Guest

Tráfego global de dados móveis crescerá quase 10 vezes entre 2014 e 2019

Hierarchical Navigation

Os dispositivos e conexões inteligentes processarão 97% de todo o tráfego em 2019.


O tráfego global de dados móveis vai multiplicar-se quase por 10 nos próximos cinco anos, alcançando os 292 Exabytes1 anuais em 2019 (30 Exabytes em 2014), o que equivale a um rácio de aumento interanual de 57% entre 2014 e 2019. Esta é a principal conclusão do Relatório Cisco Visual Networking Index (VNI) sobre o Tráfego Global de dados Móveis 2014-2019, que revela como este importante crescimento se deve em grande parte ao crescente número de dispositivos móveis mais potentes e conexões Máquina-a-Máquina (M2M), além do maior acesso a redes celulares mais rápidas.

Em 2014, 88% de todo o tráfego global de dados móveis foi ‘tráfego inteligente’, processado através de dispositivos com avançadas capacidades de computação/multimédia e um mínimo de conectividade 3G, número que previsivelmente irá aumentar até 97% em 2019.

No que toca a redes móveis, espera-se que a 3G supere a 2G como tecnologia celular predominante por quota de conexão em 2017 à escala global. Em 2019, as redes 3G suportarão 44% de todos os dispositivos e conexões móveis à escala global, enquanto a 4G suportará 26% (ainda que vá gerar 68% do tráfego), a 2G cerca de 22% e as redes Low Power Wide Area (LPWA) 8%.

Os 292 Exabytes de dados móveis anuais para 2019 equivalem a:

  • 292 vezes a soma de todo o tráfego IP (fixo e móvel) gerado no ano 2000.
  • 65 biliões de imagens (tipo MMS ou Instagram) ou 23 imagens diárias geradas por cada pessoa do planeta durante todo um ano.
  • 6 biliões de clips de vídeo (por exemplo YouTube) ou mais de dois clips vídeo diários gerados por cada habitante da Terra durante um ano.

Principais Impulsionadores do Tráfego Global de dados Móveis

Entre 2014 e 2019, a Cisco prevê que o crescimento do tráfego global de dados móveis vai superar em três vezes o crescimento do tráfego global de dados fixo. As principais tendências responsáveis por este crescimento são:

  • Mais Utilizadores Móveis. Em 2019 haverá 5.200 milhões de utilizadores móveis (desde os 4.300 milhões contabilizados em 2014). Em 2014, quase 59% da população mundial (7.200 milhões de pessoas) eram utilizadores móveis, número que superará os 69% (de um total de 7.600 milhões de habitantes) em 2019.
  • Mais Conexões Móveis. Em 2019 haverá cerca de 11.500 milhões de dispositivos/conexões móveis – incluindo 8.300 milhões de dispositivos móveis pessoais e 3.200 milhões de conexões M2M –, contra os 7.400 milhões de dispositivos e conexões M2M contabilizados em 2014.
  • Maior Velocidade das Conexões Móveis. A velocidade média global das conexões através de redes móveis vai multiplicar-se por 2,4 entre 2014 (1,7 Mbps) e 2019 (4 Mbps).
  • Mais Vídeo Móvel. Em 2019, o vídeo móvel representará 72% de todo o tráfego global de dados móveis (contra os 55% calculados em 2014).

Impacto das Conexões Máquina-a-Máquina (e Dispositivos Wearable)

M2M refere-se às aplicações que permitem aos sistemas sem fios comunicar com dispositivos semelhantes para suportar sistemas globais de navegação por satélite (GPS), monitorização de ativos, medidores inteligentes, segurança e videovigilância. Os dispositivos wearable incluem-se como um subsegmento das conexões M2M para ajudar a calcular o crescimento da Internet of Everything (IoE).

  • número de dispositivos wearable vão multiplicar-se por cinco à escala global, alcançando os 578 milhões em 2019 (contra os 109 milhões contabilizados em 2014), a maioria deles situados na América do Norte e Ásia-Pacífico.
  • Em 2014, um dispositivos wearable médio gerarou seis vezes mais tráfego mensal que um terminal básico (wearable = 141 Mbs de tráfego móvel mensal vs. Terminais básicos = 22 Mbs de tráfego móvel mensal).
  • Como exemplo, o streaming em direto de uma câmara de vídeo GoPro conectada a uma rede celular geraria cerca de 5 Mbs de tráfego de dados móveis por minuto.
  • Em 2014, o módulo M2M médio gerou três vezes mais tráfego por mês que um terminal básico (M2M = 70 Mbs tráfego móvel mensal vs. Terminais básicos = 22 Mbs de tráfego móvel mensal). 

Aumento de Conectividade 4G

Um grande número de fornecedores de serviços de todo o mundo estão a implementar tecnologias 4G para responder à maioria da busca de serviços e conteúdo sem fios por parte de consumidores e empresas. Em muitos mercados emergentes, as operadoras estão a construir novas redes móveis com soluções 4G. Em alguns mercados maduros, os fornecedores de serviços estão a completar ou substituir as redes herdadas (2G/3G) com tecnologias 4G.    

  • Em 2019, 26% de todos os dispositivos e conexões à escala global serão compatíveis com tecnologias 4G (6,2% em 2014).
  • Número de conexões 4G vão multiplicar-se por sete à escala global, dos 459 milhões em 2014 aos 3.000 milhões em 2019.
  • Em 2014, o tráfego 4G representou 40% de todo o tráfego global de dados móveis, ao passo que em 2019 representará 68%, um aumento interanual de 75% à escala global.
  • Em 2014, a conexão 4G média gerou 2,2 Gbs de tráfego de dados móveis por mês, ao passo que em 2019 vai gerar 5,5 Gbs (contra os 1 Gbs mensais que vai gerar a conexão média que não é 4G.

