setor de telecomunicações (EIA/TIA). Meça os níveis nestes o mesmo acesso e pontos de saída na rede para assegurar-se de que estejam documentados corretamente (veja esta figura). Uma vez que os níveis são medidos e documentados, instale Cisco MC3810. Uma vez que instalado, ajuste os níveis de Cisco MC3810 para combinar os níveis previamente medidos e documentados (veja esta figura).

Componentes de rede antes que você instalar Cisco MC3810

/image/gif/paws/5756/nw_before.gif

Componentes de rede depois que você instala Cisco MC3810

/image/gif/paws/5756/nw_after.gif

Para a maioria de aplicações de Cisco MC3810, os DPBX são parte da rede cliente total. Por exemplo, a topologia de rede pode olhar como esta:

O DPBX (lugar 1) conecta a Cisco MC3810 (lugar 1). Isto conecta a uma facilidade/tronco (digitais ou análogos) a uma extremidade distante (lugar 2). A facilidade/tronco é conectada a um outro Cisco MC3810. Isto é conectado a um outro DPBX (lugar 2). Nesta encenação, os níveis (transmita e receba) que é esperado no DPBX são determinados pela facilidade/tipo de tronco ou pela relação (como ilustrado na figura precedente).

A próxima etapa é começar o projeto:

  1. Diagram a rede existente com todo o equipamento de transmissão e conexões de facilidade incluídos.

  2. Usando a informação alistada acima e nos padrões EIA/TIA (no. 32 do Telecommunications Systems Bulletin EIA/TIA 464-B e EIA/TIA - guia do aplicativo do plano da perda do PBX digital), aliste os níveis previstos (para a saída e as interfaces de acesso) para cada parte de equipamento de transmissão.

  3. Meça os níveis reais para assegurar-se de que os níveis previstos e os níveis reais sejam os mesmos. Se não são, vá para trás e reveja os documentos EIA/TIA para o tipo de configuração e conecte-os. Faça ajustes de nível como necessário. Se são os mesmos, documente os níveis e mova-se sobre para a parte do equipamento seguinte. Uma vez que você documentou todos os níveis medidos na rede e são consistentes com os níveis previstos, você está pronto para instalar Cisco MC3810.

Instale Cisco MC3810 e ajuste os níveis para combinar os níveis medidos e documentados antes da instalação. Isto assegura-se de que os níveis totais sejam ainda consistentes com os aqueles dos níveis da avaliação de desempenho. Faça um atendimento através do teste para assegurar-se de que Cisco MC3810 se opere eficientemente. Se não, vá para trás e verifique novamente os níveis para assegurar-se de que estejam ajustados corretamente.

Cisco MC3810 pode igualmente ser usado para conectar ao PSTN. É projetado ter - 3 DB em portas da estação de câmbio internacional (FXO), e 0 DB para o escritório de câmbio internacional (FXO) e recebê-lo e transmiti-lo (portas E&M). Para o analógico, estes valores são verdadeiros para ambos sentidos. Para digital, o valor é 0 DB. Cisco MC3810 tem um comando dynamic mostrar o ganho real (chamada de voz da mostra x/y) para permitir que um técnico guarde uma chave de dígito e olhe o ganho real para vários toms DMTF.

Os offsets incorporados internos da relação para Cisco MC3810 são alistados aqui:

  • O ganho de entrada FXO deslocado = 0.7 atenuações de saída do dBm FXO deslocou = - 0.3 dBm

  • A atenuação de saída deslocada ganho de entrada do dBm -5 FXS FXS = deslocou = 2.2 dBm

  • O ganho de entrada do E&M 4w = -1.1 atenuação de saída deslocada do E&M 4w do dBm deslocou = - 0.4dBm

O sistema do Testbed da qualidade de The Voice (VQT) é uma ferramenta para fazer medições de áudio de objetivo em uma variedade de dispositivos e redes de transmissão de áudio. Alguns exemplos incluem:

  • A medida do atraso audio fim-a-fim em uma rede de pacote comutado.

  • A medida da resposta de frequência de um canal do serviço de telefonia tradicional (POTS).

  • A medida da eficácia e velocidade de um anulador de eco da rede telefônica.

  • A medida da resposta de impulso acústica de um terminal do telefone com altofalante.

Plano cronometrando

Sincronização hierárquica

O método de sincronização hierárquica consiste em quatro níveis de estrato dos pulsos de disparo. É selecionado para sincronizar as redes norte-americanas. É consistente com os padrões de mercado atual.

