Yane Marques

Cinco provas. Uma meta.

Apesar de Yane Marques ter se tornado uma das melhores atletas de Pentatlo moderno do mundo, esse esporte ainda está engatinhando em seu país.

Ela planeja mudar esse cenário em 2016.

Estrada para o topo

Yane surgiu como revelação em 2012, estabelecendo-se como uma das melhores pentatletas do mundo, com uma medalha de bronze nos Jogos de Londres. Desde então, ela se manteve na elite do esporte, conquistando resultados consistentes em grandes competições em 2013 e 2014.

Para o Rio 2016, no entanto, ela tem dois objetivos:

  • Ganhar uma medalha de ouro; e
  • Conectar os brasileiros com um novo tipo de esporte — o seu esporte.

Alimentando o fogo e o desejo

Yane continua sendo a única mulher na América do Sul a ganhar uma medalha em competições de Pentatlo moderno nos Jogos Olímpicos. Longe da competição, no entanto, ela é uma dedicada Sargento do Exército Brasileiro.

Esse trabalho sem dúvida a ajudou a desenvolver a força e a coragem necessária para se destacar em uma das modalidades mais difíceis das Olimpíadas.

A rica história do esporte

O Pentatlo era um dos eventos mais importantes nos antigos Jogos Olímpicos da Grécia. Ele exigia que os atletas demostrassem incrível habilidade em cinco provas distintas. O vencedor era considerado o atleta mais completo do mundo.

O Pentatlo moderno, introduzido em 1912, inclui tiro, esgrima, natação, hipismo e corrida. Até 1980, o evento durava cinco dias, com uma prova realizada por dia. Hoje, todas as provas são disputadas em um único dia.

Pontuação

Os participantes competem primeiro em três eventos — esgrima, natação e hipismo — e suas notas determinam sua posição inicial no evento final, que combina corrida e tiro. Precisão com uma pistola de laser é testada durante a corrida e o vencedor será o primeiro que cruzar a linha de chegada.