O Download de Tráfego WiFi supera o Tráfego Celular

O download é o tráfego descarregado a partir de dispositivos duais (com conectividade WiFi e celular, excluindo os portáteis) a partir de redes WiFi e Small Cell. Isto acontece ao nível do utilizador ou do dispositivo quando se migra entre uma conexão celular e uma conexão WiFi/SmallCell. As previsões de ‘descarga’ do Relatório Cisco VNI sobre Tráfego Global de dados Móveis 2014-2019 incluem tráfego gerado a partir de pontos de acesso público e redes WiFi residenciais.

  • Em 2014, 46% de todo o tráfego móvel global foi descarregado, número que aumentará até 54% em 2019.
  • Sem esta descarga, o rácio de aumento interanual do tráfego global de dados móveis entre 2014 e 2019 seria significativamente maior (65% em vez de 57% à escala global).

A Voz sobre WiFi (VoWiFi) Superará a Voz sobre LTE (VoLTE)

Dado o crescente e estratégico rol de tecnologias WiFi nas redes móveis, o Relatório deste ano inclui uma análise de VoWiFi comparado com outros serviços de voz móvel. VoWiFi não é algo novo, mas as primeiras soluções tinham limitações que afetavam a sua adoção e a experiencia dos utilizadores finais. Graças às novas soluções VoWiFi de classe operadora – compatíveis com dispositivos sem cartão SIM como os tablets que apenas incluem conectividade WiFi – a VoWiFi tem o potencial de crescer significativamente nos próximos cinco anos. 

  • Em 2017, o tráfego VoWiFi (10,8 Pb/ano) irá superar o tráfego VoLTE (10,7 pb/Ano).
  • VoWiFi superará a VoLTE em número de minutos consumidos por ano em 2018.
  • Os minutos VoWiFi consumidos representarão mais de metade – 53% - de todo o tráfego de voz IP móvel em 2019.
  • VoWiFi superará a VoLTE em 2017 em termos de Petabytes  anuais consumidos.
  • Em 2019, o WiFi será responsável por conectar cerca de 3,5 vezes mais tablets e PCs compatíveis com conectividade celular (542 milhões).

Crescimento do Tráfego Cloud Móvel

As aplicações e serviços Cloud como Netflix, YouTube, Pandora ou Spotify permitem aos utilizadores móveis superar as limitações da capacidade de memória e potência de processo dos dispositivos móveis.

  • Tráfego Cloud móvel crescerá quase 11 vezes entre 2014 e 2019 (dos 2 Exabytes até aos 21,8 Exabytes mensais).
  • Em 2014, as aplicações Cloud representarão 81% de todo o tráfego de dados móveis ao passo que em 2019 representarão 90%.

Previsão de Crescimento Por Regiões

Em termos de crescimento percentual do tráfego de dados móveis, Médio Oriente e África acumularão a maior taxa de crescimento regional entre 2014 e 2019:

  • Médio Oriente e África terão uma taxa de aumento interanual de 72% (multiplicando-se por 15,3%).
  • Europa Central e Oriental acumularão um rácio de aumento interanual de 71% (multiplicando-se por 14,4)
  • Ásia-Pacífico experimentarão um crescimento interanual de 58% (multiplicando-se por 9,7)
  • América Latina terá uma taxa de aumento interanual de 59% (multiplicando-se por 10,1)
  • América do Norte acumulará uma taxa de aumento interanual de 47% (multiplicando-se por 6,8).
  • Europa Ocidental experimentará um crescimento interanual de 48% (multiplicando-se por 7,1)

Em termos de geração de tráfego de dados móveis, prevê-se que a região Ásia Pacífico se situe em primeiro lugar:

  • Ásia Pacífico: 9,5 Exabytes mensais em 2019
  • América do Norte; 3,8 Exabytes mensais em 2019
  • Europa Ocidental: 2,4 Exabytes mensais em 2019
  • Europa Central e Oriental: 3,5 Exabytes mensais em 2019
  • Médio Oriente e África: 3 Exabytes mensais em 2019
  • América Latina: 2 Exabytes mensais em 2019

Declarações Adicionais

  • Doug Webster, Vice Presidente de Marketing de Produto e Soluções na Cisco: A proliferação de dispositivos móveis mais potentes, o aumento da conexão M2M e o acesso a redes celulares mais rápidas são os impulsionadores do crescimento exponencial do tráfego de dados móveis nos próximos anos. Este ambiente móvel oferece aos fornecedores de serviços uma oportunidade única para proporcionar serviços e experiências móveis inovadores à medida que a Internet of Everything continua a tornar-se uma realidade.”

Metodologia do Relatório Cisco VNI Mobile

O relatório Cisco VNI sobre Tráfego Global de Dados Móveis (2014-2019) baseia-se em estudos de analistas independentes e relatórios reais sobre o uso dos dados móveis. Sobre esta base a Cisco realizou as suas próprias estimativas referentes à adoção de aplicações móveis, tempo de uso e velocidades de transmissão. A velocidade de banda larga móvel e outros fatores como a potência dos dispositivos informáticos fazem também parte das conclusões e previsões do relatório Cisco VNI Mobile. A descrição mais pormenorizada da metodologia utilizada encontra-se no relatório completo.

Recursos Adicionais

1 Um Exabyte é um unidade de informação ou armazenamento que equivale a um trilião de bytes ou mil milhões de Gigabytes