No método de sincronização hierárquica, as referências da frequência são transmitidas entre Nós. O pulso de disparo o mais de nível elevado na hierarquia de sincronização é um origem da referência principal (PRS). Todas as redes de sincronização digital de interconexão precisam de ser controladas por um PRS. Um PRS é o equipamento que mantém uma precisão de frequência a longo prazo de 1x10-11 ou melhor com verificação opcional ao tempo universal coordenado (UTC) e encontra padrões de mercado atual. Este equipamento pode ser um pulso de disparo do estrato 1 (padrão de Cesium) ou pode ser equipamento diretamente controlado pela frequência e pelo Time Services UTC-derivados padrão, tal como o LORAN-C ou os receptores de rádio do sistema do Global Positioning Satellite (GPS). O LORAN-C e GPS sinalizam-se que estão controlados pelos padrões de Cesium que não são parte do PRS desde que são removidos fisicamente dele. Porque os origens da referência principais são dispositivos do estrato 1 ou são rastreáveis aos dispositivos do estrato 1, cada rede de sincronização digital controlada por um PRS tem o rastreável do estrato 1.

Os Nós do estrato 2 formam o segundo nível da hierarquia de sincronização. Os pulsos de disparo do estrato 2 fornecem a sincronização a:

  • Outros dispositivos do estrato 2.

  • Dispositivos do estrato 3, tais como sistemas da conexão cruzada digital (DCSs) ou escritórios finais digitais.

  • Dispositivos do estrato 4, tais como bancos de memória de canal ou DPBX.

Similarmente, os pulsos de disparo do estrato 3 fornecem a sincronização a outros dispositivos do estrato 3 e/ou aos dispositivos do estrato 4.

Um recurso atrativo da sincronização hierárquica é que as facilidades de transmissão digital existentes entre Nós do switching digital podem ser usadas para a sincronização. Por exemplo, a linha básica taxa de 1.544 Mb/s (taxa de frame 8000-frame-per-second) de um sistema de portadora T1 pode ser usada por esse motivo sem diminuir a capacidade de transporte de tráfego desse sistema de portadora. Daqui, as facilidades de transmissão separadas não precisam de ser dedicadas para a sincronização. Contudo, as relações da sincronização entre redes privadas e públicas precisam de ser coordenadas devido a determinadas características de facilidade da transmissão digital, tais como o histórico de problema de facilidade, os ajustes de ponteiro, e o número de pontos de interruptor.

A operação confiável é crucial a todas as peças de uma rede de telecomunicações. Por este motivo, a rede de sincronização inclui facilidades de sincronização (alternativas) preliminares e secundárias a cada nó do estrato 2, a muitos Nós do estrato 3, e a Nós do estrato 4, onde aplicável. Além, cada estrato 2 e o nó 3 é equipado com um relógio interno esse rompimentos curtos das pontes das referências da sincronização. Este relógio interno é travado normalmente às referências da sincronização. Quando a referência da sincronização é removida, a frequência de relógio está mantida em uma taxa determinada por sua estabilidade.

Fonte de referências do rastreável por PRS

As redes digital privadas, quando interconectadas com redes do International Electrotechnical Commission do portador do intercâmbio local do rastreável por PRS (LEC/IEC), precisam de ser sincronizadas de um sinal de referência rastreável a um PRS. Dois métodos podem ser empregados para conseguir o rastreabilidade do PRS:

  • Forneça um pulso de disparo PRS, neste caso a rede se opera plesiochronously com as redes LEC/IEC.

  • Aceite a cronometragem rastreável por prs das redes LEC/IEC.

Considerações de interface de sincronização

Há fundamentalmente duas arquiteturas que podem ser usadas para passar o sincronismo através da relação entre o LEC/IEC e a rede privada. O primeiro é para que a rede aceite uma referência do rastreável por PRS de um LEC/IEC em um lugar e forneça então referências de cronometragem a todo equipamento restante sobre a interconexão de facilidades. O segundo é para que a rede aceite uma referência do rastreável por PRS em cada relação com um LEC/IEC.

No primeiro método, a rede privada tem o controle da sincronização de todo o equipamento. Contudo, de um ponto de vista técnico e da manutenção, há umas limitações. Toda a perda da rede de distribuição faz com que todo o equipamento associado deslize contra as redes LEC/IEC. Este problema causa os problemas que são difíceis de detectar.

No segundo método, as referências do rastreável por PRS são fornecidas à rede privada em cada relação com um LEC/IEC. Neste arranjo, a perda de uma referência do rastreável por PRS causa um mínimo de problemas. Adicionalmente, os deslizamentos contra o LEC/IEC ocorrem na mesma relação que a fonte do problema. Isto facilita o lugar do problema e os reparos subsequentes.

Sinalização

A sinalização é definida pela recomendação de CCITT o Q.9 como “o intercâmbio de informação (a não ser o discurso) estado relacionado especificamente com o estabelecimento, a liberação, e o controle dos atendimentos, e do Gerenciamento de redes nas operações de telecomunicações automáticas.”

Em sentido lato, há dois reinos de sinalização:

  • Sinalização de assinante

  • Sinalização de tronco (interswitch e/ou interoffice)

A sinalização é classificada igualmente tradicionalmente em quatro funções básicas:

  • Supervisão

  • Endereço

  • Andamento da chamada

  • Gerenciamento de Rede

A sinalização da supervisão é usada a:

  • Inicie um pedido de chamada na linha ou tronco (chamada o sinal de linha em troncos)

  • Guarde ou libere uma conexão estabelecida

  • O novato ou termina o carregamento

  • Recorde um operador em uma conexão estabelecida

A sinalização de endereço transporta informação como a chamada ou o número de telefone e um código de área do subscritor chamado, um código de acesso, ou um código de acesso do Tie Trunk da private automatic branch exchange (posto privado de comutação automática) (PABX). Um sinal do endereço contém a informação que indica o destino de um Call Initiated por um cliente, instalação da rede, e assim por diante.

Os sinais de progresso de chamada são geralmente os toms audíveis ou os anúncios gravados que transportam a informação do andamento da chamada ou de falha de chamada aos assinantes ou aos operadores. Estes sinais de progresso de chamada são descritos inteiramente.

Os sinais do Gerenciamento de redes são usados para controlar a atribuição maioria dos circuitos ou alterar as características operacionais dos sistemas de switching em uma rede em resposta às condições de sobrecarga.

Há aproximadamente 25 sistemas reconhecidos da sinalização entre registros no mundo inteiro, além do que algumas técnicas da sinalização de assinante. O número 7 do sistema de sinalização CCITT (SSN7) é transformar-se rápido o sistema da sinalização entre registros do international/padrão nacional.

A maioria de instalações envolverão provavelmente a sinalização de E&M. Contudo, para a referência, a única sinalização da frequência (SF) laços reversos na bateria do loop de dica e anel, do dica e anel, início de loop, e Ground Start é incluída igualmente.

Tipos eu e II são a sinalização de E&M a mais popular nos Americas. O tipo V é usado no Estados Unidos. É igualmente muito popular em Europa. O SSDC5A difere naquele em e os estados fora do gancho são invertidos para permitir a operação de failsafe. Se a linha quebra, a relação opta pelo fora-gancho (ocupado). De todos os tipos, somente II e V são simétricos (pode ser lado a lado usando um cabo cross-over). O SSDC5 é encontrado com mais freqüência na Inglaterra.

Outras técnicas de sinalização usadas frequentemente são atraso, imediato, e permissão de início. A permissão de início é uma técnica da em-faixa onde o dispositivo de origem espere uma indicação do interruptor chamado antes que envie os dígitos discados. A permissão de início não é usada normalmente nos troncos que são controlados com esquemas da sinalização dos orientados por mensagem tais como o ISDN ou o Signaling System 7 (SS7).

Sumário de aplicativos e de relações de sistema de sinalização

Aplicativo de sistema de sinalização/relação Características
Laço da estação
Sinalização de loop
Estação básica Sinalização DC. Origens na estação. Soada do escritório central.
Estação da moeda Sinalização DC. Origens do início de loop ou do ground-start na estação. Os trajetos à terra e simples são usados além do que a linha para a coleção de moedas e retornam.
Tronco entre escritórios
Bateria reversa do laço Origem de chamada de sentido único. Diretamente aplicável às facilidades metálicas. A corrente e a polaridade são detectadas. Usado em facilidades do portador com sistema de sinalização apropriado da facilidade.
Ligação do E&M Origem de chamada em dois sentidos. Exige o sistema de sinalização da facilidade para todos os aplicativos.
Recurso Sistema de sinalização
Metálico DX
Analógico SF
Digital Bit na informação
Serviço especial
Tipo do laço Laço e disposição de tronco padrão da estação como acima. Formato do ground-start similar para inventar o serviço para troncos PBX-CO.
E & M conduz E&M para troncos tie de discagem PBX. E&M para os canais do sistema de portadora em circuitos do serviço especial.

Práticas norte-americanas

O grupo touchtone norte-americano típico fornece um grupo 12-tone. Alguns grupos feitos sob encomenda fornecem os sinais 16-tone de que os dígitos extra são identificados pelos botões de ação A-D.

Pares DTMF

Grupo de baixa frequência (hertz) Grupo de alta frequência (hertz)
1209 1336 1477 1633
697 1 2 3 A
770 4 5 6 B
852 7 8 9 C
941 * 0 # D

Toms audíveis de uso geral em America do Norte

Tom Frequências (hertz) Cadência
Discagem 350 + 440 Contínuo
Ocupado (estação) 480 + 620 0.5 segundos sobre, 0.5 segundos fora
Ocupado (rede) 480 + 620 0.2 segundos sobre, 0.3 segundos fora
Retorno do anel 440 + 480 segundo 2 sobre, segundo 4 fora
alerta do Fora-gancho Uivo de Multifreq 1 segundo sobre, 1 segundo fora
Advertência de gravação 1400 0.5 segundos sobre, segundo 15 fora
Espera de chamada 440 0.3 segundos sobre, segundo 9.7 fora

Toms de progresso de chamada usados em America do Norte

Nome Frequências (hertz) Teste padrão Níveis
Baixo tom 480 + 620 600 x 120 600 x 133 600 x 140 600 x 160 Vário -24 dBm0 61 a 71 dBmC 61 a 71 dBmC 61 a 71 dBmC 61 a dBmC 71
Tom alto 480 400 500 Vário -17 dBmC 61 a 71 dBmC 61 a dBmC 71
Tom de discagem 350 + 440 Constante -13 dBm0
Tom de toque audível 440 + 480 440 + 40 500 + 40 segundo 2 sobre, segundo de um off2 de 4 segundos sobre, segundo de um off2 de 4 segundos sobre, segundo 4 fora -19 dBmC 61 a 71 dBmC 61 a dBmC 71
Linha tom de ocupado 480 + 620 600 x 120 600 x 133 600 x 140 600 x 160 0.5 segundos sobre, 0.5 segundos fora  
Requisite novamente 480 + 620 600 x 120 600 x 133 600 x 140 600 x 160 0.3 segundos sobre, 0.2 segundos fora  
tom de alerta 6A 440 segundo 2 sobre, seguido em 0.5 segundos sobre, cada segundo 10  
Tom de advertência do registrador 1400 0.5 segundos estouraram cada segundo 15  
Revertendo o tom 480 + 620 600 x 120 600 x 133 600 x 140 600 x 160 0.5 segundos sobre, 0.5 segundos fora -24 dBmC
Tom da moeda do depósito 480 + 620 600 x 120 600 x 133 600 x 140 600 x 160 Constante  
Fora-gancho do receptor (analógico) 1400 + 2060 + 2450 + 2600 0.1 segundos sobre, 0.1 segundos fora +5 vu
Fora-gancho do receptor 1400 + 2060 + 2450 + 2600 0.1 segundos sobre, 0.1 segundos fora +3.9 a -6.0 dBm
Furo 480 Incrementado dentro nivele cada 1 segundo para o segundo 10 Até 40 vu
Nenhum tal número (chorão) 200 a 400 Freq. modulado em 1 hertz interrompeu cada segundo 6 para 0.5 segundos  
Código vago 480 + 620 600 x 120 600 x 133 600 x 140 600 x 160 0.5 segundos sobre, 0.5 segundos fora, 0.5 segundos sobre, segundo 1.5 fora?  
Tom ocupado da verificação (Centrex) 440 O segundo da inicial 1.5 seguiu 0.3 segundos cada 7.5 ao segundo 10 -13 dBm0
Tom ocupado da verificação (TSP) 440 O segundo da inicial 2 seguiu 0.5 segundos cada segundo 10 -13 dBm0
Tom de espera de chamada 440 Duas explosões da Senhora 300 separada no segundo 10 -13 dBm0
Tom da confirmação 350 + 440 3 explosões da Senhora 300 separaram no segundo 10 -13 dBm0
Indicação de acampamento-em 440 1 segundo cada assistente libera-se do laço -13 dBm0
Tom de discagem do aviso 350 + 440 3 explosões, 0.1 segundos sobre, segundo fora de então firmam-se -13 dBm0
Answer Back Tone do conjunto de dados 2025 Constante -13 dBm
Tom alerta da placa de chamada 941 + 1477 seguidos por 440 + por 350 Senhora 60 -10 dBm0
Classe de serviço 480 400 500 0.5 a 1 segundos uma vez  
Tons da ordem
Único 480 400 500 0.5 segundos  
Dobro 480 400 500 2 intermitências curtas  
Triplicar-se 480 400 500 3 intermitências curtas  
Quadrilátero 480 400 500 4 intermitências curtas  
Número que verifica o tom 135 Constante  
Denominação da moeda
3 centavos 5 1050-1100 (sino) Uma torneira  
centavos do entalhe 10 1050-1100 (sino) Dois Taps  
estações 25 centavos 800 (gongo) Uma torneira  
A moeda recolhe o tom 480 + 620 600 x 120 600 x 133 600 x 140 600 x 160 Constante  
Tom do retorno da moeda 480 400 500 0.5 a 1 segundos uma vez  
Tom de teste do retorno da moeda 480 400 500 0.5 a 1 segundos uma vez  
Tom de ocupado do grupo 480 + 620 600 x 120 600 x 133 600 x 140 600 x 160 Constante  
Posição vaga 480 + 620 600 x 120 600 x 133 600 x 140 600 x 160 Constante  
Seletor fora do normal 480 + 620 600 x 120 600 x 133 600 x 140 600 x 160 Constante  
Sinal permanente 480 400 500 Constante  
Tom de advertência 480 400 500 Constante  
Preste serviços de manutenção à observação 135 Firme  
Continue enviar o tom (o IDDD) 480 Firme -22 dBm0
Intercepção centralizada 1850 Senhora 500 -17 dBm0
Tom da ordem ONI 700 + 1100 Senhora 95 a 250 -25 dBm0

Nota: Três pontos no meio do teste padrão que o teste padrão está repetido indefinidamente.

Sinalização in-band de única frequência

A sinalização in-band do SF é amplamente utilizada em America do Norte. Seu a maioria de aplicativo comum é para a supervisão, tal como quietude-ocupado, igualmente chamada sinal de linha. Pode igualmente ser usado para a sinalização de pulso de discagem em troncos. A dinâmica da sinalização do SF exige uma compreensão das durações do sinal e das configurações dos circuitos do E&M, assim como os arranjos da relação da ligação. Estas tabelas mostram as características do SF que sinalizam, configurações da ligação do E&M, e arranjos da relação.

Características típicas da sinalização de frequência única

Geral
Frequência de sinalização (tom) 2600 hertz
Transmissão do estado ocioso Corte
Quietude/ruptura Tom
Ocupado/faça Nenhum tom
Receptor
Largura de banda de detector +/- dBm -7 hertz dos 50 pés @ para o tipo E +/- 30 dBm -7 hertz @
Taxa de pulsação 7.5 a 122 pps
Unidade E/M
Hora mínima para o em-gancho Senhora 33
Mínimo nenhum tom para o fora-gancho Senhora 55
Ruptura dos por cento da entrada (tom) 38-85 (10 pps)
Ligação E - abrem Ocioso
- terra Ocupado
Originando (a unidade da bateria reversa do laço)
Tom mínimo para a quietude Senhora 40
Mínimo nenhum tom para o fora-gancho Senhora 43
Saída mínima para o em-gancho Senhora 69
Tensão na ligação R (-48V no anel e na terra na ponta) On-hook
Tensão na ligação T (-48V na ponta e na terra no anel) Off-hook
Terminando (a unidade da bateria reversa do laço)
Tom mínimo para o em-gancho Senhora 90
Mínimo nenhum tom para o fora-gancho Senhora 60
Saída mínima (tom-em) Senhora 56
Laço aberto On-hook
Laço fechado Off-hook
Transmissor
Tom de baixo nível -36 dBm
Tom de nível elevado -24 dBm
Duração de nível elevado do tom Senhora 400
Precut 8 ms
Corte da conservação Senhora 125
Crosscut Senhora 625
No corte do gancho Senhora 625
Unidade E/M
Tensão na ligação M Fora-gancho (nenhum tom)
Aberto/à terra na ligação M Em-gancho (tom)
Terra mínima na ligação M Senhora 21
Tensão mínima na ligação M Senhora 21
Tom mínimo da saída Senhora 21
Mínimo nenhum tom Senhora 21
Originando (a unidade da bateria reversa do laço)
Loop atual a nenhum tom Senhora 19
Nenhum loop atual a tonificar Senhora 19
Entrada mínima para o tom para fora 20 ms
Entrada mínima para nenhum tom para fora Senhora 14
Tom mínimo para fora Senhora 51
Mínimo nenhum tom para fora Senhora 26
Laço aberto On-hook
Laço fechado Off-hook
Terminando a unidade (do laço)
Inverta a bateria a nenhum tom Senhora 19
Bateria normal a tonificar Senhora 19
Bateria mínima para o tom para fora Senhora 25
Bateria reversa mínima para nenhum tom Senhora 14
Tom mínimo para fora Senhora 51
Mínimo nenhum tom para fora Senhora 26
Bateria na ligação R (-48 v) On-hook
Bateria na ligação TY (-48 na ponta Off-hook

Únicos sinais da frequência usados na sinalização de direção E&M

Chamando a extremidade Extremidade chamada
Sinal M-lead E-lead 2600 hertz 2600 hertz E-lead M-lead Sinal
Ocioso Base Abrir Ligado Ligado Abrir Base Ocioso
Conecte Bateria Abrir Desligado Ligado Base Base Conecte
Pare de discar Bateria Base Desligado Desligado Base Bateria Pare de discar
Comece discar Bateria Abrir Desligado Ligado Base Base Comece discar
Pulso de discagem Base Abrir Ligado Ligado Abrir Base Pulso de discagem
  Bateria   Desligado   Base    
Off-hook Bateria Base Desligado Desligado Base Bateria Fora-gancho (resposta)
Anel para a frente Base Base Ligado Desligado Abrir Bateria Anel para a frente
  Bateria   Desligado       Base
Chamada de volta Bateria Abrir Desligado Ligado Base Base Chamada de volta
    Base   Desligado   Bateria  
Piscamento Bateria Abrir Desligado Ligado Base Base Piscamento
    Base   Desligado   Bateria  
On-hook Bateria Abrir Desligado Ligado Base Base On-hook
Desligue Base Abrir Ligado Ligado Abrir Base Desligue

Escolha os sinais da frequência usados na sinalização reversa do loop de dica e anel da bateria

Chamando a extremidade Extremidade chamada
Sinal T/R - SF SF - T/R 2600 hertz 2600 hertz T/R - SF SF - T/R Sinal
Ocioso Abrir Bateria-terra Ligado Ligado Abrir Bateria-terra Ocioso
Conecte Fechamento Bateria-terra Desligado Ligado Fechamento Bateria-terra Conecte
Pare de discar Fechamento Bateria-terra do Rev Desligado Desligado Fechamento Bateria-terra do Rev Pare de discar
Comece discar Fechamento Bateria-terra Desligado Ligado Fechamento Bateria-terra Comece discar
Pulso de discagem Abrir Bateria-terra Ligado Ligado Abrir Bateria-terra Pulso de discagem
  Fechamento     Desligado   Fechamento  
Off-hook Fechamento Bateria-terra do Rev Desligado Desligado Fechamento Bateria-terra do Rev Fora-gancho (resposta)
Anel para a frente Abrir Bateria-terra do Rev Ligado Desligado Abrir Bateria-terra do Rev Anel para a frente
  Fechamento   Desligado   Fechamento    
Chamada de volta Fechamento Bateria-terra Desligado Ligado Fechamento Bateria-terra Chamada de volta
    Bateria-terra do Rev   Desligado   Bateria-terra do Rev  
Piscamento Fechamento Bateria-terra Desligado Ligado Fechamento Bateria-terra Piscamento
    Bateria-terra do Rev   Desligado   Bateria-terra do Rev  
On-hook Fechamento Bateria-terra Desligado Ligado Fechamento Bateria-terra On-hook
Desligue Abrir Bateria-terra Ligado Ligado Abrir Bateria-terra Desligue

Escolha os sinais da frequência usados para a soada e a sinalização de início de loop usando ligações do dica e anel - atendimento que origina na extremidade do escritório central

Sinal T/R - SF SF - T/R 2600 hertz 2600 hertz T/R - SF SF - T/R Sinal
Ocioso Bateria (aterramento) Abrir Desligado Ligado Bateria (aterramento) Abrir Ocioso
Apreensão Bateria (aterramento) Abrir Desligado Ligado Bateria (aterramento) Abrir Ocioso
Tocando Bateria (aterramento) e 20 hertz Abrir Em-fora Ligado Bateria (aterramento) e 20 hertz Abrir Tocando
Fora-gancho (tocar e conversa) Bateria (aterramento) Fechamento Desligado Desligado Bateria (aterramento) Fechamento Fora-gancho (tocar e resposta)
On-hook Bateria (aterramento) Fechamento Desligado Desligado Bateria (aterramento) Fechamento Off-hook
Em-gancho (complexo) Bateria (aterramento) Abrir Desligado Ligado Bateria (aterramento) Abrir Em-gancho (complexo)

Nota: 20 hertz de soada (segundo 2 segundo sobre, 4 fora)

Únicos sinais da frequência usados para a soada e a sinalização de início de loop usando ligações do dica e anel - atendimento que origina na extremidade da estação

Sinal T/R - SF SF - T/R 2600 hertz 2600 hertz T/R - SF SF - T/R Sinal
Ocioso Abrir Bateria (aterramento) Ligado Desligado Abrir Bateria (aterramento) Ocioso
Fora-gancho (apreensão) Fechamento Bateria (aterramento) Desligado Desligado Fechamento Bateria (aterramento) Ocioso
Ligue o seletor Fechamento Tom de discagem e bateria (aterramento) Desligado Desligado Fechamento Tom de discagem e bateria (aterramento) Ligue o seletor
Pulso de discagem Aberto-fechamento Bateria (aterramento) Em-fora Desligado Aberto-fechamento Bateria (aterramento) Pulso de discagem
Resposta de espera Fechamento Anel audível e bateria (aterramento) Desligado Desligado Fechamento Anel audível e bateria (aterramento) Resposta de espera
Em-gancho (conversa) Fechamento Bateria (aterramento) Desligado Desligado Fechamento Bateria (aterramento) Fora-gancho (respondido)
Em-gancho (pendure acima) Abrir Fechamento da bateria (aterramento) Ligado Desligado Abrir Bateria (aterramento) Fora-gancho (desligado) do Em-gancho

Únicos sinais da frequência usados para a soada e a sinalização início terra usando ligações do dica e anel - atendimento que origina na extremidade do escritório central

Sinal T/R - SF SF - T/R 2600 hertz 2600 hertz T/R - SF SF - T/R Sinal
Ocioso Aberto-bateria Bateria-bateria Ligado Ligado Aberto-bateria   Ocioso
Apreensão Bateria (aterramento) Abrir Ligado Ligado Bateria (aterramento)   Fazer-ocupado
Tocando Bateria (aterramento) e 20 hertz Abrir Em e 20 hertz Ligado Bateria (aterramento) e 20 hertz Abrir Tocando
Fora-gancho (tocar e conversa) Bateria (aterramento) Fechamento Desligado Desligado Bateria (aterramento) Fechamento Fora-gancho (tocar e resposta)
On-hook Bateria (aterramento) Fechamento Ligado Desligado Aberto-bateria Fechamento On-hook
Em-gancho (complexo) Bateria (aterramento) Abrir Desligado Ligado Bateria (aterramento) Abrir Em-gancho (complexo)

Nota: 20 hertz de soada (segundo 2 segundo sobre, 4 fora)

Únicos sinais da frequência usados para a soada e a sinalização início terra usando ligações do dica e anel - atendimento que origina na extremidade da estação

Sinal T/R - SF SF - T/R 2600 hertz 2600 hertz T/R - SF SF - T/R Sinal
Ocioso   Aberto-bateria Ligado Ligado Bateria-bateria Aberto-bateria Ocioso
Fora-gancho (apreensão) Base Aberto-bateria Desligado Ligado Bateria-bateria Aberto-bateria Apreensão
Ligue o seletor Fechamento Tom de discagem e bateria (aterramento) Desligado Desligado Fechamento Tom de discagem e bateria (aterramento) Ligue o seletor
Pulso de discagem Aberto-fechamento Bateria (aterramento) Em-fora Desligado Aberto-fechamento Bateria (aterramento) Pulso de discagem
Resposta de espera Fechamento Anel audível e bateria (aterramento) Desligado Desligado Fechamento Anel audível e bateria (aterramento) Resposta de espera
Fora-gancho (conversa) Fechamento Bateria (aterramento) Desligado Desligado Fechamento Bateria (aterramento) Fora-gancho (respondido)
On-hook Fechamento Aberto-bateria Ligado Ligado Bateria-bateria Aberto-bateria Em-gancho (desligado)
Em-gancho (desligado)   Fechamento Ligado Desligado Aberto-bateria Aberto-bateria On-hook

Guia da preparação do local

Transfira estes listas de verificação e formulários (arquivos PDF do Adobe Acrobat) para planear para a instalação de Cisco MC3810 em um local novo:

Grupos de busca e configuração de preferência

Cisco MC3810 apoia o conceito dos grupos de caçada. Esta é a configuração de um grupo de dial peer no mesmo PBX com o mesmo padrão de destino. Com um grupo de busca, se for feita uma tentativa de chamada para um correspondente de discagem em um intervalo de tempo de nível 0 de sinal digital específico (DS-0) e esse intervalo de tempo estiver ocupado, o Cisco MC3810 buscará outro intervalo de tempo nesse canal até encontrar um que esteja disponível. Neste caso, cada dial peer é configurado usando o mesmo padrão de destino de 3000. Forma um pool do seletor a esse padrão de destino. Para fornecer dial peer específicos no pool uma preferência sobre outros dial peer, configurar a ordem da preferência para cada dial peer que usa o comando preference. O valor de preferência está entre zero e dez. Zero significam a prioridade mais alta. Este é um exemplo da configuração do dial peer com todos os dial peer que têm o mesmo padrão de destino, mas com ordens diferentes da preferência:

dial-peer voice 1 pots

destination pattern 3000

port 1/1

preference 0



dial-peer voice 2 pots

destination pattern 3000

port 1/2

preference 1



dial-peer voice 3 pots

destination pattern 3000

port 1/3

preference 3

Você pode igualmente ajustar a ordem da preferência no lado da rede para dial peer de rede de voz. Contudo, você não pode misturar as ordens da preferência para POTS dial peer (dispositivos do telefone local) e pares da rede de voz (dispositivos através do backbone WAN). O sistema resolve somente a preferência entre dial peer do mesmo tipo. Não resolve preferências entre as duas lista separadas da ordem da preferência. Caso telefones comuns e peers de voz sobre rede estejam combinados no mesmo grupo de busca, os peers de discagem POTS devem ter prioridade sobre os peers de rede sobre voz. Para desabilitar a futura perseguição de peer de discagem caso uma chamada falhe, use o comando huntstop configuration. Para reenable o, o comando nohuntstop é usado.

Ferramentas

  • Modelo 401 de Ameritec - Testador Telecom de múltiplos propósitos

    • Bit Error Rate Test do fracional T1 (BERT)

    • Emulador de CSU/controlador

    • Monitor SLC-96

    • Verificador da camada física

    • Conjunto de medições de impedimento da transmissão de banda larga (TIMS)

    • Voltímetro

    • Decodificador de dígito DTMF/MF

  • Telefone de teste portátil de Dracon TS19 (conjunto de botões)

  • Definição de teste do analógico do modelo 93 IDS

    • Transmit

      • Varredura hertz do 250-4000

      • Teste da inclinação do ganho de 3 tons

      • Níveis verificáveis +6dBm - o dBm -26 em 1 DB pisa

      • Frequências 5 fixas (404, 1004, 2804, 3804, 2713 hertz)

      • DBm amplitudes 5 fixas (-13, -7, 0, +3, +6)

      • Frequências 5/amplitudes armazenadas usuário

    • Receptor

      • Amplitudes de sinal de medição de +1.2 dBm - dBm -70 com 0.1 definições do dBm

      • Medida da frequência e do nível indicada no dBm, na dBrn, e no Vrms

      • Os filtros incluem 3 kHz entalhe horizontalmente, C-MSG, e 1010 hertz

    • Impedâncias Selecionável de 600, de 900 ou de ohms altos-z

Plano da aceitação

O plano da aceitação precisa de conter os elementos que demonstram o seletor/plano de numeração e todas as questões de qualidade de voz tais como o ganho/perda planeie, a engenharia de tráfego ou a carga, e a sinalização e a interconexão com todo o equipamento.

  1. Verifique que a conexão de voz funciona fazendo estes:

    1. Pegare o monofone de um telefone conectado à configuração. Verifique que há um tom de discagem.

    2. Faça um atendimento do telefone local a um dial peer configurado. Verifique que a tentativa de chamada é bem sucedida.

  2. Verifique a validez da configuração do dial peer e da porta de voz executando estas tarefas:

    1. Se você tem relativamente poucos dial peer configurados, use o comando show dial-peer voice summary verificar que os dados configurados estão corretos.

    2. Para mostrar o estado das portas de voz, use o comando show voice port.

    3. Para mostrar o status de chamada para todas as portas de voz, use o comando show voice call.

    4. Para mostrar o status atual de todos os canais de voz da peça de específico de domínio (DSP), use o comando show voice dsp.

Dicas para Troubleshooting

Se você tem o problema que conecta um atendimento, tente resolver o problema executando estas tarefas:

  • Se você suspeita o problema está na configuração do Frame Relay, certifica-se de que o modelagem de tráfego do Frame Relay está girado sobre.

  • Se você envia a Voz sobre o tráfego do Frame Relay sobre a porta serial 2 com um controlador T1, certifique-se que o comando channel group está configurado.

  • Se você suspeita o problema está associado com a configuração do dial peer, usa o comando show dial-peer voice no local e nos concentradores remotos verificar que os dados estão configurados corretamente em ambos.

Documente e grave os resultados de todos os testes.

Discussões relacionadas da comunidade de suporte da Cisco

A Comunidade de Suporte da Cisco é um fórum onde você pode perguntar e responder, oferecer sugestões e colaborar com colegas.


Informações Relacionadas


Document ID: 5756